História Como Eu Conheci Meu Anjo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, June de Camaleão, Kanon de Gêmeos, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Pandora, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaka de Virgem, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda
Tags Anjos, Cdz, Hyoga, Hyoga X Shun, Os Cavaleiros Do Zodiaco, Romance, Saint Seiya, Shun, Shun X Hyoga, Yaoi
Visualizações 43
Palavras 2.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capitulo ficou enorme, mas vou tentar fazer os próximos mais curtos prometo 🙏

Capítulo 2 - Enviados do Céu


Fanfic / Fanfiction Como Eu Conheci Meu Anjo - Capítulo 2 - Enviados do Céu

No céu Hyoga fora chamado pelo seu superior para comparecer no salão principal, ele deixou seus devaneios e seguiu ao encontro do mesmo. Ao chegar no enorme e lustroso salão ele se ajoelhara perante seu superior.

- Chamaste-me Shaka? - Perguntou curvando-se diante ao grandioso Arcanjo a sua frente. Sua voz suou suave como uma brisa de verão.

- Sim lhe chamei, recebemos ordens superiores para irmos até a terra infiltramos entres o seres humanos que lá abitam, para reavivar a fé entre os mesmos. - Shaka fez um leve sinal com a mão indicando que Hyoga poderia se levantar.

- Por que essa preocupação sobre a fé dos humanos? - O Anjo arrumou sua postura perante o Arcanjo.

- A preocupação se deve ao numero crescente de demônios que estão vagando livremente pela terra, os mesmos estão armando algo contra o céu e teremos que averiguar.

- De maneira alguma desejo questionar uma ordem Dele, porém por que um Anjo e um Arcanjo? Por que não mandar os serafins? - Hyoga não demostrava qualquer expressão, sua face aparentava uma pintura de tão perfeita.

- Ao perguntar isso já se torna um questionamento. Eu não posso lhe contar o porque, pois não obtive essa resposta.

- Entendo, quando partiremos?

- Partiremos hoje ao crepúsculo, iremos a um acampamento para adolescentes, à indícios de forças malignas nesse local, provavelmente se concentraram nos humanos mais vulneráveis e volúveis.

- Sim, nessa fase os humanos são mais voláteis. Aguardarei o seu chamado e estarei preparado para partimos ao crepúsculo. – Shaka concordou com um leve aceno de cabeça, Hyoga correspondeu do mesmo modo e se retirou.

~~~~~~.~~~~~~.~~~~~~.~~~~~~.~~~~

Na terra Shun chegara ao seu destino junto com seu irmão após uma hora e meia de viagem. Ele tirara seus fones de ouvido, seu cinto de segurança, abriu a porta do carro e saltou do mesmo olhando o lugar em volta.

- O que achou? – Perguntou Ikki saindo do carro.

- Não sei e no fundo nem quero saber. – O menor respondeu escorando seu corpo no carro e cruzando os braços na frente do peito.

- Anda Shun deixa de ser tão inflexível, você vai gostar, vai ser bom pra você. – Ikki abriu o porta malas e pegou a bagagem de Shun.

- Não diga o que é bom ou não pra mim, eu tenho idade suficiente pra saber disso, e no momento o que é bom pra mim é estar na minha casa, cercado de coisas e pessoas que eu gosto.

- Tenta me compreender, eu estou fazendo isso pelo seu bem, eu não posso ficar com você e não é justo passar suas últimas férias da escola sozinho trancado em casa. – O mais velho parou o que estava fazendo e encantou seu irmão, ele o olhou com ternura, Ikki só desejava que o mais novo entendesse seus motivos.

- Okay Ikki eu já entendi isso, mas mesmo assim não concordo. – Shun descruzou os braços e chutou uma pedra que estava perto do pneu traseiro.

- Vamos fazer um trato? – Ikki o olhou com um sorriso amistoso.

- Qual seria? – Os olhos de Shun brilharam na esperança de ouvir seu irmão mudar de ideia.

- Você fica aqui duas semanas, se nesse tempo você não se acostumar e ainda insistir em voltar eu te buscarei. – Shun pensou na proposta, bom, duas semana era melhor que um mês e meio.

Ikki lhe estendeu a mão tentado selar o acordo, Shun a aceitou batendo na mão de seu irmão fazendo um toque que só os dois conheciam. Vencido pelo acordo o menor decidiu ajudar o mais velho a carregar suas malas até o bendito acampamento.

Para entrar no mesmo tiveram que passar por uma estradinha de pedras e uma ponte de madeira que cortava um rio. Shun teve que concordar que o lugar onde o mesmo se localizava era muito bonito e agradável, pelo mesmo no lado de fora havia uma paz, o barulho do rio era relaxante. Passaram pela ponte e seguiram até o portão principal feito de madeira, em cima do mesmo tinha um enorme arco com os dizeres, Bem Vindo ao Acampamento do Zodíaco, “tem como ficar pior?” pensou Shun ao ler aquele nome bizarro.

- Bom eu te deixo aqui Shun, logo um responsável virá te receber e ajuda-lo com as malas. – Ikki deixou a mala que carregava consigo no chão de grama e beijou a testa de seu irmão. – Se comporte, faça batente amigos e arrume uma paquera. – Disse se afastando para olhar aqueles olhos verdes que tanto amava.

- Não pretendo fazer nada disso a não ser me comportar, fique tranquilo em duas semanas estarei em casa com você e a Pandora. – O garoto sorriu lembrando-se do trato.

- Nem pensar, vou indo. – Ikki deu mais um beijo na testa de Shun e seguiu seu curto caminho de volta.

O menor ficou no portão sozinho olhando seu irmão retornar por onde vieram, o observou até ele desaparecer após a ponte.

- Olá você deve ser Shun. – Ele se virou na direção da voz. – Meu nome é Aiolos sou um dos monitores, prazer em conhece-lo.

- Prazer. – Eles se cumprimentaram apertando as mãos.

O moreno ajudou-o com as malas, Shun o seguiu para dentro do acampamento, seus olhos curiosos observaram tudo a sua volta. Haviam doze chalés no campo principal, eles ficavam perto um do outro formando um semicírculo, Shun passou pelos primeiro olhando atentamente o símbolo grego que representava o signo de Áries no zodíaco, o garoto achou aquilo de veras interessante mas não entendeu o por que daquilo, ele se aproximou um pouco mais do monitor, de quem havia se distanciado enquanto olhava distraído as coisas à sua volta.

- Por que os chalés tem símbolos do zodíaco? – Perguntou olhando o segundo chalé com símbolo de Touro.

- Porque separamos os campistas pela data do seu aniversario, assim cada um dormira no chalé que representa o seu signo. Bom chegamos. – Aiolos parou em frente ao sexto chalé do signo de Virgem e abriu sua porta.

Shun adentrou no mesmo, ele era espaçoso, haviam 6 beliches, um guarda roupa suficientemente grande, um sofá enorme aparentemente confortável, uma estante com TV e aparelho de som. Aiolos deixou as malas de Shun no sofá e se retirou despedindo-se, o garoto dirigiu-se até as beliches tentando escolher a sua, enquanto fazia isso uma garota de cabelos lilás adentrou no chalé.

- Olá você deve ser o Shun, meu nome é Saori. – Ela sorriu amistosamente lhe estendendo a mão.

- Prazer em conhece-la.

- Até que fim vou ter um colega de chalé. – Ela soltou sua mão e sentou-se em uma das camas.

- Quer dizer que somos os únicos no chalé de Virgem?

- Por enquanto sim, talvez no meio da semana apareçam mais virginianos.

O garoto desejou que não houvesse, seu plano seria passar o menos possível por ai e mais em seu chalé trancado lendo algo em seu Kindle. Shun seguiu até suas malas no sofá e as levou até as beliches.

- Deixei uma boa parte livre do lado esquerdo do guarda roupa você pode usa-la, no banheiro tem espaço para seus itens de higiene pessoal no armário de baixo da pia. – Disse Saori enquanto lixava suas unhas impecáveis.

- Obrigado. – Shun começou a desfazer suas malas.

Ele passou boa parte do seu dia trancado no chalé arrumando suas coisas e lendo algo, mas precisou sair quando sua barriga já demonstrou sinais de fome, Saori havia partido quando uma garota de cabelos negros lhe chamou para dar uma volta. Shun saiu do chalé e caminhou pelo acampamento atrás do refeitório, não foi difícil acha-lo, porem não teve sorte, pois já não havia mais almoço aquele horário, ele estava quase desistindo de comer algo quando uma linda garota de longos cabelos loiros surgiu na sua frente chamando sua atenção.

- Também veio fazer um lanche fora de hora ? – A loira perguntou pegando um pacote de pão de forma.

- Da onde saiu esse pão? Eu juro que procurei e não achei nada para comer. – Ele a observou enquanto a mesma fazia um misto quente com ele.

- Bom alguns campistas escondem um pouco de comida em seus chalés, aprendi a fazer isso quando vim procurar algo após o horário e assim como você sai sem encontrar nada. Quer um misto quente? – Ela sorriu pra ele enquanto prensava o sanduíche em uma chapa, ele balançou a cabeça aceitando.

Eles ficaram em silêncio enquanto a loira termina os lanches, Shun reparou um pouco mais que o devido nela, ela era extremamente bela, seus cabelos lisos e dourados estavam soltos, os mesmos iam até o meio das costas, ela tinha lindas curvas, seu corpo estava totalmente provocativo dentro daquele vestido curto de mangas longas e justo da cor do seus belos olhos azuis, ela calçava botas de camurça que iam até os joelhos com meia fina preta cheia de lacinhos. A garota se virou entregando-lhe seu lanche pronto. Eles se sentaram juntos na enorme mesa do refeitório e degustaram o lanche.

- Esqueci de me apresentar me chamo June. – A loira sorriu limpando os lábios sujos de chatchupp.

- Me chamo Shun.

- Chegou hoje? Nunca te vi por aqui.

- Sim cheguei hoje.

- Está hospedado em qual chalé?

- No de Virgem e você?

- Áries.

- Faz tempo que está aqui?

- Cheguei a dois dias, mas venho passar minhas férias aqui desde que eu tinha 12 anos. – Shun se impressionou com a noticia, ou aquele lugar era muito bom ou a coitada era obrigada a passar todas suas férias ali.

- Você gosta daqui? – O sorriso da loira se alargou

- Amo aqui é muito bom, acho que você ira gostar, posso te mostrar os melhores lugares desse acampamento e claro como guardar comida extra. – Os dois riram com a ideia de esconder mais comida, Shun simpatizou com aquela linda loira à sua frente, ela parecia muito legal.

Eles terminaram de comer e saíram para dar uma volta pelo lugar, juntos adentraram o bosque e descerem até as margens do rio, o dia estava frio mas fazia sol que pouco esquentava a pele deles, acharam uma clareira onde estava batendo os últimos raios de sol do dia, ali seria um belo lugar para ver o crepúsculo. Shun se sentou em uma grande pedra cruzando seus braços tentando aquecer-se, ali as margens do rio o vento parecia mais frio, June ficou em pé olhando o fluxo da água. O garoto queria muito parar de encara-la mas seus olhos o trariam e ele sempre se pegava admirando-a.

- É lindo aqui não? – Perguntou June o trazendo de volta a realidade.

- Sim lindo. – Shun parou de olha-la e prestou a atenção no rio a sua frente, o fluxo da água não era grande, provavelmente em dias quente os campistas nadavam nele.

June se aproximou da pedra em que o esverdeado estava sentado e sentou ao seu lado, o sol se escondera ainda mais atrás das copas das árvores deixando o local um pouco escuro, quanto mais o anoitecer se aproximava mais frio parecia fazer. A primeira estrela despontou no céu quase noturno, Shun a olhou, ali no meio da natureza o céu parecia mais bonito, mais limpo sem a poluição da cidade que tampavam sua beleza, a pedra em que estava era suficientemente grande para que ele se deitasse nela, foi que o mesmo fez após ver a loira deitada olhando o céu, eles jogaram conversa fora enquanto observam mais estrelas surgirem. Algo chamou a atenção de Shun quando duas luzes passaram voando como estrelas cadentes, uma luz era branca e a outra azul, as mesmas rasgaram o céu parecendo cair perto dali, o garoto fechou seus olhos fazendo um pedido silencioso.

~~~~~~.~~~~~~.~~~~~~.~~~~~~.~~~~

Perto dali o Anjo e o Arcanjo batiam suas belas e grandes asas posando em outra clareira.

- Chegamos. – Disse o arcanjo encolhendo suas asas brancas.

O Anjo fez o mesmo as alongou depois as recolheu junto as suas costas, suas asas não eram tão grandiosas quanto a do Arcanjo, mas eram tão belas quanto. Eles as ajeitaram deixando-as invisíveis aos olhos humanos, suas vestíeis pareciam túnicas, por sorte um Arcanjo tinha o poder de alterar as memórias humanas e a capacidade de fazê-los acreditarem em suas palavras. Os dois vagaram em direção ao acampamento, adentrando pelo bosque do mesmo. Shaka iria faze-los acreditarem que ele era um novo instrutor do local, e Hyoga um novo campista.

- Antes de entramos quero lhe lembrar mais uma vez de tentar agir como eles, tentar desenvolver emoções, porém tome cuidado com as emoções que poderá desenvolver. – Shaka alertou seu companheiro até então inexperiente em viagens a terra.

- Serei cuidadoso. – Bom Hyoga tinha muito o que aprender sobre emoções, pois o mesmo respondera com sua bela cara de paisagem.

Ao adentrar no acampamento Shaka se separara de Hyoga seguindo até a direção do lugar para cuidar dos disfarces como monitor e campista. Hyoga já sabia que ficaria no chalé onze, pois conforme Arcanjo lhe informara enquanto ele permanecesse ali o anjo seria do signo de Aquário enquanto o mesmo seria de Virgem.

Hyoga entrou no chalé e se deparou com dois rapazes sentados no sofá se beijando. Eles se assustaram com a entrada repentina do estranho, Camus se ajeitou tirando Milo de cima de si, para olhar o indivíduo loiro que provavelmente seria seu mais novo colega de chalé. Hyoga sem saber o como alguém reagiria naquela situação entrou e ficou parado olhando pro vazio.

- Ei Camus quem é ele? – Perguntou Milo arrumando seus cabelos desgrenhados.

- Eu não seu, não fui avisado que teria um colega de chalé. – Camus olhou o loiro parado feito uma estatua todo ereto. “Que cara estranho quem é que entra do nada nem pede desculpas e fica parado igual mongol olhando pro nada?” pensou o Aquariano.

- Ei cara qual seu nome? – Perguntou Milo encarando-o.

- Meu nome é Hyoga. – O loiro se virou para olha-los.

- Legal Hyoga, cadê suas malas?

- Malas? – O Anjo ficou confuso com a pergunta, será que isso era importante?

- Sim malas, foi roubado? Onde estão suas roupas? Em falar nisso estava em alguma festa a fantasia? Que túnica é essa ai cara? – Milo não parava de lançar suas perguntas confundindo a cabeça do loiro.

- Isso são vestes comuns de onde vim.

- Que estranho. – Milo deu um selinho no seu namorado e se levantou. – Vou indo Cammy te vejo no jantar. Tchau loiro. – Milo passou por ele e saiu porta a fora.

- Desculpa, não liga pro Milo ele não sabe a hora de ficar quieto. – Camus se levantou do sofá e foi até as beliches. – Essa aqui é minha, fique a vontade de escolher qualquer outra.

Hyoga não estava interessado nas camas e sim na presença demoníaca que sentia naquele acampamento, pelo visto eles estavam por toda a parte.

~~~~~~.~~~~~~.~~~~~~.~~~~~~.~~~~

Na clareira Shun se levantara da pedra e seguira seu caminho de volta até acampamento ao lado de June, eles se separaram assim que chegaram a frente o chalé de Áries, antes de entrar ela o informou que a janta seria servia às 20:00 e que todos jantavam juntos no refeitório. Shun fora para seu chalé afim de tomar um bom banho antes da janta.

(...)

Na hora da janta todos os campistas se reuniram em torno da mesa principal, havia mais pessoas ali do que Shun imaginara. Ele se sentara ao lado de June após se servirem, um rapaz loiro de uma beleza extraordinária se sentara de frente pra ele do outro lado da mesa junto com um cara de cabelos azuis esverdeados e outro de cabelos azuis escuro.

Hyoga observou as pessoas ao seu redor haviam muitos adolescentes comuns ali, mas poderia sentir a presença de algo a mais. Seus olhos azuis cruzaram com um par de olhos esmeraldinos do outro lado da mesa, Hyoga não sabia o porque mais não conseguia desviar o olhar deles. O rapaz correspondia o olhar da mesma maneira intensa, Shun começara a ficar inquieto, pensando no porque aquele cara não parava de encara-lo, ele se sentia nervoso, mas não de raiva e sim de ansiedade, algo naqueles olhos azuis o hipnotizam, pela primeira vez na vida sentiu necessidade se tomar amigo de alguém só de olha-lo.


Notas Finais


E esses olhares 43 ai hein?

Espero que tenham gostado 🙏
Quero agradecer a todos que favoritaram e comentaram vcs me incentivam demais, obrigada mesmo 😍

Bjos de Diamantes 😘💎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...