História Como Eu Era Antes de Você - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias 24K, Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin, Romance, Taehyung, Tragedia
Visualizações 70
Palavras 1.136
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Remédios


Fanfic / Fanfiction Como Eu Era Antes de Você - Capítulo 28 - Remédios

Depois de algumas semanas se completou exatamente um mês, e nesse meio tempo Sana tentou fugir novamente, quase conseguiu.

Flash Back On.

Sana andava observando os seguranças da casa, os o serviu durante duas semanas, e decorou cada passo que eles davam, e sabia exatamente o horário que eles trocavam de turno, e sabendo de tudo isso planejou um jeito de fugir.

Tinha chegado dia, Sana estava só esperando dar a hora, estava tudo planejando, menos uma coisa, pra onde ela iria quando saísse dali ? Onde dormiria ?. Era uma da manhã e como planejado os guardas já i sair para os outros virem, a menina saiu do quarto devagar com uma bolsa, no momento certo abriu a porta sem fazer barulho e saiu, mas ao sair acabou esbarrando em um jarro de flores e o mesmo caiu e se quebrou, ela correu pra fora do portão e por sorte ninguém a viu, mais com um dos guardas ouviu o barulho eles ficaram mais espertos e começaram a olhar o lado de fora da casa e as ruas também, mas Sana estava feliz, tinha conseguido sair mesmo com o imprevisto, andou um pouco pelas ruas até fechar ao ponto onde marcou com um táxi, ela não sabia andar na cidade mas Cory a ensinou algumas coisas.

- Onde deseja ir ?

- Pra um hotel barato, sabe de algum ?

- Sim.

- Pode me levar pra ele então ?

- Claro.

Ele começou a dirigir e a garota olhava as ruas e alguns prédios ainda com as luzes ligadas. Asiáticos trabalham demais. Olhava tudo ao seu redor, algumas pessoas nas ruas, casais de namorados, essa parte deixou ela triste, como Taehyung estaria agora ?

- É aqui.

- Sera que está aberto ?

- Claro.

- Obrigado.

- De nada.

Ela desceu do carro e entrou no hotel, tinha um rapaz debrusado sobre o balcão, parecia que estava dormindo.

- Com licença ?

Ele não se mexeu. Sana o balançou um pouco e ele acordou desesperado.

- Desculpa, não queria de acordar assim.

- Não tem problema, eu não deveria estar dormindo em trabalho. Em que posso ajudar ?

- Um quatro.

- Ok. Nome ?

- Choi Sana.

Ele olhou no computador e sorriu ao voltar o olhar pra ela de novo.

- Tem vários disponíveis, mas eu recomendo o 311, e um quarto muito bonito pra uma moça muito bonita.

- Obrigado.

- Posso te acompanhar.

- Tudo bem.

Ele pegou o cartão do quarto e a levou até lá e abriu a porta.

- Não é bonito ?

- Sim, muito.

- Bom, acho que você deve estar com sono, eu já vou. Prazer em te conhecer.

- O prazer é meu.

Sana fechou a porta e olhou o quarto, era realmente bonito, não tinha muito luxo, era simples, mas tinha seu charme. Agora estava tudo bem, ela ia ficar bem, tomou um banho e se trocou, o sono estava bastante, ela ia se deitar quando alguém bateu na porta, quando abriu se deparou com o mesmo rapaz da recepção.

- Trouxe isso algo pra você comer.

- Não precisava.

- Cortesia da casa.

- Mais uma vez obrigado.

Ele entregou a bandeira pra ela e saiu, parecia um pouco envergonhado; Ela comeu pois estava com fome, e nisso o sono foi embora, ligou a TV e ficou vendo qualquer coisa, tinha que se distrair, por que se ficasse sozinha com seus pensamentos Taehyung aparecia e a deixava pior. Depois de um hora alguém novamente bateu na porta, seria o mesmo menino de novo ? mas já era duas da manhã; ela de levantou e abriu a porta só um pouco, mas quando fui que. era tentou fechar a porta novamente mas não conseguiu.

- Como me achou aqui ?

- Você tem que aprender que eu sempre vou estar a um passo na sua frente.

Kisu se aproximou e a segurou pelo braço.

- Me solta.

- Cory te ajudou ?

- Não, ele não sabia de nada.

- Hum, agora vamos.

- Não!

- Ah vai sim.

Ele a puxou forte a tirando do quarto, um dos homens que o acompanhava pegou as coisas das meninas e eles saíram pra recepção, Kisu o que seria uma diária e saiu a puxando de novo pro carro.

- Já te falei o tanto que te odeio ?

- Já.

- Vou falar de novo pra não perde o costume, eu te odeio Choi Kisu.

- É música para meus ouvidos.

- Como me achou ?

- O taxista, eu paguei pra ele me falar.

- Mas.... como sabia ?

- Você pergunta demais.

O resto do caminho foi silencioso, quando chegaram Kisu se certificou de reforçar a segurança.

- Onde você estava ?

Cory apareceu a abraçou a garota e estava com raiva.

- Estava tentando fugir, mas como percebeu, não consegui.

- Sana, você não tem jeito.

Flash Back Off.

Era de tarde e Sana estava no quarto, queria dormir mas não conseguia, tinha insonia e não dormia a noite, e como consequência de dia ficava com muito sono, além de estava passando mal, se sentia cansada com mais facilidade.

- Sana ?

- Oi.

- Me chamou ?

- Sim, você vai sair sim ?

Cory fez sinal que sim.

- Pode comprar mais meus anti-depressivos ?

- Posso, qual o nome ?

- Lorax.

- Tudo bem.

Ele saiu e ela desceu pra cozinha pra comer algo.

- Como está querida ?

- Com sono e cansada.

- Cansada do que ? Não fez nada.

- Não sei, só sei que estou com sono excessivo, e fome também.

- Vou preparar algo pra você.

- Obrigado.

Suri foi aquecer a comida mas ao sentir o cheiro Saba embrulhou o estômago e foi direto ao banheiro.

- Você está bem.

- Foi só um enjôo.

- Tá vendo, não se alimenta direito e quando vai comer seu estômago rejeita.

- Acho que estou doente.

- É, parece mais pálida, e bom fazer um exame.

- Não, deixa isso quieto, e não conta pro Cory.

- Você que sabe.

A mulher cortou algumas frutas e entregou pra menina, ela comeu e se deitou no sofá a tentou dormir, mas não conseguiu, voltou pro quarto e pegou o remédio pra dormir, tomou um e depois de algum tempo não tinha conseguido dormir, tomou mais e nada, até que chegou ao momento que ela tinha tomado todos os comprimentos, na verdade era muitos, mas também não era poucos.

Depois de comprar o remédios da garota Cory voltou pra casa.

- Sr.Cory, quer comer algo.

- Sem formalidade já disse, e não obrigada, estou sem fome, e a Sana ?

- No quarto.

- Comeu algo ?

- Frutas, ela passou mal hoje.

- Vou vê-la.

O menino subiu as escadas pensando no que havia acontecido; Bateu na na porta do quarto mas ninguém respondeu, bateu uma segunda vez mas como não ouviu nada entrou, viu a menina deitada na cama, provavelmente dormindo, colocou o remédio em cima da messa e foi até ela é a tocou, sentia e pela da mesma fria, mas não estava frio aquele dia, Cory tentou acorda-la mas de nada adiantou, o desespero foi aumentando dentro dele, foi gota d'agua quando sentiu o pulso da garota muito mais devagar do que o normal.


Notas Finais


Talvez, mas é só talvez tenho outro capítulo ainda hoje.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...