História Como Ignorar as Regras - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~iTyubin

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Dua Lipa, Kaisoo, Songfic
Visualizações 106
Palavras 1.038
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Famí­lia, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AVISOS (talvez) IMPORTANTES:
a one-shot já foi postada dia doze, ele tinha apenas umas 336 palavras, só que eu apaguei pela má formação, e daí, decidi reescrever, e deu no que deu, né. JSHSJJSJSJDKDJJD.

E se está aqui apenas pelo lemon, Como pode ver lá nos aviso, NÃO TEM LEMON. Apenas citação de sexo. Longe de mim querer ser rude, só estou avisando mesmo. Ksjsjsjjsjd.

Obrigada Thata @Cilada pela linda capa, eu amei! 💙

E obrigada Anna unnie por betar<3

Enfim, boa leitura. Enjoy!

Capítulo 1 - Falho;


"Um, não atenda o telefone

Você sabe que ele só está ligando

Porque está bêbado e sozinho

Dois, não o deixe entrar

Você precisa expulsá-lo novamente

Três, não seja amiga dele

Você sabe que acordará na cama dele pela manhã

E se você estiver debaixo dele

Você não vai superá-lo"


1. Não atenda ao telefone.

2. Não o deixe entrar.

3. Não seja amigo dele

Kyungsoo lia e relia tais regras, queria mostrar pra todos que conseguia sim viver sem Kai, sem que ele dance para Kyungsoo antes do ¹“coito”, sem aqueles lábios do demônio ou sem apertar aquela bunda. É, ele iria conseguir, ou pelo menos pensava que sim. Quem mandou Jongin fazer merda? Quem estava perdendo o corpinho de Kyungsoo era ele.

Primeiro dia;

“Um, não atenda ao telefone”

Kyungsoo ignorou as 13 chamadas de Kai e, caralho, se sentia a pessoa mais orgulhosa e esnobe do mundo, queria seu Oscar em sua mesa pra já, mas aí se lembrou de que não havia se passado nem meio dia.

“Dois, não o deixe entrar”

Na mesma noite Kai foi a sua casa, ficou batendo em sua porta pedindo pra entrar, o mesmo insistiu tanto que Kyungsoo perdeu sua paciência, quando estava prestes a abrir a porta para mandar Kai ir embora, surgiu uma ideia em sua cabeça. Não iria dar esse gostinho para Kai.

Correu para pegar seu bloco de notas e uma caneta, assim que chegou perto da porta — sem abrir a mesma — Kai começou:

— Kyungie, abre a porta, vamos conversar um pouco, por favor!

Vá conversar com sua mãe, Kim Jongin! – passou o bilhete.

— Tsc, sério isso? Bilhetes? – Kai falou baixinho. — Kyungie, tá muito frio aqui fora, me deixe entrar, por favor. – Kai disse com uma voz manhosa até demais.

— Que morra congelado, inferno. – Mais um bilhete.

— Caralho Kyung, quando aprendeu a ser tão “boca” suja? – Kai fingiu estar assustado.

— Antes sofria, agora sou fria. (; – Kyungsoo escreveu quase morrendo de tanto rir, baixo é claro – tão ridículo.

Então Kai decidiu brincar.

— Sabe Kyung, eu sei que você se toca toda noite pensando em mim, sei que sente minha falta, Soo. – Pelo jeito que Kai falou, Kyungsoo imaginava o mesmo com aquele sorriso de lado.

— ISSO É MENTIRA! – Gritou Kyungsoo.

Era mesmo mentira?

— Achei que não tivesse falando comigo, Soo. – Kai falou vitorioso. — Até logo meu pequeno.

E assim Kai foi embora, deixando Kyungsoo com uma cara emburrada e fervendo em raiva.

“Três, não seja amigo dele”

Kyungsoo nunca iria negar que Kai sempre foi seu melhor amigo, desde pequenos cresceram juntos e Kai foi seu primeiro e único namorado.

Era maravilhoso ter Kai como seu e vice-versa, até Kai conhecer um tal de Oh Sehun, Kai se tornou frio e rude com o menor, não o tocava mais com a mesma vontade de antes e para Kyungsoo eles só transavam como Kai tivesse dizendo “está tudo bem”, mas Kyungsoo sabia que não estava. Kai mal olhava para o mesmo.

Até que Sehun começou o levar para baladas e “rolês” e não demorou muito para Kyungsoo descobrir que Kai o traiu com outro, Minseok era seu nome. 

Receber tal notícia foi como um tiro, Kai sempre fora tão fiel a si, e também já estava grandinho demais para ser influenciado. Kai aparentemente se arrependeu, ligava e tentava falar com o menor, mas não conseguia, não depois de Kyungsoo descobrir ²“New Rules”.

Eu tenho novas regras, eu as conto.

Uma semana depois:

Kyungsoo nunca ficou tanto tempo sem falar com Kai, já estava tão acostumado a acordar com lindas mensagens de bom dia e todas essas coisas. E depois daquela visita, Kai não ligou ou mandou uma mensagem, e cara, ele estava enlouquecendo.

Ele prometeu para as paredes que se Kai o ligasse, pedisse para entrar e tentasse ser “amigo" ele iria ceder.

Dito e feito.

Não atenda ao telefone.

Não demorou muito para que o toque escandaloso do telefone de Kyungsoo soasse pela sala, isso não era possível, certo?

Oi? Kyung?

— Esteja aqui às 18 horas em ponto, senão você não entra nunca mais.

Como Assim? Tá' falando sério? – Kai parecia chocado.

— Tchau.

Não o deixe entrar.

Eu já falei que Kim Jongin é o demônio em forma de gente? Ele sabe muito bem meus pontos fracos e sabe que o principal deles é: O mesmo de cabelo preto. Como ele ousa fazer uma coisa dessas comigo?

Desculpa Dua, mas não foi dessa vez. Quem consegue se manter sã com um Kim Jongin te perseguindo?

Assim que Kai chegou, eu fiquei em choque, era possível ele ficar mais bonito do que já era? E aquele maldito sorriso de lado, céus!

Alô Kyungsoo, seja rude.

— Olha só, você chegou um minuto atrasado. – Disse mostrando seu celular que marcava 18h01min — Você não pode ent... – foi parado quando Kai o empurrou contra a parede e então os dois começaram um beijo, como dois animais sedentos.

E então por um deslize de Kyungsoo, os dois transaram três vezes naquela noite, só não fizeram mais por que Kyungsoo estava exausto. Kai realmente o cansava – no bom sentido da palavra, óbvio, porque Kai era ótimo no que fazia. E assim Kyungsoo conseguiu relembrar como era bom dormir agarrado com o moreno e acordar com o mesmo, só que acordar não foi tão bom assim, aliás, havia tido Kai dentro de si três vezes, e o sexo deles estava longe de ser algo calmo e lento. Ou seja: não foi um bom dia.

Eu tento seguir em frente, mas ele continua me fazendo ter recaídas.

Havia se passado três meses e Kai realmente havia mudado. Havia parado de sair tanto com seus amigos para ficar de chamego com Kyungsoo, chutou Sehun pra longe de si e até tirou a senha de seu celular. Ele queria a confiança de Kyungsoo e a teria, quer dizer, já tinha.

E agora eles só faziam coisas de casais, por exemplo: transar em todo canto da casa, juntar a fome com a vontade de comer, vamo que vamo, meu anjo.

O melhor era que agora já estava tudo bem, Kai tinha Kyungsoo de volta para si e vice-versa.

Você está superando ele.

— É mano, não to não.


Notas Finais


1) Coito foi uma palavra que meu namorado me disse pra quem não entendeu (deer) eh sexo, pelo meu eu acho.
2) https://m.youtube.com/watch?v=k2qgadSvNyU

E ENTÃO? JSJSJJDJD. deixem seus comentários, fico feliz em saber a opinião de vocês. Quem for tímido pode mandar mp que eu respondo com grande satisfação. DON'T BE SHY.

Twitter: @ityubin

XO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...