História Como ser um Confidente Profissional - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Originais
Visualizações 4
Palavras 2.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey Stalkers!!

Pela primeira vez eu estou postando uma fanfic original mas bem, digamos que não é bem uma fanfic, já que QUASE TODOS os fatos daqui são reais (QUASE todos, QUASE) (exatamente, é isso mesmo que vocês estão pensando).

Agora deixa só eu explicar uma coisa, sim. Foi assim que eu conheci o Liam e essa fanfic é meio que a nossa história juntos, desde o começo até hoje.

Enfim, eu coloquei todo o meu coração nessa fanfic, então eu realmente espero que vocês goste de saber sobre como nós começamos a nossa amizade e bom... Não é nenhum segredo como a história vai terminar né kkkkkk eu realmente só fiz essa história porque eu imaginei se vocês gostariam de saber sobre como tudo começou entre nós dois.

Enfim né, bora pro cap??

Capítulo 1 - Como tudo começou


Primeiro dia de aula. Escola nova, aulas novas, matérias novas, professores novos, amigos novos... Talvez não. Pra mim, tudo isso não passa de uma bobagem. Meus pais, me mudarem de escola só por causa do novo emprego do meu pai. Tive que terminar com o meu namorado, perdi o contato com meus amigos e nesse colégio nem mesmo sei qual é a minha sala de aula!

-Mas que merda...-Sussurro para mim mesma.

Meus pais nem mesmo se deram o trabalho de me trazer até a escola, só me acordaram, deram o uniforme e minha mochila e me disseram o endereço. Eu nem mesmo conheço essa rua! Nem sei se estou indo na direção certa!

Enquanto eu estava perdida em meus pensamentos uma menina passa correndo do meu lado e me derruba no chão.

-Ei! Olha por onde anda porra!

Ela nem mesmo parou para me olhar, parecia estar com pressa. Supus, então, que estávamos atrasadas.

-Fudeu

Me levanto num rompante e quando já estou de pé, me sinto tonta.

-Ai caralho!

Caio novamente no chão.

-Chega de cair por hoje, já não aguento mais!

Me levanto e saio correndo na direção em que a menina foi. Pelo menos agora eu tinha um GPS ambulante. Eu ainda estava brava com ela, mas me preocupei em chegar a tempo na escola. Quando avistei o colégio lá na frente, acelerei e ultrapassei a menina, que me olhou surpresa. Com a mochila nas costas, cheguei na porta do colégio, arrumei minhas roupas e entrei. Quando passei pelo porteiro, dei bom dia a ele e passei pelo corredor principal. Escuto passos apressados atrás de mim e percebo que a menina estava tentando, só tentando mesmo, me alcançar. De repente, me lembro de que não sei onde é minha sala de aula.

-Não vou perguntar uma coisa dessas para uma menina que me derrubou no meio da rua sem nem mesmo pedir desculpas.- Resmungo para mim mesma.

Olho ao redor e vejo um garoto ruivo vindo em minha direção.

??- Bom dia senhorita, meu nome é Kevin Martins e hoje eu serei o seu guia pela escola.

-Perai o que...?

Kevin-*sussurra* Eu sou só um aluno sofrido que foi o único a se voluntariar para apresentar a escola parar os alunos novos, eu só não esperava que só tivesse você esse ano, então fiquei meio entediado esperando você chegar.

Ele pisca pra mim e me da um joinha com a mão direita. Fazia um tempo desde que ninguém falava assim comigo então eu fiquei meio que sem saber como reagir.

-T-tudo bem então... Eu acho.

??-Achei você! Meu Deus! Você é rápida, sabia disso?

Olhei para trás e vi aquela menina de novo, aff, agora ela vai ficar me perseguindo?

-Olá, o que você quer comigo e DÁ PRA PARAR DE ME SEGUIR?!

Elena-Desculpa! Desculpa! Eu sinto muito mesmo! É só que eu queria te pedir desculpas por ter te derrubado na rua... Desculpa mesmo viu? Eu sinto muito e... Espera aí, KEVIN?!?!

Kevin-O que foi Elena?- ele pergunta, com um olhar cansado.

Elena-Você não tinha sido expulso da escola?!

Kevin-Boatos Elena, boatos... É óbvio que eu não fui expulso, posso até arrumar briga o tempo todo, mas o colégio não seria louco o suficiente pra expulsar o aluno número 1 deles só por causa de mal comportamento.

Então ele é o aluno número 1 dessa escola? Sério isso? Isso está ficando interessante.

-Aluno número 1, briguento, guia, entediado... Pode me dizer mais alguma coisa sobre você, senhor?

Ele me olha, de repente se lembrando que eu estava lá, e me lança um olhar sacana de garoto pegador.

Kevin-Estou completamente solteiro, precisa de mais alguma informação senhorita?

-Não obrigada, já tenho o que eu queria... Completamente solteiro? Você?

O olhei de cima abaixo, vendo ele corar minimamente.

-Tem certeza? Não está se esquecendo de alguma namorada talvez? Ou até mesmo noiva?

Ele tinha 17 anos enquanto eu tinha 16 e era uns bons centímetros mais alto que eu.

Kevin-Tenho certeza, ainda não conheci a pessoa certa, mas talvez isso possa ter mudado...

-Jura? Quem será a pobre coitada?

Começamos a rir e de repente me lembro de Elena e que ela ainda estava lá.

-Elena, tudo bem, eu sei que foi sem querer, não tem problema ok? Olha, que tal fazermos o seguinte, de agora em diante você almoça comigo todos os dias, quem sabe assim eu te perdoo?

Ela me olha com um sorriso, percebendo que eu estava brincando, e faz "sim" com a cabeça. Depois disso ela e Kevin me mostraram a escola e, francamente, acho que vou precisar fazer um mapa desse lugar. Enquanto nos dirigíamos a sala de aula eu avisto um garoto loiro vindo na nossa direção, mas ele passa reto do meu lado, me fazendo arrepiar ao sentir o ventinho que ele fez quando passou. 

"Por que eu me senti assim?"

Eu fiquei meio que encarando o nada e quando eles repararam começaram a rir juntos e me puxaram pelos braços, me levando pra aula.

Elena-O nome dele é Liam Frost e ele é um GATO, além de gato, é também super inteligente e popular.

Kevin-Todas as garotas são caidinhas por ele, mesmo talvez umas novatas que estavam dando em cima de mim agora pouco, não é mesmo senhorita?

Coro e quando ele percebe, me puxa pra um abraço e me sacode quase me jogando pro alto e quando percebo ele me levanta acima de seu rosto e nos encaramos, me fazendo corar mais. Ele ri e quando me bota no chão eu estava tão vermelho que até mesmo maçãs vermelhas teriam inveja da minha vermelhidão. Elena percebe e ri da minha situação.

"Agora eu sou o que? A boba da corte? Só pode porque todo mundo olha pra mim e fica rindo!"

Dessa vez eu não faço nada, apenas inflo minhas bochechas, ainda vermelha, e resmungo.

-Vamos ir logo pra aula...

Eles fazem uma cara estranha e colocam as mãos no lugar do coração.

Os dois-Quanta fofura...

Não, eles NÃO falaram isso...

-ESCUTA AQUI VOCÊS DOIS, EU NÃO SOU FOFA!

Kevin-É sim Yayaaaa!!

Ele segura minhas bochechas e as aperta. Odeio quando me chamam de fofa, mas isso, infelizmente, só me deixa ainda mais fofa. Assim que ele as solta ele me segura pela cintura e vai me puxando pra dentro da sala, enquanto eu quase tinha um ataque de pânico. Aquela sala era muito pequena, muito estranha, rostos desconhecidos, monstros por trás deles que eu não queria conhecer, aquela sala me deixava com falta de ar, eu não conseguia respirar. Meus pés tentavam se mover, tentavam protestar mas eu não conseguia fazer nada, não conseguia me mover, era como se eu estivesse, literalmente, sendo arrastada para o inferno. Então, notando meu desespero, Kevin para e me puxa pra fora. Eu olho no fundo de seus olhos verdes, com os olhos cheios de lágrimas, e coro. Ele pega na minha mão e me sinto um pouco melhor, mas ainda me sentia sufocada mesmo com a ideia de entrar lá. Eu nunca fui disso, sempre tive tantos amigos, um namorado bonito, não precisava me preocupar com notas, eu simplesmente nunca me senti entrando no "desconhecido", sempre estive no lugar familiar, acho que a ideia de mudar de ambiente tão rápido não foi muito boa pra mim. Enquanto eu tinha esses pensamentos, Kevin e Elena me encaravam, preocupados. Percebendo isso, enxugo minhas lágrimas e ponho o melhor sorriso que consigo no rosto.

"Não quero que eles se preocupem comigo, eu vou superar, sei disso."

Kevin-Você está bem Yasmin?

-Sim, sim, eu só tive meio que uma crise de pânico com a ideia de entrar em uma outra sala de aula, nunca fui muito boa em conhecer pessoas novas, assim, eu até consigo conhecê-las, conversar com elas e tal, mas elas sempre pareciam se cansar de mim muito mais rápido que amigos que eu já conhecia, entende?

Kevin-Que filhos da puta!

Elena-Kevin!

Kevin-O que foi Elena?! Vai dizer que você não queria dizer o mesmo?! Pelo amor de Deus! Posso te dizer uma coisa Yasmin? Você sempre vai encontrar esse tipo de pessoa por aí! Mas você, por evitar encontrar essas pessoas, pode também acabar perdendo a chance de conhecer ótimas pessoas!

"Ele tem razão."

-Tem razão Kev, eu só não sei se consigo superar isso da noite pro dia sabe?

Kevin-Que bom que você aqui a sua super amiga Elena e o seu super amigo e futuro amante Kevin pra te ajudar não é mesmo?

Solto uma risada baixa e o encaro com um sorriso sacana, o provocando.

-Vai se achando vai, um dia você vai ver, eu também sei surpreender, e adoro quando isso acontece.

Mordo meu lábio e dou uma piscadela pra ele, fazendo o mesmo corar e soltar um sorrisinho bobo.

Elena-É isso mesmo senhoras e senhores, ela mal chegou e já está se tornando uma abaladora de corações!

Eu e ela rimos da situação que se encontrava nosso amigo e quando me encosto na parede, automaticamente olhando pro lado, vejo aquele garoto lá no fim do corredor, me olhando. Logo o sinal toca e ele vem na direção da sala de aula, ainda me olhando. Em seguida, ele desvia o olhar e passa reto de mim, me fazendo arrepiar novamente com aquela mesma sensação. Ele entra na sala de aula e lança um olhar meio estanho para o Kevin, logo depois olha pra mim e então desvia o olhar, olhando para o quadro enquanto esperava o professor. Quando eu percebi, Kevin e Elena já tinham me arratado pra dentro da sala e eu já estava sentada do lado do Kevin, com a Elena atrás de nós e, não sei se infelizmente, o garoto na nossa frente. Assim que a aula começou eu consegui, rapidamente, me encontrar na matéria em que eles estavam e quando o professor me chamou para responder as questões que ele tinha posto no quadro e eu respondi tudo com uma precisão absurda enquanto todos me olhavam.

Professor- Uau, nada mais se espera dos novos alunos, a concorrência aumentou para vocês dois, Liam e Kevin. Temos mais uma aluna promissora, graças a Deus! Agora, por favor, se apresente senhorita.

-Meu nome é Yasmin Cunha, eu tenho 16 anos e não aguento mais tanta gente me chamando de senhorita.

Kevin me dá um puxão no braço e quase caio em cima dele, corando.

-Isso é, em parte, sua culpa Kevin.

Kevin-Minha? Eu sou completamente inocente! Como pode me acusar de uma coisa tão horrível como essa Yaya?- ele me pergunta, com um sorriso sacana.

Liam-Já esperado do seu comportamento, vai arrumar encrenca com a aluna nova, sério isso Martins?

Kevin-Ah, você também cale a boca Frost!

Ele se levanta, me puxando pela cintura.

Kevin-Você só está com inveja porque eu cheguei nela primeiro que você.

Liam também se levanta e olha para Kevin com desdém.

Liam-Vai fazer com ela a mesma coisa que fez com aquela outra garota?

Kevin me olha com desespero e olha para Liam com raiva.

Kevin-Aquilo foi um acidente e você sabe disso! Por que você insiste em ficar  e lembrando disso?!

Liam-Para que você se sinta realmente culpado pela morte dela. Para que você saiba onde é que essas suas ações um dia vão te levar.

Kevin-Cale a boca! Não finja que você ao menos ligava pra ela! Porque ela nem mesmo te fazia diferença, viva ou morta, nunca fez diferença pra você e provavelmente nunca vai fazer!

Ele deixou algumas lágrimas caírem e quando percebo eu seguro sua mão e ele me olha. Assim que vejo seus lindos olhos verdes cheios de lágrimas, me quebro. Olho para Liam com raiva e digo, curta e grossa.

-Por que você não cala logo a sua boca e presta atenção na aula que o professor está TENTANDO dar?

Ele me olha, por um segundo surpreso e no outro ele parecia até mesmo um pouco triste. Mas eu não ligava, já que ele havia tocado em uma ferida do meu primeiro amigo dessa maldita escola.

Professor-Francamente, vocês dois, a aluna nova teve que interferir e Liam, de novo você insistindo com essa história da pobre garota? Já chega, essa história já machucou muita gente, você fez um colega de sala se lembrar de como foi dolorosa essa perda e, provavelmente, muitos outros também. Yasmin, muito obrigada por pará-los, será que agora já posso continuar minha aula?

-Sim senhor.

Professor-Obrigada. Então como eu ia dizendo...

Quando chegou o intervalo, eu ainda estava segurando a mão de Kevin e ele ainda parecia meio abalado. Elena nos encontrou correndo depois de pegar o lanche dele na mochila. Eu tentava soltar minha mão da dele mas sempre que tentava ele dava um gemido sofrido e eu desistia.

-O que aconteceu com essa tal garota?

Elena- Foi ano passado, eu acho. Kevin e Liam tinham uma amiga em comum, mas ela tinha uns problemas familiares e sofria com uma depressão, um dia ela disse ao Kevin que não aguentava mais e ele perdeu a cabeça. Disse um bando de coisas pra ela, sobre como ela era uma covarde por nunca ter enfrentado os pais, entre outras coisas. O Liam viu isso e correu na frente dela para defendê-la, mas o estrago já havia sido feito. Quando o Kevin percebeu, ela já estava chorando horrores. Ele até tentou se desculpar, mas ela foi embora correndo. Ela foi encontrada no dia seguinte no próprio quarto, com os pulsos cortados.

Eu deixei algumas lágrimas escapar e Elena me olhou, cheia de preocupação. Eu então, olho para Kevin, que ainda segurava minha mão, e dou um abraço forte nele, o mesmo retribui quase que imediatamente. Sinto alguma coisa molhando meu ombro e vejo que ele estava chorando. Me distancio dele e o seguro pelos ombros, olhando em seus olhos. Vejo aquelas órbitas verdes cheias de lágrimas e essa cena me parte o coração. Enxugo suas lágrimas e assim que acabo ele rapidamente segura, novamente, a minha mão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...