História Condenados... - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Angst, Aventura, Bts, Crime, Dark, Drama, Jikook, Jimin!top, Julgamento, Jungkook!bot!, Jungkook!centric, Juventude, Kookmin, Multilação, Namjin, Reformatório, Suícidio, Vhope
Visualizações 260
Palavras 5.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Festa, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA EU OLHA EU!
3 SEMANAS SEM POSTAR!
meu enem foi um lixo >.>
NÃO ME MATEM DEPOIS DESSE FINAL!!! as coisas vão ficar tensas. O inicio pode ser meio chato mas é necessário! já o final.....

leiam as notas finais!
s2

Capítulo 11 - - Capítulo X -


Fanfic / Fanfiction Condenados... - Capítulo 11 - - Capítulo X -

                     ~°•°~

[Norte de Cuba - 

Aproximadamente 11:40am]



"— Te acalmas hermano, Juan ya ha advertido que estamos llegando. — Falou o garoto ao telefone, calmamente tragando um cigarro, enquanto esticava as pernas pra fora da embarcação. — Sí mi padre es consciente de eso.

— Tira os pés daí garoto. — Reclamou o homem de pele bronzeada, fazendo o garoto de touca escura recolher as pernas da beirada, e se sentar corretamente.

— Si si, ya estamos en las aguas de Las Tunas. Su mercadoria estás segura.— Riu esperando o mais velho sair dalí para por os pés no mesmo local de antes. — Sí habrá alguien que nos espera en lá costa del Texas. No se preocupes , nos hablamos después. — Desligou se espreguiçando. — Que cara chato!

— É a quinta vez que liga. — Disse o homem se sentando ao lado do garoto e lhe entregando uma bebida.

— Ele me parece desconfiado.

— E quem não estaria? — Disse o homem ouvindo um suspiro do garoto. — Onde está seu pai hum? já devia estar aqui.

— Para de dizer que ele é meu pai! — Se irritou cruzando os braços. 

— Não sei porque ainda se aborreces, já devia ter aceitado isso .

— Sabe que ele não é meu-

— Mas é como se fosse. — Interrompeu. — Devia agradece-lo, se não fosse ele, você e seu grupinho estariam nas ruas ainda. — Disse ouvindo um riso desgostoso do garoto, e riu de volta arrancando sua touca em brincadeira.

— Ah.. não se balance tanto, estou enjoado já. — Falou o garoto ajeitando os fios negros, enquanto avistava já de longe a costa em que desembarcariam.

— Não se preocupas, já vamos atracar. — Informou o homem coçando a barba. — Só mais alguns minutos.

 

[...]



 

— Então o plano é esse? acreditas mesmo que no seremos seguidos? — Falava o gringo nervoso com um sotaque confuso. — Son 70kg de coca, mais 5 carregamentos de municion!

— Vamos nos acalmar OK? Temos vigias, e estaremos sendo escoltados. Será simples, quando passarmos pelo México, entregaremos as mercadorias e trocaremos as conduções.

— E quem  garante que dará certo?

— Meu filho garantirá. — Disse o Homem de óculos escuros se aproximando do garoto. — O treinei desde criança para isso, Nam tem uma ótima mira. — Riu orgulhoso apertando o ombro do garoto este que estava sentado sobre um caixote do deposito. — Se a troca der errado ninguém saberá que ele estará lá . 

— Como pode nos confiar numa criança?

— Ele não tem nada de criança, verá isso em breve, agora vamos, temos apenas dois dias para encombrir todo o carregamento. — Dizia o homem já ascendendo um charuto e seguindo caminho adentro do deposito com os outros.

 

[...]

 

[Mérida - México

Aproximadamente 22:35pm

 - Pós troca de mercadoria bem sucedida.]

 

 

— Aah eu to' quebrado. — Dizia o homem dirigindo de volta ao centro da cidade.

— Nem diga, eu to tenso até agora, eu pudia jurar que ele atiraria na minha cara naquela hora. — Falou o garoto se lembrando do momento tenso da negociação mais cedo.

— E você querendo ir pra fronteira com a gente amanhã. — Riu o mais velho.

— E eu vou! — Disse convicto. — Acha que vou perder dessa vez? — Riu mascando o cabo do pirulito. — Sempre quis ir pros' Estados Unidos. — Falou sonhador .

— Grande merda Estados Unidos. — Zombou. — Acredite, não está perdendo nada, só vai estar se arriscando.

— Nah.. Eu já avisei ao Juan, vou com vocês e pronto. 

— Teimoso. — Bufou.

— Ya ya, pare vou descer aqui. — Avisou.

— Onde vai? 

— Vou me despedir de alguem. — Riu já descendo da picape.

— Huum...  Vaya a ver lá Yolanda de nuevo, ¿no? — Provocou usando seu sotaque latino.

— Claro que não! Não enxe! — Disse batendo a porta do altomovel e caminhando pra longe.

 

[...]



 

— Yolanda... — Chamava baixinho debaixo da janela da garota enquanto jogava pedrinhas na vidraça. — Yo-

— Ya voy! — Respondeu baixo enquanto destrancava a janela. — Namjoon? ¿Que haces aqui? — Disse a morena surpresa.

— Se afasta.

— Quê? — Perguntou mais não à tempo, o garoto já escalava a folhagem até alcança-la. — Namjoon! Sabe que mi padre no te quiere aqui! — Falava baixo dando passagem para o garoto entrar.

— Eu sei. — Riu. — Eu só vim me despedir. — Disse se aproximando já enlaçando a cintura da garota.

— ¿Se despide? 

— Sim, vou para os Estados Unidos amanhã. — Disse já beijando o pescoço da garota.

— ¿Que está diciendo? esta loco? — Disse se separando.

— Ya não se preocupe amor. Eu vou voltar,  eu sempre volto. — Disse jogando a garota na cama e subindo sobre ela.

—  Pero esta vez, es más longe* , más peligroso, y si fores pego*? — Dizia preocupada a garota relutante aos toques do namorado.

— Não se preocupe OK? não vou ser pego, os homens do meu pai são profissionais, logo estaremos de volta, hum? agora déjame amarte por lá ultima vez."

                     ~•°•~

 

 

Jungkook andava estranhamente preocupado aqueles dias. Não havia conseguido dormir por três dias seguidos, depois do que o mais velho havia o dito.

Claro que ele não acreditou na conversa de que aquela pulseira não era sua. Ele apenas juntou os fatos;  as internações; as vezes que viu Taehyung chorando. Ele sabia o quão doente o amigo devia estar, mas se sentia levemente magoado por sentir que o outro ainda não tinha confiança o suficiente para lhe contar o que tinha.

Aquilo novamente vinha a tona em seus pensamentos, deixando explicito o quanto ele ainda precisava se aproximar dos   garotos, antes de querer saber sobre suas vidas.

 

E com isso, se completava dois meses naquele local.

 Era fim de  Agosto e não havia visto mais Jimin desde o ultimo mês, e aquilo o intrigava tanto. Apenas recebia recados de seus amigos, assim como em uma manhã de sábado encontrou Ryan em sua porta para o acompanhar até o prédio abandonado e iniciar seus dias de limpeza alí.

Sempre sendo observado pelos de olhos azuis, que fazia questão de não sair do batente da porta e o acompanhar com o olhar em tudo que fazia.

Não gostava da presença do amigo do ruivo . Mas sem ele alí sabia que estaria muito mais desprotegido.

O trabalho de limpeza era árduo, porem não difícil. 

No primeiro dia ele ficara perdido em como começar, mas com a ajuda de um outro amigo do ruivo, aprendera onde ficara cada coisa, e como inciar. Após isso pegara o jeito rapidamente, e no segundo dia já sabia exatamente onde ir e o que fazer.

Tirando a parte de ter que jogar todo lixo na floresta, até que ele estava gostando do que fazia. O lugar era silencioso pela parte da manhã, gostava do sons do vento nas arvores, e o canto dos passarinhos.

O cheiro bom que ficava depois da chuva, e o frescor que o teto de vidro trazia quando amanhecia um pouco mais calor, o agradava muito.

Aquele estava se tornando o seu lugar favorito.

Teria que se lembrar de pedir ao Park permissão para ficar alí um pouco a mais do tempo normal, para quem sabe ler seu livro, ou apenas para observar o céu dali. Era um ótimo local para relaxar.

 

Após o dia exaustivo nem precisava de muito esforço para se jogar na cama e apagar. Os dias de dormir sem tomar banho estavam se tornando repetitivos, e aquilo não estava o agradando nem um pouco. Não queria perder seus bons hábitos, mas o cansaço estava o obrigando.

Assim era também não só nos sábados, mas também nas terças e agora nas sextas também. 

Havia fantasiado com a ideia de que Namjoon o ensinaria boxe, mas não esperava que o mais velho o colocaria para se exercitar e malhar antes disso.

Ele realmente não sabia do fato de que precisava ganhar condicionamento antes de aprender a lutar.

Seu corpo esguio gritava após um dia de malhação. Então tudo que ele se lembrava de fazer era se jogar na cama.

 

Ainda naquele mês que havia se passado, havia tido mais uma consulta com a doutora Pearls, onde a contou parcialmente suas frustrações e pensamentos, e esta já lhe oferecia remédios para dormir ou se sentir melhor, e estes foram recusados prontamente.

Segundo a mulher, queria medica-lo para evitar uma futura doença de humor. Mas jungkook sabia que aquilo era desnecessário, uma vez que achava que podia se manter bem.

O que o fez lembrar da semana seguinte em que passou pelo checkup medico, e teve que ir buscar seus exames.

Segundo o doutor ele estava bem, porem lhe foi recomendado pelo mesmo o inicio de atividades físicas para manter isso. Coisa que o moreno já havia começado a fazer.

 

No inicio da semana em que estava atualmente, recebera a informação - quando estava em sala de aula - , que no fim desta, teriam o primeiro dia de visitas.

Desde esse dia o garoto se perguntava se seus pais sairiam de seu país para o visitar. Aquilo o intristecia pois sabia que estes não teriam condições de o fazer.

E cada dia que se aproxima daquela quarta feira seu estomago se comprimia em uma falsa esperança. O que o fez decidir que quando esse dia chegasse, durante todo o horário de visita ficaria em seu quarto dormindo, para que o tempo passasse rapido. 

                      ~•~

 

 

 

 — Jungkook? — Chamava do outro lado da porta sem resposta alguma. — Jungkook!

Por outro lado, o moreno mais novo que antes dormia com os travesseiros sobre os ouvidos, foi despertando aos poucos conforme a voz do outro lado se tornava tão insistente quanto as batidas na madeira.

— Já vai... — Falou se sentando.

Caminhou até a porta com os cabelos desgrenhados e lutando para manter os olhos abertos.

— Meu deus... — Disse abismado o garoto do outro lado assim que a porta fora aberta. — Você está péssimo! — Disse já entrando.

— Tae... — Falou fechando a porta e tentando arrumar os cabelos.

 

— O que faz ai parado? Anda se arruma. — Disse já indo para o armário do garoto.

— Me arrumar pra quê? — Disse confuso.

— Pra quê? Você tem visita! — Disse vendo o outro arregalar os olhos enquanto jogava varias roupas em sua direção.

— E-eu tenho o que? — Falou pasmo.

— Isso que você ouviu.

— Como... como você sabe? — Falou já catando as roupas pelo chão.

— Namjoon mandou eu te avisar.

— Mandou? e... ele disse quem?

— Ai já é de mais. Ele só me disse pra te avisar então corre pro banho. — Disse impurrando o corpo do garoto em direção ao banheiro.

Jungkook tomava o segundo banho mais rápido de sua vida, enquanto pensava milhares de coisas. Não podia ser seus pais... podia? Eles viriam de tão longe por si?

Seu coração palpitava forte enquanto se vestia. E não conseguia parar de pensar naquilo.

Terminou de se arrumar com uma roupa casual simples, um jeans claro casaco e cachecol, assim como seu amigo.

Acompanhou o mais alto pelo corredor e reparou neste uma pulseirinha de pedrinhas vermelhas no pulso deste.

— Bonita. — Disse baixo tendo o olhar do outro.

— Oh.. — Disse encarando o próprio pulso com um sorriso morno no rosto. — Minha irmã me trouxe isso hoje. — Falou encarando o presente. — Ela trouxe uma pro Hobi também. — Riu. — Ela e sua mania de querer nos ver usando coisas iguais. 

— Oh e onde ele está?

— Ah ele... bem... — Dizia sem o encarar. — Ele não costuma sair nesses dias.

— Os pais dele moram longe também? — Disse de forma inocente.

— Ah kookie... — Suspirou com olhar triste. — Antes fosse isso.

— Então o que? — Disse vendo o outro vacilar no olhar, como se travasse uma guerra interior consigo mesmo, entre falar ou não.

— A verdade é que o Hobi não tem pai, e a mãe... bem ela é o motivo por ele estar aqui. — Disse triste vendo o menor arregalar os olhos. — Mas nunca pergunte nada sobre isso à ele OK?

— S-sim. — Disse ascentindo rápido.

— Vamos mudar de assunto por favor . — Pediu sem o encarar, o assunto parecia ser muito delicado.

Jeon queria dizer que não ficara curioso com o que havia ouvido sobre o Jung. E por um momento deixou que milhares de hipóteses ruins que involviam a mãe do garoto e ele, rondassem sua mente.

 

Porém seus pensamentos foram bloqueados a partir do momento em que se aproximava da sala que nunca havia visto antes.

Se despediu do amigo, e seguiu o policial até dentro de uma cabine transparente. Ali foi revistado, e após conferir o nome foi liberado.

Atravessou a cabine por uma roleta, e saiu em um saguão onde haviam varias mesas, e nessas haviam garotos nconversando com parentes e familiares em cada uma delas, sendo observados sempre por policiais.

Vagou o olhar no local, a procura da mesa 11, onde fora indicado ir.

Caminhou nervoso cheio de esperança por entres as mesas, quando finalmente, encontrou a sua.

Seu coração acelerou tão rápido ao fitar o numero, mas tão rápido desacelerou quando viu que quem o aguardava não era exatamente quem ele queria ver.

— Desculpe decepciona-lo. — Disse o rapaz se levantando para cumprimenta-lo.

— Oh.. Demian, está tudo bem. — Riu sem graça.

— Sei que esperava seus pais. — Disse se sentando.

— De certa forma. — Fez o mesmo.

— Bem pelo menos trago notícias. — Disse agora com o cap policial em mãos, enquanto bagunçava os cabelos e sorria.

— Serio? — Disse levantando o olhar.

— Sim, como deve saber, seus pais não tem dinheiro para vir o visitar, porém. — Disse tendo o olhar esperançoso do garoto sobre si. — Eles conseguiram uma liminar com o juiz, para ser enviado todo mês uma quantia pra você se manter aqui.

— Como assim?

— Você vai ter uma conta aqui dentro, vai poder comprar roupas e coisas de necessidade na loja da instituição.

— Tem uma loja aqui? — Falou surpreso.

— Claro. — Riu. — Toda prisão e instituição como essa, tem.

— Eu... eu não sabia, desculpe.

— Não se desculpe. — Disse rindo e bagunçando os cabelos - meios úmidos ainda -, do garoto. 

O garoto até pensou em perguntar algo ao policial, mas antes que o fizesse, sua atenção foi roubada, por uma cena que acontecia alí a três mesas da sua.

De primeira teve que se esforçar pra ter certeza de que enxergava bem, depois concluiu que via certo.

Era o próprio Namjoon alí, camisa de manga longa cobrindo as tatuagens pelos braços. Cabelos bem penteados. Conversava animado com uma senhora de traços  latinos, onde esta tinha em seu colo uma garotinha de traços mistos. Olhos puxadinhos pele bronzeada e cabelos cacheados.

A mesma já grandinha brincava com as mãos do rapaz do outro lado da mesa, este que conversava agora sério com a senhora que o fitava também seria.

— Jungkook? — Teve sua atenção voltada ao policial novamente. — Está tudo bem?

— Ah sim, me desculpe. O que dizia?

— Na verdade eu ainda ia dizer. — Riu de novo. — Como eu disse antes, sua familia não tem como vir pra' ca, então consegui que tenha direito a um telefonema por dez minutos daqui três dias.

— Tá falando serio?  — Falou surpreso vendo o outro assentir. — Ohh obrigado. — Disse sorrindo e já se inclinando para abraçar o rapaz. 

— Sem toques. — O segurança ao lado interviu.

— Desculpe. — Falou rindo travesso para o rapaz a sua frente que devolveu o sorriso. — Demian...

— Hum?

— Por que  faz... essas coisas, por mim ? — Disse baixo sem jeito vendo o outro suspirar.

— Gosto de você garoto. — Disse com um sorriso de canto, deixando o mais novo sem jeito. — Sabe que... — Se aproximou, se inclinando na mesa. — Sabe que acredito em você não é? — Perguntou fazendo o outro assentir com um sorriso de canto, e então segurou sua mão. — Ainda tem o casaco que te dei? — Falou baixo.

— Sim. — Falou encarando a mão do rapaz sobre a sua.

— Então, se precisar de ajuda... — Falou se afastando, deixando o garoto confuso.

  Até ia perguntar quando notou o guarda encarar o policial a frente e apontar para o próprio relógio.

 

— Bem... — Ouviu o policial a sua frente falar. — Nosso tempo está acabando.

— Tudo bem... Obrigado por ter vindo.

— Não agradeça. Sempre que puder lhe trago notícia. Saiba que provavelmente mês que vem já saia noticias sobre o andamento do seu julgamento.

— Jura?

— Sim, o seu advogado entrará em contato com você, não se preocupe. — Sorriu.

— Obrigado, de verdade. — Sorriu de volta.

— Agora vá, estão lhe aguardando. — Disse apontando para o policial ao lado.

— Até mais. — Disse antes de se virar e acompanhar o oficial.

                         ~•~

 

 

A noite havia caido, e com ela as varias duvidas e informações rondavam sua mente por toda a tarde.

Sua cabeça estava uma bagunça. Era tanta coisa pra assimilar que nem se deu conta da hora.

E realmente não havia cogitado na possibilidade de sair mais de seu quarto aquela noite se Taehyung não tivesse batido em sua porta o obrigando a descer para jantar.

A verdade era que não estava com fome. O simples fato de saber que falaria com seus pais daqui três dias, depois de tanto, o deixava com um misto de sensações inexplicáveis. E aquilo não só tirou sua fome como também tiraria seu sono.

Contava animadamente sua conversa com o policial para o amigo, enquanto caminhavam em direção a porta dupla do refeitório. Taehyung parecia interessado no assunto, uma vez ou outra perguntando sobre o tal policial, até... cruzarem as portas do local. 

Jungkook fitou a feição estranha no rosto do amigo quando estes adentraram o refeitório. 

Olhou para o garoto agora tentando encontrar o motivo daquilo, mas antes que pudesse fazê-lo, Taehyung partiu em desparada entre as mesas e ele apenas o seguiu.

Fitou confuso assim que pararam frente uma mesa onde esta estavam seus amigos, que se resumia apenas em "estranhamente" um Seokjin emburrado e um Namjoon sorridente ao seu lado.

— Você adora me surpreender não é garoto? — Perguntou Taehyung encarando o mais velho. — O que faz aqui? 

— Ah estou só arejando a mente.  — Riu.

— Arejando... — Disse sarcástico. — Jin  você está tomando seus remédios? — Cruzou os braços se sentando ao lado de jungkook que já havia feito o mesmo e os escarava confuso.

— Claro que estou, mas que pergunta é essa? — Riu sem jeito não encarando o amigo, e dando um gole na bebida que o loiro tatuado o entregava vez ou outra, com um sorriso no rosto.

— É mas que pergunta é essa hum? — Provocou, Namjoon. —Não está vendo que ele está ótimo? — Sorria com o queixo apoiado nas mão enquanto encarava o outro, como se admirasse sua beleza. Enquanto este apenas revirava os olhos a cada palavra que o tatuado dizia.

 — OK OK! eu não digo mais nada. — Disse Taehyung fazendo sinal de rendição com as mãos. — Onde está Hoseok?

— Oh o vi antes de vir pra cá, ele já está vindo. — Respondeu seokjin.

— OK então, Kook vamos pegar o que comer antes que essa fila fique maior. 

— Espera, vão me deixar aqui sozinho.? — Retrucou.

— Você não está sozinho nenê.. — Disse Namjoon se aproximando mais do outro.

— Viu "nenê" você não está sozinho, Namjoon te proteje. — Disse Taehyung brincalhão vendo a cara de "socorro" que o amigo fez.

— Isso eu te protejo! — Disse piscando um dos olhos, e o mais velho quase saltou em Taehyung.

— Vamos Kook! — Saiu puxando o garoto enquanto ria.

Ambos ficaram na fila conversando e avistaram o momento em que o moreno chegara na mesa e caminhou em direção a fila. 

Os dois a frente já com suas bandejas em mãos rumaram para a mesa de antes, enquanto esperavam Hoseok voltar para comerem todos juntos.

— Por que não come com a gente Jin? — Perguntou Jungkook antes de provar a comida.

— É Jin, por que não come com a gente? — Reforçou Namjoon ainda com o queixo sobre a mão.

— Eu já comi, obrigado Kook. — Falou convincente.

— Oh mas, só mais um pouquinho não te fará mal não é? — Disse Namjoon de forma teatral. — Se me permite... — Disse roubando uma batatinha do prato do mais novo ali. — Diga "A". — Disse indo com o alimento na direção do loiro mais velho.

Seokjin apenas encarou Taehyung que ficou serio naquele momento mas nada disse. Encarou os rostos divertidos de Jungkook e Hoseok que assistiam tudo de forma engraçada.

E Namjoon? Esse parecia saber o que estava acontecendo à muito tempo.

Então Seokjin apenas abriu a boca recebendo de forma desconfortável, o alimento em sua boca. Não só uma ou duas mas três vezes.

Enquanto Jungkook e Hoseok riam, Taehyung e Namjoom pareciam o encarar com espectativa.

— Já chega tudo bem? — Riu tentando desfarçar o desconforto.

Depois disso o silencio se alastrou na mesa enquanto todos comiam, até o mais novo o quebrar.

— Hum.. Nam?

— Oi.

— Sabe algo do Jimin? — Perguntou sem parar de comer.

— Por que o interesse der repente? — Hoseok se pronunciou.

— Não é interesse, só... curiosidade. — Deu de ombros.

— Bem pelo que soube ainda na solitária, mas deve sair hoje ou amanhã. — Disse sem interesse.

— Ah, entendi . — Disse ouvindo o Jung bufar ao seu lado.

— Eu preciso ir ao banheiro, com licença. — Disse der repente o mais velho já se levantando e saindo.

— Ei Jin! Espera! — Gritou Taehyung indo atrás do loiro.

— Tsc. — Namjoon estalou a lingua no céu da boca, demonstrando chateação. — Eu vou nessa. — Disse pegando a própria bandeja e levando pro balcão.

O mais novo ainda encarava tudo de cenho franzido. Como se estivesse deixando algum detalhe passar despercebido. Estava tudo muito estranho.

— Bem, eu vou passar na enfermaria, você vem? — O jung alertou ao terminar seu prato.

— Oh, você não está  se sentindo bem? — Disse preocupado apos limpar os lábios com o guardanapo.

— Não. — Riu fraco. — Só tenho que reabastecer meus remédios.

— Ah pode ser.

Então ambos pegaram suas bandejas, - incluído a de Taehyung - e foram pela direção oposta a caminho da infermaria.

                        ~•~

 

— Então senhor Jung. Tem sentido alguma diferença com a troca dos remédios?

— No começo não, mas de uns dias pra ca, eu venho me sentindo mais enjoado, e passei a ficar com o rosto inchado depois da segunda dose. — Comentou com a doutora que anotava tudo.

— Hum isso não é bom, devia ter comunicado assim que começou.

— Eu achei que fossem os efeitos de inicio, sempre acontece. 

— Mas inchar não é normal. Você pode estar tendo alguma reação alérgica. — Disse fazendo o garoto bufar e encarar Jungkook que estava distraido do outro lado da sala . — Vou passar você para um teste alérgico.

— Agora?

— Sim agora, me acompanhe. — Disse levantando e recolhendo todas as anotações vendo já os dois garotos a acompanharem. — Ah ah! você não meu bem, só ele pode me acompanhar agora OK? — Disse compreensiva afagando o ombro do menor.

— Desculpa kook, eu não sabia...

— Ta tudo bem. — Sorriu.

— Eu passo no seu quarto depois OK?

— Sim só me diz por onde eu... — Dizia gesticulando em direções opostas.

—   Ah sim! Você pode usar esse corredor da direita, tem uma escada no fim dela que vai dar já na ala de cima, ai por lá você já sabe por onde ir OK? — Explicou vendo o rosto apreensivo do garoto. — Não se preocupe, esse corredor da direita é onde fica a sala do diretor geral, então não corre tanto risco. — Riu.

— Tudo bem, nos vemos depois. — Se despediu saindo da sala.

 

Jungkook ia caminhando de forma cautelosa pelo local. Realmente não havia nenhum fluxo de gente ali. Até de mais para o seu gosto.

Em sua mente achava que pelo fato, dalí estar a sala do diretor, devia estar bem protegido. Porém não havia um sequer guarda.

O corredor era extenso, e no fim deste pode observar da onde estava, o inicio da escada em espiral.

Observou ao meio do local vazio as enormes portas de madeira bem talhada, mais a sua frente. Aquela devia ser a sala do diretor.

Se apressou em sair logo dali, e quando se preparava para apressar os passos, quando a mesma fora aberta com brutalidade o fazendo estancar no lugar.

Seu coração estava à mil pelo susto.

Assim como foi aberta, a mesma foi fechada da mesma maneira.

Observou a figura se jogar contra essa batendo a própria testa com força na madeira escura.

Os punhos cerrados expressavam raiva e desespero, ao que iam vez ou outra contra os próprios fios laranjas, os puxando.

A respiração do garoto estava acelerada e forte,   seus ombros se chacoalhavam de leve como se estivesse chorando.

Naquele momento Jungkook sentiu algo estranho, não sabia como reagir apenas ficou estancado em seu lugar a poucos metros do outro garoto. 

Este desencostou a cabeça da madeira, limpando o próprio rosto com dorso da mão enfaixada. Se virando contra mesma e apoiando a cabeça agora de costas no mesmo local de antes.

Seu rosto estava avermelhado e inchado, os cabelos grudavam na testa, este ainda mantinha os olhos fechados respirando forte.

Passou por sua cabeça naquele momento que o rapaz pudesse estar passando mal. E que talvez precisasse de ajuda. 

Então foi pensando nisso que deu seu primeiro passo em direção ao rapaz.

— E-está tudo bem com você? — Disse vacilante embolando os dedos um nos outros.

O de fios laranjas abriu os olhos virando a cabeça depressa. Não havia o notado ali ainda. 

Jungkook notou este franzir o cenho, e se desencostar da porta com dificuldade. Ele se apoiava na parede tentando caminhar sem tropeçar, indo em sua direção.

— J-jimin? — Chamou preocupado ao notar a expressão do garoto se fechar a cada passo que dava em sua direção.

Aquilo o assustou. 

Muito.

Jimin estampou uma feição de ódio em seu rosto suado e ainda com dificuldade ganhou velocidade em direção ao moreno, e assim que este o alcançou, Jungkook não esperava ser acertado em cheio bem ao meio da boca pelo punho do outro.

Caido no chão o garoto sentido o gosto de sangue tomar sua boca. Passou a mão pelos lábios vendo a quantidade absurda do liquido vermelho em sua mão.

Seu estomago rodou em medo, e sentiu que vomitaria ali mesmo, se seus pensamentos não tivessem sido cortados pela voz rude e alterada do mais velho.

— Bastardo!!! — Gritou.

Jimin parecia transtornado.

Jungkook esbugalhou os olhos ao ver o ruivo ir em sua direção novamente .

Sentiu seu colarinho ser agarrado com força, e seu corpo ser puxado e arremeçado contra parede.

Naquele momento Jungkook já começava a derramar lágrimas de desespero.

Seu pescoço fora agarrado com força contra a parede, e o ruivo o encarou no fundo dos olhos.

 — Desgraçado! — Disse baixo dessa vez, deixando algumas lagrimas caírem. — Sabe o que você é ? — Dizia em meio a risos sem parar de chorar, cada vez aumentando o aperto no pescoço do menor. — Um bastardo, um imprestável! Acha que alguem vai se importar com seus piercings e tatuagens? Que alguem liga pra esse seu cabelo de merda? — Cuspia as palavras, totalmente desequilibrado.

— Jimin... — Dizia com dificuldade já sentindo o ar faltando em seus pulmões. — M-me solta... — Implorava esganiçado.

— Me responde seu merda! — Gritou apertando mais seus dedos. — Acha que é o valentão da qui não é? um rebelde! Acha que as pessoas te respeitam? Acha que alguem tem medo de você? — Gritou a ultima pergunta. — Eu vou te mostrar o que é ter medo. — Disse por ultimo deixando mais lágrimas grossas rolarem por seu rosto.

Jungkook tentou puxar os dedos do garoto de seu pescoço, tentou o bater e o empurrar. Mas era mais fraco que o ruivo. Não entendia do que outro falava, e nem porque estava fazendo aquilo. Estava completamente fora de si.

 Alimentado pela raiva que sentia, seus dedos pareciam concreto em sua pele, tudo que podia fazer era chorar de forma desesperada ao não sentir o ar entrando em seus pulmões.

— Jimin! — Ouviu alguem gritar. — Larga... Larga ele agora! — Viu a figura de cabelos platinados tentando empurrar o corpo do outro, com a ajuda de outros garotos, mas este se mantinha com os olhos perversos compenetrados no olhar do mais novo que se debatia em suas mãos. — Vai mata-lo! Jimin me ouve olha pra mim! — Implorou fazendo este virar a cabeça e fitar os olhos assustados de Yoongi. — Larga , você não quer fazer mal a ele lembra? 

Assim que essas ultimas palavras foram proferidas Jimin encarou Jungkook mais uma vez e o largou rapidamente, fazendo o garoto cair no chão com tudo.

Jimin cambaleou para trás chocando as costas contra a parede oposta escorregando até o chão, como se o pico de energia estivesse esgotado, e ele tivesse caído em sí.

Já Jungkook tentava voltar a respirar com normalidade já que era impedido miseravelmente pelos soluços fortes de seu choro. Sua boca ainda sangrava e suas pernas tremiam sem força.

— Você está bem? — Disse Yoongi se aproximando, mas o garoto apenas negou enquanto tentava parar de chorar. — Mas que merda Jimin. — Disse só pra si. — Ryan vá com o Peter levar o Jungkook para a enfermaria, eu vou dar um jeito nisso aqui. — Disse indo em direção ao Park.

Jungkook apenas se ajeitou nos braços dos garotos enquanto começava a caminhar, vez ou outra olhava para trás, vendo o estado caótico que se encontrava o ruivo ainda chorando no chão, enquanto parecia levar vários sermões do platinado ajoelhado à sua frente.

Viu Jimin lhe encarar uma ultima vez.

Dessa, ao envez de ódio, com arrependimento.

 

                      ~•°•~


Notas Finais


[Sobre a visita, no Brasil só é permitido crianças a partir dos 13, nos outros eu não sei.]

[Sim em prisões e outras instituições de outros paises, existem "lojas" onde o presidiário pode fazer compras. Quem assistiu/assiste OITNB conhece]

ENTÃO......
Não me matem, e não o Jimin não ficou louco ta.... Tirem suas próprias conclusões... 3:)

E ai... historia do Namjoon... spoiler da vida do Hobi... tão sacando a vida do Jin??? 3:)

Demian sendo um anjo como sempre 💜

ces me pediram interação jikook eu meti com fuerza!!!

Esse inicio do Nam foi em homenagem a minha nota zero em espanhol no enem :'( ZOAS
mas é serio me lasquei legal. kkkkkkk

Próximo capituloooooooo é especiaaaaal siiiiiiiiiim tem pov do Jimin! É isso mesmo que vocês leram! Se preparem pq meu deus... 💜

Vão comentar, vai me xinguem. Podem começar as juras de morte IM NOT AFRAID! 😿

obs... Próximo cap vem mais cedo s2
Sigam a fic no Twitterrrrr
vai ter uns pornozinho maroto lá <.< >.>
Link: Confira Fanfics Jikook 🔞 (@_QueenOfLemon): https://twitter.com/_QueenOfLemon?s=09


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...