História Conquistas Perigosas - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome, Rin, Sango, Sesshoumaru, Youkai Satori
Tags Amor Proibido, Crime, Inugome, Inuyasha, Kagome, Máfia, Miroku, Obsessão, Rin, Sango, Sesshoumaru
Visualizações 232
Palavras 3.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Alerta!
a Fic é puro Drama , e será ate o fim :)
eu estou em uma vibe de tristeza e Drama
Gente Obrigada a todos os comentários ainda não tive tempo de responder , mas agradeço a cada um deles ^^
Bom, eu comecei a fazer esse cap , e comecei a digitar , quando percebi tinha feito demais , então cortei algumas coisas para não cansar vocês.

Capítulo 29 - A dor de perder alguém


Fanfic / Fanfiction Conquistas Perigosas - Capítulo 29 - A dor de perder alguém

Como é doloroso perder alguém que se ama. São tantas as lembranças e a saudade que às vezes o coração para de bater e sofre como se estivesse apanhando.

jepasa

 

Dias depois.

 

Sesshoumaru e Sara estavam no consultório, para saber se o estado do bebe.

— como se sente Sara?

— estou bem, só estou um pouco enjoada...

— Hum, entendo. Fora isso você percebeu algum sangramento nos últimos dias?

— não...

— ótimo... Senhora Sara, vá ate aquela sala e vista uma roupa adequada para fazermos alguns exames.

— certo Doutor – Sara levantou-se e seguiu para  o banheiro, Sesshoumaru olhou pra o medico e perguntou.

— ela esta Bem?

— aparentemente sim... Mas vamos realizar alguns exames -  após Sara sair do banheiro, ela deitou-se, e  o medico fez uma  palpação na morena  em seguida avisou a morena que passaria um gel sobre o ventre dela para uso do ultra-som e ela assentiu.

— parece que esta tudo Ok – o medico disse – quer ouvir o coração do bebê...?

— Sim... - disse Sara e Sesshomaru ao mesmo tempo.

— Okay,... – o medico sorriu em seguida mexeu em um botão, onde as batidas do coração do Bebê eram ouvidas, o som era forte.

-- meu Deus Sesshoumaru, é o coração de nosso filho – Sara chorou e Sesshoumaru sorriu, ainda segurando na mão da morena.

— Já dá para ver o sexo?- perguntou sesshoumaru curioso.

— vou tentar... – comentou o medico. – bom. vocês desejam um menino ou uma menina?

— eu quero um menino – disse Sara.

— Não importa, vindo com saúde – disse Sesshoumaru, o medico demorou uns minutos , ele então sorriu e olhou para Sara.

— é um menino... – Sara se alegrou com a noticia  e Sesshoumaru também, por mais que ele não quisesse admitir ele também queria um menino. , aquele bebe era seu futuro herdeiro, carregaria seu nome e seu sangue.

 

(...)

 

No Hospital


Inuyasha estava tenso, já fazia dias que não via e nem falava com Kagome.
 

— Droga! - socou a cama deixando o celular de lado.

— o que aconteceu querido? - perguntou Arina ao entrar no quarto.

— Fêh, nada... 

— Hum... - a mulher resmungou, aproximando-se da cama do prateado- é a professorinha?

—...

— ela vai dar noticias tenha calma... - ela acariciou o rosto de Inuyasha.

— quando vou sair daqui?- disse mudando de assunto.

— o medico que sabe querido...

— não agüento mais ficar nessa merda!

— acalme-se... - a voz  masculino invadiu o ambiente .

— ichiro ... - Arina sorriu para o medico que retribuiu o sorriso. 

— Arina... Como esta bela...

— você é muito gentil...- ela sorriu.

— Estou sendo sincero...

— HUMRUM - Inuyasha fez um barulho com a  boca chamando atenção de Arina e Ichiro.

— ah... Senhor Inuyasha tenho boas noticias a você e seus familiares. Bom, amanhã    você será liberado...

— que ótimo - disse Arina animada- obrigada Ichiro...

— de nada Arina... Espero não perder o contato com você... -  disse em seguida o medico partiu deixando mãe e filho a sós, .Arina olhou para Inuyasha que tinha uma sobrancelha arqueada . 
 

— o que foi? -ela perguntou.

— o que foi isso? Esse palhaço estava dando em cima de você!

— o que tem demais?

— o pai sabe disso? 

— seu pai não vai saber por que não a nada para contar! E você  não vai comentar nada...

— ok, mas não quero a senhora fale mais com esse cara!

— esta com ciúmes da mamãe querido? - Arina riu.

— fêh...


 

(...)



Finalmente Inuaysha voltou para casa usando uma cadeira de rodas para não fazer esforço, foi recebido por festa e alegria  .
 

— Meu filho - disse Kaede abraçando o neto. - rezei tanto por você .

— ah vovó valeu ... - disse. Logo foi a vez de  Inuno que o abraçou com força.

— seja bem vindo meu filho...

— valeu meu pai... Cadê o Sesshoumaru? – perguntou ao notar ausência do irmão.

— ainda esta no quarto com a esposa ...  Mas, logo irá te ver meu filho .

— Fêh ...

— vamos para quarto Inu ...- disse Arina , ele apenas assentiu sendo acampando pelo pai e mãe

 

 

(...)

 

 Sara eu estava na cama abraçada ao travesseiro enquanto era observada por sesshoumaru que terminava de dar um  nó na gravata, ele deu uma ultima olhada na esposa e saiu do quarto, seguiu pelo corredor da mansão passou pela ala que ficava os aposentos de Rin, mas não chegou ir ate para vê-la , mas esse era seu desejo . Seguiu para ala que ficava o quarto de Inuyasha ao chegar entrou no local sem bater, vendo a seguinte cena Arina abraçada Inuyasha enquanto mesmo fazia uma cara de tédio.

— sesshoumaru! Graça a Kami-sama me salve dessa louca! .

Arina soltou o filho mais novo e lhe passou um olhar sinistro.

— esse é jeito de falar comigo seu malcriado quer levar um tiro? – disse ela de jeito que assustara um pouco o mais novo , quando Arina queria ela era durona.

— Feh... – resmungou,  virando  à cara.

— vou ver se já esta pronto  seu lanche– Arina aproximou de Sesshoumaru e lhe deu um beijo na bochecha, em seguida saiu.

— como esta se sentindo...?

— estou um pouco enjoado, e sinto um pouco de dor no local do tiro... Mas fora isso estou de boa.

— que bom... Bom tenho uma noticia para te dar...

— diga.

— vou ser pai de um menino.

— o quê? A garotinha selvagem esta grávida?- praticamente gritou.

— não idiota, quem esta grávida é a Sara...

— ah, - Inuyasha sorriu em seguida – meu parabéns Oni-san...

— Obrigado.

— enquanto a Rin?

— tem o que ela? – questionou com uma sobrancelha levantada.

— como vai ficar essa situação?

— eu vou resolver tudo...

— sei...- falou sem acreditar muito.

— eu preciso ir , eu tenho uma reunião com um empresário Brasileiro...

— Okay - deu de ombros em seguida vendo irmão partir.

 

(...)

 

 

Sango estava em frente ao espelho, terminando de cobrir os machucados no rosto, graça a Kami os hematomas estava claro , mesmo assim fazia uso de maquiagem.

— Sango!- Gritou Ban, mas a morena nem ligou, irritado ele se aproximou virando a cadeira com tudo, fazendo com que ela o encarasse. - esta surda ou o quê ?

— me desculpe Ban eu estava distraída! – o afastou de si.

— sei! Aonde vai? Porque esta se arrumando?

— vou ate minha casa visitar meu irmão, ele já chegou do hospital.

— Hum, Ok... – ele passou mão sobre os fios negros na cabeça – eu  vou ate a empresa do seu irmão,  ele me mandou uma mensagem , vai ter uma reunião com um empresário brasileiro e  ele quer minha  presença... Então quando eu sair de lá passarei na casa de seus pais, para voltamos juntos...

— virei sua prisioneira agora Ban!

— você é minha mulher não quero você andando sozinha por ai, você viu o que aconteceu com seus irmãos...

— esta preocupado comigo? – disse ela ironicamente.

— claro que estou... - ele a segurou pelo queixo - apesar de se você ser uma vagabunda que me traiu no dia do nosso casamento ... –ele apertou o queixo dela com força – apesar disso eu te amo muito, te amo tanto que me preocupo com seu bem estar... – ele a soltou- mande o motorista te levar... Eu estou indo...

 

 

(...)

 

Empresa Taisho.

Miroku tomava um café, ele se encontrava na sala de reunião. Quando viu passando pela porta Ban.

 

— Bom dia Ban...

— Bom dia Miroku... - o moreno o respondeu  sentando-se em sua cadeira agora  encarando miroku .

Um silencio se estalou, e Miroku voltou a ler os documentos, enquanto Ban o observava.

— ah Sango, é linda não acha Miroku? –  disse Ban, e o moreno levantou a cabeça para encará-lo.

— sim, ela é linda. – respondeu  serio. - sempre foi – confirmou .

— sabe... Eu  me apaixonei por Sango na adolescência, ela sempre foi à garota mais bonita do colégio, apesar de bonita ela sempre vivia sozinha e nunca tinha amigos... – Ban batucava os dedos na mesa - eu comecei observá-la, ate que um dia a encontrei a trás do colégio fumando um baseado – Ban sorriu lembrando-se da garota. – ela me questionou porque eu ficava a seguindo e  a observando...Eu  Nem tive respostas...  Ela me chamou e eu me aproximei ... Aquela garota me ofereceu o baseado dela... Eu nunca tinha fumando um... – Ban riu – eu dei uma tragada... Mas me sufoquei um pouco , e antes que eu pudesse dizer algo, os lábios de Sango tocaram os meus... Aquele Foi meu primeiro beijo... – Ban levantou-se cadeira e seguiu ate uma mesa que havia algumas bebidas, encheu seu corpo – depois disso, tive que voltar para meu país de Origem, mas, eu nunca a esqueci, ela... Depois de um tempo nos reencontramos em uma das festas do pai dela... - ele sorriu – a gente transou , transou para caralho , enquanto as pessoas falavam sobre negócios , eu e a Sango transarmos como loucos   em um dos quartos dos empregados ... Eu a amei ainda mais...  E qual foi minha alegria ao saber que meu pai e pai dela estava fazendo um acordo...  Eu iria me casar com Sango à mulher que amei sempre e sempre vou amar...

— e porque esta me contando tudo isso?

— eu estou te contando isso, porque eu e a Sango somos destinados a ficar juntos, por ela sou capaz de tudo, ate de matar, matar qualquer um que tentar afastar a Sango de mim...

Miroku bebeu seu café e encarou ainda mais Ban. Antes que ele pudesse dizer algo, Sesshoumaru adentrou a sala de reunião acompanhado de um brasileiro.

 

 

(...)

 
 

 

 

Rin, já estava mais do que acostumada com o cheiro da pólvora que invadia suas narinas, arma que ela empunhava era um calibre 32, nem se quer lhe dava mas um “coce”.

 

Sorriu Largo ao perceber que havia acertado todos os alvos, deixou a arma de lado sobre um balcão onde possuía outras armas, e em seguida tirou os protetores auriculares.

 

 

— você esta ótima garota...

— Obrigada sensei Kazumi...

— que tal descansar um pouco?

— pode ser... – ela o respondeu o vendo sentar.

— venha menina... - Kazumi a chamou e ela  seguiu ate lá, sentou-se .

Kazumi abriu a mochila que estava próxima e tirou um vasinho  pequena no qual ele abriu, revelando bolinhos primavera – vamos comer menina...

— Certo, - disse Rin levando um Hashi com um  pequeno bolo ate a boca, ao sentir o gosto, quis cuspir na hora, mas não quis desrespeitar Kazumi.

— são horrível não é? – ele a questionou dando risada.

— hum... Eles não são tão ruins...

— claro que não são ruins, são péssimos! – Kazumi riu – toda vez que como um quero cuspir-lo para fora da minha boca!

— então, porque os comem sensei? – questionou a morena, vendo o homem dando um leve sorriso para em seguida responder:

— eles são preparados pela minha filha – ele sorriu ainda mais – ela acorda todos os dias cedo antes mesmo de ir para escola e os preparam para mim...

— entendo, mas o senhor poderia simplesmente não comer e dizer a ela que os comeu .

— e que tipo pai eu seria? De ver minha filha se esforça tanto para em seguida ter todo seu  esforço desprezado por mim... - ele olhou para Rin com  um grande sorriso , levando outro bolinho a boca, e uma pequena careta se formou em seu rosto , Rin deu um leve sorriso ,então aquilo era ter um pai . Ela deu uma leve risada que foi abafada com sua mão.

— sensei posso comer mais um bolinho...?

— claro, ainda tem muitos... - disse ele esticando o vaso.

 

 

 

 

(...)

Inuyasha  mexia no Notebook , entro nas redes socais de Kagome .

 

— querido tem visita – disse Kaede, Inuyasha alargou o sorriso crendo que sua visita era sua kagome.

— Inu...

— Kikyou

— me perdoe não ter vindo antes lhe visitar em sua casa ... Mas tiver alguns problemas. – ela aproximou-se sentando na cama.

— sem problema Kyou, você ficou comigo, todos esses dias no hospital, não seria Justo que eu quisesse que você viesse aqui também, eu nunca iria querer lhe causar problemas.

— para mim não a problema, ficar ao seu lado. Sabe por quê?- ela inclinou para frente – porque eu te amo InuYasha. - os lábios de Kikyou tocaram os dele que correspondeu com volúpia .

— um Rum...

 

Kikyou se afastou de Inuyasha .

 

— Sango! – a morena levantou-se e seguiu ate Sango dando lhe um abraço

— Olá Kikyou ... desculpe atrapalhar o momento de vocês – comentou ela com um sorriso.

— Sem problema, dei uma passada rápido para só para ver o Inu, mas já estou indo... preciso resolver alguns assunto  – Kikyou voltou-se  para Inu , e lhe deu um selinho – ate mais tarde querido ...

— Tchau Kikyou – ele respondeu serio, a morena deu um ultimo sorriso antes de sair

— quando vai terminar com ela ? – perguntou Sango sentando-se na cama do irmão .

— o quê?

— sei que esta apaixonado por sua professora ... – Sango sorriu, e o Inuyasha irritou-se.

— merda ! quem é que não sabe dessa porra de caso!

— acho que só sua namorada a Kikyou... – ela riu - então quando vai terminar com ela?

— não sei estou esperando o momento certo...

— não espere demais mais maninho ...alguém pode sair dessa história machucado.

— Fêh , eu sei...Mas e você o que é isso no seu rosto – Inuyahsa tocou  a pele da sua irmã que afastou o rosto no mesmo segundo .

— não é nada -  o respondeu.

— O Ban te bateu ?

— claro que não ...

— Sango ! fala a verdade !

— eu estou falando ...

 

Sango poderia dizer tudo ali mesmo para InuYasha, mas ela tinha medo de Ban acabar cumprindo a promessa de matar Miroku, como sua família, Ban também era bem poderosa, sentiu o celular vibrar, ao desbloquear a tela, viu que era uma mensagem de Ban, ao abrir viu a foto de Miroku concentrado em algo. Na legenda estava escrito Bang, Sango sentiu seu corpo estremecer, era como se Ban adivinhasse o tipo de conversa que ela estava tendo com irmão.

 

—  Sango! ...- o Inuyasha a chamou.

— sim, me fale como esta você e à professorinha...? – disse mudando de assunto.

— não esta. – ele virou o rosto – eu ligo para, mas ela não me atende...

—  Hm ... me dá o endereço dela !

—  para que? – perguntou sem entender do pedido da irmã.

—  vou lá  avisar que você quer falar com  ela ...

— você faria isso?

— clarinho maninho...

— Obrigado Nee-san - ele a respondeu com um leve sorriso.

 

 

(...)

Arina depois que pediu para que alguém levasse o lanche de seu filho, seguiu ate o quarto que pertencia a sua nora e ao seu filho mais velho. Duas batidas na porta .

— Sara ... –ela entrou sem esperar que a morena mandasse .

— Dona Arina – Sara sentou-se na cama vendo à prateada.

— lhe acordei querida ? – questionou .

— Não dona Arina ... já estou acorda há um tempo... - sorriu.

— que Bom... Bom trouxe um presente ... para meu neto .- comentou ela mostrando uma bela caixa de tom azul .

— Não precisava – comentou Sara vendo, Arina senta-se na cama e entregar à caixa, que rapidamente foi aberta por ela, tirando de dentro um macacão da cor branca.

— é lindo ...

—  Não é? Quando eu vi , achei que ficaria perfeito no meu neto .

— Obrigada dona Arina ! posso lhe  abraçar?

— claro – ambas se abraçaram. — e então como estão os sintomas.

­— ando um pouco enjoada e com pouco de sono .

­ — Normal , querida ... e meu filho com esse lance da gravidez?

— feliz... – sorriu .

— que Bom ,  quero muito que vocês sejam felizes .

­ — eu também... - responde a sogra com um olhar triste .

— o que aconteceu ?

­— Bom , é que ... eu ... não é nada ...

— é por causa da outra...?

— então a senhora sabia...

— sim eu sabia , e sinto muito  não ter falado nada ... mas escute Sara eu sei o que você esta passando , porque já  passe por isso ... então eu vou te dar um conselho do fundo do meu coração, se você realmente ama meu filho lute por ele, com todas as forças que seu amor tiver, agora se você acha que não é capaz de lutar por ele, vai embora, vá viver uma vida feliz.

—  a senhora quer que me separe do seu filho ?

— Não querida , eu só não quero que você sofra , como um dia eu sofri ...

 

Sara baixou a  cabeça.

 

 

(...)

Inuaysha estava ansioso , por noticias , sentiu o celular tocar.

­— Sango, Eai falou com ela?

— Inu...

— Fala...

— Bom, eu não sei como te dizer...

— diga logo, sem rodeios

— Okay, a sua professorinha foi embora...

— como assim embora?! ela foi para onde.

— ela partiu com o esposo dela... segundo o porteiro.

— Merda! – Inuyasha que ainda estava de cama jogou o seu para longe.

(...)


 os dias se passaram, Kazumi e Rin ficaram mais próximos  . Era noite e ambos treinava com as Katanas
 

—  jogue toda a força que  você tiver Rin!

—  sim , sensei ... - Rin jogou a força e ao mesmo tempo em que usou agilidade, deu um pulo para trás, em seguida correu, em direção Kazumi, ele estava preparado para acertá-la, foi quando ela se jogou no chão deslizando se desviando do golpe de Kazumi, ela apontava a katana nas costas dele.

— morto!

— a cada dia esta melhor menina! - ele sorriu.- terei que falar com o senhor Sesshoumaru para que você faça parte da elite .

—  elite ...- rin levantou-se do tatame .- é um grupo de pessoas habilidosas que ficam nas sobras ... são assassinos, seguranças de pessoas importantes entre outras coisas.

— ah...

— mas mudando de assunto que tal uns minutos para um lanche.

— sim - ela sorriu.
 

Sentaram, o Kazumi pegou de dentro da bolsa, ao invés de um vasinho ele pegou duas 
 

— tome - ele estendeu uma para Rin.

— sensei 

— a Hana minha filha fez para você... é uma forma de agradecer por me fazer companhia na hora da refeição. - Rin pegou o vasinho abrindo, viu vários bolinhos e um bilhete, 
 

 Obrigada Rin-nee-san  , Por sempre cuidar do meu papai. Fiz esses bolinhos, estão uma delicia.

Com carinho Hanna

 

Rin  sorriu .

— sabe que não precisa comê-los - disse Kazumi.

— e que tipo de pessoa eu seria se não comesse os bolinhos feitos com tanto carinho...

— verdade... ele sorriu vendo Rin levando o bolinho à boca. -  você e minha filha  se parecem muito! - ele levou sua grande mão para o topo da cabeça dela, fazendo um grande cafuné, Rin inclinou a cabeça e corpo para frente. - ambas são determinas e corajosas ! 

Kazumi levou mais um bolo a boca fazendo uma careta enorme.

— sei de tudo que você passou e esta passando menina - ele encarou Rin. - você é valente... - ele deu sorriso largo   - qualquer pai teria orgulho de tê-la como filha.

A morena sentiu seus olhos marejarem , abaixando a cabeça , ela sentiu algo em seu peito que tempos não sentia.

— obrigada sensei .... - disse em tom baixo

-
                                             (...)

 

No quarto estava sesshoumaru e Sara, o prateado estava sentado na beira da cama, enquanto sara estava de pé, a mesma usava uma camisola sexy.

— Sara.

— o medico disse que já posso fazer sexo... – ela se aproximou do marido que lhe tocou o ventre- já posso ser sua como das outras vezes... – ela sentou-se no colo – eu te amo... – o beijou, enquanto enfiava os dedos finos na cabeleira do prateado.

— Ah, Sara... – ele a jogou na cama ficando sobre ela, ele começou a beijar o pescoço dela descendo os beijos cada vez mais, ao voltar encarar a morena, quem ele viu na sua cama foi Rin. Começando então beijá-la com mais fúria, ao voltar seu olhar para ela perceber quem estava em seus braços era Sara.

— eu te amo ...

 

(...)

 

No dia seguinte.

 

Rin estava no cozinha sentada próximo ao balcão, enquanto observava Kaede e algumas servas preparando comidas.

 

— kaede-sama, kaede-sama, kaede-sama! – gritou uma serva entrando com tudo na cozinha.

— menina! O que aconteceu? Para que esse desespero!

— Kaede –sama mataram Kazumi!

— o que Sensei Kazumi? – gritou Rin levantando da cadeira e agora ficando frente a frente à serva que chegara com noticia – o que aconteceu com ele ? – Rin a segurou pelos ombros .

— ele ...ele

— DIGA! LOGO!

— Kazumi-sama , foi executado esta manhã com vários tiro em frente ao colégio que a filha estudava !

— Meu Kami – Rin soltou a empregada , e levou a mão boca , como se quisesse impedir o grito de dor escapulisse por seus lábios .- Não ...- ela murmurou , em seguida correndo da cozinha e saindo- sensei Kazumi ...

Rin passou por Sesshoumaru que estava chegando à mansão Taisho .

— Rin! – ele gritou ao ver a morena passar por ele, o prateado então foi atrás dela, que entrou com tudo na ala de tiro. Ao chegar ele viu que Rin estava com uma Glock 18c em punhos, estava sem proteção auricular e o óculo, atirando.

— Rin ...

Ela continuava atirar e quando as balas acabaram ela pegou outra arma uma HK USP começando novamente atirar nos alvos quando as balas acabaram ela pegou outra arma, ela atirou ate que seus punhos viessem à dor.

 

— Por quê? – ela questionou soltando arma que estava em sua mão. - POR QUÊ?! – ela caiu de joelhos , sentindo uma dor em seu peito .

— Rin ... – sesshoumaru finalmente se aproximou dela abraçando.

— Kazumi não merecia morrer a Hana não merecia ficar sem o pai dela... Por quê? Porque todos que eu gosto se vão... - Sesshoumaru sentou-se no chão puxando Rin para sentar em seu colo , enquanto ela chorava , ele a consolava , ela ficou daquele jeito nos braços dele  ate dormir .

 


Notas Finais


alguém pode me informar se permitido botar os links das musicas aqui?
Vou deixar o nome das musica do próximo cap , caso queiram ouvi-las
Yoko Kanno e POP ETC a música se chama IS
Daniel de Bourg musica CRAZY IN LOVE
Lana Del Rey - Born To Die
Boa noite beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...