História Contos eróticos - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 483
Palavras 1.675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E a pedido de uma leitora, fiz um incesto daquela, espero que gostem.
Antes de tudo, desculpem que se senti ofendido tá, sei que esse tipo de tema não é um que agrada a todos, mas eu fiz porque pediram então aí vai.
Aproveitem e deixem a imaginação fluir

Capítulo 12 - Meu paizinho


Fanfic / Fanfiction Contos eróticos - Capítulo 12 - Meu paizinho

sempre fui um homem pacato e muito caseiro. Namorei muito pouco na juventude, e, depois de casado sempre fui muito fiel. Depois de vinte e cinco anos de casado recebi um telefone anônimo (feminino), que dizia exatamente como, qual o dia da semana e com quem minha mulher estava me traindo.

Era com um dentista casado com quem ela dividia um consultório odontológico… Eu os segui de carro e comprovei vendo-os entrando em um motel. Sem escândalos; já que nossa filha Mariana estava noiva e com o casamento marcado, resolvemos manter as aparências até que fosse concretizado o matrimônio. Quando passei a morar sozinho novamente, comecei a gostar de ter minha liberdade de volta. Mas só que foi por muito pouco tempo; um ano e pouco.

O marido de Mariana resolveu se aventurar em ir trabalhar por um tempo nos Estados Unidos com a intenção de juntar uma grana pra abrir seu próprio negócio aqui no Brasil. Mariana passou a ter medo de ficar sozinha morando em uma casa baixa, em um bairro até certo ponto violento. Como sua mãe passou a morar com o amante, Mariana pediu pra ficar morando comigo até o marido retornar… Como pai não poderia recusar em ajudá-la.

Passamos a viver como antes dela se casar; a diferença era que ela não tinha sua mãe pra ficar enchendo o saco, e Mariana passou a ser muito mais solta e andar dentro de casa com roupas bastante curtas e também justas moldando seu belo corpo; principalmente seu volumoso bumbum. Sem minha mulher confesso que me sentia livre até pra ficar admirando minha filha: suas belas coxas e seus seios fartos muitas vezes moldados por camisetas sem nada por baixo… Mas minha condição de pai só me permitia admirar.

Mariana de vez em quando ia passar o final de semana na casa da mãe e eu aproveitava pra usufruir da liberdade com que tanto gostava… Ficava todo à vontade. Num final de semana sem a Mariana em casa, acordei no sábado e após o banho estava peladão fazendo a barba quando Mariana adentrou no banheiro repentinamente. Levei um susto ficando meio de lado pra ela não ver minha ferramenta, mas procurando ficar calmo (meu coração batia descompassado):

– Ué Mariana; o que houve?

Ela agindo naturalmente e indo pegar o cesto de roupas sujas:
– A mãe foi viajar e me deixou agorinha mesmo aqui na porta de casa.
– Ah tá… E como ela está?

Mariana parou atrás de mim e provavelmente olhava pra minha bunda cabeluda:
– Tá bem… Ela também sempre pergunta de você!

Mariana saiu do banheiro e eu mais aliviado achei que tinha tempo pra terminar minha barba antes que ela voltasse. Mas ela, ainda no corredor voltou entrando novamente:
– Vou levar também as toalhas pra lavar, pai!
– Tá bom Mariana; mas deixa a minha!…
– Mas você não está só terminando a barba? Fica só com a toalha de rosto!

E ela chegando novamente na porta e virando pra mim:
– Pô pai… Relaxa, nós estamos sozinhos em casa; não precisa ficar querendo me esconder isso aí de mim!
– Oh Mariana… Mas é que você é minha filha ué!
– E daí… Ou você acha que nunca vi um homem pelado? Hahahahahaha!
– Mas seu marido né?…

Jamais poderia imaginar, mas Mariana veio por trás de mim e me abraçou pela cintura que minha bunda ficou praticamente amassando seus peitos:
– Mas não ligo de ver você não pai! Até estou gostando!…

Fiz um esforço tremendo pra poder ficar um pouco mais relaxado e ir me virando segurando Mariana pelos ombros. Na realidade naqueles mais de um ano sem sexo e sem ter o costume de pegar mulher na rua, me masturbava constantemente vendo filmes pornôs e putaria na internet mesmo com meus 52 anos de idade…. Rsrsrsrs.

– Mas filha, vê se me entende; seu pai está sozinho a muito tempo!…
– Como assim? Você não arrumou nenhuma mulher até hoje?
– Não filha; você sabe do jeito que sou… Nunca levei jeito pra isso!…

Somente quando ela olhou pra baixo é que fui perceber que estava ficando com o pau duro… Ela olhando novamente pra mim e sorrindo:
– Você ia fazer sucesso com qualquer mulher, pai!

Tentei esconder com uma das mãos meus mais de 20 cm de pica e ela puxando minha mão pra continuar olhando:
– Não consigo imaginar minha mãe trocando você por outro homem; vocês não estavam mais transando?

Eu estava muito mais acanhado do que ela:
– Já não era como antigamente; mas tínhamos uma relação normal sim!…
– Pô!… Eu não trocaria isso por nenhum outro; hahahahaha!…

Ela me empurrando pra ficar novamente virado pro lado da pia e me dando um tapinha na bunda:
– Termina logo de fazer sua barba pai; e depois vai pra cozinha que eu vou passar um café!…

Minha vontade foi de me masturbar antes de sair do banheiro; mas achei melhor não me trancar… Foi pelado mesmo pro meu quarto pra me vestir. O Problema é que passei a ver minha filha com outros olhos, e, muitas vezes tive que despistar pra ir me masturbar no banheiro imaginando metendo naquele rabão empinado da minha filha… Sempre fui fascinado por bunda. Achava até que Mariana não tinha dado muita importância pelo o que aconteceu no banheiro; mas foi bem tempo depois, também num sábado de manhã.

– Toma seu banho primeiro pai… Tenho que fazer uma ligação.
– Não quer tomar você primeiro? Vou demorar um pouco no banho!
– Por quê? Vai fazer barba?
– Vou!…
– É só você deixar a porta encostada.

Ainda estava me enxugando quando Mariana entrou já me pegando de pau duro. Ela agindo naturalmente, também resolvi agir da mesma forma e fui pra pia começar a me barbear, e ela atrás de mim começou a tirar suas roupas.
– Não vai olhar não hein?…
– Ah é? Você pode me ver pelado, e eu não posso te ver?
– Tô brincando pai… Não ligo não!…

Ao me virar e ver Mariana pelada de frente pra mim, meu pau que já estava duro ficou até torto meio pra cima. Eu estava sem saber o que fazer, mas foi Mariana quem veio se aproximando e me abraçando pela cintura meio de lado por causa do meu pau.
– Paizinho, você está sem mulher muito tempo mesmo?
– Estou sim… Desde que me separei da sua mãe!…
– Caramba… Então eu não devia ficar assim nua na sua frente, né?

Eu passei um braço por trás das suas costas nuas e comecei a fazer carinho:
– Está tudo bem filha… Eu consigo resistir!…

Ela me abraçou mais forte e recostando sua cabeça no meu peito.
– Se quiser, pode descer a mão pai!…

Alisei suas macias nádegas e dei-lhe um beijo na testa.
– Noooossa! Estou sem saber o que fazer filha!…
– Está com vontade de fazer alguma coisa, paizinho?
– Não sei!… Isso tudo é muito estranho pra mim!…

E ela bem mais baixa do que eu olhando pra cima e sorrindo:
– Quer deitar um pouco na cama comigo?
– Mais filha?…

Foi quando ela segurou minha piroca e ficou acariciando:
– Ninguém vai ficar sabendo mesmo paizinho, vamos?

Ela foi me puxando pela mão até o meu quarto, e deitando na cama abriu os braços:
– Vem paizinho, vem!…

Deitei abraçando-a e sem resistir fui com uma das mãos novamente pra sua bunda:
– Isso paizinho… Quero ser toda sua!…

Tirei minha mão da sua bunda e passando pra frente fui pra sua buceta passando o dedo que ficou todo molhado:
– Estou pegando fogo paizinho, vem! vem! vem!…

Fui perdendo todo meu controle e me ajeitando entre suas pernas fui colocando meu pau na entrada da sua buceta. Ela abrindo mais as pernas enquanto eu procurava a entrada pra empurrar.
– Enfia paizinho… enfia tudo! vaaaaiiiii!!!!!

Quando enfiei a cabeça Mariana abriu um largo sorriso e fechou os olhos levantando suas pernas me permitindo ir empurrando pra dentro:
– Oooooooh! Ooooooh! Que gostoso paizinho! Mete! Mete tudo!…

Incrível, depois de mais de um ano eu estava novamente enfiando minha pica numa buceta… O logo na buceta da minha filha que urrava e suplicava pra continuar metendo forte:
– Ai! Ai! Vou gozar paizinho… Voooou goooooozarrrrr!!!!

Mariana gozou praticamente pendurada no meu pescoço, e quando comecei a tirar, ela travando suas pernas na minha cintura:
– Goza em mim, goza!…

Assim que comecei a despejar minha porra dentro da sua buceta Mariana me puxou e lascou um beijo na minha boca mordiscando meu lábio inferior. Deitei do seu lado enquanto ela pegava a toalha pra aparar a porra que escorria da sua buceta:

– Caramba paizinho; eu também estava precisando demais fazer essa loucura!
– Pô… Nunca que eu podia imaginar isso entre nós dois!

Ela sorrindo e vindo se debruçar sobre meu peito e me beijar novamente na boca:
– Tá arrependido paizinho, tá?
– Claro que não!…

Bem mais relaxado resolvi deixar de lado toda minha caretice pra aproveitar aquele momento tão inusitado pra mim. Beijei muito a boquinha carnuda da minha filha, mamei nos seus peitinhos e alisei todo seu corpo; e ela correspondia como se eu fosse seu único homem. Voltamos pro banheiro pra ela tomar seu banho e fiquei todo o tempo olhando-a nua. Quando ela terminou voltamos pra cama e logo em seguida estávamos novamente fazendo sexo bastante selvagem: Eu socava com força e ela berrava e gritava como se eu a estivesse matando:

– Ai meu Deus! Vooooouuuuu moooorrrerrrrr! Aaaai! Aaaaaiii! Me mata! Me mata paiziiiiinnnhoooooo!!!!…

Eu que sempre fui tão careta e comportado passei a ser um depravado na cama com Mariana que não me cansava e me surpreender: Ela me punhetava, mamava como uma esfomeada e cavalgava na minha pica como uma alucinada subindo e descendo até sentar no meu colo uivando como uma loba no cio gozando.

E em pouco tempo acabei convencendo-a de deixar comer sua bunda… Berrou, rebolou no meu pau mas agüentou tudo e ainda tocava uma siririca enquanto eu socava no seu cuzinho. Ainda bem que Mariana conseguiu ir ficar com seu marido nos Estados Unidos pelo menos por uma semana… Pois logo em seguida ela estava grávida. A própria Mariana, pelos exames feitos, sabia que eu era o pai do seu filho…

Seu marido ficou todo eufórico quando ela lhe deu a notícia que na sua ida aos Estados Unidos ela tinha engravidado dele… Meu neto passou a ser minha paixão.


Notas Finais


Quem gosto? Obg pela leitura
Quem não gosto, eu entendo não é um tipo de tema que agrada todos como falei lá em cima, bem quem quiser fala temas para eu fazer história, só comenta
Já tem alguns pedidos rsrs
Até a próxima, bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...