História Contos Uchihas (SasuSaku) - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chomaru Akimichi, Chouji Akimichi, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kaguya Ootsutsuki, Kakashi Hatake, Konohamaru, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikaku Nara, Temari
Tags Boruto, Naruhina, Naruto, Saiino, Sakura, Sarada, Sasuke, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 174
Palavras 1.358
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 26 - Explicações


Fanfic / Fanfiction Contos Uchihas (SasuSaku) - Capítulo 26 - Explicações

Sasuke Uchiha

Ela era bonita, mas como podia ser filha de meu irmão, a única hipótese era se quando nos enfrentamos ele já a tivesse, eu me surpreendi, realmente, eu e Sarada não estávamos sozinhos, pelo contrário eu tinha uma sobrinha providenciada por Itachi para.... para não me deixar tão só.

– Bem, imagino que você quer que eu simplesmente acredite em todas as ciosas que sem ao menos contesta-la?

– De forma alguma.

– Acredito que não seria muito pedir para que provasse suas palavras, seria? – falei de forma irônica, novamente seu rosto se manteve intacto com a mesma expressão de neutralidade.

– Entendo – ela direcionou seus orbes negros em minha direção ativando o sharingan em nível três – bem eu já nasci com isso – ativou logo após o mangekyou sharingan – e esse eu ganhei no dia em que descobri da morte de meu pai.

– Bem isso é interessante, porém, só prova metade da sua história.

– Sabes nós dois despertamos o mangekyou pelo mesmo motivo, enfim – ela se aproximou furtivamente de mim.

– O que vai fazer?

– Provar que ele era meu pai – tocou em minha testa, num gesto muito característico e simplesmente sorriu, um sorriso tão igual ao dele, igual a o ultimo que ele deu, que senti meu coração se aquecer.

A visão de Itachi morrendo em minha frente e por minha culpa me consumiu, sim me senti realmente podre por dentro, era como se ela fosse desabar e eu o perdesse novamente, não tive como me conter e eu a abracei, quando senti o que estava fazendo me afastei era necessário que me manter longe, isso poderia ser entendido de outra forma.

– Você disse que ele a teve para servir por um propósito, explique melhor por favor.

– Muito do que me lembro de meu pai é que ele sempre foi muito carinhoso, e amava você, no dia em que ele morreu, me contou toda história, não entendi porque ele deveria morrer, mas descobri que as vezes o dever vem a cima do que realmente somos, e do que amamos, você precisava fazer sua vingança para se dispersar da raiva que sentia. Sente por favor – me sentei em uma poltrona na sala, ela havia modificado coisas na casa em tão pouco tempo – depois disso, ele se foi, meu pai sempre disse que eu era uma menina muito forte, que eu tinha sido imaginada a dedo por ele, por isso escolheu minha mãe, uma das ultimas Senjus viva. Quando ele morreu, fiquei só com ela, mas ela não era uma mulher boa, não que fosse mal – hesitou por um momento – mas não era emocionalmente estável; ela me treinou e então faleceu, me deixando por fim só, me deixou algumas instruções que Itachi tinha deixado para mim.

Me entregou as instruções, era a letra dele definitivamente, parecia muito mais um plano de batalha do que as últimas palavras para uma filha.

– Minha mãe disse que eu era uma arma, quase uma chocadeira, sempre soube meu lugar Sasuke, embora acredite que meu pai não havia me tido apenas para gerar mais Uchihas “puros”, embora seu plano fosse lhe encontrar.

– Hm.

Peguei o papel e nele havia escrito:

1. Se está com isso eu estou morto e você terá que se virar só querida, desculpe lhe deixar com uma mãe assim, mas ela possuía os genes corretos, embora muito de seu comportamento seja minha culpa, por nunca tê-la amado, mas amo você.

2. Você tem grande potencial, é filha de um Uchiha e um Senju, portanto, precisa treinar.

3. É necessário que você se esconda por enquanto.

4. Não odeie Sasuke, nós dois fizemos o que foi necessário, e se você está viva é porque meu irmão se tornou um herói.

5. Não quero que seja objeto de ninguém, mas durante muitos anos na Akatsuki descobri diversos indícios da existência de alienígenas com Kaguya, ela não é a única, logo o mundo shinobi testemunhará a maior guerra e invasão, sendo os mais capacitados para isso os Uchihas, Hyugas, Senjus e Uzumakis, todavia, como todos sabem os Uchihas estão quase extintos.

6. Junte-se a Sasuke, é o dever dos dois proteger a todos.

7. Após a guerra seja feliz.

– Itachi, deixou tudo planejado – peguei a folha de papel a dobrei e guardei em meu casaco – preciso ir agora. Pode ficar com a casa, imagino que pertença tanto a você quanto a mim.

– Sasuke... – ela me entregou um embrulho branco, ao desenrolar notei que era o cordão que ele costumava usar.

– Fique – sai da casa.

Sakura Uchiha

Sasuke finalmente foi ver quem tomou conta de uma das casas dos Distrito Uchiha, nossa convivência estava cada vez mais complicada desde que disse que não poderia ter outros filhos para por o nome de Itachi. Esperei que ele retornasse, Sarada também não parecia disposta a conversar, não que esperasse que minha filha fosse chegar e não parar de falar afinal ela era uma Uchiha e eles não costumam falar muito, mas quando chegou ela mal tocou em sua comida e se deitou dizendo estar cansada.

Sasuke entrou depois de muito tempo de forma tempestiva na casa, subiu batendo os pés de forma grotesca no assoalho da casa, o segui, minha curiosidade me mataria se não falasse com ele.

– Sasuke-kun, como foi lá?

– Ah Sakura, me perdoe, me perdoe, se fossem outras circunstancias eu nunca faria, mas ele está certo é meu dever.

– O que está falando anata, está me deixando assustada.

– Quero que entenda uma coisa, amo você – ele tocou em minha testa – mas terei que ir novamente, mas você não entenderá e nem deveria.

– Sasuke Uchiha, o que você está falando? Claro que te entendo, você vai sair em missão? Tudo bem, eu só – fui interrompida.

– Sakura, preciso de filhos e isso você não pode mais me dar, o clã tem que ser reconstruído e vasto e eu preciso mesmo.

– O que quer dizer com isso? – eu o olhava confusa, era uma sensação desesperadora, todos esses anos, mesmo que longe sempre soube que ele pertencia mim e agora isso, não queria perder meu marido e minha família.

Ele me contou sobre a conversa com a filha do Itachi e os planos de seu irmão e como a profecia da mulher da outra dimensão coadunavam para que outro filho chamado Itachi viesse a vida, minha cabeça só fazia rodar, queria matar o Sasuke, parecia outro homem.

As vezes penso que Sasuke é burro, foda-se o mundo shinobi meu marido passou anos fora de casa para proteger essa merda e agora que ele volta vai de novo, talvez eu que seja burra afinal, mas eu não consigo acreditar que ele veio até mim para dizer simplesmente que me ama, mas vai ter filhos com outra mulher.

– Vou deixar bem claro Sasuke, se você sair por aquela porta, não precisa mais voltar, entendeu?

– Desculpe Sakura, eu sei que é possível entender, mas vou ter que ir é meu dever.

Sasuke Uchiha

Fazer isso me destruía por dentro, a puxei para meus braços e beijei novamente, talvez pela última vez, seus lábios eram quentes e desejosos, seu cheiro era doce e me dizia que estava em casa, nossos corpos se aproximaram e eu senti meu membro latejar de desejo, eu queria possui-la nem que fosse pela última vez.

Eu a puxei e ela pulou em meu colo, e eu a carreguei até a cama, a depositando para um beijo mais profundo; tirei sua roupa com delicadeza e senti sua umidade assim que toquei em seu íntimo, ela era perfeita, tinha um encaixe para mim, era difícil ter que abrir mão da mulher que eu amava, mas assim eu fiz.

Só que antes a possui, penetrei com o meu membro rígido, recebi e dei prazer a ela. Ela suspirava e pedia para que intensificasse a estocadas, eu a obedeci indo cada vez mais rápido e mais fundo, Sakura teve seu orgasmo e suspirou chamando meu nome, arranhou minhas costas, como se fosse para demarcar que era seu, e eu o era, então depois finalmente me liberei dentro dela.

Ambos caímos cansados ela em cima do meu corpo.

– Sasuke não vai – ela dormiu depois disso.

– Eu preciso meu amor – levantei e recolhi minhas coisas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...