História Crazy In Love Third Season - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amber Heard, Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Personagens Originais
Tags Amber Heard, Barbara Palvin, Criminal, Drogas, James Franco, Justin Bieber, Romance, Sexo, Violencia
Visualizações 317
Palavras 6.635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui estamos nós com 6 MIL PALAVRAS! PUTA QUE PARIU COMO EU SENTI FALTA DE VOCÊS, CRAZY IN LOVE VOLTOUUUU. VOCÊS VÃO ODIAR O JUSTIN, SÓ UMA DICA BÁSICA E ESSE CAPÍTULO TEM FLASHBACKS S2

UM BEIJÃO PARA VOCÊS E A MARAVILHA DO MUNDO VOLTOU!!

Capítulo 1 - Five Years


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love Third Season - Capítulo 1 - Five Years

P.O.V Katherine.

 

Cinco anos depois...

 

Havia se passado cinco anos desde os últimos acontecimentos, Justin e eu estávamos vivendo uma vida de casados um tanto que conturbada. Brigávamos, nos separávamos, Hailey disse que não aguenta mais eu dormindo na casa dela. Bieber havia mudado, quem eu estou tentando enganar, ele havia piorado. Os filhos de Chaz e Hailey haviam crescido, e Hailey havia assumido que não nasceu para fazer o papel de mãe e muito menos dona de casa, quando os gêmeos começavam a chorar ela saia de casa e os deixava com Chaz, e só voltava na manhã seguinte ou quando eu ia atrás dela, mas agora ela disse que irá tentar suportar o choro dos filhos, já que Chaz a pediu em casamento. Eu fico feliz por ela, tantas coisas aconteceram conosco no passado que nós merecemos ser felizes, mas ela é a única que alcançou a felicidade. Emma e Ryan quase realizaram o sonho de serem pais, Emma acabou engravidando a cerca de três anos atrás, mas no seu quinto mês de gravidez ela acabou sofrendo um aborto espontâneo e isso a deixou a deixo arrasada e a levou para uma depressão, ela entrou em um abismo sem fim quando ouviu o médico dizer que ela não poderia ter filhos, mas Ryan para animar a namorada, eles adotaram um menino: Derek. Um menino dos cabelos negros e olhos claros. Caitlin estava curtindo a vida, viajando e fazendo algumas loucuras ao redor do mundo. Chris e Chloe decidiram ficar juntos e ela veio morar aqui em Atlanta com ele, Christian merece ser feliz, ele é uma pessoa maravilhosa e tenta me convencer a largar o Bieber, e eu não irei mentir, ele está certo! Eu estou em um precipício.

 

— No que tanto pensa? — Ele me tira dos meus pensamentos.

— Em assuntos pessoais meus. — Respondo sem olhá-lo.

— Está brava comigo? — Pergunta preocupado. Bieber havia chegado bêbado durante a madrugada, seu hálito fedia a bebida e seu corpo a droga, isso se tornou algo de rotina.

— E por que eu ficaria? — Arqueio as sobrancelhas. Me levanto caminhando até a cozinha e deixando Bieber falando sozinho para trás, assim que entro na cozinha vejo Dulce em pé arrumando algo no armário, vou até ela e a abraço.

— Menina Katherine. — Ela retribui o abraço. — O senhor Bieber faz essas coisas, mas ele ama a senhora.

— Sabe Dulce, as vezes eu deveria ter ficado em Chicago e não ter voltado com ele. — Conto a ela.

— Não diga isso, vocês se amam e muito, mas todo o casamento tem uma turbulência.

— Katherine fala comigo. — Ele entra na cozinha. — Por favor. — Pede.

— O que você quer que eu fale? — Pergunto a ele. — Que foi lindo você chegar as quatro da manhã, completamente bêbado, fedendo a droga. Que foi lindo você ter sido carregado até o nosso quarto pelos seguranças e eu ter lhe dado banho que nem um bebê? Foi uma coisa maravilhosa! — Ironizo.

— Eu já pedi desculpas. — Vejo Dulce sair de fininho da cozinha.

— Enfie essas desculpas no seu cu! — Grito para ele. — São quase oito anos juntos, nós temos que amadurecer, você tem que amadurecer! — Esbravejo.

— Por favor, não briguem. — Lauren entra na cozinha vestida com seu uniforme. — Vocês estão deixando Maddy assustada.

— Onde está ela? — Questiono.

— Ela está sentada na escada. — Avisa, vou até a sala e vejo Madison sentada na escada com sua pequena bolsa de rodinha ao seu lado.

— Vem cá meu amor. — Me baixo ao lado dela. — O que aconteceu?

 — Você e o papai ficam brigando. — Conta. — Isso deixa Madison muito trixte.

— A gente não estava brigando amor. — Foi a vez de Justin falar.

— Quem vai nos levar para a escola? — Questiona Lauren.

— Seu tio Ryan, ele deve estar chegando em alguns minutos. — Respondo, deposito um beijo em sua testa.

— Essa cena de família me anima. — Diz Pattie.

— Vovó! — As meninas correm em direção a ela.

— Como eu estava com saudades. Fiquei tanto tempo fora que nem me dei conta que vocês estavam crescendo. — Ela abraça cada uma. — Katherine, você continua linda.

— Que nada, minhas rugas logo apareceram por culpa de seu filho. — Digo enquanto olhava para Justin.

— Mãe, cadê suas malas? — Pergunta Justin preocupado.

— Eu as levei para minha casa. — Responde. — Preciso ficar um tempo em meu lar. — Ela sorri dócil. Por que Justin não é gentil que nem a mãe? — Eu irei levar vocês para a escola, sei que vocês dois precisam conversar. — Ela lança uma piscadela para Dulce. — Até logo meus lindo. — Ela se despede, olho para Justin com cara de tédio e subo as escadas indo para o nosso quarto.

 

Me jogo na cama, pego o controle ao meu lado e começo a assistir o programa qualquer que passava na tv.

 

— Podemos conversar? — Questiona ao entrar no quarto.

— Eu não vou perder meu tempo com você. — Respondo.

— Katherine, eu não te trai dessa vez! — Esbraveja ele.

— Eu não vou ficar aqui para escutar suas desculpinhas. — Me levanto da cama e pego as chaves do carro na cabeceira.

— Katherine, não. — Ele me puxa pelo braço. — Eu escutei o que você tinha a dizer, agora é sua vez de me escutar.

— Será as mesmas desculpas, “eu não te trai, Katherine”, “eu passei do limite, mas isso nunca mais irá acontecer”, “me perdoa por deixar você e nossas filhas sozinhas e ter saído para beber”, “eu errei, mas por favor me perdoa”, “nunca haverá outra mulher na vida, na minha cama e com quem eu transarei além de você” e o famoso “eu sou incapaz de deixá-la partir, Katherine”. — Cito as palavras que ele costuma dizer, Bieber fica surpreso. — Esse seu texto eu sei de cor. — Puxo o meu braço o soltando de sua mão, abro a porta do quarto de saio do mesmo sendo seguida por Bieber.

— Katherine para com isso. — Pede ele enquanto nós caminhávamos pelo corredor.

— Parar com o que? — Paro de andar e me viro para olhá-lo. — Seu cinismo me irrita!

— Eu não estou sendo cínico. — Começo a descer as escadas. — Aonde você vai?

— Para algum lugar bem longe de você! — Esbravejo e saio de casa. Destravo o carro, entro no mesmo fechando a porta do motorista. Bieber estava lá, parado, observando tudo com seus braços cruzados e seu maxilar travado. Coloco a chave na ignição e dou partida no mesmo arrancando o carro da entrada da casa de Bieber.

 

[...]

 

Estaciono na primeira cafeteria que havia e peço um expresso duplo, o flashback de alguns meses atrás entram em minha mente.

 

Flashback On.

 

— Kath. — Hailey fica surpresa ao me ver na porta de sua cobertura. — O que faz aqui tão cedo? — Ela dá espaço para mim passar, entro em sua casa e ela fecha a porta atrás de nós.

— Se eu não saísse daquela casa eu juro que cortaria as bolas de Justin. — Me sento em seu sofá derrotada.

— O que aquele filho da puta fez para você? — Pergunta nervosa. — Ele te bateu? Por que se foi isso, eu mando ele para sentar no colinho do diabo logo, logo. — Ela se senta ao meu lado.

— Não foi isso. — Ela suspira aliviada. — Ele chegou hoje de madrugada completamente bêbado, foi carregado até nosso quarto e eu ainda teve que dar banho nele. — Essa cena ainda se repete nos dias atuais, infelizmente.

— Ele é ridículo! — Diz nervosa.

— Ele é um traidor...

— O que? — Pergunta surpresa.

— Eu vi as marcas em suas costas, eu vi as mensagens que ele anda trocando com ela a meses. — Continuo.

— Ela?

— Lola.

— Eu vou cortar o pau dele hoje mesmo! — Esbraveja ela.

— Lola: Ela é negra e suas curvas são invejáveis! Seus cabelos encaracolados e seus olhos negros lindos. Sua grande bunda que Bieber dizia em todas as mensagens que iria esmurrar. — Digo enquanto mostrava as fotos que havia passado para o meu celular.

— Como você....

— O computador de Bieber foi o maior inimigo dele. — A interrompo. — Um sexo simples e na mesma posição, 13 estocadas fortes até ele gozar e sair para se divertir com a Lola. — Olho para o chão devastada.

— Eu disse para você ficar com o Christian, ele sim te merecia! — Ela me abraça de lado. — Kath, ele não te merece. — Me deito em suas pernas enquanto ela passava sua mão em meu cabelo. — Eu vou matar ele!

— Quem você vai matar amor? — Chaz entra na cobertura com suas chaves na mão. — Katherine? — Apenas aceno minha mão para ele.

— Charles que é Lola? — Pergunta ela nervosa.

— Eu não sei? Uma amiga sua? — Pergunta confuso, Hailey toma meu celular de minhas mãos e mostra as fotos para Chaz. — Ela é vadia da boate.

— De qual das boates ela é vadia? — Pergunta Hailey nervosa.

— ‘2015’. — Responde. Essa boate Bieber a abriu a uns quatro anos atrás, ele disse que era em homenagem ao ano em que nos reencontramos e nos casamos. Cínico.

— Espero que vocês tenham um sucessor caso o Bieber morrer. — Ela caminha até um pequeno armário que havia na sala. — Irei pegar seu taco de baseball emprestado. — Ela caminha com aquele taco em suas mãos.

— O que você vai fazer? — Questiona preocupado.

— Você está vendo aquela aí? — Aponta para mim com o taco. — Eu vou matar o marido dela e essa mulher!

— Hailey, não faz isso! — Alerta Chaz tentando pará-la.

— Vem Katherine. — Ele me levanta do sofá. — Se você ligar para o Bieber e dizer que eu estou indo para atrás de sua vadia, eu vou tirar tudo o que você tem, todo o dinheiro e ainda farei você ser preso por crime organizado, tráfico de drogas, e entre mais coisas! — Ameaça e sai da cobertura enquanto eu a acompanhava.

— Hailey não vamos perder tempo indo atrás de uma vadia! — Tento convencê-la a parar. — E o elevador demora muito, estamos na porra do último andar.

— Eu posso estar no céu, mas eu vou acabar com ele. — A porta do elevador se abre e ela me puxa para dentro. Ela estava assustadora com aquele taco de baseball em sua mão. — Ainda bem que eu tive que tomar banho e me arrumar. — Ela aperta o botão do térreo. — Vem cá, minha princesa. — Ela me abraça, eu me permito que as lagrimas caíssem.

— Eu não sei em o que errei. — Sinto suas mãos acariciarem minhas costas.

— Você o amou demais. — Responde. — Homens são escrotos e as mulheres que se submetem a ser a outra desse homem fica no mesmo nível que ele. Você foi a esposa que ele apresentou para os amigos e ela será a amante que irá dormir na cama todas as noites, mas isso só irá acontecer se você permitir! Faça ele perceber quem é você, cadê a Katherine que largou ele pelado quando o encontrou com a ex? A que quebrou o carro dele por ter esquecido o aniversário de casamento? Que deu um tiro, que infelizmente pegou de raspão, por ele ter sumido por uma semana? A que destruiu a televisão pelo simples fato dele estar prestando mais atenção no jogo de hóquei do que em você? Essa é a verdadeira Katherine, essa que está na minha frente é apenas um protótipo que Bieber criou. — Uma de suas mãos estavam em meu ombro. — Eu vou te levar a um lugar. — A porta do elevador se abre, atravessamos o saguão de seu prédio e as pessoas que estavam lá olhavam para Hailey com se ela fosse maluca carregando um taco de baseball.

— Tenho certeza que eles iram até a porta de seu apartamento para ver se Chaz está vivo. — Digo assim que entramos no carro.

— Vou ligar para sua casa e ver se Bieber está lá. — Ela pega seu celular nas mãos. — Se ele não estiver, ele irá perder as bolas dele. — Ela leva o celular até seu ouvido. — Dulce, é a Hailey. Justin cuzão Bieber está? — Escuto ela dizer ao telefone. Eu prestava atenção em cada palavra que ela dizia, esse assunto também era do meu interesse. — ELE SAIU!? — Fico assustada pela forma que ela fala, isso faz com que eu perca a direção por alguns segundos. — Obrigada Dulce, avise para a babá ficar com as meninas está noite. — Ela agradece e encerra a chamada. — Eu vou levar seu marido para o inferno. DIRIJA RAPIDO! — Grita.

 

[...]

 

— O carro do Bieber! — Esbraveja ao ver o carro dele. — Filho da puta.

— Minha sogra é santa. — Defendo Pattie.

— Mas o filho dela é o diabo. — Estaciono o carro. — Vamos conhecer o verdadeiro Justin Bieber. — Diz assim que descemos do carro. Caminhávamos até a boate. — Aonde está o patrão de vocês?

— Ele não está aqui. — Mentem. — Bom dia senhora Bieber.

— Eu pago 100 dólares para cada um, se vocês me falarem em qual quarto ele está. — Oferece.

— 200.

— 150 e não falamos mais nisso. — Ela o olha desafiadora.

— É pegar ou largar. — Digo a eles.

— Tudo bem. — Eles aceitam. Retiro 150 dólares de minha carteira e Hailey tira o mesmo valor de sua carteira. — Ele está no quarto 010, fica no último andar. — Conta.

*

Os gemidos vindos do quarto eram altos, Bieber é um verdadeiro cuzão! Hailey olha para mim e eu passo as mãos em meu rosto nervosa, aquele maldito gemido!

— Você vai ficar viúva. — Hailey joga seus cabelos para o lado, abre a porta e vê Bieber fodendo aquela vadia, me escondo e apenas fico observando a cena. — Seu cínico! — Grita o assustando. Ele sai de dentro da vadia Lola e pega o lenço cobrindo seu pau ereto.

— Hailey? — Ele fica confuso ao vê-la

— E sua esposa. — Ela vem até o lado de fora e me puxa para dentro no quarto.

— Katherine... — Ele fica surpreso ao me ver.

— Por que? — Questiono a ele caminhando. — ME DIGA O MOTIVO PARA VOCÊ FAZER ISSO? — Esbravejo.

— Meu amor, eu...

— Cala sua boca. — Começo a bater em seu peitoral. Lola tenta se levantar da cama.

— Você fica docinho, eu ainda não conversei com vocês dois. — Vejo Hailey apontar o taco de baseball para Lola a ameaçando. — Depois de acabar com ele, eu vou acabar com você!

— Você é um escroto! — Esbravejo, pego as roupas dele que estava no chão e jogo nele. — Então é com ela, Bieber, você me dá nojo! Quantas vezes você deu uma fodinha comigo e veio atrás dessa vadia?

— Vadia não! — Lola tenta se defender.

— Você é o que então? — Me viro para olhá-la. Hailey diz até hoje que eu parecia possuída naquele momento. — Você trabalha nesse lugar desprezível e dá sua buceta para o dono do estabelecimento, qual é sua intensão? Ser a favorita dele? Aprenda Lola, ele pode transar com você, mas quem tem a porra do sobrenome dele e que por direito pode mandar em você sou eu! — Eu me aproximava cada vez mais de Lola. — Beije meus pés. — Ordeno tirando o pequeno salto que usava.

— Katherine... — Justin tenta me repreender, mas ele sabe que qualquer palavra que ele dizer aqui, ele perderá nossas filhas e um bom dinheiro de sua conta bancária.

— Beije a porra dos meus pés AGORA! — O tom de voz é assustador, Lola com nojo fica de quatro em minha frente e beija meus pés. — Boa menina, agora se sente novamente na cama. — Me viro indo até Bieber. — Eu ainda estou tentando entender o seu problema. Eu nunca fui contra a nada que você fazia ou quis fazer, um ménage-a-trois? Eu topei fazer com você e uma vadia de esquina; eu matei pessoas para poder salvar sua vida, eu rejeitei meus próprios pais! Eu aceitei a sua vida de traficante, de você levando drogas para a nossa casa mesmo sabendo que nossas filhas moram lá, eu aceitei as armas e os riscos, eu aceitei a sua filha de outro relacionamento, eu aceitei a porra da sua ex maníaca frequentando nossa casa, eu aceitei você mesmo sendo todo errado e você me retribui assim? Me traindo? E não venha citar a porra da velha história, “Mas você transou com o meu melhor amigo” pois a sua ex transou com o seu outro melhor amigo e seus inimigos na sua cama enquanto você viajava, seu corno! — O emburro o fazendo cambalear para trás. — Sabe, se eu não tivesse meus dedos eu já teria entrado em uma abstinência sexual, pois o meu querido marido estava fodendo uma vadia qualquer de sua boate. Quantas vezes foram? Quantas vezes você a fez gemer o seu nome enquanto metia nela? Posso ter a certeza de que foram milhares. Você me levou ao declínio e eu não vou apenas te culpar pois eu sei que tenho uma grande porcentagem de culpa nisso, eu deixei você acabar com a minha vida, me tornar uma incapaz sem você. Quem seria Katherine Sophia Campbell BIEBER sem Justin Drew Bieber? Eu continuaria vivendo, mas não teria a porra de um dinheiro nem para comprar um grão de arroz, eu virei uma dependente do seu dinheiro, mas Bieber, saiba que se algo acontecer eu tirarei tudo que você tem, até seus dentes se for preciso! Qual é o seu problema? Além de ser um mentiroso “Minha mulher não me dá prazer”, “Ela tem amantes na rua”, não faça essa cara de espanto, eu sei de tudo o que você inventou sobre mim para ela. Ela esgota suas forças, eu sei disso, são apenas 9 estocadas e então você goza e não utiliza camisinha, pois eu sou seu banco de esperma e a porra do útero que gera os seus filhos. Pelo o menos Lauren apareceu, do jeito que você é deve haver mais filhos pelo mundo. Qual é o seu problema? Me diga qual é a porra do seu problema.

— Falta de vergonha na cara. — Hailey cruza os braços olhando para Justin com um sorriso cínico nos lábios.

— Hailey isso é assunto entre eu e minha esposa! Vai transar com o Chaz ou cuidar dos seus filhos.

— Bieber, se você soubesse como eu quero jogar baseball com suas bolas, você ficaria calado e escutaria tudo o que ela tem a dizer com atenção.

— Katherine deixe-me trocar e vamos conversar em casa. — Ele tenta me convencer. — Apenas nós dois. — Ele olha para Hailey mortalmente.

— Ela não irá para casa, eu a levarei para o paraíso que ela desconheceu assim que se casou com você! — Hailey se intromete.

— Lola ou Lolita. — Katherine se aproxima novamente da garota. — Eu não te culpo por ter transado com ele, afinal, quem resistiria a este homem? Mas você vai ter uma punição por ter transado com o marido de outra, sei que você não é a única culpada, mas ele também me pagará com um divórcio milionário. — Olho para Bieber e o vejo engolir o seco. — Saia da cidade, essa é a sua punição. Se eu souber que você pisou os pés em Atlanta, eu mato você! — Pego o taco de baseball das mãos de Hailey. — Se não isso vai acontecer. — Bato com o taco na coxa de Justin, o mesmo grita de dor. — Você também quer? — Pergunto a Lola, a mesma nega calada. — Vá agora, sem nenhuma roupa em seu corpo.

— Eu não posso sair nua daqui. — A mesma quase chorava. — E quem é você para me mandar sair da cidade?

— Isso não deveria ser um incomodo para você, já que você fica pelada para vários durante a noite. E, eu sou a Katherine Bieber! Esposa desse otário e filha do Mikelson, eu sou a porra da rainha dessa cidade. Nós do crime somos a anarquia, Lola. — Levo minhas mãos tocando seu rosto. — Você é linda e muito nova para estar nesse mundo, vai por mim essa vida é um inferno e eu e minha amiga podemos afirmar já que estamos aqui desde os 17 anos, mas nos acontecimentos antigos, estamos aqui desde o dia em que nascemos. Vá embora apenas com um lençol cobrindo seu corpo e suma dessa cidade, se você voltar eu irei até você e te matarei. — A ameaço. — VÁ EMBORA! — Ela se enrola em um lençol e sai do quarto correndo.

— Ka-Katherine...

— Você faz isso pois sabe que eu te amo. — O interrompo. — O amor um dia morre Bieber e o nosso está em coma.

— Meu amor...

— Você vai ter o que merece e sabe bem disso. — Me aproximo. — Amar você é a pior dor que eu já senti na vida, você está me matando.

— Katherine...Não me deixe.

— Eu preciso pensar. — Digo. — Me responda: Por que?

— Eu não sei, eu juro para você que eu não sei. — Responde. — Eu te amo muito, Katherine. Você é a mulher da minha vida.

— Eu não consigo mais acreditar nas suas palavras. — Digo. — Vamos Hailey. — A chamo.

— Por favor, fique! — Pede segurando meu braço.

— Até logo, Bieber. — Saio do quarto acompanhada de Hailey. Chorar? Queria, mas eu sei que assim que a primeira lagrima cair, eu entrarei em um ataque de choro. A decisão mais importante da sua vida é escolher a pessoa com quem você quer passar o resto de sua vida, porque se acontecer algo errado, será tarde. Chances, nós perderemos! Porque quando dá errado, perceberemos que anos se passaram e o quanto perdemos tempo. Eu fui feliz ao lado dele e soube dar valor, e eu sempre serei grata a ele por todos os momentos bons que houve entre nós. Eu não irei mentir, eu amo o Justin, mas sei que é errado eu sentir tal sentimento por ele. Mas será que ele sente a mesma coisa por mim?

— Vamos quebrar o carro dele ou ficaremos caladas enquanto você pensa? — Diz Hailey a mim.

— O carro dele é blindando, infelizmente. — A respondo.

— Bieber idiota!

 

Flashback off.

 

Essa foi Lola, vocês devem estar se perguntando: Por que você não se divorciou dele? Amor, loucura e entre outras coisas. Minha mãe diz que eu não me separei de Bieber por culpa de Madison, mas eu nunca colocaria minha filha entre as nossas brigas e muito menos ficaria casada com uma pessoa por culpa dela. Pago o café e saio da cafeteria indo até meu carro.

 

Divorcio seria a melhor opção nesse momento? Esse é minha maior questão, quanto tempo eu e ele conseguiríamos nos aguentar.

 

[...]

 

—Vamos conversar. — É a primeira que escuto ao entrar no quarto, Bieber estava sentado na beira da cama, o cheiro de cigarro impregnava o local e sua garrafa de whisky na cabeceira que havia apenas dois dedos do liquido. — Sem fugir que nem uma criança.

— Quantas vezes eu já lhe disse para abrir a porra da porta da sacada quando for fumar algo no quarto. —  Retiro meu sapato.

— Não mude de assunto, eu ouvi o que você tinha a dizer agora é minha vez de falar. — Respiro fundo. Tudo irá começar novamente. — Eu errei transando com Lola e com as outras, sim eu errei e muito, mas tudo isso ainda é muito novo para mim. Ser homem de família, eu nunca fui assim e nunca pensei que seria, mas por você eu estou fazendo de tudo para me tornar um homem melhor para você. Eu não dei valor para a mulher maravilhosa que está ao meu lado todos os dias, que me aceitou do jeito que eu sou e não ficou assustada com a vida que eu levo. Katherine eu te amo, eu não me imagino vivendo sem você, a melhor escolha que eu fiz na minha vida foi você, foi ter te pedido em casamento, por ter te feito minha esposa, a mulher da minha vida. Eu errei! Eu errei por ter bebido demais, por ter usado drogas, por ter te deixado sozinha em casa. Mas eu não te trai com ninguém depois de Lola, eu prometo pela minha vida que não fiz isso! Me perdoe.

— Como eu posso confiar em suas palavras? — Questiono.

— Porque eu te amo. — Suas sãos tocam minhas bochechas. — Eu sou louco por você, Katherine! Eu cometi um erro, mas isso não abalou o modo de como a amo e sempre amarei. Você me deu o troco, você foi para um local cheio de strippers masculino com aquela louca da Hailey e por pouco transou com ele, sabe como eu me senti quando eu vi você e aquele cara te beijando.

 

Flashback On.

 

Eu já havia perdido a conta de quantos copos de bebida eu havia bebido, Hailey me trouxe a um local de Strippers masculino e nossa, agora entendo o porquê tantas mulheres frequentam esse local. Aqueles homens fortes, vestindo apenas uma calça, isso era o paraíso feminino.

 

— Vem aqui. — Hailey me puxa pelo braço me levando até o fundo do palco.

— O que iremos fazer aqui? — Pergunto preocupada.

— Apenas siga ela. — Ela aponta para uma mulher vestida com roupas curtas.

— O que? Não!

— Vá logo, Katherine Sophia Campbell. — Esbraveja.

 

A mulher me guia até o centro do palco e me coloca sentada em uma cadeira, uma venda é colocada em meus olhos me impendido de visualizar o que ocorria.

Uma música alta começa a tocar e sinto duas mãos percorrendo meu corpo, minha respiração fica tensa ao sentir algo passar em meus lábios, eu preciso sair daqui.

A venda é retirada de meus olhos e eu vejo um homem musculoso, moreno e com os olhos castanhos dançando para mim. Levo minhas mãos até minha boca surpresa. Hailey só podia estar ficando louca.

Ele segura meu corpo e me coloca deitada no chão, ele se deita por cima de mim e começa a se movimentar, como se estivesse fazendo sexo comigo; ele me pega no colo e eu rodeio minhas pernas em sua cintura.

Tento beijar sua boca, mas uma garrafa é quebrada em sua cabeça. A música para eu sou coloca no chão.

 

— Vamos para casa, Katherine. — Justin segura em meu braço. Olho ao redor e percebo que havia vários capangas ao redor.

 

Flashback off

 

— Eu senti que estava sendo roubado! Ele estava roubando algo meu, algo que eu amo, algo que eu nunca abriria a mão nem por todo o dinheiro do mundo.

— Justin....

— Eu amo você. — Ele deposita um beijo em minha testa. — Nós começamos da maneira mais incorreta possível, mas tenha certeza que iremos terminar da maneira correta, nós iremos terminar: Juntos.

— Não me faça falsas promessas. — Digo com a voz embargada.

— Eu nunca farei falsas promessas a você, você se vingou de mim e se você soubesse como doeu ver você na cama com outro homem.

— E você acha que não doeu te ver na cama com outra mulher?!

— Eu sei que doeu e sei que errei, mas isso nunca mais irá se repetir. — Promete.

— CALA A BOCA! — Jogo o vaso na parede. — PARA COM AS DESCULPINHAS DE MERDA, POIS ISSO NÃO VAI ADIANTAR EM NADA! VOCÊ JÁ ACABOU COM A MINHA VIDA SEU DESGRAÇADO. — Eu jogava os quadros de fotos contra ele. — O que você quer agora? — Pergunto ofegante. — O QUE VOCÊ QUER AGORA? VOCÊ JÁ TEM TUDO O QUE É MEU NAS MÃOS.

— Katherine, fica calma. — Ele tira os objetos que ainda estavam em minha mão.

— Você quer outra? Você quer ser que nem seus amiguinhos traficantes que mora com duas ou mais mulheres na casa? — O encaro. — Então será assim, mas eu e MINHAS filhas não participaremos desse seu desejo sádico, — O empurro afastando seu corpo do meu. — Faça sua escolha Bieber: Sexo ou família? Seu desgraçado. — Pego a primeira coisa que estava em minha frente e jogo contra ele, mas ele desvia.

— CHEGA KATHERINE! — Ele segura em meus pulsos e me joga na cama. — PARA DE AGIR COMO UMA LOUCA!

— VOCÊ ME DEIXOU ASSIM. — Rebato.

— VOCÊ ESTÁ DESCONTROLADA! — Ele chacoalha meu corpo.

— SERÁ QUE É APENAS EU? — Empurro seu corpo o tirando de cima do meu e me levantando da cama ficando de frente para ele. — VOCÊ É UM DESGRAÇADO!

— PARA DE AGIR FEITO UMA PUTA QUE FOI TROCADA! — Grita e eu acerto um tapa em seu rosto fazendo sua cabeça virar para o lado. — Pede desculpa. — Ele estava ofegante.

— QUEM ME DEVE DESCULPAS É VOCÊ! — Olho para ele e vejo que suas mãos estavam na fivela de seu cinto o retirando. — O QUE VOCÊ VAI FAZER? ME BATER?

— PEDE DESCULPAS! — Grita dobrando seu cinto e o erguendo do acima de seu ombro.

— VOCÊ QUER ME OUVIR GRITAR SEU NOME? A Bieber, você sabia que eu sentia prazer enquanto você me batia na hora do sexo, isso mesmo sentia! Não transamos a tanto tempo, seu pênis ainda continua o mesmo? Me desculpe se não me lembro, mas o pênis de Bryce não sai da minha cabeça. Bieber, eu realmente deveria deixar você e ir para os braços dele, ele sabe como me foder! — Implico, a respiração de Bieber estava ficando pesada. — Ele é melhor que você, ele me fode como se eu fosse a melhor vadia que ele já teve. — Eu estava atingindo toda a masculinidade dele. Sinto o couro do cinto se chocar em minha perna me fazendo gritar de dor.

— Você gosta disso, Katherine? — Ele bate mais forte. — Você parece uma puta que está louca para ser fodida por mim! — Ele ri sarcástico e bate mais uma vez.

— PARA! — Imploro assim que caio na cama. As batidas constantes na porta fazem com que ele pare.

— QUEM É? — Pergunta, tento sair de cima da cama, mas ele me segura pelos cabelos e me impede.

— Senhor Bieber, está tudo bem? — Pergunta Dulce preocupada.

— Dulc... — Bieber me interrompe tampando minha boca.

— Sim, não me atrapalhe mais! — Responde rude. — Você pode pedir o divórcio, mas você sempre será minha. — Ele me solta.

— VOCÊ É LOUCO!

— Você não gosta de ser tratada que nem uma puta? Não é dessa maneira que Bryce te trata? — Seu maxilar travado me causava calafrios. — Você não gosta de ser fodida que nem uma puta? — Fico calada. Ele me puxa para perto dele, colando nossos corpos. — Me responda quando eu perguntar.

— Gosto. — Respondo, respiro fundo recuperando o ar. — Você vai me foder como uma puta, Bieber? — Acaricio sua nuca. — Você vai me tratar que nem as outras?

— O que você está querendo dizer com isso? — Questiona

— Quantas estocadas você dá nelas para as levarem ao paraíso? — Levo minha mão até seu pênis. — 9? 10? — Aperto seu pênis por cima da calça. — Você gosta de quando elas gemem seu nome. — Sussurro em seu ouvido. Coloco minha mão por dentro de sua calça e cueca e seguro seu pênis, eu apertava lentamente suas bolas enquanto as massageavas.

— O que você está fazendo? — Pergunta em um quase gemido.

— Me diga, Bieber. — Retiro minha mão de dentro de sua calça. — Vai me fazer sentir como suas amantes? — Sua mão direita vai para o meu cabelo o entrelaçando em sua mão. — Vai me foder como fode elas? — Eu conseguia sentir sua respiração bater em meu rosto.

— Não me provoque, Katherine. — Seu hálito de bebida era excitante.

— Eu estou lhe provocando? — Arqueio minha sobrancelha, levo meus lábios até seu pescoço depositando “beijos” pela região. Se me perguntarem qual é o meu maior pecado, eu direi que é amar este homem.

— Katherine... — Ele diz meu nome em voz rouca, ele solta seus cabelos e ela suas mãos para minhas costas. — Katherine, você quer me provocar?

— Não, eu apenas que que você saiba que você tem uma mulher em casa. — Me sento na cama.

— Vamos fazer um trato, não se fala mais em traição nesta casa. Eu errei assim como você errou, então nenhum de nós podemos julgar alguém. — Sugere.

— Eu irei te dar uma segunda chance, Justin. E não é por causa das suas desculpas sem nenhuma elaboração ou o sexo, mas sim por Lauren e Madison e porque eu te amo, não queria te amar, mas é a maior dor que eu sinto todos os dias que te vejo sair por aquela porta e não sei quando você voltará ou se você voltará.

— Amor...

— Eu ainda não terminei. — O calo. — Quando eu disse aquelas palavras no altar não foi da boca para fora, eu amo você demais e eu quero envelhecer ao seu lado, é pedir muito?

— Foi um erro enorme que eu cometi e isso nunca mais acontecerá.

— Era por causa do sexo? — Pergunto e o vejo respirar fundo. — Eu não te proporcionei o prazer necessário? — O vejo mexer em seus cabelos. — Responde!

— Eu não consegui te tratar da mesma maneira que eu tratava elas, tratar você como uma vadia! Te chamar de vadia, esmurrar você na cama enquanto eu te fodo.

— Eram mais de uma? — Pergunto chorosa.

— Sim. — Ele afirma.

— O que mais você fez para elas? — Pergunto, mas ele não responde. — Me responda Justin Drew Bieber! — Ordeno, mas o seu silêncio era infernal. — Eu vou atrás de cada uma de suas vadias e irei perguntar a elas, e quem sabe eu aproveito e transo com elas para saber se elas são realmente tão boas. — Ameaço

— Quando elas ameaçavam de contar para alguém eu mandava matar elas, mas houve exceções; aquele prédio que agora é residencial que fica ao lado da minha boate, eu o comprei e eu coloquei as vadias com que eu transava para morar naquele prédio. Não é todos os apartamentos que está com moradoras, mas o que estão são as que eu já tive um caso. — Uma lagrima escorre em minha bochecha. Chegamos ao fundo do poço.

— Vá dormir no quarto de hóspedes. — Digo.

— O que?!

— Você me escutou, vá dormir no quarto de hóspedes. — Repito.

— Kath...

— Se você não for, eu vou. — Abaixo minha cabeça e vejo as marcas que Bieber havia deixado em minhas pernas.

 

Ele me olha e pega seu travesseiro, escuto o barulho da porta se fechar. Justin não estava mais no quarto, como todas as noites anteriores.

 

Vejo a porta se abrir e Hailey entra no meu quarto vestindo um sobretudo preto.

 

— Eu iria te ligar agora mesmo. — Digo ao vê-la. — Por que está aqui?

— Dulce me ligou desesperada e disse que você estava gritando no quarto, e que parecia que Justin estava te batendo. — Conta. — Isso é verdade?

— Sim...

— Kath, largue ele. Ele te trai, ele te agride, ele não se preocupa mais com você! Katherine, o que nos faz mal temos que deixar ir embora.

— O que faria para salvar um casamento? — Pergunto.

— Eu não vou responder! — Se nega e se senta em minha cama.

— Por favor, eu só quero dicas e pensarei bem no assunto do divórcio.

— Quando Chaz e eu passamos por uma crise no nosso relacionamento, que agora se tornará casamento. — Diz alegre, ela estava feliz pelo seu casamento. — Nós resolvemos com sexo. Faça surpresas sexuais para o seu marido, faça ele te desejar da maneira que nunca desejou, faça ele lembrar da mulher maravilhosa que ele tem do lado dele. Você e Justin construíram o relacionamento de vocês a base de sexo e não importava o lugar que vocês estavam, se vocês sentissem vontade de transar o sexo rolava naquele local. Então volte a isso, Katherine, sexo é a resposta para vocês.

— Hailey, eu tenho duas filhas...

— E uma sogra que ama muito as netas, aproveite que Pattie está na cidade e deixe as meninas com ela, enquanto você for atrair o Bieber de volta para o seu coração. — Ela olha para minhas pernas e toca nos hematomas. — Mas vai por mim, Katherine, quem ama não bate.

— Eu o provoquei, eu disse a ele que Bryce era melhor que ele na cama, que Bryce sabia me foder melhor que ninguém.

— E isso é motivo dele te bater? Bryce foi a um ano atrás! — Ela me olha com as sobrancelhas arqueadas. — Christian vai acabar com ele.

— Não conte para o Chris.

— Ele já deve saber. — Responde. — Vocês têm sorte de não terem mais filhos. — Diz, eu a encaro e ela tira as mãos de meu machucado.

— Katherine...

— Eu não sei e prefiro não saber.

— Katherine, por favor me diga que você não está...

— Grávida? — Digo a palavra. — Há chances, mas eu prefiro pensar que todas essas chances foram parar no inferno. — Cubro minhas pernas ao escutar a porta do quarto ser aberta.

— Me deixe ver. — Chris entra no quarto.

— Chris...

— Me deixe ver, Katherine. — Repete.

— Aonde está Chloe? — Tento mudar de assunto.

— Em casa. — Responde. — Agora me deixe ver. — Hailey puxa o lençol para baixo mostrando os machucados.

— Merda. — Ele se abaixa ao lado da cama e toda os machucados. — Katherine, por quanto tempo você vai se iludir que ele vai mudar e vai continuar com ele?

— Christian por favor. — Peço a ele.

— Não, por favor não! Quantas vezes todos nós teremos que vim até aqui por causa das brigas de vocês? Katherine, vocês dois não conseguem ficar em paz por um dia! Ele bate em você e a gente vem aqui para ver o estado, você atira nele e nós viemos até aqui

 

Flashback On.

 

— Aonde você estava? — Pergunto ao ver Justin entrar no quarto. Eu estava sentada em sua poltrona com uma garrafa de vodca ao meu lado e apenas a luz do abajur acesa.

— Por que ainda está acordada? — O vejo retirar seus sapatos.

— Por que você chegou em casa as quatro da manhã? — O respondo com uma pergunta. — Aonde você estava?

— Na boate. — Responde sem nenhuma importância. — Bebendo, usando algumas drogas.

— E com outras vadias. — Ele acende a luz do quarto.

— Não comece com suas paranoias, Katherine. — Responde. — Você está ficando louca.

— Eu estou vendo daqui as marcas em seu pescoço.

— Katherine cala a sua boca e vai dormir! — Esbraveja.

— Cala a boca você! — Me levanto. — VOCÊ É UM DESGRAÇADO!

— Não grita!

— Fico feliz que você tenha chegado, agora eu posso me arrumar para sair. — Me levanto da poltrona.

— Você não vai a lugar nenhum. — Ele segura meu pulso com força.

— Me solta seu merdinha. — Puxo meu braço — Vai bater em suas vadias.

— Você não vai sair, você parece uma puta.

— Se eu fosse uma puta, eu seria muito mais feliz com um cliente do que com você. — Sinto um tapa em meu rosto. Ele me solta e eu levo minhas mãos até o local que ele tinha batido, vou até o seu criado-mudo e pego o revolver que ele guardava do lado de nossa cama.

— Você quer ser uma puta, vai apanhar como uma. — Escuto o barulho de seu sinto bater na palma de sua mão, destravo a arma e me viro apontado a arma para ele. — Abaixa isso. — Pede soltando cinto de sua mão.

— Me bata, Justin. — Começo a andar até ele e o vejo se afastar.

— Abaixa. — Repete.

— Não!

— ABAIXA! — Esbraveja. Acabo atirando em seu braço.

— Desculpa. — Solto a arma no chão e vou até ele que sangrava.

 

Flashback off.

 

 

— Vocês dois quase se matam na pancadaria e nós temos que vir aqui quase todos os dias para nos certificar de que vocês estão vivos e que as meninas estão bem! Você se lembra de quando ele tentou incendiar a minha casa com nós dois lá dentro? Ele pode ser capaz de algo pior. O relacionamento de vocês dois começaram errado, mas por favor faça com que esse relacionamento termine correto, que termine om os dois vivos.

— Christian também não precisa ser assim. — Repreende Hailey.

— Não Hailey, os dois precisam acordar para vida e perceber que tem duas vidas inocentes dentro dessa casa! Se vocês dois quiserem se matar me avisem que eu levarei as meninas para morar comigo, eu queria muito socar o Bieber para ele nunca mais fazer isso, mas do que vai adiantar eu bater nele e você continuar casada com ele? Não vai adiantar de nada! Você vai querer o divórcio ou não?

— Eu não sei... — Seco minhas lagrimas.

— Saiba que se você se separar dele, a minha casa estará aberta para você ficar o tempo que precisar e Chloe irá adorar tê-la por perto.

— Tudo bem. — Afirmo.

— Eu irei falar com o Bieber. — Ele beija o topo da minha cabeça e sai do quarto.

— E amanhã eu estarei aqui com vários testes de gravidez. — Avisa ela.

— Tudo bem....

— Christian falou isso...

— Ele falou a verdade, ele tem razão de tudo, eu e Justin não podemos ficar assim.

— Vai pedir divórcio? — Pergunta curiosa.

— Eu irei seguir seu plano por um mês, mas se as coisas continuarem dessa maneira, eu irei embora. — Respondo.

 

Continua...


Notas Finais


JUSTIN É CUZÃO DE PRIMEIRA, QUE VONTADE DE CORTAR O PAU DELE FORA! JUSTIN E KATHERINE SE CASARAM NO DIA DE HOJE (12/11) MEU DEUS QUE ÓDIO!

Pessoal eu vim aqui também para falar sobre um assunto sério que é a violência contra a mulher, a um tempo atrás eu comecei a assistir jornal e eu percebi a quantidade de noticias sobre a violência contra a mulher e pessoal DE 100 COISAS QUE É NOTICIADAS NO JORNAL, 90 É SOBRE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. Lembrando que a vida real não é como a fanfic, que tudo acabará bem, mas há casos que mulheres acabam sendo mortas. Então eu peço, se vocês tiveram um familiar, uma amiga, uma conhecida, não importa quem seja. Ligue para 180 para denunciar. Um beijão e até logo s2

(Lembrando, eu já tinha esse capítulo escrito desde Agosto e eu comecei a assistir jornal em Outubro)

Um beijão e até logo s2

Minha nova fanfic: https://spiritfanfics.com/historia/fuckboy-10728652


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...