História Criminal Life - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber
Personagens Demi Lovato, Justin Bieber
Tags Amor, Dor, Drama, Segredos
Visualizações 21
Palavras 669
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Revealing the past.


Fanfic / Fanfiction Criminal Life - Capítulo 10 - Revealing the past.

Justin Bieber

Emma Protteir Smaz, de nome verdadeira. Apenas um sobrenome Moore era adotivo. De vinte e cinco anos, nascida no México. Na adolescência, sofreu as traumas do passado. Foi torturada na fazenda aonde o casal Moore lhe resgatou, era obrigada ao colocar sal e álcool em seus ferimentos que a mãe biológica deixava com vara, ou com fio de "wife up". Ela tinha fugido da fazendo aos 14 anos, levando um cobertor e um travesseiro. Mas o pai biológico achou a mesma na lagoa,  e machucou-la com seus socos e seu machado que lhe cortou a cabeça. Impediu o atendimento que hoje ela leva uma cicatriz na testa, que lhe usa bastante maquiagem para recobrir. 

Com 16 anos, quase foi morrida no incêndio. O casal Moore eram vizinhos, viram o fogo na fazenda e logo chamou os bombeiros. E esse dia começou a adoção. 

Com 18 anos, passou a ser rebelde. Frautou uma loja de bebidas, ficou com nome sujo. Roubou dois maços de cigarros, uma garrafa e um vaso de narguilé. Não se dava bem com seu pai adotivo. 

Tudo disso por que o ex-namorado lhe pediu e ela tinha sofrido um pequeno estupro pelo esse cara. Só pude contar esse ocorrido só com vinte anos. E hoje está ai Emma sendo feliz, como uma vadia disfarçada, escondida pelo passado. 

Vou usar esse para ela possa ser uma cadela me obedecendo. Fiquei chocado, mas gostei bastante. 

Bebi um copo de café e acendi um cigarro. Fui na minha janela e está ai Emma na beira de piscina lendo algum livro e respirando fundo. Olhos avermelhados, nariz avermelhado. Frio lhe fazendo efeito. Rio ao pensar a cena. O dia de ela estava me encarando toda a hora, mas nesse dia eu estava mal humorado, se não fosse esse humor, pegava. Por sorte não peguei, por que não suporto as mimadas. Como eu sinto tão bem ao destruir as pessoas. Soltei a última fumaça, deixei um pequeno cigarro acabado no lixo que está cheio de camisinhas, garrafas vazias e maços vazios. 

Me chego na piscina, lhe chamei com meu pé batendo nas costas dela. A cara brava me encarou esperando o que eu queria. 

— Smaz, troque o meu lixo no escritório. - Pisco um dos olhos, deixando ela arregalar os próprios olhos, uma veia no pescoço aparecendo e os punhos fechando-se. Peguei a minha jaqueta couro, corri de moto Kawasaki Ninja 250 sentindo uma adrenalina no meu corpo. Chegando no boate Brian W Dr, que ganhei de ser dono. 

Entrei na boate, um segurança logo me cumprimentou dizendo que tudo está correndo bem. Assenti sem preocupação, eu vim para pegar uma minha coisa que esqueci. Fui no escritório, faz tempo que não pisava aqui e tinha esquecido dessa boate. Preciso logo voltar na ativa. Quando os carregamentos estarem prontos, eu volto. 

Abri na gaveta, e tinha meu pistola 380 de prata. Coloquei na minha cintura, e uma canivete no meu tênis. Eu ia sair ali, mas sem querer derrubei um retrato. Que porra é essa ? Peguei os pedaços de vidros e um papel. 

Engoli o seco, respirei fundo e coloquei de volta. Preciso dessa retrato longe de mim, mas não consigo. Preciso pedir a alguém fazer por mim, mas sem coragem. Não quero mostrar a frescura. 

Novamente, senti a adrenalina. Amo de correr. Voltei para a casa e vejo o Ryan no vídeo game. Um meu outro amigo, Lucas estava fumando o meu narguilé com Emma. Quando desde essa vadia lhe conhece-los ? 

— Quando eu te libertei? - Digo sem paciência fazendo os caras pararem o que estavam fazendo e a Emma me encarou, deu de ombros. 

— A casa está bem limpa, graças a mim. - Sorriu novamente. De novo esse sorriso, que merda. Suspirei, fui pro meu quarto e deixei a pistola na cama e tomei um banho quente. Um rosto desse retrato apareceu na minha cabeça e uma lágrima caiu no meu olho. Sem querer, juro. Essa mulher é o motivo de eu estar nesse mundo. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...