História Cruel - JIKOOK - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Visualizações 26
Palavras 882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi meus xuxus, como vi que gostaram, aqui estou eu novamente com mais um capítulo cheiroso pra vocês!

Boa leitura, e se não for pedir demais, comentem se estão gostando ou se viram algum erro, pois por mais que eu revise a escrita, ainda escapam palavras com gramática errada ou letras engolidas.

Pra quem quiser conversar comigo, minha dm está aberta no tt on @babiesboyz.

Chu~

Capítulo 2 - What are you doin'?


Fanfic / Fanfiction Cruel - JIKOOK - Capítulo 2 - What are you doin'?

JIMIN

– Qual seu nome? – me pergunta enquanto caminhamos pela rua.

Ai, eu me pergunto: o que eu ainda estou fazendo na rua a estas horas, caminhando com um estranho?

Sendo trouxa...

Fica xiu, esse é meu raciocínio... Não sei, só sei que estou extasiado por sua beleza.

– Park Jimin. – respondo. – E o seu?

– Jeon Jungkook. – diz enquanto dá um pequeno sorriso de lado.

– Sem querer ser sem educação, mas já sendo, por que está fazendo isto?

– Senti necessidade em te ajudar, vi o quanto estava desesperado e o quanto parecia que iria congelar a qualquer momento.

– Obrigado, Jungkook...?

– Tenho 19 anos.

– Há 22! Me chame de hyung agora. – digo empinando o nariz.

– Olhe para onde o mundo está indo! – faz drama. – Onde já se viu um chaveirinho se achando! – diz zoando minha altura.

– Olha você não tem tanta moral não! Sou apenas uns 5 centímetros mais baixo que você. – faço bico, fechando mais ainda seu casaco, o mesmo que havia sido colocado por meus ombros à alguns instantes.

– Isto não me impede de lhe chamar de baixinho, olhe para esta imagem, é um bebê tentando ser intimidador. – diz me zoando.

– E minha altura não lhe impede de me chamar de hyung! E eu não sou passivo pra você me chamar assim.

– Você é gay? – pergunta com os olhinhos arregalados.

Será que eu o digo?

Claro que não Park, você acabou de o conhecer, aliás como lidar com esta intimidade que surgiu do além? Ele já está até lhe zoando! Voltando, ele pode se afastar se disser que é gay.

Talvez ele também seja gay.

Que fantasia, Jimin!

Aigoo, já entendi, agora sai da minha mente, idiota...

– E você? – tento desviar minha resposta.

– Hey! Eu perguntei primeiro.

– Não irei lhe responder, a gente mal se conhece, minha mãe sempre me ensinou que não devo falar com estranhos.

– Oh, mas eu já me apresentei. Jeon Jungkook, estudante de fotografia, 19 anos, solteiríssimo e totalmente lindo, livre, leve e solto. E você, Park Jimin, 22 anos, não sei sua faculdade ou emprego, muito menos estado civil... Oh, lindo você também é, e como, mas livre, leve e solto eu já não sei. Aliás está injusto, eu quem estou mais em risco nesta situação! – disse tão rápido, que por um momento quase pude acreditar ver várias fórmulas de química voando ao redor de minha cabeça.

– Chegamos! – digo quando avisto minha casa.

– Hey, Hey! Me diga apenas o básico que eu lhe disse, e ficamos quites. Oh e me dê seu número também!

– Okay Jeon, estou solteiro e fui demitido hoje mais cedo, pois meu chefe descobriu uma coisa "desagradável" sobre mim –no ponto de vista dele, claro– e não mediu tempo para chutar minha bunda. Saí para comprar remédios para minha mãe e quase fui proibido de entrar na loja, apenas por pedir desconto, quase fui roubado é estrupado, começou a chover, quase morri congelado, e agora estou aqui conversando com um estranho, enquanto ele fica sabendo onde moro, com possíveis riscos de vida, feliz? – desabafo de uma vez, repassando as cenas em minha cabeça e meus olhos começam a lacrimejar.

De repente sinto dois braços adornando meu corpo ao mesmo momento em que minhas bochechas esquentam como o inferno e sinto um conforto estranho...

Uau Park Jimin, você se superou no quesito de ser trouxa agora! Está deixando um estranho qualquer invadir seu coração? Olhe só, este órgão idiota se agitando, aposto que é só por ele ser "um deus grego", faça-me um favor né? Está parecendo uma garotinha de colegial, que você insiste em me obrigar a assistir, naqueles doramas idiotas!

Já disse para ir embora! Subconsciente idiota...

Só sabe este xingamento?

Vai se foder!

– É... É, obrigado, por me ajudar. – saio do aperto de seus braços e começo a retirar seu casaco.

– Não! Pode ficar, ainda está frio... E quanto ao seu emprego, eu posso lhe ajudar...

– Sério? Faço qualquer coisa! – faço um biquinho que insiste em sempre adornar meus lábios ao interrogar alguém, e vejo seu sorriso se abrir.

– Minha família é dona de um banco. O Busan Bank, posso contatar meu pai, estamos precisando de funcionários, basta escolher a área.

– Isso. É. Sério? Busan Bank? Woahhh, sempre me disseram que para conseguir uma vaga lá é duro de matar!

– Já lhe disse, meu pai é o dono, portanto, também tenho um poder sob a empresa, podemos nos encontrar amanhã em um café, para falar sobre... Basta me passar seu número! – disse empolgado e eu o olhei com uma feição duvidosa. – Se você quiser, é claro...

– Ok, eu aceito. Mas, a questão é que não tenho meu currículo pronto... Oh! Posso fazê-lo durante a noite!

– Não é necessário. Você deve saber sobre algumas questões antes de entregar seu currículo uh? Além de que tem de descansar para evitar um resfriado. – diz puxando a touca de meu casaco e paralisando ao me observar. – Uma graça... – o ouço dizer e coro. – Realmente, uma obra de arte... – diz com um sorriso bobo nos lábios.

– O-okay, já está tarde, preciso entrar! Boa noite. – já ia fechar a porta e o mesmo me impede.

– E seu número? 

Anoto meu número em um caderninho que se posiciona sob a estante, lhe entregando.

– Boa noite! – digo rápido e fecho a porta, me encostando na mesma.

Deito no sofá e começo a pensar.

Jimin, *tsc tsc tsc* que dia... 

É... Você tem razão, que dia...




Notas Finais


Eai, gostaram??? Me digam aqui nos comentários!

A maior parte do capítulo foi escrita, enquanto eu ouvia "Attention" do nosso deus; Charlie Puth!

Se quiserem ouvir aqui está o link: https://youtu.be/nfs8NYg7yQM

Ou procurem no Spotify ou Deezer!

(se não tiver nenhum desses apps e nem tiver a música no celular, fiquei sabendo que em alguns aparelhos, se apertar o botão do fone, o youtube toca, mesmo estando fora do app dele!)

Espero ter ajudado xuxus!

meu tt pra quem quiser me chamar na dm é @babiesboyz!

Até o próximo capítulo! Lembrando que também posto esta fanfic no Wattpad.

Chu~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...