História Daddy's Little Prince - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Bottom!kyungsoo, Daddy Kink, Fluffy, Kaisoo, Otp
Visualizações 203
Palavras 3.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eusoumlixo não tenho tempo pra explicações agora então só vou resumir nas notas finais okay? okay

Capítulo 9 - Pequeno e Necessitado


Fanfic / Fanfiction Daddy's Little Prince - Capítulo 9 - Pequeno e Necessitado

Kyungsoo amava estar naquele tipo de situação: Pulsos amarrados na cabeceira da cama com Jongin chupando ferozmente um de seus mamilos sensíveis. A essa hora eles deveriam estar em um restaurante certamente caro para um encontro duplo com Chanyeol e o novo "namorado" dele, mas uma vez que Kyungsoo começa a provocar, Jongin não conseguia voltar atrás.

Estavam na grande e totalmente bagunçada cama de casal, com o toque do celular - provavelmente de Jongin - ressoando por todo o quarto, porém nenhum dos dois pareciam estar prestando atenção com aquilo, não quando se tem coisas bem mais importantes em suas mentes.

- N-Nini, pare de provocar assim! Eu n-não consigo...

- Shhh, deixe o daddy cuidar de você, okay? - Jongin terminou sua frase com a mão pressionando forte por cima da calcinha o falo semi-duro de Kyungsoo, fazendo-o choramingar e se contorcer. - Nu-uh baby boy, você tem que ficar quietinho, seja um bom menino pro daddy e ele vai te foder da forma que quiser.

Com um ligeiro aceno de cabeça, Kyungsoo tenta relaxar os músculos, puxando suavemente as algemas que mantinham seus pulsos presos, desejando que ele pudesse tocar Jongin, passar sua língua por todo o peitoral amorenado do mais velho e usar as mãos livremente para fazer o que quisesse. Ele era ótimo com as mãos pois treinava sempre que podia com Jongin, mas esta noite era definitivamente uma exceção, estava totalmente sobre o controle do mais velho.

Abaixando sua boxer, Jongin leva suas mãos até o membro duro e melado de pré-gozo, acariciando levemente enquanto olha para Kyungsoo: Uma bagunça de suor, todo ofegante e com várias marcas vermelhas por todo o peito e pescoço. Grunhiu, os olhos cegados pela luxúria ao ver a cena do seu namorado completamente excitado. Moveu uma de suas mãos até o queixo do pequeno, forçando-o a olhar em seus olhos e diz:

- Olhe como você deixa o seu daddy, baby, tudo isso é pra você. - Kyungsoo geme curto porém alto.

- Por favor, daddy, eu preciso tanto de você, preciso tanto do seu pau dentro de mim, quero que você me foda tanto...

- Eu vou, príncipe, mas eu quero me divertir um pouco com você antes, hm? Vou te fazer gritar por mim. 

Jongin deixou de se masturbar e inclinou-se já com a boca aberta para beijar os lábios tão macios e perfeitinhos do menor, nem ao menos pediu passagem, apenas sugando a língua do outro e se separando para também sugar os lábios que agora se encontravam vermelhos e inchados. Aproveitou a oportunidade para retirar a calcinha de Kyungsoo vendo o membro durinho praticamente saltar dali e o acariciando vagarosamente, ouvindo um gemido alto sair dos lábios cheios do Do.

Kyungsoo desejava que Jongin fosse mais rápido, estava tão perto de implorar mas sabia que iria se arrepender, porque:

1. Jongin não iria aumentar a velocidade de forma alguma já que ele odiava quando o mais novo gozava em sua mão.

2. Ele queria gozar pelo pau de Jongin, não por sua mão.

Felizmente o aperto torturante para, mas logo sentiu os lábios descendo por sua barriga parando acima de seu pênis. E não, Kyungsoo não gritou quando sentiu a língua úmida envolver todo o pré-gozo da área. Queria agarrar o cabelo escuro e despenteado de Jongin para empurrar seus quadris em direção a boca quente do mais velho, mas as algemas impossibilitavam de fazer as duas coisas. Uma chupada forte em sua glande o fez choramingar de novo, mas então Jongin abrigou o falo inteiro dentro de sua cavidade levando-o até o fundo de sua garganta. Os olhos grandes do mais novo começaram instantaneamente a lacrimejar, não conseguia aguentar tamanho prazer.

- Daddy! Eu preciso de m-mais, eu precis- Ah! - A mão pesada do mais velho atingiu fortemente sua coxa cortando sua fala.

- Você vai ter o que seu daddy lhe dar, amor. Seja um bom garoto e deixe o daddy te chupar.

Jongin então volta a felação, subindo e descendo a cabeça em um ritmo acelerado. Kyungsoo sabe que ele não deve gozar sem permissão, mas era tão difícil pedir algo quando a boca do mais velho o fazia se sentir cada vez mais excitado. Não conseguia fazer nenhuma outra coisa além de gemer.

- Eu tenho que g-gozar, daddy, me d-deixe gozar!

- Não sei não, neném... Se eu deixá-lo gozar agora, você vai ter que gozar de novo pro' daddy depois. Pode fazer isso por mim, docinho? 

- Sim! - a afirmação saiu quase como um grito. - S-sim eu vou, por favor daddy me deixe gozar...

- Okay, baby boy goze pro daddy. - Com isso Jongin põe sua boca de volta na cabeça do falo de Kyungsoo, lambendo a fenda com a língua. Kyungsoo gemia cada vez mais alto, empurrando seus quadris pra cima para ir mais fundo na garganta do mais velho até acabar se desfazendo. Jongin engoliu tudo, deixando apenas um pouco escorrer pelos cantos dos lábios e lambeu até que estivesse limpo.

- Como está se sentindo, amor? Qual a cor? - O mais velho logo foi respondido com um rápido sussurro "verde". - Certo, irei te preparar para o meu pau agora.

Kyungsoo acena com a cabeça, ainda ofegando pelo orgasmo intenso que acabara de ter, porém ele pôde sentir a excitação das palavras de Jongin abater sua espinha e ir até seu membro sensível. O menor abriu submissamente as pernas quando ouviu o barulho da tampa do lubrificante ser aberta, olhando para Jongin que espalhava algo pelos dedos - claramente o lubrificante -, também percebeu o quão duro Jongin estava, a única coisa que Kyungsoo queria nesse momento era poder saboreá-lo, ele então expressa seu desejo.

- D-Daddy, antes de me preparar... Eu posso chupar v-você? Por favor? Q-Quero tanto te provar, daddy. - Jongin sentiu um arrepio passar pelo seu corpo, dando uma lambida nos lábios ele assente.

- Claro que sim, baby, você pode sugar o daddy. - O mais velho rapidamente limpa o lubrificante de seus dedos no cobertor e sobe até o torso de seu pequeno apertando seu cabelo com força, dizendo: - Vá em frente, docinho. Faça com que seu homem se sinta bem.

Kyungsoo o fita com o olhar de extrema luxúria e leva o pau de Jongin até sua boca. Percorria todo o comprimento com o músculo molhado, chupando e chupando até que o mais velho gemesse mais. Seu cabelo foi apertado com ainda mais força, fazendo-o mover ligeiramente a cabeça para cima e para baixo, mas não muito fundo. Jongin ofegava e deixava gemidos altos saírem enquanto Kyungsoo dava atenção a glande inchada fazendo questão de provocar a fenda constantemente.

Não conseguindo suportar mais um minuto daquilo, começou a empurrar seu pau ferozmente para a boca do mais novo o fazendo engasgar. Ele manteve o ritmo constante, sentindo a garganta apertada de Kyungsoo em torno de todo o seu comprimento e a língua na parte de baixo quando tirava levemente.

- Merda, você é um bom menino, se saindo tão bem pelo daddy, me fazendo sentir tão bem. Você gosta disso, hm? Você gosta de chupar o pau do papai? 

Jongin ouve mais uma vez naquela noite Kyungsoo choramingar e consentir, então começou a estocar profundamente na boca do menor que o olhava como se implorasse por algo. E realmente implorava, implorava para ter todo aquele comprimento dentro de si. Jongin coloca novamente sua mão envolta do membro do Do que já estava completamente duro de novo. Ele riu, o efeito que tinha sobre o corpo do menor deixava-o com ainda mais tesão. Esfregando o polegar vagarosamente na glande já molhada mas parando abruptamente com a provocação e corre sua mão desta vez até o maxilar de Kyungsoo, acariciando-o suavemente enquanto continuava fodendo a boca ansiosa.

- Porra, o daddy vai gozar, vai gozar nessa boquinha linda, quero ver você engolir toda a porra do seu homem, engula como o ótimo garotinho que você é, Soo...

E com isso jatos fortes foram soltados na garganta do menor, um grunhido escapando de seus lábios e os olhos atentos assistindo Kyungsoo engolindo seu gozo. Quando ele acabou, puxou o falo para fora da cavidade úmida respirando pesadamente e se inclinando para deixar um beijo na testa de Kyungsoo, sussurrando em seu ouvido:

- Eu te amo muito, baby. Sempre fazendo tão bem pelo daddy, huh? - Mordendo o inferior, o mais novo sussurra de volta "Eu também te amo, daddy". Então Jongin alcança o lubrificante pela segunda vez na noite e começa a encobrir os dedos com o líquido gelado fazendo Kyungsoo gemer antecipadamente. - Você está pronto, neném? - Ele diz circulando a entrada apertada com um dos dedos. 

- S-Sim, daddy, estou pronto. - O menor falou e logo depois prendeu a respiração ao sentir o dedo adentrar sua entrada, o que não passou despercebido por Jongin.

- Baby, tem que relaxar pro' daddy, okay? Relaxe pra mim querido. - A voz do mais velho soou tão calma ao seus ouvidos, assentiu na mesma hora. Esperou alguns segundos antes de lentamente começar a mover o dedo mais fundo na entrada, empurrando-o para dentro e para fora fazendo com que o outro se acostumasse mais rápido com a invasão, fazia algumas semanas desde que não faziam nada daquele tipo, tudo por causa do trabalho de Jongin, claro. Logo, Kyungsoo começa a repuxar aos poucos o dedo de Jongin, gemidos silenciosos escapando.

- Está gostoso? Você quer mais, amor? - Kyungsoo assentiu tão rápido que parecia que seu pescoço ia desencaixar.

- Sim! m-mais mais, por favor... - Após dizer isso mais um dedo é inserido dentro de si e ele não pode deixar de lamuriar, batendo com os punhos na cabeceira da cama. Ele começa a cavalgar lentamente nos dedos de Jongin, saboreando a sensação de ser preenchido que não sentia a tempos, mas quando o mais velho atingiu sua próstata brevemente a sensação ficou ainda melhor porém agonizante, deixando um quase grito saltar. - Daddy!

Jongin geme em apreciação vendo seu baby parecer tão destruído com apenas dois dedos, rosnando antes de dizer:

- Você não faz ideia do que faz comigo, você parece ainda mais gostoso todo aberto desse jeito pro daddy. - Curvou e empurrou seus dedos ainda mais fundo no interior, atingindo aquele ponto cada vez mais forte, ouvindo Kyungsoo gemer "daddy" atrás de "daddy", cavalgando nos dedos e fazendo-o ver estrelas, Jongin sempre conseguia.

- Daddy eu quero o seu pau! P-Preciso do seu pau em mim, n-não consigo não consigo mais- Antes de terminar sua frase, um terceiro dedo é adicionado fazendo com que ele grite. Jongin não perdeu tempo, fodendo o mais novo com três dos seus dedos, assistindo o membro de Kyungsoo vazar cada vez mais pré-gozo.

- Isso, bebê, monte nos dedos do daddy. - Diz Jongin com a voz rouca e grossa de excitação. Inclinou-se e beijou Kyungsoo, chupando a língua alheia, engolindo os gemidos e choramingos, aumentando a velocidade dos dedos. Kyungsoo teve que se afastar para falar:

- Vou gozar d-daddy, não aguento m-mais,preciso g-gozar.

- Ainda não, neném. - Com isso Jongin vai em direção a entrada do mais novo, respirando quente contra ela e a vendo contrair, deslizou o músculo ao lado dos dedos. Kyungsoo deixava lágrimas de prazer caírem sobre o rosto, dominado pelo prazer. Jongin sabia muito bem como enlouquecer o menor, conhecendo que era apenas saber como usar bem a língua e onde. 

Tirou os dedos de dentro dele fazendo com que Kyungsoo gemesse em desaprovação por sentir-se vazio novamente, mas então ele usa as duas mãos para segurar os quadris do pequeno e empurra sua língua novamente só que dessa vez com força, comendo-o vigorosamente.

- Daddy! Por f-favor, preciso gozar! A sua língua é tão gostosa no meu b-buraquinho. - Jongin então se afasta para falar:

- Você ama quando o papai te come com a língua não é, baby? - Fez uma pausa para ver Kyungsoo assentir positivamente. - O daddy ama provar o seu buraquinho, docinho. Tanto quanto eu amo quando você goza enquanto eu te fodo, quero que você faça isso agora, hm? Quero que goze enquanto eu te fodo.

- Me fode daddy, eu quero o seu pau dentro de mim, tão forte e fundo até que eu enlouqueça. - E lá se foi a pequena quantidade de sanidade restante no corpo do mais velho.

- Porra, neném. - Jongin grunhiu antes de empurrar os joelhos de Kyungsoo para o peito do mesmo e alinhar o membro duro em sua fenda. O puxou para um beijo apaixonado para que o outro ficasse mais relaxado.

- Eu aguento mais! Daddy, continue por favor! Preciso de você em mim, preciso que você me fod- Aahn! - Ele é cortado por seu próprio grito ao sentir Jongin se enterrando em si. Kyungsoo estava todo ofegante, os olhos fechados e os lábios cobertos com a própria saliva. Jongin começa então a se mover, começando lento, sugando o pescoço que antes era imaculado.

- T-Tão apertad- Porra! É tão gostoso sentir você ao redor do pau do daddy, sabia disso? Sempre me sinto tão bem... Quero te preencher o tempo todo, fazer você aguentar meu pau dentro do seu buraquinho apertado até você cansar. - Ele geme contra o pescoço de Kyungsoo, estocando tão forte que a cama balançava ao mesmo tempo junto dos seus impulsos.

- U-Uhum! Eu sempre quero o pau do daddy, é tão g-gostoso... P-por favor mais forte, me foda com mais força, Nini! - Ele gemeu, atacando a boca de Jongin, movendo os lábios de forma bruta porém não durando muito tempo quando Jongin deu um impulso rude na próstata de Kyungsoo, o fazendo gritar "Daddy!" mais alto.

- Isso, grite pra' mim, vamos. - O mais velho solta um suspiro, sentindo o outro se contrair ao redor de seu membro, Kyungsoo não conseguia aguentar mais. Jongin agarra rapidamente a chave das algemas na cabeceira, destrancando as algemas que prendiam os pulsos do baixinho e as joga em qualquer canto do quarto

- Daddy o qu- E mais uma vez fora cortado, Kyungsoo estava sendo levantado e virado, foi colocado no colo do mais velho sentindo o pau dele atingir mais fundo em seu buraquinho. 

- Cavalgue no daddy, vamos, cavalgue no meu pau igual quando como estava fazendo nos meus dedos. - E isso foi tudo que Kyungsoo precisou antes de envolver seus braços envolta dos ombros de Jongin. Não perdeu tempo, começou a cavalgar em um ritmo acelerado, escondendo o rosto no pescoço do mais velho deixando sair gemido após gemido. As mãos de Jongin se aproximaram de seus quadris até sua bunda, agarrando as duas bandas e orientando-o para cima e para baixo em seu falo. - Você monta tão bem no papai, vai me fazer gozar logo. É isso que você quer? Quer que o daddy te preencha? Quer que eu faça minha porra escorrer pelo seu buraquinho, Soo? - Kyungsoo olha para os lábios de Jongin quando terminou sua fala, choramingando:

- Quero s-sentir sua porra, daddy, quero que você me preencha inteiro.

- Okay, querido, mas o papai precisa que você goze primeiro, ele quer sentir você gozar enquanto te fode com força. - Ele aperta ainda mais forte a bunda do menor, o membro deslizando para dentro e para fora tão forte e rápido em seu canal que as suas coxas já começavam a doer.

- Daddy, d-daddy eu v-vou gozar, vou- E com isso Kyungsoo gozou forte, gritando e cavando suas unhas nos ombros de Jongin com firmeza.

- Você fica ainda mais bonito enquanto goza, Soo. Eu te amo muito. - Disse pela segunda vez na noite, nunca cansaria de dizer aquelas três palavrinhas e muito menos de ouvir elas saírem da boca do menor. Se desfazendo junto do menor e enchendo-o com seu líquido quente. Permaneceram na mesma posição por alguns minutos, curtindo a presença um do outro, apreciando o momento.

Kyungsoo se afasta para encostar sua testa com a de Jongin, olhando-o com carinho antes de sussurrar: "Eu também te amo, muito". Jongin deixa um terno selinho nos lábios do pequeno, foi rápido porém cheio de amor. Kyungsoo acaricia levemente sua mandíbula antes de suspirar e se afastar do membro do namorado.

Depois de limpos, voltaram pra cama agora com os cobertores trocados, com Jongin abraçando o menor por trás, a cabeça enterrada no pescoço. Quase adormecendo quando ouvem o telefone de Jongin tocar mais uma vez fazendo com que ambos gemessem em descontentamento, Kyungsoo então se aproxima e não se preocupa em olhar o nome na chamada antes de responder.

- O que é que você quer, Chanyeol?

- Para onde vocês foram? Era pra' gente ter se encontrado a horas atrás! Eu e o Baek tivemos que entrar sem voc- espera, vocês se atrasaram pelo motivo que eu estou pensando?

- Depende. - Kyungsoo sorriu atrevido. - Qual seu motivo?

- Certo, esquece, eu já entendi tudo, só que da próxima vez por favor me avise quando for me abandonar pra ficar transando com seu namorado, então eu não vou precisar ficar esperando igual um idiota. - As palavras de Chanyeol fizeram o casal rir.

- Não prometo nada, mas eu vou tentar. A propósito, não aja como se não tivesse gostado, aposto que ficou curtindo com o Baek nesse tempo.

- Enfim, eu vou jantar. Apenas voltem a fazer o que sei lá vocês dois estavam fazendo.

- Okay, desculpe por não te avisar Chan, vou tentar não deixar o Jongin me tocar antes dos nossos encontros. - Um silencioso “Ei!” foi ouvido atrás dele, fazendo Kyungsoo rir alto.

- Você consegue, não é grande coisa. Tenham uma boa noite! E tentem se controlar, parecem dois coelhos!

- Não prometo nada! - Kyungsoo falou de novo antes de desligar o celular, colocando-o de volta na bancada, se acomodou sobre o peito de Jongin sentindo-se protegido daquela forma. O mais velho dirigiu os dedos até o cabelo de Kyungsoo, dando um beijinho carinhoso em sua testa, logo vendo um sorriso fofo em formato de coração surgir nos lábios do mais novo. 

- Sabe, você é tão culpado quanto eu, você não me pediu pra' parar quando eu usei as algemas, príncipe.

 - Eu não consigo resistir a você, você sabe disso.

Com isso, Jongin riu e sussurrou:

- Boa noite, eu te amo. - e ouviu Kyungsoo soltar um silencioso "eu te amo também", antes de ambos se sentirem sonolentos e dormirem.


Notas Finais


eu queria deixar aqui a imagem da calcinha do Kyung rsrs: https://imgur.com/nueJCJK

meudeus do céu ta um lixo mas eu tentei okay? okay
não é novidade que meu spirit ta bugado e some a barra que tem pra escrever, eu reinício o pc, abro em aba anônima e qualquer coisa mas nunca resolve, mas eu fui testar ontem de novo porq né eu precisava atualizar de algum jeito (eu odeio o celular, ele sempre buga tudo então eu nem que ia escrever lá) e reapareceu. Só aproveitei e vim logo então me perdoem se eu demorar d+ pra atualizar, é sempre por causa disso ;((
Mas espero que tenha valido a pena depois desse cap <3 só vai ter mais alguns 4 ou 3 capítulos e +1 extra a aa
Bjinhos '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...