História Dançar e Brincar… É só esperar! [BTS - Jungkook] - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 93
Palavras 962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI! ESPERO QUE VOCÊS GOSTEM!

Boa leitura!

Capítulo 21 - Capítulo Dezenove. - “—If I was you, I’d wanna be me too!”


Quando Iago e eu voltamos para a mesa e vi os integrantes das bandas, em sua maioria, com caras de confusão. Somente o Jungkook que estava com os braços cruzados e com uma cara nada boa.



Ele tá sempre com essa cara, miga. Relaxa.


— Então… Tudo bem? — perguntei simpática com o povo/Jungkook.



— Estava melhor antes de você chegar. — A quenga respondeu lixando as unhas mais falsificadas que IPhone do Paraguai.


— Ahm… Desculpe, eu não entendo cachorrês.


— O que?! — Só faltava ela espumar pela boca, igual a um cachorro com raiva.


— Não liga pra ela, não, Soo. A lagartixa é assim mesmo, só ignore. — Jungkook respondeu tocando em seu ombro… CARINHOSAMENTE?


—  Só com quem merece, não é mesmo? — cruzei os braços levantando as sobrancelhas.



Que erro, migo, que erro! Tire as mãos dessa piranha, agora!


Eles então começaram a conversar animadamente sobre um assunto idiota qualquer. Me sentei ao lado de Iago — não somente para provocar e fazer vingança, também foi porque não tinha nenhum lugar a mais na mesa.— e senti o olhar pesado do Jungkook sobre mim quando começamos a conversar animadamente e contar histórias de infância para as pessoas da mesa.



Amiga… Como você consegue?



— Hum? Você está falando comigo? — perguntei para a falsificada.



— Tem mais algum gnomo aqui nesse lugar?



— Nossa, que adulta. Parabéns! Prêmio de melhor adulta do ano. Mas late aí, garota, o que você quer comigo?



— Ignorando esse seu sarcasmo imbecil… Como você consegue ser tão vagabunda?



Vagabunda? Meu amor… Não mexa com quem está quieto. Miga, não provoca, daqui a pouco aparece morta num beco qualquer e não sabe o porquê.


— Oi? Pode repetir? Não consigo entender o que você fala, alguém pode traduzir pra mim? — perguntei olhando para todas as pessoas da mesa.


— Ôh garota! Para de se fazer de burra, você quer todos pra você, acha que eu não percebi isso? Sabe o nome disso? Galinhagem.


Querida. Não me compare a você, nem tente me humilhar. Você não vai conseguir. Pare de se fingir de puritana, todos sabemos muito bem o que você quer. Ou você acha que eu não sei que você quer ir pra cama com qualquer um dos Idols aqui, somente para ter a fama e espalhar para todos os cantos do mundo? Se enxerga, garota. A vadia aqui, não sou eu.


E no exato momento que eu terminei de falar, fui recebida com um tapa forte no lado esquerdo do rosto.


AH NÃO! Não mesmo, amor!


— A piranha não aguentou ouvir a verdade?! Cai dentro, imbecil!



Levantei da mesa batendo as mãos na mesma, eu estava quase pulando no pescoço daquela demônia.



Estela, se acalma e acaba com aquela bitch (Vadia)! — Clara falou em português e me segurou pelos ombros para eu não espancar o palito de fósforo coreano.


Sim, meu amor! Sobe lá em cima e dá o seu melhor, esfrega na cara dessa recalcada o quanto você é divosa e estelástica! — Alex sorriu me encorajando e me fazendo rir com a lembrança de uma música maravilhosa que eu ouvi esses dias.


Pode deixar comigo. Vou arrasar com a cara daquela ridícula.


Isso ae mona! — Marco gritou lá da mesa.


Mueos-e daehae yaegihaneun? (Sobre o que vocês estão falando?) — Ouvi Jin perguntando e olhamos para o grupo de coreanos na mesa.



Ah é… Eles estão aqui e meus amigos e eu falando em português… Coitados!


— Coisas, esperem para ver, meninos! — Clara falou com eles tranquilamente e se sentou tranquilamente colocando as mãos na cabeça. — Arrasa lá, Téti.



Sorri para os meus amigos e subi no palco.


— Essa música é dedicada à Soo KenGa, espero que aproveite, amiguinha!



Escolhi a minha música maravilhosa, Me Too - Meghan Trainor. As primeiras notas da música começaram a se espalhar pelo pequeno espaço do Karaokê e eu ouvi gritos empolgados vindo de Clara e Alex.



É A NOSSA MÚSICA! — Eles gritaram invadindo o palco, pra dançar atrás de mim.



Who’s that sexy thing
(Quem é essa coisa sexy)

I see over there?
(Que eu vejo logo ali?)

That’s me
(Aquela sou eu)

Standin' in the mirror
(Na frente do espelho)


What's that icy thang
(O que é isso)

Hangin' 'round my neck?
(Ao redor do meu pescoço?)

That's gold
(Isso é ouro)

Show me some respect, oh
(Me respeite, oh)


Ouvi mais gritos, porém eles agora vinham do Jackson, Mark e Namjoon. Sorri para eles e mandei um beijo para a recalcada, que só faltava explodir de tão vermelha que estava.


If I was you, I'd wanna be me too
(Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu)

I'd wanna be me too
(Eu também ia querer ser eu)

I'd wanna be me too
(Eu também ia querer ser eu)

If I was you, I'd wanna be me too
(Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu)

I'd wanna be me too
(Eu também ia querer ser eu)

I'd wanna be me too
(Eu também ia querer ser eu)



Vi ela pegar a bolsinha de oncinha ridícula dela e sair batendo o pé, irritada, do salão.



Já vai tarde! Não volte nunca mais, piranha!



Dei os ombros rindo da cara dela e continuei divando com os meus amigos em cima do palco. Estávamos fazendo a coreografia certinho, parecia que tínhamos ensaiado várias vezes para ter essa sincronia, e as pessoas estavam adorando.


Quando a música acabou, recebemos vários assobios e gritos alegres. Voltei para a mesa e encarei Jungkook como uma criança mimada.


— Não me teste, nunca mais. Imbecil. Na próxima vez, você estará morto. — murmurei para ele enquanto todos comiam conversando e rindo alto.


— Eu? Eu não testei nada. Mas… Esse cheiro que eu estou sentindo… É ciúmes? Que gracinha, Chihuahua. Parece até gente. — ele riu apertando as minhas bochechas e eu rolei os olhos, batendo em suas mãos.


— Tira a mão de mim! Não gosto!


— C-i-ú-m-e-s!


— Dá pra me deixar comer em paz?! Me ama tanto assim?! Idiota.


















Notas Finais


Espero que tenham gostado! Vejo vocês no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...