História Dangerous Love - Norminah - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Drama, Norminah, Romance
Visualizações 136
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eae gente beleza???? coloquem os coletesss

ignorem os erros

Capítulo 26 - Capítulo 25


Seguimos como foi planejado. Normani havia conversado com dois homens e eles concordaram em nos ajudar. Todos estavam em seus devidos lugares. As meninas já estavam saindo para entrar na van. Eu fiquei de verificar as algemas dos prisioneiros, então, como combinado, de cada van, um estaria com ela solta e com uma chave, pois sozinho não iria conseguir deter os policiais. Eu estava tão nervosa. Eu amava Normani, mas fiquei me perguntando, amava ao ponto de destruir minha carreira por ela? Eu estaria louca? Eu amo meu trabalho e a partir do momento que eu fosse com ela, eu seria uma procurada pela lei também.  Mas eu não queria perder o amor da minha vida. Eu realmente estava confusa.

- Vou checar às algemas de vocês, se fizerem alguma gracinha, eu vou enfiar minha arma aonde a luz do sol não bate. - falei firme e todos me olharam horrorizados.

Comecei a checar cada um, eles estavam em uma fila, então eu escolhia a van que iriam entrar, tinha apenas um policial na porta, mostrando aonde ficava as vans. Comecei a verificar, Lexie foi a primeira das meninas, então eu a coloquei na van A1, logo atrás dela, veio um dos rapazes que a Normani conversou, me posicionei atrás dele, para que ninguém visse que eu estava destrancando suas algemas. Coloquei a mão dele, segurando a algema, mostrando que ela estava presa, e a chave em suas mãos. Para fazer isso, tive que ficar com a bunda empinada para o rapaz atrás de mim, que não perdeu a oportunidade, e começou a roçar, e para minha surpresa, Normani estava logo atrás dele, observando tudo, com a raiva estampada em seus olhos.

- Se você fizer isso novamente, eu atiro. - me virei para o rapaz, sacando minha arma, e apontando para o meio das pernas dele. Ele ficou pálido e apenas assentiu.

Chegou a vez da Normani, que ficou resmungando baixo, apenas para eu ouvir.

Enquanto ela caminhava em direção a  van A1, parou no meio do caminho e falou com o outro policial.

- Eu quero ir ao banheiro. - ela falou e o policial começou a rir.

- Infelizmente você não vai, segure até chegarmos.

- Você não pode fazer isso, irei urinar nas calças. - ela falou com raiva.

- Fique quieta e siga para sua van. - ele disse simplesmente.

- Seu filho da... - Normani começou a falar, mas eu a cortei.

- Cale a boca. Fique ao lado e assim que eu terminar, levarei você ao banheiro.

Normani me obedeceu e ficou me esperando. Terminei de verificar tudo e esperei o guarda sair, seguindo o último prisioneiro. Acompanhei Normani até o banheiro, e vi que ela trancou a porta.

- Sabe Dinah, eu vi aquele cara se esfregando em você e aquela cena não me deixou nenhum pouco feliz. - ela disse assim que tirei suas algemas. Ela me prendeu em uma cabine e começou a me beijar.

Ela me apertou mais forte e eu arranhei sua nuca, foi dando beijos até chegar em meu pescoço e chupou com força. Retirou minha blusa e abaixou minhas calças.

- Não podemos fazer isso. - gemi quando ela soltou uma lufada de ar em meu sexo.

- É apenas um carinho. - ela disse roucamente

Senti dois dedos em me sexo completamente molhado, fez leves movimentos circulares e forçou um pouco mais, me fazendo gemer baixinho. Juntou nossas bocas agora em um beijo mais quente, enquanto lentamente, me penetrava. Sua boca desceu entre meus seios e lambeu me olhando, eu a observava atentamente. Ela começou a chupar o direito, sem parar os movimentos dentro de mim, longo parando, e dando a mesma atenção para o esquerdo. Foi fazendo caminho, enquanto distribuía beijos pelo meu corpo, até parar os movimentos e ficar de joelho em minha frente. Ela levantou uma de minhas pernas, colocando-a em seu ombro, dando total acesso para o meu sexo. Sem aviso algum, passou a língua sobre meu sexo, me fazendo gemer alto, e ficar se contorcendo na parede. Sua língua pressionou meu clitóris enquanto eu rebolava em sua boca. Coloquei minhas mãos em seus cabelos, e forcei mais contato em meu sexo. Eu iria gozar a qualquer momento. Ela levou dois dedos seus em minha boca, me fazendo chupar, e logo depois, me penetrou novamente, fazendo movimentos rápidos. Meus gemidos ficaram mais altos. Meu corpo estava fraco, eu estava em êxtase total. Abri as suas calças e coloquei minha mão em seu sexo encharcado. Ela gemeu com o contato. Nossos gemidos ficaram mais altos a cada momento que chegávamos perto do orgasmo. Normani me deu uma estocada profunda, me fazendo gozar em seus dedos. Antes de me recompor, desci para o seu sexo, e comecei a chupa-la, brinquei com o seu clitóris em minha boca. Suas pernas tremeram e ela gozou forte em minha boca, me fazendo lamber todo o líquido.

- Uau. - falamos em uníssono.

Normani se vestiu rapidamente, enquanto eu me vestia também. Arrumei suas algemas e lhe dei um beijo de despedida.

Saímos do banheiro e fomos em direção a van. Entramos e todo mundo nos olhou.

- Que demora. - Camila resmungou.

- Sinto cheiro de sexo. - Lauren cantarolou e eu soquei seu ombro. - Ai porra.

- Calada detenta. - falei firme e ela me entendeu. Pois a porta da van ainda estava aberta e o nosso chefe passaria por lá.

Meu chefe passou por lá, e explicou a rota que pegaríamos. Normani havia me falado que assim que nossa van parasse, os outros prisioneiros iriam agir. Eu estava nervosa, mas seria agora ou nunca.

A van começou a se movimentar, e disfarçadamente, mandei Normani se soltar e mandar o resto ficar quieto, ela algemou eu e as meninas. Pegou minha arma e foi em direção ao motorista. A van parou com força, causando um baque em todos. Normani, Lauren e Lexie estavam armadas, e assim que abriram as portas, as coisas começaram. Os prisioneiros começaram a fugir. Todas as vans estavam paradas, ouvimos tiros, e ai o desespero começou a tomar conta do meu corpo. Todas as meninas haviam pulado, só faltava eu. Era agora ou nunca. Um policial conseguiu fugir e chamou reforços. A merda estava feita.

- Dinah, vamos logo, pule. - Normani gritou. Eu travei. Eu não queria ir e ao mesmo tempo queria. Fiquei desesperada. Ir ou não ir?


Notas Finais


COMENTEM!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...