História Dangerous Love (NamJin) - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Ação, Eua, Fbi, Gangster, Namjin
Visualizações 118
Palavras 1.700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VOLTEIIIII!!!!!
Me desculpem pela demora,e me perdoem pelos erros do capítulo.
Espero que gostem o 1 capítudo da 2 temporada.

Capítulo 27 - 2Temporada-01


SeokJin teve suas costas chocadas contra a porta do quarto que dividia com o noivo, o sorriso ladino no rosto daquele que o segurava fazia sua espinha gelar e a pele formigar. Era assim. Ele sempre o deixava assim. Toda vez que trocavam olhares,o moreno se sentia como um adolescente apaixonado pela primeira vez – por mais clichê que a comparação fosse. Os braços foram imobilizados no alto de sua cabeça por uma das mãos de NamJoon, que lhe lançava um olhar pecaminoso e cheio de promessas, fazendo o moreno sustentar um largo sorriso no rosto. Sabia que seu homem não deixava de cumprir suas promessas.

NamJoon desceu os lábios pelo pescoço dele e, enquanto beijava, mordia e lambia a pele sensível daquela região, aproveitava a mão livre para percorrer a lateral do corpo masculino de maneira sedenta, como se ao tocá-lo pudesse fazer com que toda a fome acabasse no mundo. Voltou a boca para os lábios carnudos do moreno, beijando-o vorazmente outra vez.

— Se eu soubesse que me pegaria desse jeito quando aceitasse me casar com você, teria feito isso antes. –SeokJin brincou quando conseguiu separar seus lábios dos dele.

— Se você soubesse o quanto quero você nesse momento não estaria brincando desse jeito, lindo. – NamJoon murmurou no ouvido dele,enquanto chocava fortemente os quadris de ambos, fazendo com que Jin arfasse em deleite.

O gemido que Jin soltara era como música aos ouvidos de seu noivo, deixando-o até mesmo atordoado com a situação. Com a distração dele, Jin conseguiu soltar seus pulsos e virar o corpo viril contra a parede ao lado da porta, invertendo a posição dos dois.

— Tira. – Jin disse ao apontar para a camiseta que NamJoon vestia. A peça de roupa rapidamente foi de encontro ao chão.

Se aproveitando da vantagem que mantinha, o moreno abriu o botão e zíper da calça do noivo e, sem tirar seus olhos claros dos escuros que ele tinha, forçou a peça por seu quadril fazendo com que Jin escorregasse com um pouco de dificuldade pelas pernas torneadas de NamJoon. NamJoon então soltou um gemido baixo e jogou a cabeça para trás, encostando-o na parede e fechando os olhos na sequência. SeokJin correu as unhas pelo peitoral de NamJoon firme e lentamente, fazendo vergões avermelhados aparecerem na pele bronzeada do rapaz que começou a morder o lábio inferior para conter os barulhos. Não poderia acordar ninguém agora.

— O que você quer, meu amor? – questionou de maneira quase inocente, fazendo com que NamJoon arregalasse os olhos quando o viu ajoelhado em sua frente sem tocá-lo.

— Você está de brincadeira? – indagou de volta, incrédulo.

— Na verdade, sim. Eu estou de brincadeira. –Jin passou as unhas sobre o membro precariamente coberto de NamJoon, que arfou pesadamente enquanto mordia novamente o lábio para conter um xingamento.

— Ah, Jin... Jin... Não brinque comigo, lindo... Eu não vou responder por mim –disse sôfrego, sua voz vacilando quando sentiu o tecido fino de sua boxer seguir o mesmo caminho de sua calça.

— Por que tanta resistência, meu amor? Você sabe que eu quero isso tanto quanto você. –Jin resgatou uma gota travessa que escorria pela cabeça inchada que tinha frente a si com o indicador e a levou a boca – Mas você vai ter que pedir... Como um bom menino.

— Então vai, meu anjo, me chupa, uh? – rugiu da maneira que pode. O moreno sorriu sacana e agarrou o membro de seu noivo pela base, lambendo toda sua extensão prontamente antes de, finalmente, abocanhá-lo como NamJoon queria. — Porra, lindo.

NamJoon não conseguiu esboçar nada mais que palavras desconexas depois disso, pois Jin decidira usar a mão restante para massagear suas bolas, não deixando de chupá-lo e ainda aproveitando para masturbar o falo com a mão que já o segurava. Não duraria muito se continuasse nesse ritmo e não poderia deixar seu noivo todo vestido enquanto ele próprio estava totalmente nu.

— Amor, por favor. –NamJoon pediu entredentes enquanto afagava a cabeça do noivo. Jin afastou-se de seu membro e mordeu o lábio inferior após lambê-lo avidamente.

NamJoon negou, não acreditando na sorte que possuía em tê-lo como marido, e o puxou para cima, envolvendo a perna esquerda do moreno em seu quadril, e aproveitando a posição para apertar a bunda farta pela qual tanto era apaixonado. Jin rebolou sobre seu membro, fazendo com que o homem o erguesse do chão, levando-o até a cama que dividiam para poder tirá-lo da camisa e calça que vestia. Após fazê-lo, sentou-se sobre os joelhos para poder admirar aquele que se encontrava de cueca sobre os lençóis.

— O que foi? – o moreno questionou com um sorriso nos lábios, sorriso esse que foi rapidamente devolvido por ele.

— Você é lindo demais. –confessou e foi surpreendido pelas pernas que Jin envolvera em seu quadril, aproximando-o de si para poder beijá-lo.

— Eu te amo. – Jin disse contra seus lábios.

— Eu te amo mais. – NamJoon respondeu roçando o nariz pelo maxilar do moreno.

NamJoon desceu pelo pescoço do mesmo com beijos molhados, mordiscando a sua pele delicada, conseguindo morder um de seus mamilos no processo. Jin arqueou o tronco em resposta, fazendo com que o homem decesse as mãos por seu quadril com a intenção de livrá-lo da peça de roupa. Ao vê-los livres o mais velho prontamente envolveu-os com ambas as mãos, massageando a pele sensível e, posteriormente, trocando uma mão pela boca ávida. – não podia perder a oportunidade de morder o bico entumecido que ali estava. Continuou o caminho após sentir que o noivo rebolava o quadril em busca de maior contato com seu corpo, rindo travesso ao sair do meio das pernas do moreno, dificultando o acesso desta à tão desejada fricção.

— Jonnie! – exclamou atordoado.

— Esse jogo dois podem brincar, meu anjo. –advertiu rouco, lambendo a pele aquecida da barriga do moreno, percorrendo o caminho que ele tanto almejava lenta e tortuosamente, passando direto pela virilha molhada de Jin para poder morder e beijar as coxas fartas do moreno.

— Eu preciso... –murmurou ofegante, tentando apertar uma perna contra a outra em vão, já que o homem voltara ao meio de suas pernas para poder apertar melhor suas coxas.

— Precisa do que, uh? –questionou divertido ao correr um dedo travesso pelo tecido úmido da cueca do moreno que rebolava cada vez mais rápido.

Namjoon ignorou os murmúrios sofridos do noivo e desceu lentamente a peça pelas pernas dele, voltando rapidamente o rosto para as nádegas de Jin que ofegava em antecipação. Passou a língua por toda sua extensão, dando especial atenção a entrada piscando do moreno, fazendo-o gemer alto e demorado.

— Eu preciso de você agora, Namjoon. –esbravejou, fazendo o homem erguer o rosto e trocar a língua pelo dedo indicador que brincava em sua entrada.— Agora!

— Você quer que eu te foda, é isso? –perguntou insolente. Jin assentiu freneticamente e ele riu gostoso, subindo no moreno com rapidez. — E como você quer, lindo? –Namjoon poderia parecer ingênuo ao perguntar, mas o roçar lento que a cabeça de seu membro fazia na entrada do moreno era intencional.

Jin o puxou pelo pescoço, cravando suas unhas no ombro do mais velho antes de murmurar: — Forte...Agora.

E assim ele o fez. Meteu o membro previamente encaixado com firmeza e destreza, movimentando-se dentro do moreno que gemia em seu ouvido e rebolava avidamente em seu pau. Agarrou a coxa de Jin com uma mão e a cintura dele com a outra, marcando o colo desnudo com chupões fortes. Agradeciam pelo quarto do filho ser distante do deles, pois não tinham a menor condição de conter gemidos.Jin queria gritar o quão gostoso era seu noivo e, ainda mais, quão bem ele o fodia. NamJoon não estava distante disso, murmurava elogios pouco ortodoxos no ouvido do moreno que se deleitava a cada um deles. Era delicioso vê-lo encher a boca para proferir xingamentos enquanto transavam. Jin adorava, e NamJoon sabia disso.

Percebendo que estava próximo de seu ápice, NamJoon diminuiu a velocidade com o intuito de controlar o próprio orgasmo. Se pudesse, ficaria eternamente daquela maneira: fodendo o homem da sua vida. Entretanto, o mais novo não parecia tão paciente e, intencionado a alcançar ele o próprio clímax, virou seus corpos, trocando de posição com NamJoon para poder sentar e rebolar como bem entendesse. Jin estava tão perto e NamJoon havia percebido, levando o polegar para a entrada do moreno para que potencializasse as sensações dele. Se fosse para gozar, que gozassem juntos. E assim fizeram. Vieram quase que ao mesmo tempo. NamJoon, apertando-o contra seu corpo rígido; Jin, rebolando para prolongar o orgasmo que tivera.

Nem ao menos perceberam as batidas incessantes na porta. Foram notá-las segundos mais tarde, após ouvirem uma vozinha sonolenta chamar:

— Omma? Appa? Está tudo bem? – Seung-hee questionava do outro lado, escorado na porta ao coçar os olhos com ambas as mãos.

— Oh, querido, claro! Está tudo bem... Por que a pergunta? – Jin questionara assustado, enquanto jogava a calça de moletom que o outro usava para dormir em sua direção e vestia seu pijama.

— Eu te ouvi gritando Omma, fiquei preocupado. – os dois sorriram, mas se alarmaram novamente em seguida. — Omma?

— Está tudo bem, meu amor. – NamJoon garantiu ao abrir a porta. Estava tirando as roupas jogadas pelo cômodo da vista do filho, enquanto o marido dava um jeito na cama para que o filho ficasse ali com eles. — O Omma se assustou com um inseto, foi só isso.–sorriu.

— Por isso estão trocando os lençóis da cama? – perguntou curioso, pedindo colo ao pai que prontamente atendeu.

— É, filho. – Jin adiantou. — Você acredita que uma barata subiu na nossa cama enquanto dormíamos? –dramatizou para que o menino desviasse do foco.

— Ew, que nojo! Cadê? –Jin arregalou os olhos.

— O Appa jogou fora, meu amor. Sabe como seu Omma tem pavor delas.–NamJoon respondeu fazendo caretas para a criança. — Agora chega de perguntas, senão o senhor Cócegas vai atacar a sua barriguinha...

— Vamos dormir, sim? –Jin pediu, deitando na cama e batendo ao seu lado para que os dois fizessem o mesmo.

Seung-hee estava aconchegado no meio dos dois que o abraçavam. Os dois adultos olharam um para o outro de maneira cúmplice e seguraram o riso. Não é fácil ter privacidade com uma criança em casa, mas não reclamariam nunca de poder estar com o filho em sua cama.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...