História Dark Angel [Jikook] - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Personagens Originais
Visualizações 196
Palavras 1.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooooi
Sei que demorei
Demorei muito
Demais pra caralho
Mas to aqui
Eu nao vou garrar essa fic hahauha se acalmem
So vou demorar pra atualisar
Prometo nao demorar tanto na proxima
(Mentira, nao prometo kkkkk)
Hauhauha bom.
Enfim

Boa leiturinha♡

Capítulo 5 - Capitulo 5


-Em que posso ajudá-lo?

Me forcei a sorrir para a secretaria do escritório principal, esperando não parecer tão desonesto quanto eu me sentia.

-Eu tenho uma receita que tomo diariamente na escola, e meu amigo...

Minha garganta travou. Me perguntei se chamaria V de amigo novamente depois de hoje.

-Meu amigo disse que tenho de registra-la com a enfermeira. Sabe se é realmente necessário?

Eu só queria sair correndo. Mas pareceria um louco. Eu não estava gostando de exibir tais comportamentos não característicos a mim. Primeiro havia seguido Kook ate aquele lugar de pessoas irresponsáveis. Agora estava a um passo de bisbilhotar seu arquivo estudantil. Qual era o meu problema? Não...qual era o problema de Jungkook, quando se tratava dele, eu não conseguia não pensar em coisas ruins.

-Ah, sim. – a secretaria sorriu sem vontade. -Todos os medicamentos precisam ser registrados. A enfermaria fica logo aqui atrás, terceira porta a esquerda, do lado dos registros estudantis. – ela apontou para o corredor. -Se a enfermeira não estiver, é só aguardar uns minutos.

Forcei um sorriso em agradecimento. Não pensei que seria tão fácil.

Dirigi-me para o corredor, parando diversas vezes para verificar se realmente estava sozinho. O telefone do escritório estava tocando, mas o som ecoava distante do corredor onde eu estava. Eu estava realmente sozinho, livre pra fazer o que quisesse.

Parei na terceira porta a esquerda. Inspirei e bati, mas era obvio que estava vazia, pelas janelas escura. Empurrei a porta, ela se moveu vagarosamente, abrindo com um rangido para uma sala com azulejo branco desgastado. Fiquei de pé na entrada por alguns segundos, desejando que a enfermeira chegasse e eu não tivesse que agir como um delinquente. Olhei rapidamente para o outro lado do corredor, encontrando a porta com uma janela escrita *REGISTROS ESTUDANTIS*.

Lembrei de Kook ter dito que não havia ido para a escola no ano passado. Eu estava certo de que ele estava mentindo, mas se não estivesse, ele pelo menos teria um registro? Um endereço residencial . Uma ficha medica, ou as notas do ultimo semestre. Ainda assim, uma possível suspensão parecia um preço grande a se pagar apenas para espiar a ficha de Jungkook.

Chequei meu relógio, Tae me disse para esperar pelo sinal. Disse que seria obvio.

Ótimo.

O telefone no escritório tocou novamente, sendo atendido pela secretaria.

Mordi o lábio, encarando novamente a porta da sala de registros. Ela poderia estar trancada. Esses arquivos devem exigir alta segurança. Não adiantaria de nada se a porta estivesse trancada, eu não poderia entrar.

Menos um minuto.

Eu deveria ir embora? Mas e se Tae estivesse certo? E se Jungkook tivesse um passado criminal? Ele poderia me colocar em perigo. Eu deveria me proteger, não é?

Se a porta estivesse aberta e os arquivos estivessem em ordem alfabética, seria como tirar doce de criança.

As coisas haviam ficado silenciosas no escritório principal. De repente Tae circulou a esquina , se esgueirou pela parede na minha direção, andando agachado, arrastando as mão pela parede. Era o tipo de andar dos espiões de filmes antigos.

-Esta tudo sob controle. – sussurrou.

-O que houve com a secretaria?

-Ela teve que sair por um minuto.

-Teve? Você não amarrou a mulher, não é?

-Não dessa vez. Eu a alertei de bomba do telefone publico lá fora. – ele disse. -A secretaria ligou para a policia, e correu para procurar o diretor.

-Tae!

Ele bateu em seu pulso.

-A hora está passando. Não queremos estar aqui quando a policia chegar.

Nem me diga.

Tae e eu medimos a porta dos registros estudantis.

-Mexa-se Jimin! – Tae me empurrou com seu quadril.

Levei minha mão ate a maçaneta e a girei. A porta se abriu.

-Entra. – Tae sussurrou. -Eu vou ficar de vigia. Se tudo der certo, nos encontraremos em uma hora. Me encontre no restaurante Americano na esquina da praça central. – tornou a andar agachado pelo corredor.

Fiquei sozinho, de pé parcialmente dentro e fora da sala, alinhada a parede de armários. Antes que minha mente dissesse novamente que é errado, entrei e fechei a porta atrás de mim., pressionando minhas costas contra ela. Suspirei e me apressei, escorregando os dedos pela frente dos armários. Achei a gaveta marcada com ARQUIVOS. Com um puxão a gaveta se abriu com violência. As etiquetas estavam todas escritas a mão, me perguntei para que serviam os computadores daquela escola.

Meus olhos passaram pelo nome “Jeon”. Puxei o arquivo da gaveta entupida com violência. O segurei em minhas mãos por alguns segundos, tentando me convencer de que não havia nada de muito errado com o que estava prestes a fazer. E daí que haviam informações confidenciais dentro? Como no trabalho de biologia, eu deveria saber sobre ele.

Do lado de fora, vozes encheram o corredor. Remexi o arquivo aberto e imediatamente recuei. Não fazia sentido.

As vozes se aproximaram.

Enfiei o arquivo ao acaso dentro da gaveta, a fazendo recuar de volta ao armário. Do outro lado da janela, o diretor estava parado a meio caminho, seu olhar pegando fogo sobre mim.

O que quer que ele estivesse dizendo para o grupo, que consistia de todos os maiores membros do conselho da escola, cortou-se.

-Me deem licença. – o ouvi dizer.

Ele abriu a porta.

-Essa área é restrita para estudantes.

Me coloquei na defensiva.

-Me perdoe, Estava tentando achar a enfermaria. A secretaria disse que era a terceira porta a direita, acho que contei errado. -mostrei minhas pílulas. -Eu deveria registra-las, mas acho que me perdi.

Sua testa se enrugou, ele me estudou por um momento. Ele apenas sacodiu o queixo porta afora.

-Preciso que saia do prédio.

Ele segurou a porta aberta e me esgueirei por baixo de seu braço, meu sorriso vacilando e meu coração quase saindo do peito.

☆☆☆

Uma hora mais tarde, me sentei em uma mesa no canto do restaurante americano. Um estatueta da estatua da liberdade e um taxi amarelo estavam na parede acima de mim. Um homem de jaqueta dedilhava uma guitarra com uma musica romântica. Franzi a testa para o símbolo no copo, “Gretors”. Nunca havia vindo aqui, mas aquele nome me soava familiar.

Tae surgiu atrás de mim e se jogou no assento oposto. Nosso garçom se aproximou.

-Duas porções de batatas, um lanche completo e uma coca. -Tae disse sem consultar o cardápio.

-Uma porção de batata. – eu disse.

-Contas separadas? – o garçom perguntou.

-Não vou pagar pra ele. – eu e Tae dissemos ao mesmo tempo.

Nem ousei questionar a quantidade de comida que ela iria ingerir.

-É melhor que ele traga minhas batatas logo, eu posso morrer se não ingeri sal nos próximos trinta minutos. E sei o que está pensando, eu quero que minha dieta morra.

-Eles fazem saladas aqui. -disse olhando o cardápio.

-Vou te dizer o que fazer com essa salada. -sorriu. -Já volto, vou ao banheiro.

Enquanto esperava, me concentrei no assistente do garçom há algumas mesas. Eles esfregava arduamente o tampo da mesa. Havia algo estranhamente familiar no jeito como se movia, no jeito que sua camisa se encaixava em seu corpo definido. Como se suspeitasse que estava sendo observado, ele se endireitou e se virou, seus olhos fixos nos meus no exato momento em que descobri o que era tão familiar nesse cara.

Jungkook.

Eu não podia acreditar. Pensei em me dar um soco quando me lembrei dele ter dito que trabalhava no Gretors.

Enxugou suas mãos no avental, andou ate mim, com um sorriso torto de quem estava aprovando meu desconforto, enquanto eu procurava algum outro lugar ao redor para focar o olhar, para talvez tentar escapar.

-Ora ,ora. – ele disse. -Cinco dias da semana não são o suficiente para você babar em mim?

-Peço desculpas pela infeliz coincidência.

Ele se sentou no lugar de Tae.

-Esse lugar está ocupado. – dei um gole na agua, a sentindo entalar em minha garganta. -Você deveria estar trabalhando, ao invés de atazanar ao clientes.

Ele sorriu.

-O que vai fazer domingo a noite?

Bufei.

-Está me chamando para sair?

-Você esta ficando metido, anjo!

-Eu não vou sair com você, não em um encontro. E nem sozinho. – cruzei os braços. -Espera...você acabou de me chamar de anjo?

-E se eu tiver chamado?

-Eu não gosto.

-Ótimo...anjo. -sorriu ainda mais.

Ele se inclinou sobre a mesa, levantou uma das mãos e passou seu dedo pelo canto de minha boca. Me afastei, tarde demais.

-Estava molhado....da agua. – sorriu.

Aquele toque havia me causado um tremor estranho, meu corpo havia reagido por conta própria. Quase me martirizei por isso.

-Porque esta me chamando para sair?

-Quero ficar a sós com você. -Kook disse.

-Escuta Jeon. Eu não quero ser rude, mas...

-Claro que quer.

-Bom, você começou. – ótimo, completamente maduro de minha parte. -Eu não quero ir, fim de papo.

-Você não quer, ou tem medo de ficar sozinho comigo?

-Ambos. – a palavra simplesmente saiu de mim.

-Você tem medo de todos ou...só de mim?

Revirei meus olhos, não queria responder a aquela pergunta.

-Te deixo desconfortável? – seus lábios permaneceram neutros, mas detectei um sorriso preso ali.

-Me desculpe...do que estávamos falando mesmo?

-Você.

-Eu?

-A sua vida pessoal.

Eu ri, incerto de responder.

-Se isso for sobre mim, e relacionamentos.... Tae já fez seu discurso. Não preciso ouvi-lo duas vezes.

-E o que o sábio Taehyung disse?

-E porque esta tão interessado?

-Interessado? Estamos falando de você. Estou fascinado. – ele sorriu. Foi um sorriso fantástico. O efeito foi uma pulsação avassaladora – a minha.

-Acho que deveria voltar ao trabalho.

-Se é que conta, gosto de saber que não há ninguém na escola que corresponda as suas expectativas.

-Eu esqueci que você é a autoridade das minhas supostas expectativas.

Seus olhos pareciam ver minha alma.

-Vice não é cauteloso, Jimin. Não é tímido, tampouco. Você só precisa de uma razão muito boa para sair do seu caminho e conhecer alguém.

-Não quero mais falar de mim.

-Você acha que desvendou tudo.

-Não é verdade. – eu disse. -Por exemplo, bem...eu não sei muito sobre...você.

-Você não esta pronto para me conhecer.

Sua expressão era afiada como uma navalha.

-Olhei no seu arquivo estudantil.

Minhas palavras piraram no ar por um instante antes que os olhos de Jungkook se alinhassem com os meus.

-Tenho certeza de que isso é ilegal. – ele disse calmamente.

-Seu arquivo estava vazio. Nada. Nem mesmo uma ficha medica.

Ele não se pareceu surpreso. Relaxou de volta no assento, os olhos brilhando.

-Esta me contando isso porque tem medo de eu adoecer? Sarampo ou caxumba?

-Estou te contando porque quero que saiba que sei que algo sobre você não é certo. Você não enganou a todos. Eu vou descobrir o que está aprontando. Vou te expor.

-Estou ansioso por isso.

Corei, captando a insinuação tarde demais. Por cima da cabeça de Jungkook, consegui ver Tae tecendo seu caminho por entre as mesas.

-Tae está vindo, você tem que ir. – eu disse. Ele continuou no lugar, me olhando. -Porque está me olhando desse jeito?

Ele se inclinou para frente, preparando-se para levantar.

-Porque você não é nem um pouco como eu esperava.

-Nem você. – rebati. -Você é pior.


Notas Finais


Ate o proximo capitulo ♡♡♡

Bjs da Unnie 😙✌😁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...