História Dead: O Apocalipse Continua - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Kaisoo, Krisho, Krisoo, Sekai, Suchen, Tao, Xiuhan, Yixing, Zumbi
Visualizações 48
Palavras 1.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi. oi.
ah bicho, plotei isso enquanto trabalhava hhigihi
considere um inicio de uma parte B da fanfic
vou tentar mudar a capa da fanfic também

Capítulo 32 - Dead: Idéia Maluca


Dead: Idéia maluca

Havia se passado alguns dias, e as coisas parecia muito calmas. Calmas demais para o gosto de alguns dos habitantes da fazenda Coruja. E foi neste clima de total e completo tédio que Sehun teve uma idéia – devo acrescentar que uma idéia bem maluca.

Por isso estavam em reunião naquele momento, pois ao comentar com Jongin, surgiu Baekhyun, que ouviu toda conversa, dizendo que era uma ótima idéia. E depois disso Jongdae, e depois de Baekhyun e Jongdae saber, significava que todos logo saberiam.

Mas Junmyeon não gostou nem um pouco de saber que eles queriam ir embora. Atrás de aventura, ou de uma cura, que eles sequer sabiam se existia ou não. Estava irritado, e muito, principalmente com Sehun que inventou aquilo. Aquele moleque mimado tinha tudo desde que chegou ali, para no final ser um mal agradecido.

E saber que Baekhyun e Jongdae queriam ir também não ajudava muito.

- Sou totalmente contra, obvio! – disse analisando um a um.

- Bom, eu sou a favor. – disse Luhan. – Se vocês forem me incluam nesta lista.

- Estou com o Junmyeon. – Chanyeol disse, desafiando seu namorado com um olhar decepcionado. – É loucura sair daqui.

- Não concordo com eles, mas também não podemos que ninguém que queira ir vá. – Yixing disse para Junmyeon que lhe lançou um olhar raivoso. – Eu sei que é loucura, Suho. Eu mesmo não iria. E nem vou. Mas não podemos impedir os meninos de ir.

- Até que fim alguém coerente, obrigado Lay. – Baekhyun disse com um sorriso travesso. O Byun queria realmente parti, mesmo que isso custasse ter a pessoa que amava decepcionado consigo.

- Ah, qual é, isso nem devia ser discutido. – Luhan já estava um pouco irritado com aquilo, com exceção das crianças, todos estavam ali discutindo aquilo há horas. – E você, Jongin, vai deixar o Sehun ir sozinho ou ir conosco? – o moreno pareceu pensar, mas no fim assentiu.

Sehun sorriu vitorioso.

- Ótimo, se ninguém mais quer ir que seja. Só precisamos de um carro e mais algumas coisinhas. Só isso, Junmyeon. – Baekhyun.

Chanyeol se levantou, fazendo barulho com a cadeira, e então se afastou até que mais ninguém o pudesse enxergar. Baekhyun sorriu triste, mais tarde conversaria com ele.

Junmyeon o imitou, mas antes se voltou e disse:

- Estarão cavando a própria cova, e sabem disso. Mas se mesmo assim querem ir sem meu consentimento, boa sorte. – e saiu.

~ D E A D ~

 

Jongdae caminhou receoso até o trailer do líder, onde sabia que ele iria está. Já havia anoitecido, mas precisava ter aquela conversa com Junmyeon. Por isso deu três batidinhas na porta, esperando até que ele surgisse.

O mais velho estava sério, mas Jongdae sorriu e entrou mesmo assim.

- Sabe que ficar amuado não vai fazer os meninos mudar de idéia, certo?

- Sabe que sou contra vocês partirem, certo? Não quero perder mais ninguém, Jongdae. Principalmente você.

- Não ira me perder. – Jongdae evitava aquela conversa, assim como o diabo evitava a cruz.

Mas sabia que uma hora ou outra teriam que conversar sobre sentimentos. Sentimentos que nunca iriam ser esquecidos, mesmo depois daquilo e com tudo que aconteceu após, Jongdae nunca conseguiu deixar de amar ao mais velho. Perdoar-lhe era muito mais fácil do que sofrer, e fazê-lo sofrer. Então por que não?

- Da última vez que tivemos aqui, eu estava apavorado Jun... – falou, se referindo ao dia que foi levado embora. – Pensei que nunca mais te veria, e pensei no quanto estava arrependido por não ter te perdoado antes. Senti tanto medo de não te ver mais uma vez... Mas estamos aqui agora. Eu estou aqui. Certamente, no futuro, o destino vai nos unir novamente. E desta vez seremos felizes, Jun, como nunca fomos antes.

- É injusto falar isso só agora, quando está de partida... – Jongdae esticou a mão para enxugar as lágrimas no rosto alheio.

- Talvez seja, Junmyeon. Mas é importante para mim que você saiba tudo que sinto por você, nem mesmo depois de tudo fui capaz de te esquecer. Não quero que erros do passado sejam os motivos pelos quais iremos nos desculpar futuramente. E as lembranças quais quero ter de você são apenas as boas. Hum? – contornou o rosto alheio com os dedos, o desenhando. – Eu te perdoei, por tudo, desde aquele dia, e não foi apenas por tá sendo levado, mas por te amar, Junmyeon.

- Não gosto de despedidas, Jongdae.

- Nem eu. Mas evitei essa conversa desde que voltei, é bom poder falar tudo agora.

~ D E A D ~

Chanyeol empurrou as mãos de Baekhyun mais uma vez, tirando-as de si. Não queria os toques dele. Baekhyun decidiu, por conta própria, ir embora e ainda queria o tocar? Nhan! Que ele e os outros fossem embora sozinhos. Mas não iria sair de seu conforto, e da segurança.

Embora partisse o coração deixar seu amado Baekhyun parti não iria o seguir nessa missão suicida.

- Sinto muito que você tenha decidido ir, e não irei te impedir de ir, mas saiba que ao sair daqui não seremos mais nada. Nem mesmo pense em mim como seu namorado, Baekhyun. Não estaremos mais ligados depois disto.

- Chanyeol...

- Não. Você decidiu isso sozinho, arque com as consequências.

- Por favor, Chan... – disse se aproximando do outro. – Tenta uma vez na vida  me entender. Eu sempre segui sua sombra, só desta vez, vem comigo.

- Não. Não. E não. – gritou contra o menor, o encurralando na parede do velho celeiro.  – Quer que eu te lembre o que aconteceu da última vez que tentou sair daqui?

- Não precisa. – tentou se afastar.

- Mesmo assim vou dizer. – o empurrou mais forte. – Você foi abusado por dois caras, Byun Baekhyun. Junmyeon hyung foi torturado por eles. E Jongdae passou pelo inferno nas mãos deles... Então, não me peça para seguir sua sombra. Você é um louco se acha que vão encontrar coisas boas lá fora.

Baekhyun, apesar dos olhos marejados, não cedeu. Fazendo com que o maior se afastasse de si.

- Essa é sua decisão final? – assentiu o menor, triste.

Chanyeol saiu do celeiro ignorando os chamados do mais velho, o deixando mais uma vez para trás, pela segunda vez no dia.

 

~ D E A D ~

 

Luhan estava sentado ao lado da cova de Minseok, como sempre costumava fazer. Sentia a brisa fria bater contra seu rosto, bagunçando seu cabelo, o vento gélido beijando pele... Acreditava que era Minseok ali, o tocando.

Suspirou. Estava pronto para contar as novidades.

- Sabe, estamos indo embora. Eu, Sehun e Jongin, Baekhyun e também o Jongdae. – o ventou soprou mais forte. – É. Sei que é loucura, mas estamos fadados de tudo isso. E prometo que irei cuidar deles, principalmente dele. Mesmo que de longe.

Ouvia o uivado do vento enquanto começou a encarar o céu. Chorou. Ah! Sentia tanta saudade de Kim Minseok, uma vida sem ele não era nada parecida com vida. Era apenas o mais completo nada. Um grande buraco vazio, e escuro, e frio.

- Sinto tanto a sua falta, Minse. – disse, abraçando as próprias pernas. – Todos me tratam como criança, com medo de me machucarem... Mas já estou tão machucado sem a sua presença, que ver todos agirem de maneira igual faz com que me sinta ainda mais sozinho. Eles não entendem o que eu sinto Minse... Nem um deles pode saber o peso do vazio que você me causa. Sua ausência destrói comigo, por isso este é meu momento favorito... Você ainda estará comigo quando eu parti?

Não houve respostas desta vez.

- Minseok? Não vá embora ainda... Por favor, fica mais um pouquinho, apenas o suficiente... Obrigado! – murmurou ao sentir o vento soprar um pouco mais forte. – O tempo inteiro isso dói, sabe? – apertou o peito, seu coração doía. – É como se um pedaço meu estivesse enterrado junto ao seu corpo, e o outro aí, onde quer que você esteja.

~ D E A D ~

 

Junmyeon não imaginava o quanto desejava ter a boca de Jongdae contra a sua até finalmente ter aqueles lábios finos se movendo contra os seus próprios. Era um beijo lento, regado de saudades. Oh! Fazia tanto beijo que não se beijavam que parecia mágica finalmente a fazer.

Apertou a camisa que ele vestia com seus dedos, enquanto uma das mãos alheias, aquela qual não tinha um dos dedos, repousava de forma carinhosa em seu pescoço, outra apertava, possessiva, sua cintura.

Estava quente. Muito, muito quente.

Mas o contato foi findado por Jongdae, que sabia que seu limite se excedia ali.

- Fica.

- Não dessa vez, Junmyeon. Mas te vejo amanhã, antes de parti.

- Jongdae, por favor, fica. Vamos apenas vamos dormi juntos, nada mais que isso. – Jongdae pareceu pensar. - Por favor. – pediu, selando os lábios finos, mais uma vez.

E Jongdae ficou. Apenas para dormi, claro. 


Notas Finais


eu apaguei essa droga antes de postar, fiquei puta, tava prontinho
mas consegui refazer, amém


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...