História Delirium - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Delirium, Fifthharmony
Visualizações 14
Palavras 1.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hii supriseeee
Tudo bem tudo bem. Espero que ninguém queria me matar pela demora kkk
Primeiramente: Dinah Jane Milika Ilaissane Hansen é o amor da minha vida
Então. Mais um capítulo lindo e cheiroso
Espero que vocês estejam curtindo
Então eu escrevi esse capitulo ouvindo strangers da halsey e Lauren se quiserem ouvir também enquanto leem
Boa leitura

Capítulo 4 - Iv



  Lauren Point Of View. 
Quarta-feira 
            
             Eu estava bastante surpresa com a visita repentina da Srª Cabello em meu local de trabalho.  Eu certamente não esperava por isso, e foi apenas para devolver o meu uniforme de trabalho.  Fala sério! Eu devo ter centenas desses uniformes em casa. 
       Agora eu me encontro com um sorriso no rosto enquanto soco aquele saco de areia. Eu sentia-me relaxada, não era para menos depois da maratona de sexo que tive com Karen era algo muito produtivo treinar logo após. Eu me sentia extremamente leve como uma pena enquanto distribuía socos por toda extensão daquela saco de areia. Ouço um barulho ecoar no ambiente e percebo ser o meu celular. Apenas retiro a luva para procurar o pequeno objeto dentro da mochila, e assim que acho trato de atende-lo.
—Eu acordei sozinha. 
   
Ouço os murmúrios de 
Karen e posso jurar que ela faz um biquinho do outro lado. Eu nunca gostei de me envolver com alguém mais do que o necessário e estava bem assim sem compromisso , reclamações e pessoas enchendo meu saco. Solto uma lufada de ar e em seguida uma risada irónica antes de responde-la.
—Oh baby... Eu tenho compromisso você sabe. 
——Eu sei, eu só uh.. Senti sua falta. 
Era relativamente incrível como Karen achava que poderíamos ser aqueles casais idênticos aquelas séries de TV americanas o que me fazia gargalhar muitas vezes.
—Volte a dormir querida,  outro dia nos vemos.
—Tudo bem eu só achei que algo poderia mudar. 
—Oh minha linda, nada ira mudar. 
—Tchau, jauregui.—Bufou levemente irritada. 
     Neguei com a cabeça rapidamente voltando a por as luvas. Desde que eu me entendo por gente eu descobri ser lésbica. O corpo feminino sempre me atraiu muito. Não apenas o corpo, como o cheiro inebriante, o jeito manhoso de falar. E principalmente os peitos.eu me comportava como uma completada pervertida apenas em pensar em peitos. Uma grossa camada de suor descia pelas minhas têmporas, dei iniciou novamente a uma sequência avassaladora de chutes sobre o saco de areia que balançava com tanta força que eu jurei que a qualquer momento poderia sangrar. 
—Essas mulheres não largam você,  tenho certeza que você dopa elas. Pois todos os dias é uma diferente.
Zayn zombou rindo enquanto entrava no cômodo apertado acompanhado de Dinah e Ally. A menor corria em círculos  divertida  pelo local atrás do seu filho que aprendeu a caminhar a algumas semanas. 
—Jesus, como você aguenta todas elas? Deve ser uma canseira danada.—Ally prrguntou sorrindo,  sentando-se em um pequeno banco de madeira, sua expressão demonstrava cansaço porém a menor não deixava de sorrir.
—Eu aguentaria até mais Ally —Disse dando uma pausa nos treinos. 
—Isso aí é uma maquina de sexo. 
       Dinah disse caindo na gargalhada logo acompanhada por mim,  mas logo fomos repreendida por Ally e Zayn que praticamente rezavam para que o pequeno Drew não tivesse escutado tais palavras, mas respiramos aliviados, o pequeno estava distraído com alguns carinhos que estavam espalhados pelo chão. 
—Dinah menos.
—Qual é gente, todo mundo transa. —Dinah continuou.
—Deus que me perdoe— Ally exclamou  tentando tapar os ouvidos do filho com ambas as mãos. 
—Cala a boca, doida.— Zayn gargalhou jogando uma toalha na mais alta —Meu filho vai crescer traumatizado. 
—larga de ser dramático, garoto.  Sexo faz bem a saúde. 
     Eu e Dinah nos desmanchava-mos em risadas extremamente altas recebendo olhares quase mortais de Ally e Zayn. 
—Deus abençoe essas almas.
   O resto da tarde passou incrivelmente rápido entre conversas e risadas entretidas. O céu la fora já era banhado pelas estrelas quando resolvemos guardas as coisas, eu não me recordo de que alguma vez estive tão cansada assim. A rotina de treinos e ter que acordar cedo todos os dias estava me matando. Lentamente é dolorosamente. 
[...]
      Logo após deixar a casa de Zayn e Ally exatamente a meia hora eu me encontrava em frente ao supermercado. Iria comprar alguns ingredientes e preparar um jantar nada muito exagerado , apenas iria ficar um pouco mais com meu pai já que essa semana eu não parei em casa para saber como ele estava.  Estava pensando em fazer  um frango xadrez, eu particularmente amo e sei que ele deve gostar pois minha mãe sempre fazia. Girei em meus calcanhares apenas para voltar e pegar a última coisa que faltava dentro daquele enorme corredor do supermercado. 
      Poucos minutos depois eu já havia voltado para casa. Entrei, tratei de fechar a porta com os pés já que minhas mãos estavam ocupadas com algumas sacolas. Eu suspirei cansada largando o chaveiro em cima da pequena escrivaninha que tinha na sala.
—Pai, cheguei!
Avisei e escutei um latido em troca, sorri de imediato assim que vi brandon meu cachorro um puddle siberiano correr em minha direção. Ele era mais um filho para mim.
—Ei grandão! Me diga está com fome?
   Tentei manter um dialogo com o peludo mais ele apenas balançou o rabo e latiu todo animado ganhando um beijo no focinho. Eu ri antes de correr para cozinha, brandon se metia no meio das minhas pernas querendo chamar a minha atenção. Vesti um avental e comecei os preparativos, eu particularmente adorava cozinha e tinha jeito para isso todos me elogiavam.
—Você já chegou! Deixe-me te ajudar. 
Meu pai chegou de mansinho na cozinha me assustando. Automaticamente levei a mão ao peito e suspirei mais aliviada assim que o vi.
—Ah não será preciso já estou acabando. Pode apenas ajeitar a mesa?
—Claro! Alguém mais ira jantar connosco?
—Não, não ... Apenas eu e você hoje.—O mais velho sorriu  timidamente indo em direção a mesa de jantar.
  Após ajeitar a mesa para o jantar que nos esperava eu olhava a expressão de meu pai. Ele estava aparentemente normal como sempre, sorria pouco, falava pouco. E a aquilo iria acabando com minhas expectativas de tentar ter uma nova relação com meu pai. Eu sabia que ele estava doente e precisava da minha ajuda, de meus cuidados  e dessa vez eu iria retribuir toda sua ajuda. Ele foi meu herói durante tantos anos e agora encontravas-se abatido e solitário e doía em mim vê-lo assim.
   
      Sentei-me sobre a mesa acompanhada por ele. Eu sorri e ele sorriu de volta. 
—como foi seu dia hoje?— perguntei tentando distrair aquele ar tenso.
—Foi bom... E o seu? Está tudo bem na faculdade?
    Como eu iria dizer para meu pai que eu larguei a faculdade a alguns meses atrás? Ele certamente iria ficar desapontado comigo. Eu sempre fui sua expectativa e sempre foi seu sonho que eu me formasse em medicina. Levei a taça de vinho  branco ate os lábios e tomei uma grande gole tentado desatar aquele nó que se formava em minha garganta.
—É. .bo..bom está muito bem obrigado.—menti descaradamente  me embolando um pouco com as palavras. 
   
Ele sorriu enquanto saboreava o frango xadrez que ele tanto adorava. O resto da noite ocorreu entre risos começamos a falar sobre assuntos  do passando. 
—Lembro-me que você saiu correndo e sua mãe foi atrás de você gritando " menina me devolve isso. E você não parou de correr.
O mais velho relatava animadamente fazendo algumas expressões com a mão contando-me como eu era na infância. Que eu havia pegado a camera de vídeo da minha mãe e sai correndo quando ela tentou me pegar.
—Mas o que eu queria com aquela camera de vídeo? 
  
Debrucei-e sobre a mesa sorrindo de lado  interessada demais no assunto, eu devia ser muito nova quando isso ocorreu porque sinceramente eu não me lembrava desse ocorrido.
—Você adorava bater foto de tudo e de todos. Está vendo essas fotos na parede? —O mais velho agora apontada para a parede mostrando inúmeras fotos. Eu assenti, concordando com a cabeça.— Então.... Foi você que tirou todas elas.
—Todas elas? Até aquela que a mamãe estava com você? 
   Meu pai apenas balançou a cabeça em um sinal positivo, eu sabia que ele sentia tanta falta dela como eu. Acabamos de jantas um pouco mais tarde do que eu planejei , terminei de arrumar a mesa e em seguida lavei a louça meu pai subiu e foi de encontro a suas inúmeras moedas ele relatou que a pouco tempo havia achando uma nova, uma nova moeda rara. Eu não sei quando ele começou essa obsessão por moedas, ou o porque disso. Eu apenas sei que qualquer moeda que seje diferente ele guarda em um lugar especial. Nunca vendeu nenhuma e muito menos emprestou para algum museu, deveria ter um significado importante para ele ou sei la.
   Assim que terminei de organizar tudo apaguei as luzes e fui em direção ao meu quarto quando escuto a campainha tocar. Olhei em meu relógio de pulso querendo saber o horario,  e nossa! Já estava tarde. Quem seria.
Será quem a Dinah levou outro porre?
Pensei enquanto caminhava em direção a porta. Girei a maçaneta e levei um susto ao ver quem era.
—O que você faz aqui????
 


Notas Finais


Opa, quem vocês acham que é? Ui ate a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...