História Depois da Tempestade - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~MillaWinchester

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 1.486
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoinhas desse Spirit maravilhoso, tudo bom??
Então, eu estive ausente por um bom tempo por conta de uma série de provas e plantões e talz; mas aproveitando o feriado, vou iniciar um tipo de maratona de episódios por aqui...
Esse será o primeiro capítulo, aproveitem

Capítulo 11 - Capítulo 11 Discussões, uma viagem ao passado


 No dia seguinte a todo aquele caos, todos os garotos se reúnem no pátio do colégio para mais um dia de aula. – Onde está aquele casal? Pergunta Tony estranhando a ausência de Clay e Bianca. – Os dois meio sumidinhos... suspeito... Fala Rilley com uma cara maliciosa já olhando pra Jade que parece entender o foco da questão. Poucos minutos depois Bianca aparece e todos ao irem cumprimenta-lá logo se chocam. – Man, como isso aconteceu? Pergunta Vince olhando tenso para a garota, reação similar à dos demais. – Emboscada da Needle... Fala Bianca levando a mão a um dos seus braços que continha um grande hematoma, assim como alguns mais leves em seu outro braço e um corte pequeno em seu canto de boca.

 

 

 – Alguém viu o Clay? Pergunta Bianca olhando rapidamente para os demais. Ao ver a tensão e o medo estampado no rosto dos demais a garota dos olhos verdes logo começa a se desesperar pensando no pior. Alguns minutos depois, seu desespero some ao ver a figura de Clay se aproximando no horizonte. Todos correm até ele para ver como ele está exceto por Bianca que ainda mancava um pouco. Quando Bianca chega até todos, nota um grande silêncio, que ela logo entende o motivo. Clay aparece com 2 cortes, um na testa e outro no canto da boca, olho direito roxo escuro, fora alguns arranhões no rosto. Braço direito com alguns hematomas, marcas de cortes nos punhos, arranhões extensos na perna esquerda, assim como alguns hematomas. Na região das costas e lateral esquerda no entanto encontra-se o pior de tudo, queimaduras de 1° grau que o próprio guitarrista enfaixou.

 

 

 – Cara, isso foi desumano! Fala Shane já indignado e furioso com o grupo rival, e não se tratava apenas dele, Tony, Jade, Vince e Rilley estavam a ponto de erupção. – Oh meu Deus Clay, coitadinho; você está bem? Ecoa uma voz familiar em tom sarcástico ao redor deles. Ao se virarem na direção do foco sonoro observam Hank rindo sarcástico, juntamente com todos os demais membros da Needle, exceto por Loren que só observa tudo que acontece. Shane já começa a querer partir pra cima do loiro e do resto da gangue, punhos cerrados o ruivo começa a fazer diversas rachaduras aparecerem no chão ao redor do grupo. No entanto ele sente a mão de Clay em seu ombro. – Não, para com isso, muita gente inocente aqui; fora que eu não quero revanche. Fala o moreno fazendo Shane cancelar seu ataque. – Ignorem eles, nem merecem nossa atenção. Completa o moreno puxando a atenção de seus amigos. – Me encontrem em Johnny Park após a aula, precisamos conversar, mas por hora, não andem sozinhos; não quero ter que entrar numa guerra com eles agora. Alerta Clay a todos ao redor que confirmam com a cabeça. – Ah Clay, eu e o Shane chegaremos atrasados na reunião, começa hoje os treinos do time de handebol e o campeonato estadual vai começar daqui umas semanas. Fala Vince já antecipando as palavras de Shane. – Tudo bem, só tomem cuidado; não quero que peguem vocês dois sozinhos. Comenta o guitarrista sério para ambos que acenam positivamente com a cabeça. – Vamos pra aula... Completa Clay já andando para as salas fazendo sinal como se quisesse conversar com Bianca a sós.

 

 

 Começa a aula de história, uma até que interessante a respeito da segunda guerra mundial. Clay sussurra chamando Bianca tentando não se deixar ouvir. – Bi, precisamos conversar a sós. Sussurra o moreno torcendo pra não ser ouvido novamente. – Sobre o que? Pergunta Bianca um pouco curiosa enquanto fazia anotações em seu caderno. – Ontem; mais precisamente sobre o que o Hank falou ontem. Completa rapidamente o guitarrista, no entanto Bianca não o responde. – O que foi, por que não me responde, precisamos conversar, sabe disso. Sussurra Clay sério. – Talvez porque você devesse estar quieto prestando atenção na aula meu caro. Aquelas palavras vindas de trás dele fazem o garoto gelar por dentro e virar lentamente para trás. Sem esboçar nada, ele olha para seu professor parado em sua frente. – Perdão Sr. Rein. Fala Clay sem saber onde enfiar a cara. – Escuto demais isso do senhor, sabia? Comenta o professor voltando para sua posição de aula. – Nem me fala. Comenta num sussurro para si mesmo. – Tá. Responde Bianca séria e com uma cara incomodada com o pedido feito pelo garoto; quase como se soubesse que iriam discutir. – Arabella, após o fim da aula. Completa a morena. – Ótimo. Completa o garoto. O casal não troca nenhuma palavra mais após aquele momento e o dia de aulas se passa com uma estranha e forte tensão no ambiente. Ao som do sinal, ambos os jovens saem de sala já rumando o parque, cada um pensando no que falaria.

 

 Ao chegarem no tronco restante da grande árvore, ambos começam a discutir, com as primeiras palavras vindas de Clay. – Sério isso Bianca?! Pergunta Clay já exaltado como se todo o incomodo que tivesse sentindo simplesmente saísse. – Você me pede para eu não fazer nada contra o Hank e eu entendo, to fazendo o melhor que eu posso; mas caralho, você vem e esfrega aquela merda de corrente na minha cara?! Pergunta o guitarrista indignado. – É uma corrente Clay, pelo amor de Deus, é um objeto! Responde Bianca à altura. – Que ele te deu! Engrossa Clay cortando as palavras da morena, o que faz ela ficar furiosa. – Não me interrompe Clay! Responde Bianca sem nenhum efeito. – VOCÊ SAIU COMIGO COM UM PRESENTINHO DO SEU EX! pelo amor Bianca, você não pensou em como eu ficaria com isso?! Pergunta retoricamente o garoto. – Achei que fosse ser maduro o suficiente pra entender que é só um objeto! Responde Bianca levando as mãos à cabeça como se não tivesse acreditando que toda aquela discussão tivesse realmente acontecendo. – Não é só o objeto Bianca; é o que ele realmente representa, representa vocês dois juntos, comendo juntos, estudando juntos, se beijando... tudo isso tá lá; naquela merda de colar! Responde Clay tentando esfriar um pouco de seu sangue que naquele ponto da discussão já fervia e o fazia dar algumas voltas em círculos. – E por que isso te incomoda Clay; tá tudo no passado, enterrado, já foi! Responde Bianca sem entender as palavras do garoto. – Você não entende. Fala Clay mais baixo soltando um discreto riso suave de sarcasmo e incredulidade enquanto balança a cabeça em negação. A morena fica furiosa com tudo aquilo, especialmente aquele riso sarcástico e começa a explodir. – EU NAMOREI COM ELE MESMO, QUAL O PROBLEMA?! Grita Bianca, de punhos cerrados e esfriando mais o ambiente no parque. – Por que tanta implicância com ele?! Pergunta indignada Bianca. Clay somente a olha sem nada a dizer, mas sentindo algo dentro dele borbulhar e a morena percebe. – O que foi Clay, não era você que queria conversar, fala o que quer falar! Provoca Bianca reduzindo ainda mais a temperatura do parque fazendo o garoto começar a tremer um pouco. – Fala logo Clay, o que foi; anda! Reduz ainda mais a temperatura do ambiente fazendo o garoto começar a tremer muito de frio. Bianca percebe que o Clay começa a passar mal por conta do frio que criou sem intenção. – Não percebi o frio, desc... Começa a se desculpar Bianca com um leve peso na consciência, sendo logo interrompida por seu namorado. – Eu te amo. Fala baixo o garoto ainda se recuperando do frio; mas já fazendo a garota suar discretamente. – Por isso eu fico assim com o fato de estar com esse colar, entende? eu ainda vejo aquela corrente como uma corda que ainda liga vocês dois; isso me assusta... Fala Clay virando de costas pra namorada como se não soubesse como a olhar após dizer aquilo. – Você é muito idiota, sabia? Fala Bianca o virando pelo ombro e o beijando. – Eu também te amo, mas você precisa entender e confiar em mim. Fala Bianca abraçando o guitarrista com cuidado por conta dos ferimentos.

 

 

 – Vamos indo gatinho? Pergunta Bianca segurando a mão do garoto. – Estamos um pouco atrasados. Comenta o garoto soltando uma risada de canto, assim como a morena dos olhos verdes. Com aquele sorriso de ambos, todo o clima de hostilidade que existia simplesmente desapareceu. – Clay, você falou com ele? Pergunta Bianca um pouco mais séria e até com receio de iniciar uma nova discussão, que não ocorre. – Não, na verd... Ambos os garotos param de falar quando começa a tocar I don’t care do nada. – Vince tá me ligando, deixa eu atender. Diz o garoto sacando o celular do bolso.

 

. – Fala Vince, como voc... Começa a atender Clay já com a intenção de dizer que estava indo pra Johnny Park. – CORRE AQUI, PORTÃO; EMBOSCADA, CORRE... Cai a ligação. – Emboscada... Fala Clay reticente e em tom sereno. – Chama todo mundo Bi, eu vou pra lá agora. Diz o garoto cerrando os punhos e já se carregando. Poucos segundos depois Clay sai em disparado para ajudar seus colegas. – Hora do 2° round. 


Notas Finais


É isso, fiquem atentos; mais capítulos estão a caminho...
Aproveitem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...