História Descendants - INTERATIVA. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Descendentes
Personagens Personagens Originais
Tags Auradon, Colegial, Descendentes, Disney, Interativa, Vilões
Visualizações 30
Palavras 1.864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Festa, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus amores, então... O capitulo não está enorme e nem tem nada demais, mas ele foi mais para eu me reconectar a história, e isso foi bem importante. Então... Curtam.

PRA QUEM NÃO SABE EU TENHO UMA NOVA FANFIC! Deem uma olhada!

The league é a próxima a ser atualizada, só mais um pouco de paciência. Nos vemos lá embaixo.

Capítulo 14 - Twelve.


Narrador On~ 

 

— Musical? - A pergunta veio de algum lugar na sala, em tantas vozes que foi difícil identificar uma só pessoa no meio de todas. 

— É algo que fazemos todos os anos em Auradon, fazemos um no início do ano letivo e outro no fim, é uma tradição - Fada madrinha explicava, seu sorriso tão grande que parecia até mesmo um pouco doloroso. 

— Entendi... E o que nós temos haver com isso? - Bianca fez sua voz ser ouvida. 

— A participação de todos é obrigatória - Melanie também sorria, como se ela soubesse que todos os papéis importantes estavam preenchidos com seu nome. 

 

As reclamações começaram no minuto seguinte. Todas vindo dos ex moradores da Ilha, é claro. 

 

— Não podemos ser obrigados a participar dessa palhaçada - Lili quase gritou - É ridículo, onde está nossa liberdade? 

— É uma regra que existe a mais tempo do que vocês são capazes de entender, não vamos mudá-la agora, é um modo de incluir todos. É uma coisa boa - Fada madrinha disse alto, não mais tão amigavelmente como antes.

— Tá, eu posso ser uma árvore? - Allison perguntou franzindo a testa. 

— Eu quero ser o ar - Zayn continuou, levantando sua mão rapidamente, os outros riram. 

— Muito engraçado Sr. Hook, mas todos aqui vão ter papéis importantes, afinal, todos são estrelas! 

— Alguém me mata, por favor! - América sussurrou de forma dramática. 

— Vamos garotos, vai ser divertido! 

— Que parte? - Bianca perguntou cruzando os braços - Por que aqui de onde eu to... Só me parece um momento vergonha alheia que vocês estão nos obrigando a passar. 

— A fada madrinha tá certa - Harry se levantou, ficando ao lado da mulher mais velha - Vamos poder nos conhecer melhor se estivermos todos juntos em um projeto como esse, além do mais, é sempre divertido interpretar. 

— Quem vai fazer o staff? - Hellena perguntou sorrindo - Por que eu to interessada. 

— Se ela puder ficar por trás das câmeras eu também quero - Lili disse alto, sua fala foi como um efeito dominó, logo todos, menos Izzy e Melanie estavam gritando para fazer parte da staff. 

— Todos vão ajudar na Staff, no dia, os alunos dos anos mais jovens vão ser responsáveis pela troca de cenários e a cortina do palco, mas durante o processo de criação, vocês vão ajudar, afinal... Para que servem esses braços fortes? 

— Para muita coisa eu tenho certeza, mas não pra pintar árvores de papelão - Raphael sorria irônico. 

 

Fada madrinha respirou fundo. Eles seriam mais difíceis do que ela imaginava. 

 

— O espetáculo desse ano eu mesma escrevi! É a história de um casal que se conheceu na floresta, mas a floresta é mágica e todos os animais são mágicos também, na floresta vive uma borboleta que é contra o amor, ela vai enfeitiçar os nossos pombinhos para que eles nunca encontrem o caminho de volta para si, mas os animais da floresta vão ajudar e tudo vai ficar bem no fim - Cada palavra que saia da boca da mulher mais velha deixava os mais novos mais indignados. 

— Nem ferrando que eu faço parte disso - Bianca quase gritou. 

— Tenha compostura senhorita! 

— Não, olha só... Tá na cara que a princesinha rosa aí - Bianca apontou com a cabeça para Melanie, que revirou os olhos - E o príncipe encantado - Se virou para Harry - Vão ser escolhidos como o casalzinho principal, o que quer dizer que nós - Ela movimentou a mão, em um movimento circular, apontando para todos os seus amigos... ou não - Vamos ser os animaizinhos felizes e cantantes, e nem FODENDO que eu vou fazer parte dessa palhaçada. Encontra outra palhaça okay?! 

 

Em passos firmes Bianca deixou o anfiteatro, não demorou muito para que seus amigos a seguissem, restando apenas os antigos moradores de Auradon. 

 

— Eles vão se acostumar com a ideia Fada Madrinha - Harry sorriu tentando ser simpático.

— Longe de mim querer concordar com a Bianca, mas ela tá meio certa - Hellena respirou fundo - Vocês vão ser os principais, vestidos como pessoas normais, nós vamos ser os animais vestindo roupas ridículas. Eu só não fui atrás dela por que eu não me prestaria esse papel. 

— Mas... Eu pensei que você adorariam a ideia - Fada madrinha não parecia mais uma mulher adulta, diretora da escola de Auradon, ela parecia uma criança que deixou cair o seu sorvete. 

— Que tal algo mais inclusivo? Sem animais cantando? - Harry sorriu - Poderíamos contar a historia que estamos vivendo agora! Eles em Auradon! Vai ser ótimo para todos os que não concordaram com o meu decreto! 

— É uma boa ideia Fada - Izzy sorriu e se levantou - Nossos pais ficariam mais calmos e relaxados sobre o decreto. E eles não teriam razões para não participar.

— Isso é ridículo! - Melanie levantou - Desde sempre as peças contam uma história idealizada pela Fada madrinha! Idai que eu e o Harry somos os principais? A vida é como uma pirâmide, nem todos ficam no topo. 

— A vida não é uma pirâmide Melanie - Hellena sorriu irônica - E você está longe de estar no topo, qual o problema? Tem medo de ninguém notar a sua presença se o foco inteiro não estiver em você? Não se preocupe querida, eles sempre notam as vadias desalmadas. 

— HELLENA! - Fada madrinha estava vermelha - Na minha sala por favor! 

— Por que? Eu apenas falei o que todos aqui sentem sobre ela, tenho certeza que até a senhora a vê dessa forma! - Hellena cruzou os braços - Eu me recuso a ficar de castigo por isso, se for assim ela também tem que ir, ela é arrogante 90% to tempo com todos aqui. 

 

Hellena On~ 

 

Se eu pudesse dizer algo, eu diria que eu não entendia o que estava acontecendo comigo, mas eu simplesmente não conseguia segurar a minha língua. 

 

— Senhorita, por que está agindo dessa forma? 

— Talvez eu esteja cansada de sempre ter que fazer parte do background pra Melanie, eu vou pro meu quarto - Me levantei - Passar bem! 

 

Fiz questão de bater à porta do anfiteatro com força, minha revolta nem tinha razão aparente, mas era como eu me sentia. Eu estava com raiva, irritada. Eu queria bater em algo, de preferência algo que tenha consciência. Deuses, o que há de errado com minhas ideias hoje? 

 

— Senhorita? 

— OQUE É? - Explodi, sem nem mesmo saber quem estava me chamando. 

— Desculpa se estou atrapalhando... É que sua mãe está no telefone e eu... - Me senti mal no segundo seguinte, a minha frente havia uma garota que não devia ter mais de 10 anos. 

— Não, você não precisa se desculpar, eu que não devia ter gritado com você, obrigada pelo aviso - Sorri para a mesma e me direcionei a área social da escola, era lá que podíamos ligar para nossos pais e parentes de forma mais ‘aberta’.

 

Respirei o mais fundo que pude antes de colocar o telefone no ouvido.

 

— Mãe? 

— Querida? Como você tá? Senti um aperto no peito e tive que te ligar - Sorri para mim mesma. 

— Acho que eu estava mesmo precisando ouvir sua voz mãe. Não sei o que há comigo hoje - Confessei, sentindo meu corpo mais pesado que o normal.

— O que aconteceu? - Sua voz continuava a mesma, doce e melodiosa de sempre. 

— Eu não sei, eu só não me sinto... Eu, hoje - Deixei meu corpo afundar na cadeira escura - Sabe quando você simplesmente não parece estar no controle de si mesma? Exatamente assim! Eu to tão irritada com tudo a minha volta. Eu não sei o que fazer. 

— Coloca pra fora, não desconte em ninguém, não é isso que estou dizendo... Apenas... Coloque pra fora, faça algo que coloque todo esse sentimento em outro lugar, qualquer lugar... Não sendo seu coração ou o rosto de outra pessoa - Acabamos por rir. 

— Como você está mamãe? 

— Melhor. É estranho, estar nesse lugar... Mas eu sei que está me fazendo bem - Ouvi seu suspiro - Comecei a desenhar, não é nada profissional mas... 

— Aham, tudo o que a senhora faz fica incrível, tenho certeza que supera os desenhos da Rapunzel - Ela riu alto, e de forma rápida, já me senti melhor.

— Quem sabe um dia... Quando vem me ver? 

— Esse fim de semana, eu sinto sua falta.

 

 

Zayn On~ 

 

 

Olhei para meus companheiros, é estranhamente, eu não fazia ideia do que estava acontecendo. Na verdade... Eu não fazia ideia do que estava acontecendo dentro deles, em suas cabeças grandes e problemáticas. 

 

— Agora eles precisam ter empatia - América suspirou - Dessa forma eles vão nos ver como vítima, qualquer posto de vilão vai estar sendo ocupado pelos pais deles. 

— Vamos realmente foder com a cabeça deles - Lili sorriu, todos os seus dentes brancos alinhados, era uma mistura de maldade e prazer. 

— Esse é o plano afinal - Raphael tinha o mesmo sorriso psicótico. 

— Vocês estão se ouvindo? - Perguntei encarando cada um deles - Eu pensei que a vingança seria algo divertido, mas tá sendo um saco.

 

Vi cada um deles me encarar com tédio, como se eu tivesse dito a maior besteira de todas. 

 

— Zayn... - Allison se aproximou - Coisas precisam ser feitas - Ela sentou na mesa, a minha frente, cruzou as pernas de forma perfeita para que eu pudesse ver a perfeita cinta liga que ela estava usando - Você não vai desistir agora... Vai? - Sua mão pequena tocou a minha, é aquele toque não tinha nada de inocente, levantei meu olhar para encarar os dela. 

— Foda-se meu senso de humanidade - Sorri e me levantei colocando meu corpo no meio das pernas dela - Go hard or go home. 

— Homens... - Bianca murmurou revirando os olhos. 

 

O resto da conversa foi rápida, logo o sinal tocaria e o pátio ficaria cheio de alunos e é óbvio que eles não podiam nos ouvir, sentamos como bons meninos e esperamos. Quando o sinal tocou e todos saíram de suas salas, nós parecíamos apenas um bando de adolescentes normais, admirando a paisagem. 

 

— Oi galera - Harry se aproximou rapidamente, seu terno azul parecia reluzir a luz do sol - Eu sinto muito pelo mal estar no anfiteatro, já conversamos com a fada madrinha e ela aceitou fazer algo mais inclusivo.

— Não precisava se incomodar com a gente - Lili murmurou baixo, sua voz realmente me parecia triste, maldita atriz. 

— Não, não foi incômodo nenhum, muitos de nós concordavam com vocês, no fim... É bom ter uma história onde todos possam participar igualmente - Segurei a vontade de bufar. Harry é tão... Típico. 

— Obrigada, foi muito gentil de sua parte - Ally sorriu educada - Mas nós também fomos errados, não devíamos ter saído daquela forma do salão, sentimos muito, mas sabe... Passamos toda nossa vida sonhando em como seria estar aqui, não queríamos estar apenas no fundo de algo tão importante. 

— Eu entendo, entendo completamente - Harry sorriu - Bom, eu vim também para convidar vocês a um jantar no meu castelo essa noite, desde que chegaram não fizemos isso, e eu acho que seria bom para resolver qualquer coisa, para não ficar um clima estranho entre nós. 


Notas Finais


Comentem, eu amo ler os comentários de vocês. Até a próxima! Prometo não demorar tanto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...