História Descobrindo o amor- Dramione - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 163
Palavras 2.097
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capítulo 10


HERMIONE

Ela aparece e vai seguindo devagar em minha direção.

– Vai embora!

Começo a tremer e meu nariz sangra mais uma vez. Olho para o espelho e vejo-a mais perto de mim.

Começo a rezar, porque minha mãe havia me ensinado quando estivesse com medo de algo era bom rezar.

Não sabendo mais o que fazer, corro e quebro o espelho com minhas mãos.

Ótimo agora meu nariz está sangrando e minhas mãos cortadas pingam sangue. Quando olho para trás ela sumiu mais uma vez.

Escuto Draco abrindo a porta e vejo sua cara de preocupado quando vê minhas mãos. Ele senta na minha frente e diz:

– Por Merlin Hermione, o que você fez?

– Era o único jeito de parar de vê-la.

– Ver quem?

– A mulher de preto. Sempre a vejo.

– Mulher de preto?

Decido contar. Draco é o primeiro que sabe disso e preciso desesperadamente contar para alguém sobre isso que anda acontecendo comigo. Lágrimas começam a escorrer, mas respiro fundo e começo:

– Há um ano e meio, vejo essa mulher. Não sei bem o que é e quem ela é e percebi que só eu a vejo na primeira vez que perguntei quem era ela para minha mãe. Ela disse que estava vendo coisas que não havia ninguém.

– Hermione...

– Por favor deixe-me terminar. Se não conseguirei mais. Então todos os dias ou quase todos os dias a vejo. Ela é horrível Draco. Seu rosto é deformado e queimado, olhos amarelos. Sempre usa um vestido preto e seu cabelo é todo bagunçado. Não sei o que é isso e estou apavorada.

Começo a chorar sem parar e pela minha surpresa Draco me abraça.

– Fique calma. Não irá acontecer nada.

– Como não? Sempre que ela aparece meu nariz sangra e ela machuca alguma parte do meu corpo.

Draco me olha pensativo e depois pergunta:

– Então todas essas vezes era ela?

– S-sim.

– Hermione você já tentou procurar sobre isso?

– Sim. Tanto na biblioteca daqui quanto do meu outro mundo e nada encontro.

– Por que não me contou? Poderia ter ajudado.

– Sinceramente Draco? Nos odiamos, como poderia confiar em você? E depois daquela vez na aula em que disse aquelas coisas, achei melhor me segurar. Você tinha razão.

– Muita coisa mudou entre a gente Hermione. – Draco diz e se surpreende com suas próprias palavras. Ele me olha de um jeito que me arrepio toda. – Se eu soubesse não teria dito aquilo. Sabe que não é verdade.

– Certo.

– Quando acontecer isso peça a minha ajuda na próxima vez.

– Mas como se só eu a vejo?

– Darei um jeito.

– Ok. Obrigada.

– Hermione?

– Sim?

Draco demora a me perguntar. Está avaliando se fala ou não, olha para todos os lugares menos para mim. finalmente para de encarar suas mãos e me olha com sua expressão séria e franzida.

– Irá mesmo sair com o Steven?

– Por que não? Não há nada demais. Por que pergunta isso?

Ele está com ciúmes? Será?

– Por nada horas. Saia com quem quiser. Não estou nem aí.

Ele se levanta e sai do banheiro. Eu pego minha varinha e fecho o machucado em minha mão. Não estou preocupada com elas. Saio atrás dele e falo:

– Por que não me fala a verdade Draco? Está com ciúmes não está?

– Não seja ridícula. Só queria saber.

– Por que não seja sincero com você mesmo?

– Estou sendo. Você é legal e tudo mais. Vou te ajudar com essa história bizarra, mas não passa disso Hermione. – Draco vira-se de frente para mim e vai se aproximando devagar. – Se você acha que estou interessado em você, está muito enganada. Só não passa de mais uma. Na verdade queria só uns beijos, porque realmente não estou procurando sexo com você. Como posso te dizer isso? Nojento.

Não deveria, mas me importo com suas palavras. O jeito como ele as cospem me machucam. Claro que ele não gosta de mim. sou só um brinquedinho e cai direitinho. Como sou idiota!

– Tudo bem.

Só isso que consigo dizer. Vou para meu quarto e sem explicação, me enrolo na cama como um gato e choro com força.

DRACO

Depois que saio da torre de astronomia, vou para os jardins, onde avistei Blás sozinho. Sento-me ao seu lado.

– E ai loira?

– Não enche.

– Alguém acordou de mau humor hoje. O que aconteceu para você estar assim?

O olho com cara rabugenta e volto a olhar para o chão.

– Hermione é o assunto entendi. – ele começa. – O que aconteceu?

– Ela vai a Hogsmeade com Steven.

– Steven? Você falou para ela que ele não presta?

– Falei, mas não adiantou porra nenhuma.

– Uau cara, nunca pensei que veria isso acontecer.

– O que?

– Você está apaixonado.

– Onde você tira esses absurdos? Claro que não. Só me preocupo com ela um pouco.

– Cara sou seu melhor amigo. Vai mentir para mim? Eu te conheço. Você nunca ligou, se preocupou com ninguém. Nem com seus amigos. Admite que gosta dela. Não admitindo só piora as coisas.

– Eu não gosto dela!

– Gosta sim! – há muito tempo Blás não grita comigo. O olho surpreso, porém o moreno me olha com raiva. – Que merda cara. Nenhuma garota conseguiu amolecer seu coração e te transformar como ela te transformou. Por causa dela, você é uma pessoa melhor, mais alegre, brincalhão etc. você está morrendo de ciúmes e morreu de ciúmes quando viu eu conversando com ela pela primeira vez. Para com essa merda de orgulho e admite que se apaixonou por ela! Está nos seus olhos que sim. Pensa que não vejo? O modo como olha para ela? O modo como se preocupa com ela? Dá um tempo Draco Malfoy e admita.

– Você quer que eu admita? Vou admitir! Tá legal eu me apaixonei por ela, tá legal? Satisfeito.

Blás levanta e dá um mortal.

– Endoidou? – pergunto.

– Sim. Finalmente você admitiu! Passou da hora não acha?

– Não. Mas ela não gosta de mim.

– Duvido. Olha quando a Gina estava bêbada deixou escapar algo e como Hermione ficou constrangida. Com certeza comentou algo com a ruiva.

– Se ela gostasse de mim não sairia com outro.

– Ela acha que você não gosta dela. E dai que vai sair com outro? Você é Draco Malfoy, esqueceu?

– Ela acha que sou um cafajeste.

– Mude isso.

– Continue sendo você mesmo, mas tire a parte das mulheres.

– Nem estou pegando muito. Peguei aquela da Corvinal e andei beijando Hermione.

– Merlin estou mesmo ouvindo isso?

– Cala a boca. E não conte a ninguém.

– Pode deixar.

– Mas como faço para ela não sair com Steven?

– Temos duas opções. A primeira é deixar ela sair com ele. – eu o olho com a cara fechada. – sem ciúmes donzela. Ainda não terminei. Deixar ela sair com ele e verá que não é ele quem ela quer estar e sim você. E a segunda opção é estragar esse encontro deles.

Sorrio travesso para Blás. E o olho sugestivo.

– Acho que você prefere a segunda opção. – diz Blás sorrindo junto comigo. – Ajudarei você então.

Levanto-me e olho para Blás.

– Valeu cara. Você é realmente meu irmão. Dá conselhos melhor do que ninguém.

– Olha não sei o que a Hermione fez com você, mas a agradeça por mim.

– Idiota.

– Também te amo loira.

Depois dessa conversa com Blás resolvo voltar para o apartamento. Não acredito que confessei para o meu melhor amigo que estou apaixonado pela sabe tudo.

Draco Malfoy apaixonado.

É estranho pensar nisso, já que nunca aconteceu. Não sei bem o que as pessoas sentem quando se apaixonam, mas quando estou com Hermione sinto uma energia boa, além de excitação claro, e um calor no peito.

Vou arruinar seu encontro.

Quando chego, abro a porta e vou para o sofá ler quando escuto barulho de espelho ser quebrado. Sabendo que é ela vou correndo e no momento que abro a porta e a vejo com as mãos e o nariz sangrando meu coração para.

Não gosto de vê-la machucada e muito menos chorando. E ainda está tremendo.

Depois de perguntar o que aconteceu e de Hermione finalmente se abrir comigo fico em choque.

O que será que é isso que a persegue? Preciso ajudá-la e farei de tudo.

Ainda não me seguro e pergunto se ela realmente sairá com Steven. Para meu desapontamento ela irá.

Depois de negar a Hermione que não estou com ciúmes, ela sabe e sente que estou, vou para meu quarto pensar em um plano.

Não sabia como escapar dos interrogatórios dela então tive que magoa-la mais uma vez. Me arrependo, mas Merlin está vendo que é por uma boa causa.

...

Acordo bem cedo e me encontro com Blás.

Depois de meia hora vejo Steven esperando Hermione e minutos depois a mesma desce ao seu encontro. E como sempre está linda.

Já que admiti que estou apaixonado, admito o outro resto, não?

Esperamos um pouco atrás e depois eu e o moreno os seguimos.

HERMIONE

Acordo mais cedo para me arrumar para o encontro. Deveria estar animada, mas não estou. Na verdade se pudesse cancelava, mas seria falta de educação.

Pans, Gina e Ast me ajudaram hoje mais cedo a escolher uma roupa.

Coloco uma calça jeans clara com vários rasgados, uma blusa de manga rosa claro e passo o mínimo de maquiagem. Apenas um rímel e um batom rosa bem claro. Não gosto de ficar chamativa. Coloco a sapatilha branca que ganhei de Natal de Gina e vou ao encontro de Steven.

Ele me espera e sorri depois de me comer com os outros. Sinto-me bem desconfortável, mas disfarço.

Fomos a todas as lojas possíveis. Ele me perguntava algo pessoalmente e quando ia contar me cortava para falar de si e de seu dinheiro.

Sabe quando você quer muito que algo acabe? Sou eu com esse encontro. Mas como sou muito educada e não consigo dizer não, tento relevar suas grosserias.

– Hermione, queria privacidade. Vamos nos sentar naqueles bancos? – Steven aponta para os bancos afastados da cidade, onde há pouca iluminação.

– Por que não vamos aos Três Vassouras?

– Como falei privacidade. Lá está lotado.

– T-tudo bem.

Nos sentamos nos bancos e Steven já é direto.

– Você está uma gata.

– Obrigada.

– Essa calça sua rasgada. Poderia ser mais.

– Acho que não.

Steven se aproxima mais de mim e passa as mãos em minhas pernas. Levanto-me imediatamente e digo:

– Steven acho melhor irmos.

– Não. Está ficando interessante.

– Eu quero ir embora.

Ele se levanta e me encara sério.

– Eu disse não.

Ele me agarra e tenta me beijar a força.

– Me solta!

Ele é muito forte e não consigo me soltar. Não sei bem o que aconteceu, mas uma hora Steven estava mordiscando fortemente meu pescoço e outra não está mais em cima de mim. quando olho vejo Draco lhe dando vários socos.

Sem saber o que fazer, corro e falo para Draco:

– Draco, pare! Você vai matá-lo!

– Essa é a ideia!

– Pode ser expulso por isso. Pare por favor!

Blás chega e consegue tirar Draco de cima do Steven. O idiota está desacordado e com a cara toda inchada e sangrenta.

– Vão os dois na frente. Eu cuido desse imbecil – Blás pisca para Draco.

Eu e Draco começamos a voltar para o castelo.

– Esse idiota fez mais alguma coisa?

– N-não.

Draco tira seu casaco e o coloca em meus ombros.

Começo a chorar de vergonha, humilhação e raiva.

– Como sou uma idiota. Se você não tivesse chegado, vai saber o que poderia ter acontecido. Obrigada por me salvar. Deveria ter lhe escutado.

Draco me abraça e beija minha testa.

Ele está tão diferente.

– Não se preocupe. Está tudo bem agora.

Ficamos abraços por alguns minutos e quando ergo minha cabeça para cima, já que sou menor que ele, Draco me encara intensamente.

Agora eu não me controlo e o beijo.

É um beijo diferente dessa vez. É um beijo carinhoso. Coloco minhas mãos em seus cabelos e Draco coloca as suas em minha cintura, me abraçando forte.

Depois que precisamos de ar, nos separamos e colamos nossas testas.

– O que está fazendo comigo Hermione?

– te pergunto a mesma coisa.

Draco sorri, entrelaça seus dedos nos meus e voltamos para o castelo.

Chegando ao nosso apartamento, Draco repare as marcas de chupões em meu pescoço e sua expressão muda:

– Vou matar aquele desgraçado.

– Já passou.

Draco se aproxima mais uma vez e faz carinho em meu rosto. Prende uma mecha minha atrás da orelha e diz:

– Se alguém te encostar de novo, eu mato o sujeito.

Finjo demência:

– Por que?

– Por que você é minha. Eu quero você Hermione.

Me derreto toda ao escutar isso. É um sonho?

Draco não espera minha resposta e me beija novamente. Um beijo intenso agora.

Poderia viver eternamente nesse estado.


Notas Finais


E ai gostaram?
Finalmente Draco confessa hein hahaha
O que acharam sobre esse mistério da Hermione?
Boa leitura e até breve bjs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...