História Descrença - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Concurso - Memento Mori, Drama, Pailthorpe, Perda, Suícidio, Tragedia
Visualizações 6
Palavras 366
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lírica
Avisos: Heterossexualidade, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Único


 Ali estava ele: olhar vazio, pele pálida e completamente magro, enquanto o doce som de seu violino ecoava em todos os cantos daquele recinto.

Ressoe.

Aquela música. A mesma melodia que ele um dia tocara quando a conheceu.

Não recorde.

Ainda conseguia lembrar de sua expressão quando o ouviu tocar pela primeira vez. Jamais esqueceria de quando viu seu rosto delicado pela primeira vez.

Esqueça.

As primeiras conversas, as primeiras risadas… Amava quando ela começava a falar de seus objetivos e do quanto lutava para isso. Ela só queria ser uma escritora. Ela sabia que ele queria seguir com a carreira musical e o incentivava muito para isso.

Ah, como sonhava…

“Você tem um futuro promissor. Tenho certeza de que dará tudo certo. Só tem de enfrentar as vozes que te dizem o contrário.”

“O mundo não é tão obscuro assim. Não se preocupe! Vou te mostrar as coisas mais belas dentro deste lugar tão estranho.”

Como ela tentava, como gostava de mostrar o lado bom das coisas, como conseguia ensiná-lo perfeitamente tudo isso.

Como gostava dessas lembranças…

No entanto...

Não ouse.

As piores imagens, então, vêm em sua mente. Ainda não conseguia acreditar que a pessoa que tanto o instigara a sonhar tinha tirado a própria vida.

Pare!

A melodia do violino tornou-se mais fúnebre, sua respiração estava descompassada e seus movimentos para com o instrumento estavam mais agressivos. Não podia lembrar-se de quando a encontrou com aquele colar de cordas.

Não pense! Não pense!

E, repentinamente, o jovem moço para e as lágrimas começam a escorrer em sua face. Não queria recordar.

A vida é tão cruel assim a ponto de tirar a vida dos mais otimistas?

Ele olha em volta e começa a destruir tudo o que via. O criado-mudo, o abajur, o espelho e até mesmo o próprio violino.

Isso nunca devia ter acontecido.

Ele estava só, desolado e desprovido de significado. Seus sonhos foram perdidos e o mundo que ele um dia acreditara voltou a se tornar demasiadamente sombrio.

Deixe transbordar…

Acuado, desiludido e absolutamente perdido. Estava descrente porque o fizeram acreditar, estava quebrado por ter suas lembranças corrompidas pela morte daquela que o fez crer em um mundo melhor.

Você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...