História Destruidor de Sonhos (One Shot) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Capítulo Único, Gay, One-shot, Romance, Romance Gay, Único
Visualizações 67
Palavras 840
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lírica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - A escolha é toda sua (Capítulo Único)


Fanfic / Fanfiction Destruidor de Sonhos (One Shot) - Capítulo 1 - A escolha é toda sua (Capítulo Único)

14:00h

Sentado à minha mesa, vejo através da porta de vidro quando o meu assistente aparece. Em suas mãos um envelope, seria mais um convite de casamento? Se sim, péssimo o gosto. Era apenas um envelope sem cor nem vida, diferente da qualidade de qualquer outro que eu já havia recebido desde quando comecei a trabalhar na Horizon. Afinal, desde que entrei na empresa e tive minha ascensão milagrosa até o cargo de administrador financeiro, só fui solicitado a eventos de prestigio e renome. 

— Senhor Bargatti, seu marido pediu que lhe entregasse. 

E então eu entendi o porquê do envelope ser tão apagado e de mal gosto. Tudo que vinha de Tomás era assim. 

— Uma carta? — sorri por puro deboche — Tomás está em que século? 

Segurei o papel apenas por tempo suficiente de jogá-lo sobre a mesa junto com todos os outros. 

— Não vai lê-lo? — ouvi meu assistente perguntar com um leve tom de receio na fala. 

— Não tenho tempo para banalidade. Estou trabalhando, não vê? — perguntei o fazendo imediatamente se arrepender de ter perguntado — Ainda mais que vindo do Tomás e ainda em forma carta, está mais do que claro que ele quer apenas chamar atenção. Bem, faz um bom tempo que ele anda me regulando na cama. Se quiser atenção, que me dê um bom motivo para isso. Você não acha? — perguntei com um sorriso malicioso que o fez estremecer de imediato — Não acha que um homem como eu, que trabalho, boto tudo dentro de casa, mereço chegar tarde e cansado e receber ao menos uma massagem ou um oral de qualidade?  

Sem responder a minha pergunta ele apenas caminhou em direção à saída da sala. E eu, que não era nenhum desocupado, voltei até minha mesa em direção ao longo trabalho que ainda restava. E assim persisti até o fim do expediente. Trabalhando como o homem da casa. Para chegar lá e encontrar Tomás dormindo após passar o dia inteiro fazendo o mais cansativo dos nadas. 

21:20h

Eu acabava de desligar meu computador, pronto para partir, quando esbarrei meus braços na pilha de papéis ao meu lado, fazendo todos irem de encontro ao chão. Imediatamente lhes trouxe de volta ao topo da mesa, apenas um havia caído um pouco mais distante. De longe reconheci a cafonice de Tomás no envelope sem vida. 

Fiz menção a ir embora, mas por que não? Por que não dar um pingo de atenção que ele tanto queria? Então dei meia-volta, me abaixando até o envelope. Disposto a ver o que Tomás queria tanto me dizer a ponto de se prestar ao ridículo. 

Abri o envelope, retirando o papel de dentro e começando a lê-lo: 

Aos vinte e dois eu era apenas um sonhador. Sonhava em poder rodar o mundo, cruzar os mares, conhecer lugares incríveis, nadar em águas cristalinas que me fizessem ver a vida em um calmante filtro azul. Foi quando te conheci... Um homem lindo, de rosto masculino, barba rasa e fala mansa. E nem vamos falar do sorriso... Que sorriso, meu amor. Que belíssimo sorriso. E você me jurou ser como eu. Jurou ser um sonhador, jurou querer rodar o mundo ao meu lado. Mesmo que juntando nossas finanças fossemos apenas capazes de dormir em uma barraca caso chegássemos do outro lado do oceano, mas não importava, afinal éramos nós dois. Dois sonhadores capazes de dormir em uma barraca apertada e desconfortável e sonhar com uma belíssima cama de seda.

Então casamos, e de repente do meu sonho tão bonito despertei em um pesadelo. Vi sua fala ganhar uma intensidade violenta, vi suas palavras serem varridas para debaixo do tapete e vi riqueza, que nunca foi uma de nossas metas, se tornar objetivo principal. Vi nossa viagem se tornar uma oportunidade irrecusável de emprego. E depois não vi mais nada, pois todos os dias você saía cedo demais e voltava igualmente tarde. Enquanto eu dormia em uma cama de seda sonhando apenas com minha singela barraca. Bem, eu acho que me enganei. Nunca fomos dois sonhadores, afinal. Muito pelo contrário, o sonhador era eu, você era apenas um destruidor de sonhos.

Pois bem, meu caro, espero que esteja feliz. Não estarei em casa quando voltar. Não sentirei seu cheiro de uísque nem ouvirei você me dizer que meus sonhos são coisa do passado. Vou te dizer o que é passado, meu caro destruidor de sonhos, passado é o que eu achei sentir por ti. 

Então façamos um teste, estou te enviando esse envelope às 13:00h, se você não ignorá-lo, se lê-lo e então me procurar a tempo, estarei disposto a te aceitar, para que juntos possamos enfim sonhar em nossa barraca. Mas meu voo parte às 15:00h, e se tu não aparecer, saberei que fez sua escolha. Saberei que mais uma vez escolheu o trabalho ao invés de mim. Nesse caso, meu caro destruidor de sonhos, será tarde demais. Estarei já longe o suficiente de ti, sonhando de olhos abertos. E tu jamais me acordará novamente. 

Jamais. 

 

 

 

 


Notas Finais


Uma ideia que me perseguiu durante todo o dia de hoje, até que enfim tive que escrevê-la. A vida é uma série de escolhas, e às vezes, infelizmente, para termos algo precisamos necessariamente abdicar de outra coisa. Resta então saber o que mais nos vale.
Beijos e abraços. Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...