História Diabolic - YoonSeok - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jhope, Sope, Suga, Yoonseok
Visualizações 184
Palavras 1.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 54 - Se arrepender


- Crianças, podem se apresentar, quero muito conhecer cada um de vocês. – A professora disse. Sadako e Mok já estavam na sala de aula da escolinha e se olharam. Estavam um pouco nervosos.

As crianças começaram a se apresentar e logo chegou a hora dos dois irmãos se apresentarem. Mok se levantou primeiro e foi à frente.

- Sou Jung Mok e tenho seis anos. – O garoto mostrou seis dedinhos para a classe.

- Você é filho do major Jung Hoseok? – A professora perguntou com os olhos brilhando. O pequeno apenas assentiu e foi logo sentar-se.

- Sou Min Sadako e tenho seis anos. Espero fazer muitos amigos. – Sadako sorriu e viu algumas crianças cochicharem.

- Pode sentar-se, princesinha. – A professora sorriu abertamente e a garotinha foi sentar-se, recebendo olhares de muitas crianças.

No intervalo, Sadako e Mok ficaram num cantinho comendo seus respectivos lanches, observando alguns garotos correndo e garotas conversando. Era sempre assim em toda a sociedade, garotas com garotas e garotos com garotos. O pequeno Jung achava isso sem graça, as pessoas deveriam se relacionar melhor umas com as outras.

- Olhem só! Aquela garota é amaldiçoada, não cheguem perto dela, ou irão virar crianças do coisa-ruim! – Uma garota de série um pouco mais elevada zombava do sobrenome da pequena Sadako.

- Do que eles estão falando, Dakie? – Mok perguntou à irmã.

- Eu não sei Mokie. Mas, eles estão zombando de mim. Vamos ignorar, omma nos disse para não usarmos poderes. – A Min continuou a comer seu lanche. – Se continuarem a nos incomodar, iremos falar com a coordenadora.

[...]

Jimin estava na casa de Yoongi, conversando com o mesmo. Preferia não trabalhar mais como policial temporariamente, havia ficado um pouco sensível para encarar acontecimentos horrendos depois que tudo aquilo aconteceu.

- Eu acho que o Woo está namorando com um garoto da sala dele. Eu havia o visto conversando com ele pelo celular, ele estava sorrindo bobo e eles diziam “eu te amo” um para o outro. Ah Yoongi! Ele cresceu tão rápido! – Jimin contava sobre sua descoberta do possível namoro do filho tão animado, Yoongi sorria ao escutar tudo.

- Acha que ele te contará em breve? – Perguntou o moreno, fazendo com que Jimin assentisse repetidamente. – Ai que fofo! O Woo era tão pequeno, ele cresceu muito rápido.

- Às vezes eu sinto falta de pegar ele nos braços, sinto falta de quando ele era pequeno. Não que eu não goste dele como está agora, eu estou orgulhoso dele. Mas, eu sinto falta de ter um bebezinho.

- Você já... Pensou em ter um bebê, digo, dar um irmãozinho para JiWoo? – Jimin deu um risinho envergonhado, ficando com as bochechas rosadas.

- Eu nunca pensei nisso, mas irei pensar melhor... Isso depende do Kookie também. – Jimin sentia suas bochechinhas esquentarem. – Eu queria perguntar uma coisa, espero que não fique mal com isso. – Yoongi assentiu, em um pedido mudo para que Jimin continuasse a falar.

- Você vai voltar a matar as pessoas? – Apesar de Yoongi ter a resposta na ponta da língua, ele estava com receio de magoar ou irritar o Park. Mas não media palavras, apontaria até mesmo o dedo na cara do loiro se fosse preciso.

- É o que eu faço Jimin. É o que eu preciso fazer. Não posso não machucar ninguém, você, Hoseok e Jungkook sabem disso melhor que qualquer um. – Disparou, vendo Jimin desfazer o sorriso e ficar com uma expressão neutra. O silêncio permaneceu até que Yoongi sentisse algo estranho. Era como um mau pressentimento e seus filhos estariam envolvidos.

- O que foi Yoongi? – Jimin perguntou já preocupado.

- Que horas são?

- Onze e vinte e cinco. Algum problema?

- Me leva na escola das crianças, agora.

 

Ao chegar à escola das crianças já poderia se ver um pequeno círculo feito por crianças. Era como se fosse uma briga ou algo do tipo. Yoongi ajeitou seu casaco um pouco maior que si, porém elegante e saiu do carro, retirando os óculos escuros ao ver seus filhos dentro daquela roda. Mok estava um pouco afastado de Sadako que estava frente a frente com uma garota um pouco maior que ela.

- Se eu fosse você me matava por fazer parte de uma família tão nojenta como a sua. Você pertence ao Inferno, Min! Esse seu sobrenome é tão impuro que eu poderia te jogar água benta agora! – A garota proferia aquelas palavras de forma tão rude, fazendo com que Sadako segurasse suas lágrimas para parecer ser mais forte.

- Chore, sua imunda! – A garota olhou para Yoongi, que a olhava intensamente com ódio por estar mexendo com sua filha. – É seu papai? Ou sua mamãe? De qualquer forma, é um Min também. Ele parece muito com Min Yoongi, até se veste como ele. – Aquela ironia fez com que as crianças à volta olhassem para Yoongi e rissem.

- Parem com isso, agora. Ei, garota! Se afaste de minha filha, quem vai acabar no Inferno será você. Deveria pensar antes de mexer com um Min. – Yoongi se aproximou, fazendo com que as crianças abrissem caminho para ele chegar à garota. – Se você incomodar Sadako novamente e zombar de nós irá perder sua vida feio.

- Está me ameaçando, senhor Min? Você pode ser preso, sabia? Eu tenho apenas nove anos. Você ainda será pisado por meus pais, que fazem parte de uma Igreja, diferente de você que deve ter dado sua alma para o Diabo, assim como Min Chaerin deve ter feito depois de matar seu filhinho crossdresser. – Yoongi ainda não acreditava que aquela garota não tinha medo do próprio Inferno em “pessoa”.

Até que se lembrou do barulho dos sinos da Igreja em que sua mãe tinha aulas de música. E seu pai era padre.

 

“O nome dele será Yoongi”.

 

- Apenas se afaste. Se chegar perto novamente de meus filhos, irá se arrepender disso. – O Min pegou nas mãozinhas de seus bebês - Sim bebês, Sadako e Mok ainda eram seus bebês e sempre seriam – e saíram da porta daquela escola, recebendo olhares medrosos das crianças por causa de Yoongi.

 

Aquela garotinha enfrentaria um pesadelo inacabável a partir de hoje.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...