História Don't Cry - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Tags Axl Rose, Duff Mckagan, Guns N' Roses, Izzy Stradlin, Slash, Steven Adler
Visualizações 48
Palavras 1.921
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente. Um dia antes do combinado.

Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 6 - Chapter VI - I like you.


Fanfic / Fanfiction Don't Cry - Capítulo 6 - Chapter VI - I like you.

Esme POV:

  

E eu estava lá novamente. A sensação arrebatadora de ter seus olhos fitando os meus fazia meu corpo estremecer e o meu coração acelerar em um ritmo que eu normalmente acharia preocupante. Mas era só Izzy Stradlin, e eu tentava entender tudo o que ele me fazia sentir em apenas duas semanas que convivemos juntos. Eu começava a entender o fato das pessoas amarem aquela banda, e os integrantes dela, assim como todas as músicas que eu havia decorado em apenas dois dias. Em todos os sentidos da palavra, eu queria fazer parte daquilo.

ㅡ Esme, está tudo bem? ㅡ Duff me perguntou pela milésima vez, e eu assenti. Eu estava bem, mas não sabia descrever todas as outras coisas que sentia naquele momento. ㅡ Nós vamos subir no palco daqui dez minutos, espero que esteja lá assistindo.

ㅡ Eu estarei, mas preciso tomar um ar agora. ㅡ Eu respondi, me levantando e seguindo em passos lentos para fora. Izzy me seguiu com o olhar, talvez analisando minhas reações como sempre fazia.

   Desde que cheguei, busquei motivos para querer estar ali. Los Angeles; casa do Alan; morar com meu pai. Tudo era díficil, mas eu tinha a sensação de que havia encontrado o motivo, mesmo que não, não quisesse aceitar. Por quê? Bem, eu iria embora algum dia, e isso seria em vão. Minha mãe voltaria e eu teria minha vida de volta. E fora neste momento que eu comecei a pensar; eu não havia vivido realmente, até chegar em Los Angeles.

   O show começaria e eu precisava estar lá para apoiar os meus amigos, e mesmo que Dana também estivesse lá e nossa relação fosse a pior possível, eu queria vê-los tocar. Era importante para eles, então também era importante para mim. Olhei em meu relógio de pulso e eu ainda tinha cinco minutos. A mão gélida tocou a minha e isso me arrepiou, mas permaneci parada, porque eu sabia que era ele.

ㅡ Você parece tensa.

ㅡ Um pouco.

ㅡ Por quê? ㅡ Ele me encarou. Eu suspirei, desviando o olhar.

ㅡ Eu não sei.

   E ficamos em silêncio. Um silêncio confortável e necessário, porque se falassemos algo, estragaria tudo. Foram os cinco minutos mais tranquilos da minha vida. Então quando se foram, restou o vazio, este que foi preenchido pela música que começara a tocar. Eu gostava dele, e soube que seria assim no momento em que me lembrei dos seus beijos naquela noite no Rainbow.

ㅡ No que está pensando? ㅡ Dana perguntou ao se aproximar, e eu sabia que ela havia notado meu olhar sobre o albino. Seu tom era de deboche, e isso começava a me cansar.

ㅡ Não é da sua conta.

  Ela sorriu irônica. Dana fazia da minha vida um inferno e era evidente que nunca ficariamos em paz, mas eu tentava ignora-la. E foi o que fiz até o final do show. Os meninos estavam exaustos, mas animados e querendo comemorar, então me empolguei. Abracei Steven - que fora o primeiro a correr até mim -, deixei um beijinho carinhoso na bochecha de Saul, fiz um highfive com Axl e deixei que McKagan me girasse no ar. Eu queria abraçar Stradlin, mas Dana já fazia isso por mim. Apenas engoli em seco e segui os garotos para dentro do camarim.

ㅡ Vamos no Rainbow? ㅡ Stee perguntou com seu sorriso radiante. Os outros assentiram. ㅡ E você, Esme?

ㅡ Não sei, preciso ver se Alan não vai encrencar com isso.

  Dei de ombros, vendo o loirinho assentir. Enquanto Slash e Axl seguiam para os chuveiros, Steven batucava sobre a estante. Dana e Izzy não haviam entrado ainda, e aquilo me fazia sentir algo estranho.

ㅡ Sei o que está sentindo. ㅡ Duff proferiu, sentando-se ao meu lado. Neste momento começara a tocar Crazy, Aerosmith. Eu amava aquela música e McKagan sabia disso. ㅡ Vem, vamos dançar.

 Ele levantou, eu o segui. Como da primeira vez, Duff deixou que meus pés pequenos ficassem sobre os seus e enfim começamos a dançar, tendo a voz de Steven Tyler a preencher nossas audições. Acabei por cair no primeiro refrão, soltando uma gargalhada junto à ele.

ㅡ Viu? Eu falei que estava tudo bem com ela. ㅡ Ouvi Dana dizer ao entrar no local, mas não dei muita atenção. ㅡ Cadê os outros?

ㅡ Banho. ㅡ Steven quem respondeu.

  Izzy encarou-me com certo pesar, passando por nós e seguindo para o banheiro.

-/-/-

   Renesmee estava cerca de vinte minutos encarando-se no espelho como se houvesse algo de errado. Talvez fosse sua roupa, ou o descontentamento estampado em sua face. Não era possível que estava sentindo ciúmes do guitarrista. Ela e Izzy não tinham absolutamente nada e continuariam assim. Portanto, não tinha motivos para sentir-se daquela forma.

ㅡ Querida, sua mãe ligou mais cedo. Ela estava preocupada. ㅡ Claire comentou assim que apareceu na porta do quarto. ㅡ Vai retornar a ligação?

ㅡ Depois eu faço isso, tia. Tenho que sair.

   A mulher assentiu, deixando um beijinho na testa da sobrinha. Ambas haviam se aproximado consideravelmente naquelas semanas, o que era ótimo. Já a relação de Renesmee com Alan continuava a mesma, nada havia mudado e nem tivera progresso.

ㅡ Tente voltar cedo.

ㅡ Você sempre fala isso, tia. ㅡ A morena revirou seus olhos, rindo baixinho. ㅡ Duff nunca me deixa ficar até tarde mesmo.

   Ela abraçou a garota antes de seguir para fora do cômodo, deixando-a novamente sozinha. Dizia mentalmente para si que seria divertido, precisava apenas acreditar naquilo e aproveitar. Por fim, também deixou o quarto, e consequentemente o apartamento de seu pai.

ㅡ E aí, morena! ㅡ Saul gritou assim que avistou-a. ㅡ Duff me pediu para te buscar, já que ele estava um pouco ocupado e Dana foi mais cedo com o... bem...

ㅡ Relaxa. ㅡ A morena proferiu com um sorriso minimo, adentrando o carro. Hudson desconfiava seriamente que ela e Izzy tinham algum envolvimento, mas nunca falara nada sobre. ㅡ Eu me sentiria melhor se parasse de me olhar como se minha vida fosse acabar hoje.

   O guitarrista riu baixinho, assentindo e dando partida no veículo. Esme continuou pensativa até que chegassem na boate ao qual costumavam frequentar; Rainbow. Tinham outras opções, claro, mas aquela era a preferida, sem dúvidas. Alem disso, a morena gostava de pensar que depois de toda a chuva, vinha o arco-íris. Assim que chegaram, ela deixou o carro junto do cabeludo e ambos seguiram juntos para dentro. De esguelha pode avistar Duff aos beijos com uma loira bastante atraente, mas aquilo fizera a morena revirar os olhos. Por algum motivo, não gostava daquelas coisas.

ㅡ Você disse que ele estava ocupado.

ㅡ E está. Você viu que gostosa?

ㅡ Cala a boca, Saul. ㅡ Renesmee resmungou, dando um soco no braço do amigo. Esperou este lhe guiar até a mesa onde os outros estavam e evitou olhar para a figura do moreno sentado ao lado de sua prima. Droga, aquilo era tão complicado. ㅡ Stee, vai buscar bebida? ㅡ O loiro - que já se levantava - assentiu. ㅡ Traz uma batida de morango pra mim, por favor.

   Enquanto ele não voltava, a garota apenas observava algumas pessoas dançando e bebendo - até se drogando - pelo local. A única coisa que Renesmee tinha aprendido a fazer com aqueles garotos era beber, mas nunca fumara ou coisa pior. Naquele momento, sentia tal vontade. Estava sentindo-se sufocada ali, por isso levantou-se e seguiu para fora sem aviso prévio, apenas passando por Steven e pegando por seu copo com a bebida de coloração rosada. Encostou-se na parede com a tinta descascando e suspirou, fechando seus olhos enquanto bebia um gole de sua batida com alto teor de álcool.

ㅡ Por que você está fazendo isso? ㅡ A voz masculina soou, e Esme já sabia de quem se tratava. Apenas abriu os olhos para encara-lo, um tanto confusa.

ㅡ Isso o quê?

ㅡ Você sabe. Está estranha comigo apenas porque me viu com a Dana.

   Ela suspirou, novamente tomando de sua bebida enquanto desviava seu olhar para o rapaz.

ㅡ Eu não estou fazendo nada, Stradlin. ㅡ Deu de ombros, sendo surpreendida quando o moreno se colocou em sua frente, aproximando seus rostos e lentamente chocando suas bocas em um ósculo inesperado. Renesmee retribuiu, apenas porque sentia falta daquela boca e ansiava cada dia mais por ele. Contudo, a falta de oxigênio os afastara segundos depois. ㅡ O que foi isso... ?

   O guitarrista suspirou, encostando suas testas e mantendo os olhos fechados por alguns instantes. Ambos ficaram em silêncio, e Isbell não tinha palavras para responde-la.

ㅡ Esme, eu... eu acho que gosto de você.

   O coração da garota falhou algumas batidas. Sua respiração estava descompassada e tentava processar aquelas simples palavrinhas de Jeffrey. Não podia retribuir aquela frase, não por não sentir o mesmo, mas justamente por sentir e não querer tal coisa. Izzy não era para si, porque ela não pertencia ao mundo dele. Nunca seria daquela forma.

ㅡ Izzy, isso não...

-/-/-

Esme POV:

ㅡ Por quê?! ㅡ Sua voz se elevou, e eu rapidamente notei que estava alterado, indicando que ele havia bebido mais do que deveria. Izzy raramente ficava embriagado, pois era incrivelmente forte para o álcool. ㅡ Por que você faz isso? Eu estou... eu estou fodidamente louco por você, Renesmee! Eu preciso de...

ㅡ Não! ㅡ Eu o interrompi, afastando-me de seu corpo enquanto deixava o copo em qualquer lugar do chão e passava as mãos levemente suadas por meu rosto. ㅡ Para, Izzy! Isso nunca poderia dar certo.

   E eu simplesmente o deixei lá, correndo para dentro. Duff deve ter notado, pois logo senti os braços do punk me envolverem em um abraço aconchegante, como se desejasse me proteger de todos os males do mundo. Eu me prendi ali, segurando as lágrimas. Desde que eu conhecera Izzy, havia me aproximado silenciosamente do dito - e de todos os meninos -, o que me fizera criar laços ao qual seria dificil cortar. Eu teria que voltar para casa, porque sentia falta da minha mãe, Josh, Bethy, e até da minha vidinha pacata naquele apartamento do Upper East Side.

ㅡ Eu quero ir para casa.

ㅡ Mas já? ㅡ Ele murmurou ao afastar-se, acariciando meu rosto. McKagan tinha um jeito gentil que me fazia bem. Eu gostava de sua proteção. ㅡ Tudo bem.

  Respirei aliviada, abrindo um pequeno sorriso enquanto o abraçava de lado e seguia com o loiro para fora dali. Durante todo o caminho, ambos ficamos em silencio, por vezes cantarolando alguma canção aleatória que tocava na rádio. Aquilo me distraía bastante. Por fim, logo chegamos em casa, e tudo parecia quieto. Alan e Claire já deveriam estar dormindo, então apenas segui com o punk até o meu quarto.

ㅡ Duff... ㅡ Chamei por ele assim que o mesmo adentrou o cômodo. ㅡ Eu não quero dormir sozinha. Fica aqui comigo?

   Ele suspirou, parecendo dividido entre aceitar o convite ou apenas me deixar lá. De uns dias para cá eu comecei a notar certa hesitancia em Duff, e queria saber o porquê.

ㅡ Tudo bem...

  Ele tirou seus sapatos, caminhando até a cama e deitando-se ao meu lado. Me aconcheguei em seu abraço, ficando em silêncio enquanto apenas nossas respirações podiam ser ouvidas. Ele era um bom amigo, com toda a certeza.

ㅡ Ele falou com você, não foi?

ㅡ Esme... ㅡ O loiro começou, um tanto receoso, mas assentiu. ㅡ Sim. Eu não quero magoa-lo e nem perder a amizade do mesmo.

ㅡ E por que isso aconteceria?

  O baixista pensou por alguns segundos, logo virando seu rosto para me encarar - mesmo que a iluminação fosse ausente -.

ㅡ Porque ele não sabe lidar com o que sente por você, morena. E eu posso entende-lo perfeitamente. 


Notas Finais


Esme está um pouco sentimental :(
Eu sei que tem gente shippando ela com o Duff, me desculpem aaaaaaa. Falem comigo, eu adoro ler comentários ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...