História Dreaming - Imagine BTS(Hot) - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Park_Min_Hee_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Got7, Hentai, Hot
Visualizações 938
Palavras 2.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - O Teste (Pts. 1 e 2)


Fanfic / Fanfiction Dreaming - Imagine BTS(Hot) - Capítulo 2 - O Teste (Pts. 1 e 2)

O Teste (Pt.1)

 

                       Hoje seria o grande dia do teste. Nossa querida Dreamer ainda estava pensando em uma maneira de fugir do mesmo, já sabendo que iria passar. Afinal, quem iria querer passar o resto da eternidade com um bando de velhos e misteriosos Insighters? Ninguém nunca os tinha visto. Só sabiam que eles aguardam por esse dia há séculos. E ainda era um mistério para ela o que, afinal, eles fariam com a escolhida. O que será que aconteceria dentro das paredes do castelo flutuante?

Mais um mistério. Como seria esse tal castelo? Outra coisa que ninguém nunca viu. Era um mistério assim como seus moradores. (Dreamer: - Tá, já entendemos que tudo é um mistério. Dá pra andar logo com essa história?)

Ok, estressadinha. Enfim, lá estava essa pessoinha fofética e nerd andando pelas ruas após buscar a refeição do dia, quando um marginal, maluco, Jocker, passa por ela e a derruba no chão (e começou a avacalhação, desperdício de comida hein!).

 

(s/n)- Aff seu doido, olha o que tu fez. O que vou comer agora?

???? – Foi mal! Se quiser posso conseguir mais para você.

(s/n) – Como? Roubando? Não costumo aceitar coisas roubadas.

???? – Iiiixii filha, assim vc me magoa. Eu ia pegar a mais pra mim e dividir com você.

(s/n) - Aaah claro. Sendo assim, aceito. Prazer, meu nome é (s/n).

???? – Prazer, Jackson.

(s/n) – Será que podemos ir? Estou com fome e com muita pressa.

Js – Claro, vamos!

 

O que? Pensou que ela não tinha nome? Claro que tem, mas eu gosto de a chamar de Dreamer, porque afinal, é o que ela é. Jackson a levou até o local onde eram distribuídos os alimentos e as vestimentas e pediu uma porção mais generosa explicando o que ocorreu, claro, porque ele é gente honesta né, e temos que espalhar a boa ação pelo mundo, coisa que não anda sendo muito fácil ultimamente.

 

Js – Ondevocê vai?

(s/n) – Para minha casa, ué.

Js – Você vive sozinha?

(s/n) – Claro que não. Tenho mais uns 2 pentelhos que vivem na minha cola dia e noite. E você? Vive sozinho?

Js – Sou um Jocker, nunca estamos sozinhos.

(s/n) – Ah é, claro! Bom, vou indo então.

Js – Espera! Será que eu poderia ir com você? É que no momento não tem nenhum de meus colegas por perto e é meio entediante comer sozinho, sabe.

(s/n) – Por mim, não fazendo bagunça na minha casa.

 

Sério isso? Não fazendo bagunça? Larga de ser trouxa mulher. Olha como ele é gatinho, e você vem me falar uma asneira dessas?

Dreamer: - Licença! Eu falo o que eu quiser, e sinceramente, não me sinto mais em poder de olhar alguém, já que minha vida está prestes a ser condenada a 7 velhotes. Se bem que essa é a minha chance de me despedir dessa minha vidinha né. Bem que podia existir alguma regra para quem não fosse mais virgem não precisar participar desse teste. Que seja, tu enrola de mais... Da aqui que eu vou contar essa história.

 

Dreamer P.O.V.

 

E lá estávamos nós dois indo em direção a minha humilde residência. Tá, não tão humilde assim. Usamos toda a tecnologia a nosso favor, e por isso a casa parecia ser mais simplória para quem olhava por fora. Mas por dentro tínhamos o poder da tecnologia e o luxo de uma grande casa ao nosso dispor. Ao chegar em frente a casa vejo se formar uma expressão meio franzida no rosto de Jackson.

 

Js – Não tinha uma casinha melhor para morar não?

 

Dou de ombros e adentro no quintal esperando que ele entrasse. Ao abrir a porta de casa e dar passagem para Jackson passar, seguro o riso observando a expressão WTF?! Do rapaz.

 

Js – Mas como isso é possível?

(s/n) – Somos Hackers monamu, nunca deixamos de aproveitar o luxo que toda a tecnologia tem para nos oferecer.

 

Vou em direção à cozinha e o mesmo vem atrás de mim, ainda boquiaberto, aliás, cada passo que ele dava abria mais a boca em uma expressão de surpresa. (A: a baba já ta escorrendo?) Quase. Pera, escorreu.... kkkkk...

Chego na cozinha e dou de cara com os babys inventando moda, pra variar.

 

(s/n) – Yug, Bambam. O que estão aprontando ai? Temos visita.

Yg – Noona! Você voltou? Quem é esse ser pensante?

Js – Prazer, me chamo Jackson.

Bb – Olá! Meu nome é Bambam! Noona, respondendo a sua pergunta, estamos tentando fazer panquecas!

Yg – Prazer Jackson, eu sou Yugyeom! Sim noona, estivemos nos conectando com o universo paralelo ao nosso e descobrimos essa maravilhosa receita!

(s/n) – Vocês o quê?! Quantas vezes tenho que dizer que é proibido fazer esse tipo de conexão!!

Js – Pera! Isso é possível? Se conectar com outros universos?

(s/n) – Sim, é bem possível, porém muito perigoso.

Js – Uaauu!!

(s/n) – Enfim, vamos comer que eu ainda tenho que ir pro grande teste.

Bb – Fica tranquila noona, se você fosse a escolhida já saberiam. Dizem que os Insighters já sabem quem é assim que a pessoa nasce, o teste serve apenas para testar o controle do poder da pessoa. Afinal, pode acontecer de a pessoa não fazer a mínima ideia de que seja uma Sighter.

Js – Afinal, o que essa Sighter tem de tão especial?

Yg – Visões. Ela é capaz de resolver qualquer problema através de visões enquanto dorme. Mas também pode visualizar, passado, presente e futuro através de conexões com os Insighters.

Js – Uaauu!!! Emocionante hein!

(s/n) – Super! – Fiquei super apavorada agora com essa revelação. Como eu não sabia disso? (A: será que é porque você estava tão concentrada em tentar fugir do teste que não se aprofundou pra saber mais?) Aiiishh... Agora que me ferro de vez.

 

Termino de comer e vou me preparar para o teste. Pelo que eu soube, o teste constava em uma série de problemas os quais eu deveria tentar resolver apenas sonhando. O nível dos problemas aumentaria cada vez que eu resolvesse um. Fazer o que, se eles já sabem que eu sou uma Sighter, então só posso mostrar o meu melhor. Depois de me arrumar saio de casa e vou andando em direção ao centro. No caminho decido visitar meus queridos amigos, Jr. e Youngjae.

 

(s/n) – E aí rapazes? Tudo certo por aqui?

Yj – Fofética. Nervosa?

(s/n) – E como..

Jr. – Calma. Nem tem como saber se eles são realmente assim tão velhos. Afinal, são imortais, quem sabe mantiveram a juventude.

(s/n) – Tomara! – Os dois eram os únicos que sabiam o que eu realmente sou. – Bom garotos, só vim aqui me despedir né. Não tive coragem de fazer isso com os rapazes lá. Mas quero que vocês cuidem deles por mim.

Yj/Jr – Cuidaremos!

Yj – Não se preocupe, ficaremos de olho neles. E também diremos aos dois o quanto você os ama.

(s/n) – Obrigado meninos! Amo vocês tbm!

 

Me despedi dos dois, já sentia as lágrimas invadindo meus olhos. Mas as segurei, se tinha uma coisa que eu não faria agora, era chorar e mostrar o quão fraca posso ser. Sempre me mantive forte perante os meninos, para os apoiar e os animar. Não seria agora que iria desabar. Continuei o meu caminho até o centro onde peguei um trem até o local dos testes. Cheguei lá e vi uma fila enorme de garotas. Quase todas chorando por terem sido arrastadas até lá. Não aguento ver aquela cena e vou direto até a cabine. Eles sempre dão a chance para quem se oferece para fazer o teste por livre e espontânea vontade. E era exatamente o que eu iria fazer.

 

 

A: Guenta coração.

 

 

 

O Teste (Pt. 2)

 

 

P.O.V “A Autora”

 

Ainda não acredito que essa doida vai mesmo fazer isso. Quando ela estava chegando na cabine alguém a chama. Ela olha para trás e avista os garotos vindo na direção dela. Acho que agora ela chora (Dreamer: - Choro não... Não vou dar uma de fraca.). Querida isso não é ser fraca, é ter sentimentos.

 

Yg – Noona, é verdade? Você não pode nos deixar. A gente te protege, mas não vá, não deixe a gente.

(s/n) – Desculpa meninos, mas não posso. Eles já sabem quem eu sou. É questão de tempo para virem atrás de mim.

Bb – Nós podemos te esconder. Podemos testar nosso teleporter e te mandar para o outro universo. Não tem como eles te encontrarem lá.

(s/n) – Vocês sabem o quanto isso é arriscado. Eu posso não sobreviver.

Js – Eu vou com você.

(s/n) – Não, além disso, a máquina nem está pronta.

Yj – Nós podemos ajudar a terminar a máquina. Vem com a gente, nós te protegemos enquanto preparamos tudo.

 

Eles começam a puxar a Dreamer. Algo me diz que isso não irá dar certo. Opa, o que é isso? Como vim parar no castelo? Sim, acabei vindo parar no castelo flutuante. Tem dois rapazes (e que rapazes) conversando.

 

??? – Mark, ela está perto, muito perto. Quero que desça e cuide para que ela conclua o teste o mais rápido possível. Sinto que ela tentará fugir do mesmo.

Mark – Mas Jaebum, se ela fugir os mestres podem trazê-la até aqui. Não é?

Jb – Sabe que eles odeiam quando precisam resolver os problemas com as próprias mãos. Por isso estamos aqui. Agora vá e não deixe ela escapar.

 

Eita. Preciso correr pra avisar ela. Pelo visto, não vai ser nada legal se esses tais mestres Insighters tiverem que ir atrás dela pessoalmente.

 

 

Dreamer P.O.V

 

Eles estavam me levando embora daquele lugar. Tentei não olhar para as outras garotas que teriam que fazer aquele teste fútil, pra nada, já que a escolhida sou eu. Estávamos chegando na saída quando alguém nos para.

 

???? – Onde pensam que estão indo?

Js – Embora, não está vendo? Agora se nos der licença, temos pressa.

???? – Vocês podem ir, mas ela fica. É obrigatório que todas as garotas de Zarau façam o teste.

Yj – Ela já fez, deu negativo.

???? – Jura? Engraçado, não lembro de ter aplicado o teste nela.

(s/n) – Chega meninos. Você não lembra pq não aplicou.

???? – Ótimo, então vamos. Vc precisa fazer o teste.

(s/n) – Eu posso pelo menos me despedir dos meus meninos? Nós dois já sabemos qual será o resultado desse teste mesmo, não é? – Era evidente nos olhos daquele rapaz que ele já sabia quem eu era.

???? – Sabemos? – Ele ergue uma sobrancelha.

(s/n) – Sim, sabemos. Desculpe-me a indiscrição, mas qual o seu nome? Gosto de saber o nome das pessoas com quem falo.

???? – Mark. Vá rápido com essa sua despedida. Não tenho todo tempo do mundo. Pera, tenho sim. Mas não gosto de desperdiçá-lo.

(s/n) – Ok Mark. Serei breve. – Me viro para os garotos que já choravam incrédulos por saber que não me veriam de novo. Pelo menos não tão cedo. (A: Acho que vou chorar tbm) Tá doida? Vc não vai se livrar de mim não. (A: Aé mesmo...)

Yg – Noona, o que faremos sem vc? Quem cuidará de nós?

(s/n) – Eu já pedi para Youngjae e Jr cuidarem de vcs por mim. Creio que lá deva ter algum meio de comunicação tecnológica. Tentarei penetrar no sistema para conversar com vcs sempre que possível.

Bb – Promete Noona?

(s/n) – Prometo sim. Youngjae e Jr, cuidem bem dos meus meninos.

Yj/Jr – Cuidaremos.

Js – Nossa, quando finalmente faço amizade com alguém que não seja doido, tenho que me despedir da pessoa. – Dou uma leve risada do comentário do Jackson, mas ele estava certo. Por mais que não tenha o conhecido muito bem, foi bom fazer um novo amigo. – Eu tbm prometo que irei cuidar deles. Se aceitarem minha companhia.

(s/n) – Já disse né, sem bagunça em casa. – Todos começam a rir.

Yj – Adeus baixinha. Te amamos muito.

(s/n) – Tbm amo vcs.

 

Dito isso, me viro e caminho em direção a Mark que estava esperando observando tudo de uma distância consideravelmente segura, pra ele, para que eu não pudesse fugir.

 

P.O.V “A Autora”

 

Quebra de tempo

 

Ela já tinha feito vários testes e os concluído com êxtase. Já estava na hora do teste final. Mark implantaria uma situação problemática na mente da Dreamer e ela, induzida num sono profundo, teria que resolver tal situação, da melhor maneira possível.

Mas a situação em questão não parecia ser muito possível de resolver. Ela estava olhando a fila de garotas prestes a realizarem o teste quando aparecem os rapazes. Estava mais parecida com uma lembrança. Uma lembrança de horas atrás. Porém, eles acabam passando direto por ela e entrando no local dos testes. De repente aparecem 7 lobos famintos. Agora ela já estava de frente para os meninos, com uma faca na mão. Atrás dela se encontravam os 7 lobos. Ela olha para o lado e avista 7 crianças de olhos vendados. O que isso queria dizer? Ela olha para a faca e escuta uma voz, era a voz de Mark.

 

Mark – Vc deve escolher, como irá alimentar os lobos? Vc pode salvar seus amigos e a si mesma, mas para isso terá que sacrificar as crianças, o futuro do seu povo. Vc pode salvar as crianças e sacrificar seus amigos, as pessoas que mais ama. Ou vc pode se oferecer e salvar a todos.

(s/n) – Mas que tipo de teste é esse?

 

Ela não conseguia acreditar no teste que lhe foi proposto. Afinal, isso não é um problema mundial, pq ela tem que escolher quem sacrificar?

 

Mark – Isso é para saber até onde vc vai por seu povo. Vc seria capaz de tudo pra salvar a todos que ama e ao futuro do seu povo? Pense bem. A salvação do mundo está em suas mãos.

(s/n) – Salvação do mundo?

Mark - Sim. Considere as crianças como sendo o mundo, já que elas representam o futuro do mesmo. Vc seria capaz de condenar seu povo, seu mundo, para se salvar e salvar quem vc ama?

 

 

Dreamer P.O.V

 

Eu não conseguia acreditar nisso. Eu sabia que meu dom era importante. Mas ter que escolher entre meu povo e meus amigos, minha família, eles eram tudo o que eu tinha. Mas não podia condenar o mundo em que vivo, isso seria muito egoísta. Sem pensar muito, largo a faca e caminho em direção aos lobos. Quando eles percebem minha decisão começam a uivar, parecia um uivo de comemoração. Ao chegar perto deles sinto uma atração forte para tocar em seus pelos macios, e assim o faço. Nesse instante sinto algo perfurar meu peito, olho para baixo e vejo a mesma faca que eu tinha largado fincada em meu coração. Olho para frente espantada e vejo um rapaz alto, tão lindo que parecia ter saído de um sonho. A única coisa que consigo prestar atenção é duas pintinhas próximas de seu olho. Escuto ele sussurrar um “- te vejo em breve” e sinto a escuridão me dominar. Estava feito. O teste havia terminado, e eu me tornara a escolhida. A Sighter.


Notas Finais


Então pessoal... como disse, vou tentar acelerar a história... então aqui vai o primeiro capítulo duplo...
E estou muito feliz que estejam dando de volta todo o amor à minha fic... Vcs estão conseguindo me fazer chorar pessoal... e olha que chorei horrores quando recebi a notícia da exclusão... muito obrigada meus amores... amo muito todos vcs... :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...