História É Você Que Eu Amo (Imagine Jungkook) - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, TWICE
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Mina, Momo, Nayeon, Rap Monster, Sana, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Adultério, Drama, Jungkook, Ooc, Romance
Visualizações 281
Palavras 2.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOU SER RÁPIDA POR QUE TENHO QUE DORMIR
OBRIGADO PELOS FAVS E DESCULPE QUALQUER ERRO

Capítulo 60 - O que você está fazendo comigo?


Fanfic / Fanfiction É Você Que Eu Amo (Imagine Jungkook) - Capítulo 60 - O que você está fazendo comigo?

Sophi POV's

Já tinha saído da faculdade porém fui para a livraria fazer um trabalho. Passei em uma loja de conveniência e comprei um Tako Chips e fui para a livraria. Abri meu notebook e pesquisei de acordo com o que o Professor mandou.

Psicologia Forense de fato não é nada fácil, (N/A: Meu sonho de princesa Sophi) mas desde os 11 anos venho falando para Omma que queria cursar nessa área.

Era apenas eu na livraria, estava com um pouco de medo mas mantive o foco no trabalho. Só faltava um parágrafo para acabar, fui até a prateleira e peguei um livre para ajudar. "Por dentro das Mentes Assassinas" parecia ser bom, voltei para a messa e finalizei o trabalho. Guardei o o livro na minha bolsa para ler depois, arrumei minhas coisas e fechei a livraria.

Fui para o ponto de ônibus, a rua estava calma e deserta. 

- EI! - Ouvi um grito, a voz era grossa o que me deixou assustada - O que faz nessa rua sozinha gatinha?

O homem estava se aproximando (N/A: Tudo é estrupo agora?) Eu dava passos rápidos me distanciando, ouvia passos fortes e corri mais rápidos. Acabei caindo, ele pegou forte no meu braço e me puxou até um matagal.

- Por favor não faça nada. Eu dou tudo o que você quiser!

- Então já pode ficar de quatro!

- NÃO! N-Não.. - Eu já estava chorando muito -

Ele tentou tirar minha jaqueta mas eu me debatia. Senti uma dor forte na minha bochecha, ele tinha me dado um tapa.

- QUANDO EU QUISER FAZER ALGUMA COISA COM VOCÊ, VOCÊ TEM QUE DEIXAR! - Tirou minha jaqueta - Vou te foder até não aguentar mais sua vaziadinha!

- N-NÃO!

Tyler POV's

Estava estranhando, Sophi ainda não chegou. Aliás era para ela ter vindo junto com nós, provavelmente passou na casa de alguma amiga. Estava disposto a reconquistar Sophi, eu sei que errei mas quero começar do zero.

Resolvi ir em uma sorveteria, vesti uma calça preta rasgada, blusa branca, coturno e uma touca branca. Peguei o dinheiro e desci.

- Pra onde vai Tyler? - Ouvi a voz de Tyler -

- Sair...

- Quando chegar teremos uma conversa! - Engoli em seco e assenti - Cuidado.

Fui em direção a sorveteria. Pedi um sorvete de morango com calda de chocolate. A rua estava calma, apenas a iluminação amarelada dos postes.

Paguei o sorvete e sai, resolvi dar uma volta por aí. Ouvi um grito feminino, parecia familiar. Outra vez um grito... Sophi. Tentei saber de onde vinha o grito e corri para o matagal. Vi um homem tentando abusa-lá. Peguei um pedaço de vidro e cravei em sua cabeça. Sophi estava encolhida e ofegante, fui até ela e lhe abracei forte sendo retribuído da mesma maneira.

- Você está bem meu amor?

- S-Sim... - Levantei seu rosto e enxuguei suas lágrimas -

- Ele te machucou? - Negou -

- V-Você o matou? - Suspirei pesado -

- Acho que sim..

- E-E agora? Será que alguém viu?

- Acho que não.. Vamos. - Chamei um táxi -

Ela colocou sua cabeça em meu ombro e eu lhe fiz cafune. Acariciei sua pele macia.

Paguei o taxista e respirei fundo antes de abrir a porta. Todos correram em nossa direção.

- Filha, o que aconteceu? - Tio Jin perguntou preocupado -

- Tentaram abusa-lá senhor. - Falei -

- Oh meu amor, a Omma está aqui ok? - Tia Lara lhe abraçou -

- Você se machucou So? - Hana sentou de seu lado e Nari beijou sua testa -

- Tyler. - Ouvi a voz grossa de Appa - Venha comigo. - Lhe segui até o escritório. Me sentei na poltrona de frente para a mesa - O que está acontecendo Tyler? Você parece estar confuso, distante. - Ouvi a porta abrindo e olhei para trás vendo Omma com seu sorriso doce e que acalma qualquer um. Se sentou ao meu lado -

- Pode dizer filho, desabafe, Hum. - Assenti sorrindo minimamente -

- Bom... Desde que voltamos eu fiquei confuso, não sabia que o passado poderia trazer consequências. E-Eu... fiz coisas...

- Coisas? - Appa cruzou os braços -

- E-Eu... Tirei a virgindade da Sophi - Arregalaram os olhos - E aí depois eu reencontrei a Grace, ela me disse coisas tipo... A Sophi não é confiável, é infiel e mentirosa. Eu fiquei mais confuso ainda, até que Grace apareceu no meu quarto de noite e... Aconteceu né.

- Não ficaria surpreendido se você pegasse Aids - Appa estava com o semblante surpreso -

- Jeon! - Omma lhe reprendeu - Por isso Sophi se afastou de você? - Assenti - Está gostando das duas?

- Estou com medo de confiar nas duas...

- Filho.. Eu já passei por isso, eu e sua Omma. Foi fácil? Não. Foi doloroso? Muito, eu sei o que é ter os pensamentos e sentimentos bagunçados apenas por uma volta, acredite, você sairá dessa, você pode até não acreditar mas quando perceber irá estar rindo de seu passado ao lado de sua esposa e filhos. Nada na vida é fácil Tyler principalmente o amor, para alguns ele não existe e para outros é essencial na sua vida, faça o que seu coração mandar, se não se sentir confortável então faça isso por conta própria mesmo seu coração amando aquela tal pessoa, não pode passar a vida amando quem não te merece, um dia irá ser feliz com a pessoa que você escolheu. Não acredite em tudo que te falam, tampe seus ouvidos para fofocas e viva sua vida como bem entender. Mentiras existem e elas podem estar te cercando!

- Está dizendo que não devo acreditar na Grace?

- Estou dizendo que não deve acreditar em tudo que te falam e tomar decisões precipitadas.

- Certo... quando o senhor irá para o Japão?

- Já devíamos estar no aeroporto. - Suspirou - 

Assenti triste. Lhe seguimos até a sala onde todos estavam a nossa espera. Pegou suas malas com o semblante triste, a van chegou e o motorista lhes ajudou a guardar as malas.

[...]

- Você irá esquecer de mim Appa? - Hana e Nari faziam manha e choravam -

- Nunca minha princesinha - Abraçou Hana - O Appa vai voltar logo certo - Assentiu - Eu amo vocês ok? - Assentimos e nos abraçamos - Tomem conta das nossas mulheres - Disse para mim e Junghyun - Cuide de nossos filhos Jagi. Eu te amo muito. - Beijou Omma -

- Eu vi mesmo isso? Eu vi mesmo essa língua? - Fiz careta - Calma gente é só um beijo não precisa se comer não. - Eles se afastaram ofegantes e lábios inchados -

- Eu amo vocês - Deu um beijo na testa de cada um -

Nossos tios vieram se despedir.

- Durmam muito - tio Yoongi disse nos tirando risadas - 

- Você é um péssimos exemplo para meus filhos Min Yoongi.

- Diz a garota que quebrou o nariz da ex do marido.

- Vai tomar no cu Babo! - Tio Yoongi soltou uma gargalhada e lhe abraçou -

- Tchau estranha! - Sorriu e partiu -

- Agora será apenas nós. - Tia Paula falou -

[...]

No relógio marca 23:40, apenas Omma, Tia Nay, eu e Sophi estavam acordados. Sophi estava abraçada com Omma enquanto eu sentia o carinho que tia Nay fazia em meu cabelo.

- Eu vou dormir pessoal. - Falou Omma - Boa noite coelhinho - Fiz bico e ela me deu um beijo na testa -

- Me espera, - Tia Nay se levantou - Eu também vou! Boa noite pombinhos - Sophi corou -

Deitei Sophi em meu colo e lhe fiz cafune. 

- Tyler...

- Hum?

- Eu vou pro quarto - Assenti e lhe segui, antes dela fechar a porta eu entrei - O que foi?

- Eu vou dormir aqui!

- Qye?

- É, eu vou dormir aqui! - Revirou os olhos e foi para o banheiro -

Procurei em seu guarda-roupa se tinha alguma roupa minha e achei um calção tactel azul. Tirei minha blusa e vesti o calção. Me deitei e esperei por ela. Ela saiu do banho vestida com uma camisola branca leve e fina. Mordi o lábio discretamente e ela desligou a luz.

Se deitou ao meu lado e abraçou minha cintura. Lhe fiz cafune, comecei a beijar seu rosto delicadamente. Rocei nossos narizes, mordeu meu lábio inferior e começou um beijo delicado e suave. Colocou a mão na minha nuca aprofundando o beijo, pedi passagem com a língua e ela logo cedeu. Lhe deitei sob mim e passei minhas mãos lentamente por todo seu corpo, passei a mão pelas nádegas levantando um pouco a camisola e dando um tapa lhe tirando um arfar. Tirei sua camisola revelando seu corpo nu.

- Ah Sophi, não sabe como me excita. - Tirou meu calção delicadamente junto com a box fazendo meu membro saltar para fora -

Estimulou meu membro me tirando arfares. Brincou maliciosamente com minha glande e abocanhou meu membro estimulando o que não cabia. Segurei seu cabelo e estoquei cuidadosamente sua boquinha rosada e quente. Cheguei em meu ápice e gemi alto.

- Não geme muito alto coelhinho - Falou manhosa -

Lhe virei bruscamente e pincelei sua intimidade lhe tirando arfares. Enfiei meu membro com uma certa rapidez lhe fazendo soltar um gritinho, selei nossos lábios para abafar os gemidos. Lhe estocava fundo e lento apreciando cada pedacinho de seu interior apertado e escorregadio. Chegou em seu ápice mas continuei lhe estocando até atingir meu limite, mordi seu lábio fortemente quando cheguei em meu ápice. Suguei o líquido avermelhado com gosto metálico. Me deitei ofegante ao seu lado e lhe abracei nos cobrindo.

Hana POV's

Acordei no meio da noite com o celular tocando. Número desconhecido... Dei de ombros e atendi.

Ligação ON

- Alô? - Falei com a voz sonolenta -

- Ui ui, a marrentinha tava dormindo ela? - A voz parecia familiar e embriagada -

- Dakho? 

- Também te arno marlenta! - Mordi o lábio e corei suavemente com sua fala - 

- O que você quer Babo? São 02:00 da manhã babaca!

- Ela tá bravunha. Se acalma "princesinha" - Falou debochando - Eu tava aqui fodenduo uma garota, meu pau ta até doendo de tão apertad-a que ela é! - Senti uma imensa vontade chorar e ódio tanto da garota como dele. O que está acontecendo Jeon Hana - 

- Você não me deve satisfação do que faz ou deixa de fazer Choi Dakho!

- E-Eita, nervosinha você hein! To com cumes é bebê? Ela quer chorir gente.

- Vai tomar no cu filho da puta!

- R-Respeita minha loma que ele era trabalhora!

- Que história de "Era"?

- Não te devo satisfação! Só liguei para abusar que...

- Que... Fala logo eu quero dormir! Alô? Dakho? Dakho você tá aí? 

Ligação OFF

Garoto babaca! Filho da mãe! Estúpido! Nojento! Como alguém tem coragem de ceder aos "encantos" dele? Só sendo puta mesmo! Agora deve estar desmaiado no chão do puteiro, bar, sei lá onde ele tava! Eu não deveria me preocupar... Aish, que se foda!

Peguei o celular da Nari e liguei pro Minho.

Ligação ON

- Alô? - Falou com a voz sonolenta -

- Minho? Sou eu a Hana!

- Hana? Aconteceu algo com a Nari?

- Não. Qual o puteiro que o Dakho costuma ir?

- Puteiro? Que puteiro?

- Ele vai em algum lugar pra se divertir?

- Ele vai em um clube noturno.

- Passa o endereço!

- Por que você quer o endereço?

- Passa logo!

- Se é algo relacionado ao meu irmão então eu tenho que saber!

- Se você passar o endereço eu te digo!

- Ok. Bairro ********* Rua *********. 

- Valeu. 

Ligação OFF

Anotei no papel. Vesti uma calça preta rasgada, blusa vinho de frio, casaco de couro. Pus um Choker Tatto e uma Timberland. Peguei um gorro preto, minha mochila - Com dinheiro, celular, fones de ouvido, carregador portátil e lenço - Anotei o número do Minho no meu celular e desci vagarosamente para não fazer barulho e nem acordar ninguém. 

- Será que eu devo levar mais alguma coisa? - Olhei para a coberta do sofá - Caso eu sentir frio. - Peguei e enfiei dentro da mochila. Tranquei a porta e chamei um táxi, espero que tenha algum a essa hora. 

Dei o endereço ao taxista. Fiquei olhando pela janela sentindo a brisa fria da noite bater em meu rosto bagunçando meus cabelos negros e curtos. Não sabia o que estava sentindo, não sabia o que estava acontecendo e nem por que tomei essa iniciativa mas não me arrependo.

- Chegamos - Me despertei e paguei-o -

Encarei o letreiro do clube. Suspirei pesado e entrei. As pessoas pulavam e gritavam loucamente, havia pessoas sentadas literalmente se comendo e outras que apenas bebiam no seu canto. Olhei envolta procurando pelo babaca do Dakho e vi ele se comendo com uma garota, desviei o olhar e fechei os olhos.

- Você não sente nada por ele Hana, apenas nojo, lembre-se disso! - Fui até sua direção e gritei fazendo os dois se separarem. A garota olhou feio para mim - Ta se vendo no espelho garota? Anda, saí daqui e vai procurar outro pra te comer! - Sai furiosa -

- T-ta brisada? Pensa que é quem pra fazer isso?

- Eu pergunto! Pensa que é quem para me acordar no meio da noite e ligar falando asneiras? Levanta a porra dessa tua bunda da cadeira e vamos embora!

- Cuti a vibe - Falava literalmente tudo errado e parecia estar bem bêbado -

Puxei seu braço e ele tombou tropeçando. Passei seu braço por meu pescoço e pedi outro táxi.

Lhe sentei no banco, mandei uma mensagem para o Minho explicando tudo e pedindo o endereço da casa deles.

- Tô cum fria - Falou fazendo voz de bebê e eu revirei os olhos. Peguei a coberta e dei pra ele. -

Apoiou a cabeça no meu ombro e dormiu. Por impulso coloquei a mão na sua cabeça e lhe fiz cafune.

- O que você está fazendo comigo Choi Dakho?

 


Notas Finais


#HANHO
GENTE TENHO QUE MIMI DESCULPE QUALQUER ERRO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...