História Ela - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Swanqueen
Visualizações 162
Palavras 2.496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal! Mas um capítulo para vocês! Obrigado para quem favoritou e comentou. É um estímulo e tanto pra continuar
Boa leitura e desculpem os erros

Capítulo 14 - Você é fraca


Fanfic / Fanfiction Ela - Capítulo 14 - Você é fraca

Ao chegar na festa Regina procurou por algum rosto conhecido encontrando Zelena e Belle dançando numa pista improvisada no meio da sala.

- se está procurando Emma ela foi em direção da cozinha - informou Ruby encostada na parede da sala.

Regina encarou a garota que segurava uma garrafa de cerveja na mão e na outra segurava um cigarro. Ignorando a presença da garota a morena seguiu para a cozinha, ao chegar no cômodo seus olhos não acreditaram no que viam. A garota que ela amava com outra, Emma com as mãos na cintura de Fiona que por sua vez estava com os seios expostos - amostra para a loira. Além de decepcionada ficou surpreendida. Como Emma pôde ser tão egoísta! Egoísta ao ponto de procurar outra pessoa quando ela se recusará à dá. À substituindo, será que ela realmente usaria e descartaria uma segunda opção apenas para sua satisfação, para alimentar o próprio ego como se os seus sentimentos não tivesse nem um valor.

- Emma?! - os olhos da loira estavam menores e vermelhos - Emma?! - chamou novamente chorosa, a loira lhe encarava confusa. Piscos os olhos algumas vezes acordando porém Regina não esperou.

Correu para fora da cozinha, sentiu um mal-estar e a visão ficar turva obrigando-a parar. No canto da sala Robin conversava com alguns amigos observou a menina com as mãos na barriga, resolveu se aproximar preocupado.

- Regina? - chamou-a preocupado - você está bem?

- não, preciso de um banheiro agora! - disse com as mãos na boca, sentiu todoo estômago embrulhado - agora.

- vem comigo, vamos para o quarto do Will - segurou Regina pela cintura amparando-a, subindo as escada sendo observados por Ruby.

- fecha a porta não quero ninguém entrando aqui, me questionando - disse entrando no quarto correndo para o banheiro.

Atendendo ao pedido da morena Robin fechou a porta e caminhou para o banheiro, da porta olhava para com um certo nojo Regina de joelhos vomitando dentro do vaso.

- o que você bebeu?

- nada eu acabei de chegar - baixou a tampa do vaso e sentou encima ainda com mal-estar. Robin observava a garota com cara de nojo - acho que agora você não quer me beijar - brincou tirando os cabelos do rosto - veja se tem escova de dente dentro dessas gavetas.

Calado Robin procurou dentro das gavetas de pia encontrando um kit de higiene pessoal.

- aqui - entregou o kit para Regina - para sua informação eu não quero te beijar, não mais. Tenho uma namorada.

- isso é bom. Posso saber quem é?

- o nome dela é Marian, a conheci nas férias quando foi ao Brasil.

- fico feliz por você - Robin sorriu para a morena sentindo verdade nas suas palavras - droga... - se pôs de joelhos novamente vomitando no vaso.

- quer ajuda aí? - Robin perguntou por educação.

- eu ajudo - Robin olhou assustado para trás vendo Emma atrás de si.

- como entrou?

- a janela - entrou no banheiro - pode nos deixar a sós.

Sem dizer nada Robin saiu do quarto deixando as garotas sozinhas.

- me deixa em paz - disse Regina com o um fio de voz.

Ela estava pálida e soando. Com delicadeza segurou os cabelos da morena.

- o que você tem?

- vai se ferrar - limpou a boca com o ante-braço acionando a descarga - é isso que vai fazer toda vez que eu lhe negar sexo, ir atrás de algo fácil e rápido somente para satisfazer os seus prazeres, sei que Fiona é afim de você, mas usa-lá como um objeto sem nenhuma importância, como se fosse marionete. Eu te amo, você tem que crescer Emma.

- me perdoe.

- não há o que ser perdoado, você estava bêbada e ela quis tirar proveito disso. Eu estou decepcionada, você é fraca, se eu não tivesse chegado sederia à ela, e à usaria.

- posso leva-lá para casa?

- sim.

Parou em frente a pia e escovou seus dentes em seguida saiu do quarto sendo seguida por Emma. O caminho foi feito em total silêncio até Regina se pronunciar.

- é assim que a gente vai vivendo, sabe? Errando pra aprender. Se decepcionando pra se proteger. Se machucando pra crescer. Chorando pra sorrir. A gente cai uma vez, pra aprender a se levantar em outra. No fim, tudo que for bom, verdadeiro, tudo o que realmente nos fizer bem, permanece - Emma escutava a tudo com lágrimas nos olhos - não há nada para ser perdoado Emma, eu sou madura o suficiente para saber o que estava acontecendo ali. Para saber que Fiona estava se aproveitando de você, sei que se não estivesse bêbada nada disso teria acontecido - com os olhos cheios de lágrimas Emma estacionou na frente da casa de Mills - vamos.

- não é uma Boa ideia.

- vem - disse entrando na casa - mama! Emma pode dormi aqui hoje? - pediu para a mãe que assistia tv sentada no sofá.

- tudo bem querida - sorriu - olá Emma - saudou a loira.

- olá Sra. Mills.

- vamos para o quarto, precisamos conversar - seguiu para o quarto sem esperar a loira.

Envergonhada Emma seguiu para o quarto. Ao chegar no cômodo trancou a porta, observou Regina sentada na cama lhe encarando.

- tem toalhas no armário do banheiro. Vou procurar uma roupa para que possa dormi - calada Emma seguiu para o banheiro.

A discussão de uma relação tem que ser num clima de harmonia - aberta, às claras, sem rodeios e sem temor. Um exemplo? Não basta dizer que você gosta de suco de goiaba. Tem que expor se prefere coado, com açúcar ou adoçante e se prefere que seja feito com água ou leite condensado. E, tem mais, se tem que ser gelado ou normal. Regina não sabia como conduzir a famosa "discussão" de forma produtiva porque era fundamental para ela tirar algum resultado válido, para limar aqueles detalhes da vida das duas que não estava em pleno funcionamento.

Enrolada na toalha Emma saiu do banheiro sentando ao lado de Regina na cama. Sentiu os braços de Regina lhe rodearem a cintura e repousar o queixo no seu ombro.

- como posso recompensa-la - disse sem olhar nos olhos castanhos, ela se sentia envergonhada.

- olha para mim - Regina pediu. Emma encarou aqueles olhos que para ela eram os mais lindos do mundo de uma cor incomparável - me amando, que me espere, quero alguém que me compreenda mesmo nos momentos de loucura! alguém que me ajude, que me guie, que seja meu apoio, minha esperança, meu TUDO! alguém que não me traia, que seja fiel, que sonhe comigo e só pensa em mim, no meu rosto, na minha delicadeza, no meu espírito, e não só no meu corpo. Alguém que sofra junto comigo, que ria junto a mim, que enxugue minhas lágrimas, que me abrigue quando necessário, que fique feliz com as minhas alegrias e que me dê forças depois de um fracasso! Quero alguém que venha conversar comigo depois das briga, depois do desencontros. Quero de alguém que caminhe junto a mim, que seja companheiro, que respeite minhas fantasias, minhas ilusões! Quero alguém que me AME, e que de dê valor! Porque Emma eu quero tudo isso com você.

Regina observou o colo exposto da namorada. Pele perfeita. Ela queria ver mais daquela pele perfeita. Regina tinha um jeito especial de mostrar para Emma como adorava seu corpo. Com delicadeza desfaz o nó que segurava a toalha à fazendo deslizar exibindo o tronco de Emma. Gentilmente seus dedos acariciavam o quadril, a curva da cintura e entre os seios. Enquanto sussurrava belas palavras em espanhol em seu ouvido quando lhe tocava. Emma não tinha noção sobre o que aquelas palavras falaram porém nunca ouviu palavras tão lindas somente porque saiam da boca da garota mais linda que conhecia. De todas as formas. Imediatamente Emma se aqueceu, o desejo corria em suas veias, espirrando por todos os poros, arrepiando todos os seus pêlos e lhe acariciando com a essência da necessidade.

- não faça isso! - pediu a loira com um fio de voz.

- eu quero você Emma Swan.

Logo os lábios se encontraram dando início a um beijo apaixonado. As línguas travavam uma batalha por dominância enquanto as mãos de Regina passeavam por todo o tronco de Emma. Emma beijava a morena com paixão, desejo e graça. Tanta graça e beleza que ela mal podia respirar, precisava de Regina. Ela afastou a boca e encostou a testa na de Regina.

- o seu amor é tudo para mim - sussurrou nos lábios carnudos. Lágrimas se formaram em seus olhos e Regina a encarou. Os olhos dela tinham um tom de verde que pareciam brilhar sob a luz. Mordiscou o lábio e se aninhou em seu pescoço enalando o cheiro que a loira exalava. Emma entrelaçou os dedos em sua nuca e seus polegares acariciaram seu queixo e seus lábios. Os olhos verdes pareciam catalogar cada traço do rosto latino, do jeito que só um artista extremamente focado em detalhes faria.

Emma se colocou de joelhos na cama deitando Regina como se fosse tão preciosa quanto uma pintura ou uma jóia.

- tire a roupa para mim? - disse - quero te ver sobe a luz.

A maneira como Emma falava e o fogo em seu olhar fizeram Regina vibrar de luxúria. Sem nenhuma delicadeza, ficou de joelhos e puxou seu vestido pela cabeça ficando apenas de lingerie branca que contrastava perfeitamente com sua pele oliva.

- você é tão linda - tocou seu lábio e Regina chupou seu dedo, girando a língua ao redor do polegar vendo os olhos verdes escurecerem. Os olhos de Emma dilataram ainda mais quando Regina removeu seu sutiã e calcinha ficando totalmente nua. Emma apertou as mãos em punho na lateral do seu corpo, seus seios arfando, se elevando, pesados e necessitados. Lentamente a loira ergueu as mãos e os tocou, apertando-os e moldando-os, como se estivesse se familiarizando novamente com seu corpo. Um gemido saiu dos lábios de Regina quando ela tocou os picos túrgidos com os polegares. Emma inalou profundamente no momento em que se aproximou do seu pescoço, como se estivesse respirando seu perfume. Instintivamente Regina fechou os olhos, gemendo e inclinando a cabeça para trás, em oferta.

- eu amo o seu toque - sussurrou para Emma.

Logo a sensação úmida da boca de Emma cobriu seu seio direito, e então Regina sentiu seus dentes beliscando a sua pele. Uma nova onda de desejo saltou do ponto que ela puxava e chupava, passando pelo seu tronco, para se acomodar deliciosamente entre suas coxas. Seu clitóris pulsava e doía, preparado para o momento em que sua amada lhe tocaria. A morena não sabia que Emma faria. Um coisa que ela sabia era que Emma Swan adorava o seu gosto em sua língua. Por longos minutos, Emma banqueteou com seus seios, sugando, puxando, acariciando e mordendo as pontas, até que estivessem maduras e vermelhas, como pequenos morangos prontos para serem comidos. Os quadris de Regina balançavam em busca de algo, qualquer coisa para aliviar a necessidade que sentia naquela momento.

- Emma - Regina implorou, e Emma sorriu em seu mamilo, chupando com força, depois se afastou. Quando Regina abriu os olhos, sabia o que Emma estava vendo. Uma mulher pronta para ser comida. Suas mãos foram para a toalha retirando exibindo sua total nudez. De quatro sobre a cama Regina se inclinou para a frente, segurando o membro rosado endurecido de Emma lambendo sua glande fazendo a loira gemer para em seguida colocar todo o seu comprimento na boca. Excitada Emma entrelaçou os dedos em seus cabelos e penetrou sua boca. Tomando profundidade.

Regina intensificou seu esforço, fazendo longas voltas com a língua em seu comprimento, se dedicando à ponta, sugando cada gota do líquido pré-ejaculatório, como um gatinho fazendo minúsculos movimentos num pires de leite. Emma observava enquanto a morena engolia mais e mais. Quando Regina olhou para cima, suas narinas estavam dilatadas, os olhos intensos, as pálpebras semicerradas, os lábios se contorcendo em êxtase enquanto a loira se mexia em sua boca. Então, sem aviso, ela meteu profundamente e encheu sua boca com sua essência. Rajadas quentes de seu sêmen desceram pela garganta de Regina. Que engoliu de maneira reverente, ordenhando-a para extrair cada gota, até que Emma segurou seus cabelos com firmeza e lhe afastou de seu pau.

 - preciso estar dentro de você - Emma puxou Regina tomando sua boca num beijo cheio de luxúria. Seus braços se apertaram ao redor de Regina à deitando novamente sobre a cama. Separou suas pernas se encaixando entre elas, sem pressa desceu distribuindo beijos e lambidas pelo colo, entre seus seios até para sobre seu ventre, delicada acariciou o local.

- algum problema? - perguntou confusa vendo Emma acariciar seu ventre.

- está diferente.

- o que?

- seu corpo - disse cogitando uma possibilidade porém tratou de apagar da sua mente. Voltando a atenção Emma pressionou um dedo no sexo de Regina, a fazendo gemer. Lentamente, ela lhe penetrou com o dedo até que Regina estivesse molhada o suficiente para que ela pudesse encaixar outro. Completamente drogada de prazer Regina forçou a cabeça para trás deixando os dedos atingirem o ponto certo.

A morena soltou um gemido sôfrego e se agarrou as laterais da cama quando a língua de Emma se instalou sobre o seu clitóris. A loira rosnou e cravou sua língua em Regina, o mais fundo que conseguiu. Suas mãos seguraram seus lábios inferiores abertos, e esfregou a boca por todo seu sexo. Emaa lhe chupou, enquanto a penetrava com o dedo, mordiscou e deixou um chupão enorme na parte interna da sua coxa. Cada vez mais ela levava Regina ao auge, recuando logo em seguida, até que ela estivesse exausta e louca de necessidade. Regina implorou e insistiu que Emma terminasse. Seu sexo estava tão molhado que a morena podia sentir os sucos escorregadios deslizarem até o seu traseiro, porém Emma não os deixou chegar lá. Ela desceu com a língua plana e provocou a outra entrada, então colocou a boca em sua abertura e bebeu tudo. Suas bochechas foram sugadas para dentro, suas costas arquearam, Emma passou os dentes em seu clitóris lançado Regina para a estratosfera, rebolando como uma selvagem. Enquanto ela estava gozando, Emma enfiou o pau grosso profundamente dentro de Regina e meteu com força. Com mais força do que jamais tinha feito antes. Ambas estavam fora de controle, trepando como se jamais fossem ter outra chance. Em certo ponto, Emma ergueu as pernas de Regina, como se fosse dividir seu corpo ao meio, se lançando para dentro da amada.

- eu amo você Lola.

Sussurrou chegando ao auge assim como Regina, derramando os últimos vestígios de sua essência dentro da morena que ofegava praticamente desmaiada porém ainda conectados física, emocional e mentalmente.




Notas Finais


Então?!
Quero a opinião, sugestões e críticas de vocês tudo para melhorar a fic! não deixem de comentar.
Até a próxima
❤💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...