História Ele Disse Adeus - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Drama, Jikook, Sope, Tae!kids, Yoonseok
Visualizações 43
Palavras 2.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi *-*
Só quero dizer que por favor não me matem após esse cap.

Boa Leitura.

Capítulo 2 - Ele me prometeu


Fanfic / Fanfiction Ele Disse Adeus - Capítulo 2 - Ele me prometeu

 

Em frente do hospital tem um parque,a grama é verdinha, bancos e mesas espalhados por todos os lados, carrinhos de cachorro quente, pipoca, algodão doce e todo os tipos de comidas nada saudável mas que todo mundo adora.   E algumas semanas depois de ter conhecido Hoseok, lá estava nós dois sentados na grama no meu horário de almoço, eu mesmo preparei a comida e fiz a mais pois já sabia que dividira com Jung.

Hoseok era magro por culpa da doença e por precisar cuidar melhor da alimentação, apesar de que era bem perceptível que suas coxas eram definidas.  Naquela dia eu preparei alimentos com produtos orgânicos, bem colorido e saudável. E o melhor foi ver como ele comia bem,sempre repetindo que eu era o melhor cozinheiro que já conhecera e eu, ah eu sorria feito um bobo.

Não foi preciso muitos dias, meses ou anos para eu perceber que eu estava completamente apaixonado por aquele homem, Jung Hoseok me puxou para seu mundo alegre, me mostrou o quão bela a vida pode ser e que devemos viver com intensidade cada momento feliz.

Ele me ensinou que a vida vale a pena mesmo que tenhamos um prazo de validade.

-Jimin me disse ontem que o Taetae esta ruim – Hoseok  comentou enquanto escolhia as melhores uvas do cacho que segurava.

-Infelizmente sim – Eu suspirei , Tae havia piorado, era horrível ver seu rostinho pálido e pior ainda era ver seus vômitos após as sessões demoradas de radioterapia.

- Ele vai ficar bem, não é? Ele não vai... – Hoseok me olhou e eu entendi o que ele estava querendo perguntar. Hoseok acabou conhecendo Jimin também o que o levou a conhecer Tae e JungKook e era impossível não se apegar ao pequeno Taehyung. Ninguém queria ter a horrível noticia de que aquele pequeno que lutou e abandonou sua casa e a escola para morar em um hospital a fim de se curar não tivesse vencido a luta contra o câncer. 

- Eu não sei... – Me lembro do olhar triste dele, foi o primeiro que vi mas infelizmente não foi o único.

De fato eu não sabia, na verdade nem os médicos sabiam se Taehyung sobreviveria, aquela criança já havia passado por tantas  crises e sessões de tratamento. Era tão pequeno mas tão forte e corajoso.

Eu tinha medo de receber a noticia de que nosso pequeno Tae tivesse nos deixado. 

- Ele é forte, ele vai sair dessa e vai voltar a aprontar com as enfermeiras – Hoseok disse tão confiante que eu acreditei. Ele realmente era um poço de esperança.

 

Quando meu horário de almoço chegou ao fim,Hoseok se despediu com um beijo daqueles de tirar o folego, não estávamos acostumados a dar aquele tipo de beijo  ainda mais em publico mas eu acho que Jung apenas quis mostrar para todos que eu era dele ou apenas fez porque sentiu vontade.

E eu gostei.

Passei a tarde daquele dia pensando em Taehyung, eu sentia meu peito apertar toda vez que a luz vermelha que ficava na recepção da oncologia apita. Aquele maldita luz avisava quando algum paciente havia falecido e que alguém deveria arrumar o quarto e avisar a família.

Eu passei a tarde rezando para  aquela luz não me obrigar a dizer adeus a Taehyung.

No inicio da noite eu decidi que faria plantão pois eu queria ficar no hospital, eu queria um tampo a mais com aquela criança. E foi quando todas as crianças já dormiam que eu fui até o quarto do Tae, entrei naquele quarto colorido e vi Tae deitadinho em sua cama, ele estava acordado e sozinho.

Aquela criança era tão adorável que implorou ao irmão para que fosse para casa, JungKook estava exausto e precisando dormir mas ele se recusava a deixar o irmãozinho no hospital mesmo sabendo que todos ali cuidaria bem do pequeno Tae, naquela noite ele não conseguiu dizer não ao pedido do irmão e acabou indo dormir em casa.

Me deitei ao lado da criança na cama e ele me abraçou. Suas mãozinhas estavam frias e tão magrinhas, sua cabecinha careca tinha manchas roxas e vermelhas,seu rosto estava tão abatido e sua boquinha sem cor alguma. Mas ele continuava sendo o meu pequeno e adorável Kim Taehyung.

- Suga hyung, posso te perguntar algo? – A voz infantil e um tanto fraca me chamou.

- Claro Taetae.

- O céu é legal? – Aquela pergunta me fez fechar os olhos com força para não derramar as lagrimas que queriam sair.

- É sim Tae, o céu é um lugar lindo. Ouvi dizer que tem unicórnios lá – Tae mesmo fraquinho sorriu me mostrando seus dentinhos pequenos.

- Então irei gostar do céu – Tae com dificuldade e com minha ajuda sentou-se na cama    e me olhou com aqueles olhinhos fofos. – Sabe hyung, eu me sinto triste porque irei para um lugar tão legal e meu irmão não – O pequeno disse com sua voz triste.

- Seu irmão estará aqui  e você irá cuidar dele lá de cima, não vai? – Acariciei seus rostinho e ele segurou minha mão.

- Irei cuidar de todos vocês,Hyung.- Meus olhos se encheram de lagrimas e Tae percebendo isso se aninhou em meu colo,eu o abracei e beijei sua cabeça. – Pensando melhor, eu prefiro que todos vocês fiquem aqui,estarei bem lá no céu brincando com os unicórnios. Quero que todos vocês sejam felizes.

- Eu serei feliz, eu prometo... – Minha voz saiu embargada, eu estava tentando não chorar.

- Não deixa o Kook chorar muito,okay?

- Okay.

Naquela noite eu fiz Taehyung dormir cantando uma musiquinha de ninar que ele adorava, ele adormeceu em meus braços e eu o assisti dormir enquanto minhas lágrimas caiam pesadas. Eu amava aquela criança, o amava como um irmão e ele estava ali,perto de mim mas partindo aos poucos.

Taehyung sempre soube o que aconteceria e talvez tenha sido esse o motivo dele   implorar para que o irmão fosse embora, ele não queria que JungKook o visse morrer pois sabia que ele não aguentaria conviver com a triste lembrança. E no fundo,acho que eu também sabia disso e foi por isso que não deixei sozinho naquela noite, ele não merecia partir sozinho.

O acomodei em meus braços e o deixei quentinho. Ele não sentiu dor, apenas fechou os olhos e dormiu. E foi assim que Kim Taehyung disse Adeus.    

Naquela madrugada aquela maldita luz vermelha apitou e todos nós tivemos que nos despedir do nosso pequeno leãozinho.

 

(...)

 

Alguns meses depois que Tae morreu o hospital ainda continuava com o clima de luto, todos os enfermeiros da oncologia,e médicos choraram e sentiam falta dele. JungKook ficou devastado, pensamos até que ele não aguentaria mas Jimin esteve do lado dele o tempo todo. Não e nada fácil ter que deixar alguém que amamos ir embora, não é fácil lhe dar com a dor da perda e com o fato de que nunca mais irá ver aquela pessoa. Mas o tempo não para,ele nunca para,ele continua rodando e nos empurrando para frente. Mesmo sofrendo por termos perdido Taehyung fomos obrigados a continuar a viver.

Jeon encontrou em Jimin a força que precisava para continuar a vida sem seu irmãozinho e  sei que Taetae ficou feliz quando viu seu irmão finalmente se deixando levar pelo amor e entregando seu coração de vez ao Park.

 

(...)

 

Hoseok já não tinha mais seus cabelos mas isso não fez dele feio pois ele continuava lindo. O tratamento estava sendo mais forte pois seu corpo não reagia como o esperado e aquilo me preocupava. Eu tinha tanto medo de perder Hoseok, eu ainda estava tão abalado e depressivo por ter perdido Tae,não suportaria perder o amor da minha vida também.

Naquele período já estávamos em um relacionamento apesar de nunca termos dado nome a ele. Nos amávamos, Hoseok praticamente morava comigo e eu cuidava dele. Era esse nosso relacionamento.

Aquele sabado estava  frio o que nos impediu de ir ao cinema,o corpo de Hoseok estava com as imunidades baixa demais e qualquer contato com muitas pessoas poderia ser perigoso a ele,então ficamos em casa mesmo. Assistimos um filme de comedia que apesar de já termos visto centenas de vezes sempre riamos como bobos.Tomamos chá quentinho, comemos alguns bolinhos que eu mesmo fiz e ficamos de baixo da coberta deitados no colchão que colocamos na sala.

Quando meu lembro desses momentos que passamos juntos eu tenho vontade de voltar no tempo  apenas para reviver tudo novamente. Não existia lugar melhor para se estar do que nos braços do meu amado Hoseok. Eu o amava tanto e ele me amava também.

-   Eu quero ir para Toscana –Hoseok quebrou o silencio gostoso que estava me fazendo quase dormir.

- Quando? – Perguntei com a voz preguiçosa.

- Quando eu for para o céu..

Levantei me tronco e apoiei minhas mãos sobre seu peito e o olhei confuso.

- O céu é tão grande Yoon, quando eu partir daqui eu quero ir morar no céu de Toscana – Eu sorri mas não  achei engraçado, eu odiava quando ele dizia sobre partir. Odiava pensar que ele poderia ir embora sem mim.

- Você é um bobo,Jung Hoseok – Disse e fiz um bico e ele levou sua mão grande até meu rosto e me acariciou – Se você for para um lugar legal, promete que vai me esperar?  - Peguei sua mão e beijei.

- Eu prometo. – Hoseok sorriu e me puxou para um beijo.

Nos beijamos com calma, nossas bocas já tão conhecidas se tocaram com delicadeza,sua língua acariciando a minha.

- Eu amo você.. – Jung sussurrou entre o beijo.

- Eu amo você. – Repeti e então voltamos a nos beijar.

 

Sobre aquele colchão nós fizemos amor. Hoseok tocou cada parte do meu corpo com sua boca e eu gemi seu nome repetidamente como ele gostava. Eu amava me entregar a ele, amava quando ele tomava meu corpo daquela maneira, com cuidado e amor. Ele entrava em mim e me beijava enquanto meus dedos passeavam por suas costas e meus gemidos saiam entre o beijo. E quando seu orgasmo me preenchia eu gemia seu nome em alto e bom som enquanto ele dizia o quanto eu era gostoso.

Jung Hoseok sempre foi o melhor.

O melhor pra mim.  

 

 

(...)

 

Foi numa madrugada de quinta feira que acordei com Hoseok tremendo e gemendo , eu fiquei desesperado  quando vi o tanto de sangue que saia de seu nariz. Eu corri e peguei seus remédios e uma toalha úmida, ele estava com febre alta então lhe dei um remédio e o limpei. Eu  via aquilo todos os dias no hospital mas ver Hoseok passando por aquilo me destruía e eu sei que ele odiava eu ter que passar por aquilo.

Mas eu o amava e cuidaria dele até o ultimo momento.

Mas naquela noite  ele chorou, chorou porque não da pra ser forte o tempo todo  e eu o acompanhei. O enrolei na coberta , o coloquei entre minhas pernas  e o abracei o mais forte que pude e juntos nós choramos. Eu sabia que ele estava piorando mas eu ainda queria acreditar que ele sairia bem no fim. Eu precisava acreditar que ele ficaria bem ou então eu iria desabar.   

 No escuro do nosso quarto eu beijei sua cabeça e sussurrei que eu estava com ele, eu estava ali com ele e tudo ficaria bem.

Nas primeiras horas do dia eu o levei para o hospital e ele foi internado. Horas depois eu estava na sala de descanso e Jin entrou,sentou-se ao meu lado e abraçou meu ombro. Eu olhei para meu amigo e meus olhos automaticamente encheram-se de lagrimas.

- Eu estou fazendo o que me pediu...eu estou cuidando dele...estou fazendo tudo o que posso mas... Porque não adianta? – Minha voz saiu embargada e as lagrimas rolaram por meu rosto.

Jin me abraçou e eu desabei, chorei como um bebê no ombro do meu amigo. A dor da inutilidade era a pior, meu coração parecia quebrar um pedaço a cada dia, eu daria minha vida para salvar Hoseok. Eu faria isso por ele.

- O corpo dele já não esta reagindo ao tratamento e um dos rins pararam de funcionar. – Jin acariciou meus cabelos enquanto meus soluços altos tomavam conta da sala. 

Me afastei dos braços do meu amigo e limpei meus olhos e respirei fundo.

-Eu não posso o assistir morrer dessa maneira. Eu não consigo. – Sussurrei enquanto olhava para cima na tentativa de não chorar feito doido novamente.

- Eu juro que farei de tudo para o salvar. Eu juro Yoon. – Jin me disse e eu assenti limpando as lagrimas que insistiam em cair.

- Ele não pode morrer,Jin. Ele não pode.

 

 

 

(...)

 

Eu decidi que não iria embora naquela noite pois ficaria com Hoseok, entrei em seu quarto e o vi ali deitado naquela cama pequena; o monitor cardíaco apitava dizendo que seu coração estava batendo e a  pequena mangueirinha em seu nariz o ajudava a respirar. Me deitei ao seu lado na cama e me encolhi deitando com a cabeça sobre seu peito, ele dormia pesado pois havia sido medicado.

 Ali abraçado a ele naquela cama de hospital eu me senti tão assustado, perdido e com medo. Eu não queria perder Hoseok, eu não conseguia me imaginar sem ele. Mas eu sabia que eu precisava me preparar pois ele estava me dizendo Adeus aos poucos. Nunca é fácil deixar alguém ir mas eu precisava o deixar, precisava entender que nada dura para sempre.

Eu não queria que Hoseok morresse, eu nunca quis. Eu o amava e o queria ter ao meu lado eternamente mas naquela noite eu percebi que eu não poderia fazer muito mais. Então se a única coisa que eu poderia fazer era ficar ao lado dele, eu faria.

E fiz.

  Foi ali que percebi que a minha história não acabaria com um ‘’E foram felizes para sempre’’ por que isso não existe. ‘’Felizes para sempre’’ é apenas um conto de fadas.

 

 

‘’Era uma vez… e viveram felizes para sempre. Contos de fada, coisas dos sonhos. O problema é que, contos de fadas não viram realidade.
São as outras histórias as que começam com tempestades em noites sombrias e terminam de formas indescritíveis… são sempre os pesadelos que parecem se tornar realidade. A pessoa que inventou a frase “E viveram felizes para sempre ” deveria levar uma surra daquelas.
As histórias que contamos são coisas dos sonhos. Contos de fadas não se tornam realidade. A realidade é muito mais agitada. Muito mais turva. Muito mais assustadora. A realidade é muito mais interessante do que viver feliz para sempre…”

 


Notas Finais


A fic terá apenas mais um cap e talvez mais outra capitulo especial.
E gente,quero deixar claro que eu AMO o Tae <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...