História Elegida dos Deuses - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bills, Chichi, Goku, Whis
Tags Chichi, Dbs, Dragon Ball, Dragon Ball Super, Gochi, Gochiotp, Goku, Gokuechichi
Visualizações 216
Palavras 2.779
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Magia, Shoujo-Ai
Avisos: Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Re-poste. "Elegida dos Deuses".
Boa leitura o/

Capítulo 1 - Capítulo único


Antes de retornarem, Goku sugeriu que todos comessem, afinal, lutaram uma dura batalha contra um deus. Trunks, Vegeta e Son Goku. Todos gostaram da ideia, principalmente Bills e Whis, afinal, só estavam aqui pela comida dos terráqueos.

— Já que fora sua a ideia, Goku, por que não me trás alguma coisa diferente? —Bills não estava satisfeito, apenas, com a alface que o guerreiro levara da última vez. Mesmo que estivesse delicioso.

— Eh? O que quer dizer, Bills-sama?

— Vegeta sempre é quem leva comida para o treinamento, não é mesmo? Certo, está decidido. —O deus da destruição estava sério.

— Certamente estou empolgado, Son Goku. —Sorriu Whis animado— Quais iguarias irá nos apresentar?

No entanto, Goku parecia meio aflito. Vegeta sempre mandava comida pronta e era realmente deliciosa. Então, o que deveria fazer? Enquanto pensava sobre, seu filho, Goten, o observava como se esperasse por uma resposta óbvia que não chegava.

— Nee, otosan...

— Hum?

— Vamos para casa. —Todos encararam o pequeno como se tivesse cometido um crime, afinal, estava chamando seu pai para ir embora, mesmo sabendo que o mesmo havia recebido uma ordem de Bills, o deus da destruição. Embora, em suas mentes, tal comportamento era esperado, era filho de Goku, afinal.

— Para casa? —Questionou o outro.

— Hai, a okãsan está em casa. —Sorriu inocente, fazendo então, Goku compreender do que se tratava.

— Ah! É isso mesmo, Goten! Como pude ter esquecido? —Riu— Bills-sama, Whis-san, vamos para minha casa.

— Eh?

— Afinal, a melhor comida do planeta Terra, ainda é desconhecida para vocês, verdade?

— O que quer dizer? —Questionou o gato.

— Que a comida da okãsan é a melhor que existe, é claro! —Abraçou o pai que sorriu concordando com a fala do pequeno.

— Agora que mencionou, isso é verdade... vocês ainda não conhecem as delícias que a esposa de Goku cozinha. —Concordou a mulher de cabelo azul sendo completamente apoiada pelo esposo, Vegeta, que era um fã fiel à culinária de Chichi-san.

— Certo. Está decidido, vamos todos à casa de Son Goku. —Whis havia dado o veredito.

 

 

Elegida dos deuses.

 

Enquanto isso, na casa do homem mais forte, Chichi-san terminava de limpar a casa; fazia tempo desde a última vez que dera uma boa faxina. Agora, só restava o quintal e podar algumas árvores próximas. Pegar água no rio para lavar roupa e cortar lenha para preparar o jantar. Gostava dessa tranquilidade, mas sentia falta da barulheira do treinamento de Goku e Gohan.

— Okãsan! —A voz alegre chamou sua atenção. A mesma correu para fora e, assim que abriu a porta da casa, deu de cara com Goten nos braços de Goku. — Okãsan, tadaima! —Jogou-se no colo da mãe que sorriu e encarou o marido.

— Chichi, tadaima.

— Bem-vindo de volta, Goku. —Abraçou o esposo. Silenciosamente, agradecendo pelo mesmo voltar vivo e em segurança. Compreendia seu papel como esposa dele e não queria interferir em suas batalhas, mas, não podia mentir quanto aos seus sentimentos, pois o amava demais para isso. Estava preocupada, porém, feliz por seu retorno.

— Nee, okãsan, Bills-sama e Whis-sama vieram comer.

— Bills...sama? —A mulher estava em choque. Sua casa não era tão sofisticada como a de Bulma e Vegeta, estavam distantes do centro da cidade. Sua comida não era tão boa quanto a dos chefes contratados pela amiga, então, por quê? Por que Bills-sama e Whis-sama estavam em sua casa para comer?

— Está tudo bem, Chichi? —Questionou Goku preocupado com a palidez da esposa encarando as figuras divinas que observavam a conversa do casal.

— Vem comigo um momento, Goku. —Puxou-o para dentro e fechou a porta com tamanha força que, por pouco, toda a casa não desmoronou. Bills e Whis, curiosos, observavam o comportamento da esposa do homem mais forte da Terra.

— Chic— O sayajin não foi capaz de terminar sua fala.

— O QUE SIGNIFICA ISSO, GOKU? O DEUS DA DESTRUIÇÃO E SEU MESTRE ESTÃO NO NOSSO JARDIM, ASSIM COMO, TODOS DA CORPORAÇÃO CAPSULA, VEGETA-KUN E OUTROS PARA COMER? COMER? É ISSO?!

— Chichi...

— ESTOU ERRADA, GOKU?

— Não. —Sentou-se cruzando os braços e fechando os olhos, embora fosse um comportamento típico de Goku, a mulher estranhou o silêncio do marido. — Nee, Chichi... a sua comida é realmente deliciosa, então, quando Bills-sama me pediu para dar alguma comida gostosa, eu lembrei que você ainda não tinha cozinhado algo que ele tivesse comido, entende? Não é como se ele fosse destruir a Terra ou algo assim...

— Nee, Okãsan, foi ideia minha. —Goten, que até então tinha sido esquecido, mesmo estando no colo da mulher, chamou sua atenção com voz chorosa pela irritação da mãe— Não foi culpa do otõsan.

— Goten...  —Chichi o encarou e, rapidamente, desfez a ruga entre as sobrancelhas, enfim, suavizando sua expressão. Assim como Goku, caiu sentada no chão sem largar o pequeno dos braços. — Desculpem gritar com vocês.— Goten abraçou a mesma pela pescoço, sua mãe pareceu bem triste. — Está tudo bem, Goten. —Sorriu alisando as madeixas negras do pequeno.

— Okãsan... —Mesmo dizendo estar tudo bem, sua expressão não mostrava muito disso.

— Você só precisa fazer o que sempre faz, Chichi. —Disse simplista— Independente do que for, estará delicioso. Não tem com o que se preocupar. —Sorriu— Né?

— Goku... —Seu rosto ficou rubro, o que atraiu os olhos do esposo com curiosidade. Fazia tempo desde a última vez que a viu envergonhada, pois, quase não ficava em casa e sempre acabava aprontando alguma coisa que a deixava nervosa, então, definitivamente, seu dia havia começado bem com uma expressão tão bela vinda da mesma.

— Estão todos esperando, não podemos deixar as visitas do lado de fora da casa, Chichi.

— Sim, você tem razão, Goku. —Sorriu— Obrigada! —Segurou a mão do mesmo que estendeu para lhe ajudar a se erguer e, assim que ficou de pé, sentiu uma leve pressão contra seus lábios, causada pelo contato dos de Goku.

— Estou contando com você. —Sussurrou logo indo até a porta e voltando seu olhar para mesma que sorriu. —Vamos.

 

Do lado de fora, todos estavam silenciosos esperando pelo pior —exceto Bills e Whis, afinal, não conheciam aquela mulher— já que Chichi levou Goku para dentro e não parecia muito feliz com a situação. Quando a porta fora aberta e o casal saíra, todos encaravam com curiosidade.

— Bills-sama, Whis-san, peço desculpas se fui rude com vocês. —Chichi conversava encarando-os de frente— Meu nome é Chichi e sou esposa de Goku. É um prazer recebe-los em nossa casa. —Fez uma breve reverência.

— O prazer é nosso, Chichi-san. —Whis simpatizou com a mesma.

— Mas, se me permitem dizer algo: —a atmosfera ficou meio tensa e tanto Goku como, Vegeta ou Picolo sabiam que algo ruim viria— minha casa, minhas regras. Sayajins, deuses, demônios, seja o que for, minhas ordens são absolutas.

— Chic—

— GOKU-SAN, VEGETA, TRUNKS, —todos ficaram alinhados esperando ordem— vocês têm cinco minutos para tomar um banho e começarem a ajudar com os preparativos do almoço. Enquanto isso, Picolo, vá até a casa de Gohan e diga que deve vir para cá com sua família. Isso inclui mister Satan. Fui clara?

— SIM SENHORA!

O banheiro já estava pronto para o banho, Bulma havia levado roupas para o marido e filho (vindo do futuro), e Chichi havia separado as de Goku. Enquanto isso, Picolo fora até Gohan e sua família. Bills e Whis ficaram sentados em cadeiras de madeira comendo uma salada de frutas que a mesma havia feito cedo e pareciam muito satisfeitos com o aperitivo. Bulma brincava com Goten e Trunks e os outros logo chegariam.

5 minutos depois

— Chichi-san, o banho estava ótimo. —O rapaz vindo do futuro parecia deveras contente, assim como, o pai. Mesmo que o príncipe dos sayjins não tivesse dito nada, afinal, era orgulhoso demais para isso. Goku, por sua vez, já estava procurando algo de comer na cozinha.

— Isso é ótimo, sim? —Sorriu— Agora, Goku-san—puxou o mesmo pela gola da camisa— vocês poderiam me ajudar?

— Ajudar? —Questionou Vegeta, tremendo, pois não sabia cozinhar.

— Não se preocupe, não é na cozinha. A nossa mesa de jantar é pequena para tantas pessoas, então, gostaria que pegassem quanto de madeira for necessário e fizessem uma nova.

— Uma mesa de madeira? —Questionou Vegeta.

— Sim.

— Isso é fácil, Chichi-san.

— Nee, Chichi. O que vai acontecer com a mesa que temos? Ela não é pequena.

— Irei colocar as comidas, Goku.

— Certo! Está decidido, vamos fazer isso! —Animou-se o mesmo.

— Você também vai precisar de lenha, sim? —Vegeta.

Hm.

Mesmo que fosse um almoço para o deus da destruição, todo o ambiente na casa de Goku e Chichi estava alegre. Gohan e sua família chegaram e a pequena Pan pareceu gostar do gato divino, esse que também gostou da criança e se permitiu voar com a mesma brincando entre as árvores. Enquanto isso, Bulma juntava algumas folhas que Goku, Vegeta e Trunks fizeram cair enquanto derrubavam algumas árvores e cortavam para fazer uma nova mesa. Videl logo se juntou à sogra para que o almoço saísse mais rápido. Goten e Trunks treinavam próximo ao lago. Whis só observava tudo saboreando o suco de maçã que Chichi havia lhe preparado.

O mestre de Bills refletia sobre o quão bom foi ter vindo à Terra e conhecido essas pessoas, esses guerreiros que mesmo sendo tão orgulhosos, eram pessoas gentis e simples. Pessoas que só se preocupavam em manter a tranquilidade de suas vidas e para isso estavam dispostos a enfrentar todo mal que fosse preciso. Tinham acabado de retornar de uma feroz batalha que parecia impossível obter a vitória; mesmo assim, aqui estavam eles, fazendo uma mesa, preparando um almoço, apreciando uma paz que, certamente, seroa temporária, mas muito bem aproveitada e até mesmo infinita enquanto durasse.

— Humanos, realmente, são criaturas interessantes. —Sorriu, pela primeira vez, fechando os olhos para descansar. Rezando no silêncio de seu espírito para que essa paz pudesse acalmar todo o universo.

*

A mesa estava pronta, todos haviam se sentado e Bills acordara Whis que parecia ter caído em um sono profundo. Assim que desperto, também se juntou aos demais e se pôs a observar a fartura daquela mesa. Chichi vinha com a última bandeja de carne, parecia um pouco cansada e então o mesmo percebera que... Chichi-san estava envelhecendo mais rápido que o habitual. Ser esposa do sayajin mais forte do planeta não parecia uma tarefa fácil, mesmo assim, essa mulher exercia o papel com perfeição.

— Obrigada por esperarem e desculpem a demora. —Colocou a bandeja sobre a mesa e sentou-se ao lado de Goku. Esse que sussurrou um obrigado pelo trabalho duro.

— Bills-sama! —Goku levantou a mão esquerda e com a direita abraçou Chichi pelos ombros— Essa é a comida mais saborosa de todo o planeta Terra. Não se contenha!

Todos ergueram seus copos, cheios de suco e começaram a se servir. Goku não ficou para trás, logo pegando uma cocha de porco e, aproveitando-se do tamanho da mesma que o cobria.

— Goku...?

— Itadakimasu, Chichi. —Beijou-lhe com carinho antes de abocanhar a carne que o esperava.

— ISSO ESTÁ DELICIOSO! —Gritou Bills que já não sabia mais o que comer, pois, tudo estava divina e unicamente saboroso.

O almoço dos amigos durou o suficiente para que calças fossem afrouxadas e crianças ficassem cansadas de tanto comer. Bills e Whis não conseguiam descrever os sentimentos e sensações provocados pela culinária de Chichi-san. Estavam estufados, mas, mesmo assim, se recusavam a parar de comer.

— Bills-sama, Whis-san. Desculpe interromper, mas... eu posso embalar algumas marmitas para vocês levarem. —Chichi havia percebido o desespero dos mesmos, pois na mesa ainda havia comida com fartura. Os dois pararam no ato e limparam-se.

— Obrigado, Chichi-san. —Whis agradeceu.

— Escute, Goku. —Bills se levantou— Você estava certo: a comida dessa mulher é a melhor de toda a Terra. Obrigado pela refeição, Chichi-san.

 

 

 

 

 

Que a terráquea tenha o envelhecimento semelhante ao da raça de guerreiros que, esse planeta, habita. Deuses, ouçam minha prece.

*

 

 

— Goku-san? O que... aconteceu? —Questionou Chichi ao sair do banheiro e perceber que a cozinha estava arrumada, tudo havia sido lavado e guardado em seu devido lugar e Goku comia uma maçã.

— Oh, Chichi! —Sorriu quando a mulher se aproximou do mesmo. No entanto, algo não pareceu certo.

— Algum problema? —Fora uma pergunta dupla, tanto para o estranho fato da cozinha estar arrumada como para expressão de desconfiança do mesmo.

— Hm? Oh! Goten disse que você ficaria feliz se nós arrumássemos a bagunça, já que você fez tudo sozinha.

— O-Obrigada, Goku-san. Mas, o que você está olhando? Algo errado?

— Hum... —Pareceu pensativo.

— Goku? —Inclinou a cabeça para o lado sem entender do que se tratava.

Goku estava em um dilema. Se dissesse que Chichi parecia mais jovem, certamente, ouviria poucas e boas por tê-la chamado de velha. Mesmo que indiretamente. Então, o que dizer? De fato, ela parecia mais jovem. Talvez fosse coisa da sua cabeça? Fazia tempo que não a olhava tão de perto; mesmo assim, algo não estava certo.

— O-O banho? O banho estava bom? —Riu.

— H-Hm. Estava. P-Por quê?

— Vem aqui. —Puxou-a para seu colo, fazendo a mesma enlaçar sua cintura com as pernas— Você foi incrível hoje, Chichi. —Colocou seu rosto entre os seios da mesma, essa que trajava uma camisola de alça fina na cor branca, era muito atraente aos olhos do guerreiro. Chichi cheirava a flores, sua pele estava macia o suficiente para deixa-lo excitado com o contato de suas mãos nas coxas roliças e bem definidas da esposa.

— Você não tem que agradecer. —Sufocou-o.

— Chichi!

— Afinal de contas, era para Bills-sama e Whis-san.

— Não entendi.

— Se eu não fizesse, o que aconteceria? Eu sei que a Terra não seria destruída, mas, certamente, na pior das hipóteses, você não poderia treinar com Whis-san. O que seria péssimo!

— Pensei que você fosse gostar. Desistiu da ideia de me fazer trabalhar?

— Não é isso! —Socou o queixo do mesmo com força— É só que... a história sempre se repete, não é? Quando está tudo em paz... algum inimigo poderoso aparece querendo destruir nosso planeta e no fim, você e os outros acabam lutando. Da última vez você acabou morrendo e... se treinando com Whis-san você pode ficar mais forte, então, eu não quero tirar isso de você. —Encarou-o fixamente— Porque não quero que o tirem de mim.

— Oss.

Ele poderia agradecer, abraça-la e qualquer outra coisa, mas preferiu concordar e respeitar. Compreendia os sentimentos da esposa, morrera diversas vezes, deixando-a cuidar de seus filhos sem a presença do pai. Chichi era forte, certamente, a mulher mais forte que conheceu. Internamente, era agradecido por tê-la conhecido e feito sua esposa. Chichi lhe fora concedida pelos deuses.  O silêncio dos dois foi quebrado pelo suspiro pesado de Goku ao sentir seu corpo esquentar com tais pensamentos a respeito da esposa. Num movimento rápido e inesperado, puxou os lábios da mulher para um beijo cumplice, cheio de saudade e agradecimento. As mãos que antes firmavam suas coxas, deslizaram com segurança e desfrute até o quadril, onde se permitiu apertar com gana, enchendo as mãos com a carne macia do local.

— G-Goku... —Ofegou a mesma.

— Qual o problema? —Beijou o pescoço esguio da mesma.

— Goten pode chegar...

— Está tudo bem, —marcou o local— Goten foi para casa de Bulma. —Sorriu de canto e se teletransportou para o quarto de ambos.

— Oh! —Chichi assustou-se quando se dera conta de onde estava. Goku sobre si, entre suas pernas a encarando como predador. A mulher o enlaçou pelo pescoço e trouxe até si. —Faça uma boa refeição.

— Itadakimasu. —Sussurrou ao pé do ouvido.

 

 

 

 

FIM.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

— FIM?

— Sim, fim. —Retrucou Whis saboreando seu sorvete de chocolate.

— Uma ova que é fim, Whis. O que foi aquilo que você estava resmungando quando estávamos voltando?

— Ah. Então você ouviu?

— Mais ou menos.

— Era uma magia antiga.

— Magia?

hm. “Elegida dos deuses”, uma magia antiga que rejuvenesce. No entanto, só pode ser conjurada para mulheres.

— Por quê?

— Porque ela foi criada há muito tempo... quando dois deuses se apaixonaram por uma humana, no entanto, ela não viveria o suficiente para estar com junto deles. Então, com a ajuda de uma feiticeira, criaram essa magia. No entanto, seu conjurador deve ser imortal, do contrário, morreria assim que fosse conjurada. Por isso é uma magia perdida.

— Hum... e você a conjurou para...?

— Chichi-san.

— Por quê?

— Porque aquela mulher é forte demais para viver tão pouco ao lado daquele sayajin. Quantas vezes você acha que Son Goku morreu? Aquele homem não pensa no sofrimento que causa a mesma. Seria injusto que ela morresse tão depressa convivendo com três sayajins... que envelhecem num ritmo diferente dos terráqueos. Além disso, tenho certeza de que você percebeu o potencial de seus filhos, quando comparados aos de Bulma-san; ficou claro que isso não se deve unicamente ao sangue de Goku-san.

— O que significa...

— Que Chichi-san é a elegida dos deuses. —Roubou o brigadeiro de Bills.

 

.FIM.


Notas Finais


Bah. Fanfic editada <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...