História Era Uma Vez - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Alfa, Bts, Jikook, Kookmin, Lemon, Ômega, Taeseok, Vhope
Visualizações 42
Palavras 1.936
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteeei!! Sei que já pularam as Notas do Autor, então... É isso!

Beijos, aproveitem o capítulo e desculpem os errinhos!! ♡

Capítulo 12 - Capítulo doze



Jungkook já estava naquela maca a horas, e eu como um grande amigo além de estar me sentindo preocupado, me sentia culpado. Tá, não é bem minha culpa já que eu não sabia que meu amigo, filho de dois ômegas, iria desmaiar bem na minha frente após ouvir o meu grande segredo do momento. 

Eu estava sentado ao seu lado, de pernas juntas e com os cotovelos sobre elas, com minha mochila e a do Jeon do lado, enquanto o observava sem tirar os olhos de si. Já fazia tempos que ele estava lá e eu já estava cogitando a ideia de ele estar em coma.

Dei um suspiro, estava cansado de ficar lá, mas era claro como água que eu não sairia dali sem meu amigo, mas eu já sentia minha bunda dormente de ficar sentado tanto tempo, e aquele tédio maroto que qualquer um sente, ou sentiria, em casos como esses. Então ele começou a dar leves movimentos com a cabeça e em seguida um sorriso pequeno adornou seus labios finos, logo, dando espaços para pequenos resmungos, aos quais me irritaram profundamente. 

- Jimin... para.. faz cócegas - a sua voz saia baixa, e era óbvio que ele ainda estava desacordado. Me levantei e o sacudi violentamente, estava desacreditado que o tempo em que eu estava preocupado e cansado com ele, ele estava simplesmente dormindo e tendo sonhos eróticos com o Park. 

- Jungkook. Jungkook! - quando não obtive resultados, na última vez que chamei o seu nome lhe estapeei na testa, o vendo abrir os olhos atordoado. 

- Que? Onde eu.. - ele olhou de um lado ao outro, reconhecendo que estávamos na enfermaria da escola. Se sentou e olhou seu corpo, como se estivesse querendo ter certeza de que estava inteiro, e em seguida olhou para mim. - Hobi me diz que aquilo não é verdade - mal havia acordado e já havia dado resquícios de que iria chorar. 

- não vamos falar sobre isso agora - revirei os olhos. - vem, levanta dessa cama, é intervalo e creio que já está bem o suficiente para andar. 

- Mas eu não quero ir embora - choraminhou e eu o olhei confuso, enquanto o ajudava a descer na maca pelos degraus pequenos ao lado dela. - Jimin me mandou uma mensagem, e disse que voltaria para a escola hoje e que eu estivesse com ele. 

- E daí? 

- E daí, seu desalmado, que eu não estou com ele e foda-se o resto - me empurrou e eu abri a boca várias vezes para contestar, mas a incredulidade não me permitiu isso. - Passar bem. 

Saiu. 

Mas voltou. 

- Conversamos mais tarde.

E saiu de Novo, e desta vez, não voltou. 

Não acredito que estou perdendo meu amigo para àquele Park. 

(...) 

- Dá para acreditar? Esse desgraçado me trocou. Me. Trocou. - após ter repetido a frase novamente, só para causar mais drama, mordi meu sanduíche com violência, e bebi o suco do canudinho com força. - Desgraçado - repeti o primeiro ato novamente.

- Nossa.. que legal - Taehyung revirou os olhos e voltou a bebericar de seu cappuccino, enquanto evitava meu olhar enfurecido sobre si. 

- Foda-se se você está nem aí, eu não quero saber, vou continuar falando - após minhas palavras, ele fez uma careta de puro desgosto. 

- Credo, parece até que está de TPM - bebeu mais do líquido quente, o acabando, mas percebendo os seus atos e sua vontade de ir embora, tratei de intervir.

- MAIS UM CAPUCCINO, POR FAVOR! - ele arregalou os olhos com meu grito, me olhando espantado, e eu com meu puro drama, o ignorei. 

Sei que para você está sendo estranho eu estar andando com Kim Taehyung e o modo que estou o tratando, mas sei lá, quando entrei na cafeteria ele já estava lá, e eu somente me sentei e deixei que ele fizesse algum pedido, o qual agradeci internamente ele ter incluído algo para eu comer, mas também me assustou ele ter adivinhado exatamente o que eu queria. Um X-tudo e um refrigerante Light.

- Você tá que tá em - deu um suspiro cansado, e percebi que devido ao meu pedido, ele voltou a sentar mais relaxado, já que antes estava dando menção de levantar-se. 

- cala a boca ou eu arranco suas entranhas - minha voz saiu entre-dentes, e eu me assustei minimamente por do nada criar tanta coragem para enfrentar aquele alfa. Porra, era um Alfa Lúpus! Mas não me assustou mais ainda, do que vê-lo aquietar-se com o meu pedido e bufar, totalmente vencido. 

Não só Jungkook, mas Taehyung ficaram estranhos.

- Seu pedido, senhor - a beta veio sorrindo e colocou a caneca a minha frente, além de eu não a retribuir gentilmente como meu eu normal faria, a encarei com uma carranca. 

- É para ele - disse grosseiramente e apontei para Taehyung com minha faquinha de plástico. Ela empurrou levemente o pedido para o Lúpus e sorriu meio contida para este e antes de sair, fez um comentário baixo, que devido a este pensamento, ela não sabia que eu poderia ouvi-la. 

- Ômegas! - deu um sorrisinho à Taehyung e saiu.

- Olha aqui eu sou um alfa, tá? Al-fa! - ela continuou andando, e apertou os Passos, e enfurecido me levantei, fazendo menção de avançar nela. Mas fui interrompido, já que meu braço foi segurado. 

- Hoseok, o que é isso? Foi só um erro dela! - se levantou junto a mim, aplicando mais força no meu braço, e eu me forcei a não demonstrar a dor que estava tendo pelo aperto. 

-  erro uma ova, ela sabe o que eu sou e fica debochando de mim. Por acaso ela é burra? - meu braço foi puxado com mais força, e agora estava sendo levado às pressas para fora da cafeteria. - Me solta! - Ouvi o sininho quando a porta foi aberta, e logo já estávamos do lado de fora, Taehyung empurrou-me e me deixou rente e perto do seu rosto. 

- O meu cheiro está em você por toda a parte, Ninguém iria conseguir identificar o seu e por isso ela arriscou chamá - lo de meu ômega - ele disse, e era provável que estava cheio de fúria, mas era bom a sensação de seu hálito quente contra minhas bochechas, e melhor ainda foi ser chamado de seu ômega, mesmo eu não sendo um, e muito menos dele. - Qual o seu problema? 

- E-Eu não.. 

- Ahg! - me soltou e começou a caminhar, indo de volta para a escola. 

- Tae, me espera! - Bem, pelo menos ele não está estranho mesmo, continua sendo o mesmo arrogante de sempre. - Espera! - O puxei. 

- O que é? - Exclamou, e eu me sentia muito incomodado em saber que ele estava decepcionado comigo. 

- Você pagou a comida? 

- Merda. 

(...) 

Havia voltado para a escola primeiro que o Lúpus, e já estava tendo minhas últimas aulas. Havia visto Jungkook na sua carteira de sempre, ao meu lado, mas quando me sentei, ele sequer me olhou, mesmo não parecendo proposital, eu já estava me remoendo, eu não acreditava que ele passou o intervalo inteiro com aquele ômega metido, e ainda dava sorrisinhos bestas. 

- Hoseok! - Ouço a voz da professora, em um grito, chamando minha atenção, que antes estava naquele ômega original idiota de merda. A encarei. - Presta atenção na aula - dito isso, voltou -se para o quadro. 

Suspirei - Sim, professora.

(...) 

Quando o sino tocou, Jungkook saiu na frente, enquanto eu arrumava meus materiais. Eu jurava que quando chegasse no portão, ele iria está lá, me esperando como sempre, mas não. Não tinha ninguém, a rua estava deserta e não ouvia-se nada a não ser os pequenos barulhos do vento se chocando contra as folhas. 

E do toque do meu celular, alertando-me sobre ter recebido uma mensagem.

Jungkook: Hyung, vou ajudar o Jimin

              Em seu trabalho de Inglês

Por favor, vá sem mim!!

E me desculpe (;-;).. 

Eu: Tá. 

A minha resposta havia sido simples, e se Jungkook me conhecesse bem como sempre diz, reconheceria o ódio que aquele simples "Tá" soou. Tipo, muito! 

Eu não queria ter que andar por aquelas ruas sozinho, minha mãe havia acabado de chegar com meu pai, e disse que providenciará uma bicicleta nova para mim, mas quando não tivesse uma, que fosse andando ou de ônibus. Mas cadê o dinheiro? 

Ajeitando a alça da mochila nos ombros, atravessei o portão, com uma expressão neutra, que escondia o ódio e a raiva que eu sentia naquele exato momento. Claro que eu estava feliz pelo meu amigo, afinal ele havia conseguido aquela aproximação com o ômega Jimin que sempre quis, mas nem mesmo eu com Kim Taehyung o deixei de mão assim. 

Com um suspiro, virei a esquina, mas soltei um grito que infelizmente saiu fino demais, ao ver um homem com uma jaqueta de couro Preta, ao lado de uma moto, em uma posição relaxada, como se estivesse esperando alguém.

Mas eu reconhecia aquele cheiro, ainda mais por ele estar impregnado em mim também e me perguntei o porquê de ele ainda estar ali.

- O que faz aqui? 

- Anda logo, me fez esperar por quase duas horas - me entregou um capacete branco, o peguei, meio lerdo. 

- Duas horas? Tudo isso?! - Coloquei o objeto e subi na moto assim que o Lúpus já estivesse sobre ela, me apoiando em seus ombros para tal ato. 

- Minha sala saiu cedo hoje - ligou a moto e esperou que os carros passarem e desse brecha para que ele pudesse pegar a estrada. 

- E me esperou por todo esse tempo? - tentei, só tentei mesmo não sorrir, mas foi impossível. Ele começou a dirigir, E aumentar a velocidade.

- Claro, Jimin me pediu, já que havia roubado seu gêmeo - E meu sorriso sumiu, tanto por Kim Taehyung só estar lá a pedido do ômega a qual, infelizmente estou começando a pegar ódio. E em um ato insensato, eu falei.

- Eu quero descer. 

- O que? - ele parecia confuso pela minha fala.

- Para a moto, eu quero descer. Eu vou andando. 

- Tá maluco? - ele foi diminuindo a velocidade e parou ao lado da calçada. Desci violento e rápido e tirei o capacete com força, E joguei contra seu peito. 

Aquilo era muito, muito infantil, óbvio, mas já bastava Jeon Jungkook, agora Kim Taehyung obedecer às ordens daquele ômega sem graça e.. 

- Hoseok. 

E...

Por que meu corpo parou? 

- Vem aqui. 

Por que estou voltando? Por que meu corpo não está me obedecendo e simplesmente não vai embora como eu mando? 

- Coloca isso. 

Era só uma voz de alfa! Por que eu estou obedecendo?! 

Por que estou colocando o capacete exatamente como ele me pediu?

- Agora sobe.

Mas já era tarde, não saia uma palavra minha sequer, meu corpo não me obedecia mais, aquela voz, aquela voz me pegou de jeito, e realmente não é normal eu ter ficado tão submisso à ela.  

 Subi na moto e lhe agarrei, Ele voltou a dirigir, e durante todo o trajeto, eu não soltei uma palavra sequer. Não parecia mais o certo, somente ficar calado, ainda mais quando ele me deu um selinho de despedida. Não foi estranho, foi inesperado. 

Mas foi fofo. Fofo até demais para alguém como ele.

Assim que eu o perdi de vista, pude respirar melhor. E até mesmo pensar, enquanto caminhava o curto espaço até a minha casa. 

- Aquilo foi normal, muito normal. É claro que a voz de um Lúpus pode persuadir até um alfa... Claro.. 

Normal. Tudo normal. 


Notas Finais


Nhaaaaaaww!! Eu estou de voltaaaa!! Sei que não estava dando a devida atenção para está fanfic e sei que muitos que ainda a leem estão gostando dela, e é por esse motivo que continuo a atualizando.
E só para constar, as coisas com o tempo vai desenrolar.

Obrigado, e até o próximo, beijos!! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...