História Every moment with you 2 - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Incesto, Irmãos, Paixão, Romance, Sexo
Visualizações 23
Palavras 870
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Misticismo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá amores!
Preciso avisar a vocês que essa fic é bem sofrencia.. kk
Boa leitura!

Capítulo 22 - Está predestinado


Fanfic / Fanfiction Every moment with you 2 - Capítulo 22 - Está predestinado

Domingo

Lili

- Filho, não estou entendendo o porquê você já vai embora. Ainda é domingo, eu pensei que você só iria amanhã!

Observo minha mãe conversar com meu irmão. Depois de ontem ele anunciou essa manhã que ia embora a tarde. Ele mal me encarou hoje, acho que a conversa que tivemos ontem foi o pivô dessa decisão dele, parte de mim está desesperada para que ele mude de idéia e fique aqui, nem que seja por apenas mais algumas horas, mas a outra metade de mim está aliviada de não ter que encarar ele por mais tempo sem poder toca-lo. Sinceramente, esse final de semana está sendo uma tortura pra mim, tantos sentimentos confusos e memórias do que éramos estão acabando comigo.

- Mãe.. eu preciso ir. Prometo voltar novamente no próximo mês!

Ouço ele mentir para minha mãe calada, ela suspira ao lado dele e o puxa em um abraço comovente. Respiro fundo e digo.

- Eu levo você até a estação. Sam deixou o carro dele comigo hoje..

Ele olha pra mim contrariado por cima do ombro de minha mãe e eu levanto uma sobrancelha especulativa. Ele range os dentes e minha mãe diz.

- Ok então. Liga pra mim quando chegar lá tá?

Ele balança a cabeça confirmando e beija o topo de sua cabeça. Se levanta e pega sua mochila, eu lidero o caminho e saio de casa com as chaves na mão. Abro a porta e entro no carro, observo ele entrar a contra gosto e se sentar com a cara emburrada no banco do carona. Ligo o motor e dirijo o caminho todo em silêncio, ele fica olhando através da janela sem dizer uma palavra se quer. Quando eu estaciono em frente a estação ele olha pra mim, crio forças e encaro ele. Espero por minutos ele dizer alguma coisa, qualquer coisa, mas nada.

- Você vai perder o ônibus.

Digo com a voz seca, ele olha para suas mãos e balança a cabeça concordando. Aperta a alça de sua mochila com as mãos , suspira, abre a porta do carro e diz antes de sair.

- Se cuida Lili..

Engulo em seco e digo respirando fundo.

- Odeio você!

Ele não responde nem olha pra mim, apenas sai do carro e bate a porta. Anda sem olhar pra trás ou exitar por um minuto para dentro da estação. Observo ele sentindo meus olhos encherem de lágrimas. Eu pediria para ele ficar, mas ele não me ouviria e agora ele partiu sem que eu tivesse a chance de dizer... as palavras que dissemos, as coisas que estavam destroçadas... mas agora é tarde demais, ele foi embora novamente. Toda noite eu choro até dormir pensando no porquê isso acontece comigo, porque todo momento tem que ser tão difícil?!

Eu só queria que ele me desse uma chance para concertar as coisas entre nós. Suspiro e ligo o carro, dirijo lentamente pra casa e penso no gosto da sua respiração, eu nunca vou me esquecer, os ruídos que ele fazia que me deixava acordada a noite toda..

- Merda!

Digo sentindo o peso das coisas que ainda não foram ditas... aumentou tanto que me tortura todos os dias. De todas as coisas que eu senti, mas nunca realmente demonstrei, talvez a pior seja eu ter deixado ele partir, eu nunca deveria ter deixado ele partir sem lutar!


Calvin

Dou as costas pra ela sabendo que o coração dela e o meu está sendo quebrado em mil pedaços. Ter ouvido que ela me odeia foi pior ainda, eu sei o quanto estou ferindo ela novamente. Pela segunda vez. Eu não deveria ter vindo, não deveria ter cedido aos meus sentimentos e dormido com ela. Suspiro e entro no ônibus com o coração a mil. Não posso voltar, nunca mais!

Chego no campus a noite, subo as escadas de meu apartamento e abro a porta me sentindo vazio. Jogo minha mochila no chão e vou direto para minha geladeira, pego uma cerveja e me sento em meu sofá pensando nela. Já faz dez horas entre nós esta noite e eu sinto como se meu coração fosse parar a qualquer momento. É como se fizesse muito tempo desde que eu vi o rosto dela, o que eu não daria para tê-la aqui comigo agora. Provavelmente eu estaria perdido no toque de suas mãos, boca.. se eu conheço meu coração, não há nada que eu queira mais. Eu a amo tanto!

Ama-la é tudo que eu quero fazer e não posso. Sinto como se fosse morrer. Toda essa dor iria embora se eu pudesse olhar em seus olhos e aceitar seu pedido, voltar pra ela. Encosto minha cabeça no sofá e engulo em seco condenado. Porque eu sei que ela será a única pra mim. A única por quem eu venho orado. Oro para que ela sinta meu amor mesmo de longe. Sei que nessa vida nós não poderemos ficar juntos mas eu também sei que chegará um dia em que nem o espaço e o tempo nunca mais irá nos separar. E quando chegar esse dia chegar eu vou segura-la tão próximo de meu coração e eu vou ama-la como ela merece. Isso é certo. Está predestinado!


Notas Finais


Curtinho né?! Então, o próximo eu vou postar amanhã a noitinha..assim vocês vão poder descobrir o que acontece depois dessa segunda separação!
Continuem lendo porque está muito top
Sério! Rsrs

Beijinhos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...