História Everything I needed - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Camila Cabello, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Shawmila, Shawn Mendes
Visualizações 64
Palavras 1.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey hey, turo baum? espiero que bem, mazenfim, decidi escrever essa fic a pouco tempo (eae vitória) e espero que ela flua do jeito que imaginei, bjs bjs

Capítulo 1 - It's part


Camila Cabello

Talvez eu estivesse certa e Ally errada, só não era pra ser, claro que  não era pra ser, não seja burra Camila, tenho 20 anos e nunca me envolvi com uma mulher dessa maneira eu só queria esquecer aquilo, só não sabia como.

Desde que saí de sua casa,estou andando não sei nem onde estou, não sei que horas são, só sei que estou perdida, é, isso já está claro, a neve não perdoava caindo feito chuva, e mesmo agasalhada meu corpo ainda sentia frio

Moça?- ouvi uma voz masculina e rodei o pescoço na direção de onde a mesma veio- está, perdida? - havia um carro, preto, parado praticamente em cima da calçada, praticamente em cima de mim

acho que não- murmurei mais para mim, ou nem tanto pois o rapaz que antes estava dentro do carro arriscou descer e me arrastar para o lado do passageiro- ei, o que pensa que está fazendo?- me soltei de suas grandes mãos e ele me encarou, já estávamos parados em frente a porta que ainda estava fechada

Vou te levar pra casa- fez uma careta como quem quisesse dizer "não é óbvio?" Não. não era- não se preocupe, não vou te matar- disse por fim e suspirei quase me rendendo a carona afinal eu estava realmente perdida- a não ser que você seja uma mulher cheia de dinheiro- sorriu e revirei os olhos entrando no carro- obrigada- afinou a voz e bateu a porta

8 horas atrás

Era início de inverno, minha estação preferida do ano, o chão da praça agora coberto com neve estava mais macio que nunca, crianças correndo pra lá e pra cá, até animais entraram no "clima" Lumos parecia calmo, o que era um milagre, não deixei de agradecer um minuto por isso, pois quando esse cachorro tem seus ataques de doidera só Lauren consegue o acalmar e nesse momento eu tinha tudo, menos ela.

Agradeci mais ainda quando vi a figura dela caminhando tranquilamente até nós trazendo consigo dois cafés, os mesmos não se manteram dentro dos recipientes quando Lumos a lançou contra o chão gelado com seu peso.

Droga Lumos- murmurou ainda de baixo do cão-  sai de cima de mim seu cachorro maluco- fechou os olhos e o afastou, se sentando em  seguida- tem que diminuir a quantidade de comida que da pra esse cachorro, Camila

Previsível- passei os braços em volta dos joelhos e sorri- Venha, se junte a mim- balancei a cabeça para o espaço ao lado e Lauren levantou rapidamente se sentando lá- ele acabou com nosso café

Se quiser eu compro outro- disse desesperada, o que me assustou por um momento

ei, calma- forcei um sorriso e toquei seu ombro- pra que isso Jauregui- fiz uma careta dessa vez, e ela sorriu sem graça, sussurrou um "desculpe" e apoiou a cabeça em meu ombro

Já fazia um tempo que Lauren estava agindo estranho comigo, estava sempre se desculpando por qualquer coisa, literalmente. E isso esta começando a me irritar, espero mesmo que seja apenas uma fase

[,,,]

Que estranha- Ally se remexeu na cama- vocês duas são estranhas, estão nesse vai não vai a um tempão, porque não se assumem logo de uma vez?- bufou e levantou a cabeça- CAMILA!- gritou e dei um pequeno pulo na cama

Não grita- meti um tapa em sua cabeça, foi tão forte que até eu me espantei- desculpa- encolhi os ombros e ela revirou os olhos- do que estávamos falando mesmo?

Você, Lauren- balançou as mãos e fez um movimento engraçado com as sombrancelhas- se assumirem- sussurrou e eu ri

Não sei- encarei a janela mesmo estando longe dela e senti o olhar de Ally pesar sobre mim- não sei se é isso que quero, me entende?

-Não

claro- suspirei e voltei a encarar baixinha- pode não ser ela

-quem? sua príncipe encantada?

Eu só não quero tomar uma atitude e mais pra frente me arrepender- bati os braços contra o colchão e Ally franziu o cenho

sabe qual é o seu problema? Você pensa muito no futuro se importa de mais com ele- senti suas mãos apertarem as minhas e percebi que a mesma já estava sentada a minha frente- chega de agir pensando no que pode acontecer depois, pense no agora, e se agora é com ela que você quer estar, então vá até ela, sai dessa friendzone pelo amor de Deus Camila Cabello- largou minhas mãos e gargalhou me fazendo soltar um pequeno sorriso também- você me assusta, vê a pessoa e já viaja mil anos depois pensando em formar uma família com o indivíduo

-É, você tem razão

-Eu sempre tenho razão

Depois que Ally tomou vergonha na cara e foi embora, corri para ligar pra Lauren a idéia era ela vir aqui mas estava ocupada então eu iria lá, sua casa não era muito longe apenas uns 3 ou 4 quarteirões da minha, optei por ir a pé, passei em uma cafeteria e fiz a compra de dois cafés, e qualquer outra coisa comestível. Do lugar onde eu estava já era possível ver a casa de Lauren, atravessei a rua, e quando pisei na calçada, la estava ela -não só ela a propósito- pela janela da sala pude ver outra pessoa com Lauren, me segurei fisicamente para não cair no chão,e psicologicamente para não cair em lágrimas, então apenas larguei os cafés no deck de madeira da casa, e me afastei trajando uma caminhada até minha casa, não deu muito certo e fui parar num fim de mundo

Shawn Mendes

Saí mais tarde do que esperava as ruas já estavam cobertas de neve novamente postes de iluminação espalhados por todos os cantos facilitando a movimentação, minha vontade era de enfiar o carro em algum buraco quando me dei conta que estava dirigindo ao som de Beatles, como diabos essas músicas foram parar aí? abri o porta luvas a procura de outro CD, mas quando parei pra olhar a estrada não pude deixar de notar uma pequena silhueta caminhando na calçada, com os braços cruzados e ombros encolhidos, parecendo estar com frio

moça?- falei ao parar o carro ao seu lado, ela olhou para mim e mesmo assim não respondeu, muda talvez- está perdida?- insisti e depois de alguns segundos ouvi ela murmurar um "acho que não" não perguntei se ela queria carona, pois não gosto de receber não como resposta e nenhum ser humano em sã consciência aceitaria carona de um estranho, por isso tomei a atitude de arrasta-la para o banco do passageiro ela resistiu, resistiu a carona, mais não ao meu charme

Por incrível que pareça a garota não abriu a boca uma única vez, exceto para dizer o endereço de sua casa, que por sinal ficava a quilômetros  de onde estávamos.

agradecer seria bom, pequena- revezei o olhar entre ela e a estrada

-não pedi que fizesse nada por mim

Olha só, ela é nervosinha- sorri com humor e olhei para ela- estava brincando, pequena, não precisa agradecer se não quiser

-pode por favor não me chamar de pequena?

-Não vou te chamar de grande, não mesmo

Só me chame de Camila- fechou os olhos e suspirou pesadamente, não pude segurar o riso- tá rindo de que?

Desculpa, peque...- sorri sem graça e limpei a garganta- Camila, é que ver você brava é engraçado

E eu com medo de ser assassinada- bufou- se for pra morrer vou morrer de raiva

Parei em frente a uma casa, e Camila se ajeitou para descer mas antes se virou para mim

Obrigada- sussurrou e deu um pequeno sorriso- e me desculpa se fui grossa- uau, o que houve com aquele Shrek feminino que estava dentro do meu carro?- só estou passando por um momento difícil e...

não se preocupe, tá tudo bem- sorri e ela murmurou outro obrigada- quem sabe eu não aceite um almoço como recompensa- movimentei as sombrancelhas e ela revirou os olhos, descendo do carro- até mais Camila

Fechou a porta e correu feito uma criança,subiu alguns degraus e abriu a porta sumindo para dentro da casa, fiquei ali parado por alguns minutos e dei partida no carro indo em direção a minha casa, ouvi uma vibração e vi uma tela acender sobre o banco do passageiro, era um celular, o celular dela, sorri novamente e continuei meu trajeto



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...