História Fake Death - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bottom!jungkook, Bts, Bullying, Colegial, Death!au, Escolar, Hopekook, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Menção Vkook, Namjin, Sope, Suga, Suícidio, Taehyung, Top!jimin, Traição, Vhope, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 257
Palavras 2.589
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


**AVISO UM: A cena inicial se passa naquele mesmo tempo antes do lemon Vhope do cap passado, lembram quando coloquei um Namjin SUPER RÁPIDO? Então, a cena inicial é o que aconteceu naquela hora! Ai quando mudar para a cena do Taehyung (neste cap) é que voltamos para o "tempo real", ok?

**AVISO DOIS: Estou postando esse cap agora porque depois nesta semana não terei muito tempo! Mas o próximo sai na próxima sexta ou sábado, sim? <333

Bomm, não tenho mt oq flr, SÓ TO MT GRATA PELOS FAVORITOS A AA A A EU TO MT FELIZ EU TO EMOCIONADA
AMO VOCÊS DEMAISSSSSS
QUE VENHAM MAIS E MAIS
E interajam comigo! Eu pareço um monstro mas juro que sou um amor SCR <3

enfim, TENTEM NÃO ME MATAR, OK? DFOIHFD QUE SAUDADES DE FLR ISSO.
Agr nesses próximos capítulos vou falar tanto...

ENFIM
BOA LEITURA
I'M OUT

Capítulo 32 - Trinta e um


Fanfic / Fanfiction Fake Death - Capítulo 32 - Trinta e um

– Nós precisamos conversar, Seokjin. – Disse Namjoon, com a expressão séria. Seokjin sentiu seu rosto queimar de vergonha, e então se afastou.

 

– Como você chegou aqui? – Perguntou, perturbado. Sabia que era Jungkook que havia lhe dado seu endereço, até porque o Jeon era o único que sabia onde Seokjin morava, mas mesmo assim, queria ouvir tudo da boca de Namjoon.

 

– Jungkook que me passou seu endereço, mas não se importe com isso agora, nós precisamos conversar...sobre nós. – Mordeu os lábios.

 

Seokjin não respondeu, apenas engoliu em seco e olhou pra baixo, se sentindo envergonhado. Namjoon tinha várias emoções explodindo dentro de si, seus olhos brilhavam para Seokjin com afeto, mas também havia tristeza neles.

 

– Quando tudo aquilo que aconteceu no colégio, sobre falarem de você, eu te dei o espaço que precisava. – Disse Namjoon, olhando pra baixo. – Mas agora, eu não estou aguentando mais. Ficar longe de você, sem te ver sorrindo pra mim, sem sentir seu abraço e...seus beijos. – Sussurrou a ultima parte. – Me destrói completamente.

 

– Não acho que você deveria gostar de mim. – Disse Seokjin, fazendo Namjoon arregalar os olhos. – O que eu posso trazer de bom pra você? Eu não tenho dinheiro nem pra comprar comida direito, não tenho para fazer absolutamente nada! Eu sou apenas uma pessoa sem teto e perdida.

 

– Meus sentimentos por você não se resume apenas a dinheiro, Jin. – Namjoon disse, com a voz mais grossa que o normal.

 

O mais velho suspirou, sentindo-se cansado. Não entendia porque tinha pessoas insistindo tanto em si, se importando. Nunca teve alguém que se importasse de verdade consigo além de sua mãe, então, por quê?

 

– Mas o quê eu poderei fazer por você, Namjoon? – Seokjin elevou o tom de voz, assustando o rosado. – Eu não tenho como te dar nada, não posso te levar nos lugares, não posso te dar anéis e nem nada disso! Não posso te fazer feliz porque eu não sou alguém que é para ser amado. Há tantas pessoas naquela droga de colégio para você amar e conseguir te fazer feliz, para dar tudo para você e não trazer vergonha para sua família porque não é pobre como eu, são ricos que nem você que sempre foi.

 

A essa altura, Seokjin chorava. Namjoon estava parado observando o mais velho soltar aquelas palavras, seus olhos estavam marejados.

 

– EU NUNCA TIVE UMA VIDA PERFEITA, SEOKJIN! – Namjoon explodiu, fazendo o Kim mais velho pular de susto. Agora era Namjoon que derramava lágrimas.

 

Pela primeira vez por alguém.

 

– Você não pode falar que eu sempre tive uma vida perfeita, que eu sempre tive dinheiro, porque não é verdade! – Namjoon gritava. – Eu já fui que nem você, eu tinha que traficar drogas para conseguir pelo menos dinheiro para comprar comida, e manter tudo isso em segredo porque não queria dar desgosto aos meus pais! – Seokjin ficou pálido ao ouvir as palavras do rosado.

 

Após se acalmar, Namjoon percebeu tudo o que falou. Havia se entregado, contado sobre seu passado sem mais nem menos, e tinha medo do que Jin poderia pensar de si. O mais novo deduziu que Seokjin iria fazer o maior escândalo, chamá-lo de vagabundo, ou expulsá-lo e falar que nunca mais queria vê-lo, mas ao invés disso, o garoto o abraçou com força, surpreendendo o Kim mais novo.

 

– Eu sinto muito que você tenha passado por tudo isso, Nam. – Seu nariz tocava o pescoço do rosado. – Minha intenção não era te ofender, me perdoa. – Se afastou para olhá-lo no fundo dos olhos, limpando as lágrimas que estavam acumuladas ali, e passando a mão no rosto deste molhado pelas mesmas. – Quer conversar sobre isso?

 

Namjoon sentou-se na pequena cadeira que tinha pela minúscula sala, enfeitada apenas com uma mesa para dois, um sofá pequeno rasgado e uma televisão antiga. Seokjin se ajoelhou na sua frente, preocupado.

 

– Não, eu só... – O mais velho percebeu que Namjoon estava um pouco transtornado, e se culpou por isso. – Era a minha única forma de fazer dinheiro, o trabalho que meus pais tinham era completamente miserável, e tinha vezes que ele catava latinhas na rua. – Engoliu em seco. – Mas o melhor amigo dele conseguiu um emprego ótimo para os dois, como funcionários da empresa dele, foi ai que tudo começou a dar certo...financeiramente. – Suspirou.

 

– Nam, não precisa me contar se não quiser, está tudo bem. – Sorriu. – Me desculpa por tudo o que falei, eu só...fiquei surpreso. Achei que você ia querer se afastar de mim, me xingar ou zombar de mim.

 

– Nunca que eu faria isso. – Ambos se levantaram. Namjoon pegou nos braços de Seokjin com delicadeza. – Eu passei pela mesma coisa que você, eu entendo sua frustração. Mas eu não gosto de você pelo o que você tem ou não tem, eu gosto de você, apenas você. – Sorriu sem mostrar os dentes, suas covinhas amostra e encantando o mais velho. – Sua personalidade que me encantou, que fez eu me apaixonar por você. – O beijou na testa. – E eu vou te ajudar em questão de dinheiro.

 

– C-como?! – O mais velho se afastou, um pouco assustado. – Não precisa Namjoon, é sério. – Estava em um estado de choque. O rosado riu.

 

– Não vou dar a mínima para o que você falar sobre isso, Jinnie. – O pegou pelos ombros, aproximando-o de si novamente. – Eu te amo, é obvio que eu vou te ajudar.

 

E novamente Seokjin arregalou os olhos. Havia escutado direito? Namjoon disse que o amava? Se perguntava como aquilo havia chegado a este ponto, mas não reclamaria disso nunca. O mais velho sorriu, fechando os olhos assim que Namjoon aproximou seu rosto, logo sentindo os lábios dele colado nos seus, e em segundos, as bocas começaram a se mover delicadamente. Era um beijo terno, cheio de afeto, e Namjoon estava com saudades disso. Estava com saudades de sentir a emoção de estar com Seokjin, estava com saudades de beijar aqueles lábios carnudos que tanto lhe encantava.

 

Todos os dias, Namjoon agradecia a coragem de Seokjin para ir falar consigo no dia da festa de Jimin.

 

*~~*

 

– E então ele disse que queria fazer amor comigo, e ai transamos. – Taehyung praticamente berrava no telefone, fazendo Jungkook e Seokjin afastarem os celulares de suas orelhas.

 

Era tarde de um sábado, e os três não tinham absolutamente nada para fazer. Jungkook chamou Jimin para visitá-lo em sua casa, mas o ruivo teve que sair para acompanhar seus pais a negócios, então, não teria nada para fazer o dia todo.

 

Até que Taehyung teve a ideia de fazer uma ligação em grupo, pois segundo ele, tinha uma grande novidade para contar.

 

– Isso é serio? – Disse Seokjin, rindo alto. Jungkook percebeu que o amigo estava muito mais brilhante, e isso o alegrou. Seokjin e Taehyung estavam felizes, e o coração de Jungkook não poderia estar mais aquecido. – Você falando isso nem parece que aquele era Jung Hoseok.

 

– Mas era! Surreal, né? – Taehyung ria. – Eu estava afim de sair com todos vocês hoje a noite, sei lá, para algum bar. – Jungkook riu ao ouvir aquilo. “Parece que o Taehyung que adora uma festa ainda está escondido bem ali”, pensou. – Queria comemorar, sabe? Finalmente arrumei alguém, Jungkook tem alguém e Seokjin está...ficando sério. – O Kim mais novo e o Jeon riram alto, fazendo Seokjin ficar um pouco envergonhado.

 

– Podemos ir sim, qual bar e que horas? – O mais velho dos três perguntou, pigarreando logo em seguida, demonstrando desconforto.

 

– Pode ser aquele que tem no final da minha rua, vocês vão saber qual é. Chamem todo mundo, menos o Yoongi e aquele bando de babacas, certo? – Os três gargalharam. – Vejo vocês lá ás oito horas.

 

Taehyung foi o primeiro a desligar, deixando apenas Jungkook e Seokjin na linha.

 

– E como estão as coisas? Sabe...com você e com o Jimin. – Seokjin perguntou.

 

– Está tudo indo muito bem, mas lá no fundo eu tenho medo. – Suspirou. – Tenho medo de algo dar errado, até mesmo dele...descobrir meu segredo. – Sussurrou.

 

– Não tem como ninguém descobrir, Hakyeon. – Jungkook grunhiu em reprovação ao ouvir Seokjin chamá-lo pelo seu nome verdadeiro. – Só eu sei, e eu não vou contar. E quando quiser falar sobre isso comigo, tome cuidado com o lugar que você irá conversar. – Falou isso lembrando-se do dia em que descobriram sobre sua casa.

 

Trocaram mais umas palavras e desligaram os telefones. Jungkook estava até que animado, pois passaria a noite com seus amigos e com a pessoa que mais amava.

 

Nada poderia estragar o seu momento.

 

*~~*

 

O Jeon sentou no banco do carona, inclinando-se e beijando os lábios de Jimin, que estava no banco do motorista. O mesmo deu partida no carro, indo para o bar na rua onde Taehyung morava.

 

– Nem acredito que você conseguiu vir, eu me sentiria tão sozinho se você não fosse. – Jungkook encostou sua cabeça no ombro de Jimin, fazendo manha. O ruivo riu.

 

– Para de ser dramático, aish. – O ruivo brincou, sem tirar os olhos da rua. – Você teria todo mundo lá para conversar, não faria a menor diferença se eu não fosse.

 

– Adivinha quem está sendo o dramático agora? – Ambos riram alto. Jungkook aproveitou o sinal vermelho para tirar a atenção de Jimin da rua e lhe selar nos lábios.

 

“Poderia fazer isso o dia todo”, pensou o moreno.  O resto do caminho foi em silêncio, com Jungkook ainda com a cabeça encostada no ombro de Jimin, que as vezes se virava para dar beijinhos nesta. E em menos de dez minutos eles chegaram ao bar, que estava lotado.

 

Ao entrarem, avistaram seus amigos sentados em uma grande mesa, todos sorrindo e se divertindo, e já tinham as garrafas de bebidas alcoólicas nesta.

 

– Agora que vocês chegaram a festa já pode começar?! – Hoseok gritou, dando risada, com uma garrafa de vodka na mão.

 

– Pode! – Disse Jimin, gritando. – Mas antes, eu preciso fazer um negócio.

 

O ruivo tirou uma caixinha de seu bolso, que tinha dois anéis de compromisso, e a abriu em frente a Jungkook, que colocou a mão na boca, pasmo. Os quatro garotos presentes também ficaram chocados, mas felizes.

 

– Eu sei que aqui deve ser o pior lugar para se declarar para alguém, espero que não me julgue. – O ruivo disse meio sem graça, com um sorrisinho, fazendo todos rirem. – Mas eu queria que todos os nossos amigos ouvissem o que tenho para te dizer, já que todos sempre estão bem ocupados e é bem difícil todos nós nos juntarmos as vezes, então achei essa a oportunidade perfeita, eu não aguentava mais guardar tudo isso pra mim e esperar a "hora certa". – Respirou fundo antes de começar a falar. – Desde o dia em que você chegou, você chamou a minha atenção, mesmo que eu namorasse. – Engoliu em seco ao lembrar-se de Yoongi. – Você realmente virou a minha vida de cabeça pra baixo, Jungkook. Você me fez ficar confuso, me fez amar intensamente, me fez chorar, e agora está me ajudando a reconstruir o meu coração quebrado, que já não está mais tão quebrado por sua causa. Não sei se eu já te disse isso, mas eu te amo. Antes eu achava, agora eu tenho a certeza. É você quem eu quero do meu lado, é você com quem quero ter os melhores momentos da minha vida, apenas você.

 

O Park pegou na mão de Jungkook, que chorava. Não acreditava no que estava acontecendo. O garoto que sempre amou, que sempre achou que jamais lhe daria atenção, estava querendo ficar consigo? Estava se declarando para ele bem ali no meio de todos?

 

Tinha finalmente encontrado sua luz no fim do túnel?

 

– Quer namorar comigo, Jungkook? – Jimin perguntou, também com os olhos marejados.

 

– Quero! – O Jeon berrou, fazendo todos rirem novamente. Jimin colocou o anel no dedo do moreno e então lhe selou nos lábios, logo o puxando para um abraço. Muitas pessoas naquele lugar aplaudiram, felizes e emocionadas. Taehyung estava se segurando para não se acabar de chorar ali mesmo, como Jungkook estava fazendo.

 

– Agora a festa pode começar?! – Hoseok voltou a perguntar, brincalhão. Este estava com um sorriso brilhante no rosto, sorriso que ninguém nunca tinha visto em si. Sorriso que Taehyung prometeu proteger com todas as suas forças.

 

– Pode! – Namjoon berrou, rindo.

 

Todos se animaram e trouxeram mais e mais garrafas, enquanto conversavam sobre tudo e faziam brincadeiras que tinham como prenda virar um copo de bebida, e assim se passou até a madrugada.

 

 

Eram exatas três horas da manhã, e o bar continuava lotado. Naquela roda de seis amigos, apenas dois se encontravam completamente bêbados: Namjoon e Jungkook. Taehyung estava um pouco alterado, mas tinha consciência de tudo ao se redor e também dos seus atos. O Kim estava apenas mais feliz, vira e mexe puxava Hoseok para um beijo ardente ou um selinho. Os outros três, Seokjin, Jimin e Hoseok estavam até que bem, pois não tinham bebido tanto.

 

Não podiam dizer o mesmo de Namjoon e Jungkook, o moreno principalmente.

 

Ambos riam de tudo, não falavam nada com nada e nem conseguiam ficar de pé, tropeçando e caindo toda vez que tentavam.

 

– Minnie, você parece uma chama sabia? – Disse Jungkook, agarrando-se ao pescoço do mais velho, que gargalhou. – Acho que se eu não te conhecesse, colocaria um fósforo no seu cabelo, achando que ia acendê-lo com a chama do fogo, mas ai eu veria que era só seu cabelo mesmo.

 

Seokjin e Taehyung se acabaram de rir, junto com Jimin. Namjoon estava com a cabeça encostada no Kim mais velho, dizendo que o mundo não parava de girar um segundo e que sentia-se mal, levantando-se para vomitar uma hora ou outra.

 

Ficaram mais um tempo conversando, até que Jungkook começou a agir de modo estranho, cortando todo o clima agradável que estava. Seokjin começou a ficar tenso, temendo o pior.

 

– Minnie, eu amo tanto você. – Beijou a bochecha de Jimin, que sorriu sem mostrar os dentes. – Nem acredito que você me pediu em namoro, eu sonho com isso desde que eu tinha nove anos de idade, não, seis eu acho...

 

Jin arregalou os olhos, apavorado. Foi abrir a boca para tentar cobrir tudo aquilo, mas Namjoon o puxou para abraçá-lo e falar coisas românticas para si, sem deixar o mais velho se soltar ou pronunciar qualquer coisa.

 

– Do que está falando, Kook? – Jimin afastou Jungkook de si com delicadeza, com medo de magoar o mais novo. – Para de beber um pouco. – Não demonstrava irritação e nem raiva, apenas um pouco de confusão.

 

O Jeon choramingou, dando tapinhas no braço do Park.

 

– Sempre tive medo de nunca conseguir ter você, eu vivia te observando, mas ai dois anos atrás eu fui embora. – Seokjin ouvia tudo, e não sabia mais o significado de respirar. – Mas ai eu voltei e vi você com aquela grama desgraçada. – Referiu-se a Yoongi e seus cabelos verdes. Jimin riria da comparação que Jungkook fez, mas estava tão confuso e assustado, que não conseguiu nem sorrir. – Achei que minha nova vida foi destruída em poucos minutos, mas agora estamos aqui, juntos, pertencendo um ao outro.

 

–J-Jungkook... – Seokjin finalmente se afastou de Namjoon, que deitou-se em seu colo. – Pare..

 

– Como assim foi embora há dois anos atrás, Kookie? – Agora Jimin estava mais assustado do que confuso. E não era só ele.

 

Aquilo havia chamado a atenção de Hoseok e Taehyung. O Kim também estava assustado, enquanto Hoseok tentava entender o que estava acontecendo.

 

– SEU IDIOTA! – Jungkook berrou, dando socos leves no peito de Jimin. – O Hakyeon não está morto, ele está bem vivinho! – Jungkook estava com os olhos marejados, querendo chorar.

 

Seokjin sentiu que fosse desmaiar ali mesmo, e quando olhou para Taehyung, viu que este estava mais branco que uma parede.

 

– Porque eu sou o Hakyeon!

 

Continua...

 


Notas Finais


*EXPLODE A BOMBA* Falei para não confiarem em mim

Até o próximo amores <3



agora eu vou sair correndo
FUI <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...