História Família Snape-Segunda temporada - Capítulo 209


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Saga Crepúsculo
Personagens Personagens Originais, Scorpius Malfoy, Severo Snape
Visualizações 23
Palavras 1.983
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 209 - Vaca cor de Rosa...


Após o café Jackson sentiu vontade de fumar. 

A única alternativa  era ir até Hogsmeade mas teria que pedir permissão a seu pai. 

O garoto caminhou ate o aposento do pai,  bateu na porta e quem a abriu foi Seth e seu imenso  sorriso. 

- Jack... como está crescido,  a muito tempo não lhe vejo!. 

- Opa tio... iae?,  tudo beleza?. 

- Tudo... vem entra,  seu pai e eu estamos jogando xadrez!. 

O menino entrou e viu seu pai de joelhos enfrente a mesinha de centro esperando Seth para jogar. 

- Opa pai,  beleza com o senhor?. 

Nicolas olhou para Jackson e perguntou. 

- Oque quer estrupício?. 

- Nossa...  eu venho dar um beijo no senhor e lhe desejar bom dia e é assim que trata o seu terceiro filho mais novo é?...  que deselegância!. 

- Não me enrola menino!. 

Disse Nicolas dando um risadinha e logo em seguida bebendo um pouco de vinho da sua taça. 

- Hosgsmeade... posso ir?. 

- Fazer oque em Hogsmeade uma hora dessa da manhã filho?. 

Disse Nicolas  se levantando e caminhando  até Jackson  com as mãos cruzadas atrás de si e com um olhar de desconfiança. 

- Cerveja amanteigada,  doces...  explosivos e uma vassoura!. 

- Vassoura?,  não está pensando em assistir a aula deste estrupício  aí não né?. 

- Sim... estou!. 

- Sinto em lhe informar rapaz,  mas não vende vassouras em Hogsmeade,  se quer uma monstrinha dessas terá que ir ao Beco Diagonal...  e se vai ao beco diagonal a sua irmã vai também...  não posso permitir  que vá para Londres sozinho!. 

- E os doces e explosivos?. 

- Ah diversas lojas de doces no beco diagonal e quanto aos explosivos  há uma loja de logros de uns amigos meus...  Gemialidades  Weasley,  você  pode comprar lá!. 

- Tá pai... eu vou ter que chamar a esquentadinha da sua filha ou o senhor vai mandar uma coruja?. 

Nicolas  não respondeu,  apenas foi até uma superfície  dura no caso a bancada da cozinha e escreveu uma mensagem e quando ia entregar a coruja Jack chegou na cozinha dizendo. 

- Hey!. 

Nicolas  olhou para trás e perguntou. 

- Que foi?. 

- Quem é essa menina graciosa?. 

- Olha meu filho,  eu sei que tenho cabelo grande e muitas vezes de costas já me chamaram de Senhorita mas...  até você  filho?. 

- Não é com o senhor pai,  me refiro a coruja! 

- Ata... comprei de um amigo africano,  ela é uma coruja diferente...  não a provoque pois ela pode ser bem perigosa!. 

- Raix Bruns...  a espécie,  estou certo?. 

- Sim!. 

- Alguns estudos indicam que ela é uma parente distante do dragão Nargolês...  pois cospe fogo azul quando está com raiva!. 

- Correto!.

- Nunca parou para pensar que ela pode ficar com raiva e queimar as cartas enquanto voa?. 

- Cianureto  não faria isso com o papai dela... nos  amamos e temos uma relação  muito foite... Cianureto é minha única filha que me ama de verdade!. 

Jackson  deu uma risadinha,  Nicolas colocou a carta amarrada no pé da Coruja e a mesma saiu janela a fora. 

Jackson  olhou para o pai com cara de sapeca. 

- Oh Jackson,  não me olhe assim... não vou me dar o trabalho de invadir sua mente pois já sei oque você  quer!. 

- Posso fazer?. 

- Sempre!.

Jackson  se aproximou de seu pai e deu um forte abraço,  Nicolas  riu e disse. 

- Que carinho todo é este uma hora dessa da manhã?. 

- Não gostou?. 

- Sim...  só que queria que fosse assim sempre!. 

- Eu te amo!..

- Eu também!. 

- O senhor está com cheiro de... baunilha!. 

- Espero que isso seja bom!. 

- Eu gosto de baunilha!. 

- Querido... a menina do Amazonas... vai passar as férias do Natal com ela?. 

- Não pai,  eu sei que o senhor gosta que seus filhos passem o Natal com o senhor...  é claro que vou passar o recesso com o senhor pai!. 

Nicolas  suspirou,  Jackson  acariciou o rosto do pai e disse. 

- Eu sei oque o senhor está pensando... a Céu não merece o seu amor pai!. 

- Sua irmã...  é complicada!. 

- Ela não é mais minha irmã depois do que ela fez comigo pai!. 

- Oque ela fez a você?. 

Jackson  sentiu que havia revelado coisas demais e ficou calado. 

Quando o menino fez menção de sair Nicolas  segurou o braço do filho e disse. 

- Fala oque tua irmã fez!. 

- Ela...  me colocou contra a parede,  me deu 5 fortes tapas no rosto e me disse que eu estava maluco como todos,  disse que ele não retornou...  ela mesma viu pai,  eu não sou maluco!. 

- Eu acredito em você,  mas mudando de assunto...  ainda anda tendo aqueles sonhos estranhos?

- Sim...  estão mais realistas a cada dia,  e confesso que as vezes acordo sentindo mais raiva do vovô!. 

- Oque meu pai fez?. 

- Matou Dumbledore...  na Torre de Astronomia!. 

- Ora Jackson...  é apenas um sonho!. 

- A propósito... Graham é teu filho!. 

- Sonhou com isso?. 

- Sim... Alissa Whitford... o senhor não deve se lembrar mas na sua juventude deve ter se relacionado com ela!. 

- De onde você  tira essas ideias malucas?. 

- Até o senhor vai me chamar de maluco agora?. 

- Não é isso filho,  é que não tem lógica seus sonhos... Graham é um amigo apenas!. 

Jackson suspirou e disse. 

- Vai dizer que " Whitford " não lhe parece um sobrenome estranho?. 

- Eu já ouvi esse sobrenome em algum lugar,  mas daí dizer que o menino é meu filho?. 

- Porque não  pesquisa naquela pasta de contratos sexuais sua?. 

 - Como sabe que tenho uma dessas?. 

- Imaginei que tivesse,  e  o senhor apenas confirmou!. 

- Oh não,  você  ê muito bom nisso...  de jogar Verde!. 

- Eu sei,esse é o único ponto fraco que eu achei no senhor!. 

- Okay,  meu filho...  voltando ao assunto...  eu não acho que posso ser o pai de Graham!. 

- Já esteve no Brasil?...  é lá que ele mora né?. 

- Não,  ele mora no Brasil mas é nascido em Nashville no Tennesee!. 

- Okay,  tente um teste de DNA bruxo!. 

- Eu ną tenho condições  de ter mais um filho Jackson,  você  não entenderia!. 

- Porque?,  porque não pode ter mais filhos?. 

- Já tenho 6 e eles não são fáceis de lidar!. 

- Porque?. 

- Céu faz birra o tempo todo,  Nathalie está namorando esse Thales sei lá oque e os flagrei quase transando...  isso é constrangedo!. 

- Eu ja te vi transando pai!. 

- Am?. 

- Eu ja te vi estudando pai...  tá louco é?. 

- Ata...  eu entendi outra coisa!. 

- Eu heim...  limpe os ouvidos!. 

- Okay,  voltando ao assunto... Nathalie  namorando esse babaca,  você tendo esse pesadelos loucos,  Rebeca ja está cheia de hormônios...  eu sinceramente não queria que ela começasse a ter essas coisas de pré adolescente...  ela só tem 7 anos,  um bebê ainda!. 

- Eu com 7 anos dei meu primeiro selinho em uma menina!. 

- Está me deixando nervoso... eu não quero imaginar ninguém beijando minha garotinha!. 

- Nem eu...  ela é minha irmã...  ninguém vai beija-la!. 

- Pois é...  vai beijar com 18 só!.. 

 - Com 30 seria melhor!. 

- Concordo!. 

Jackson  sentiu sua mão arder e por isso mordeu o lábio com força,  Nicolas perguntou. 

- Oque foi?. 

- Am?,  oque foi oque papai?. 

- Essa cara de dor que você  esta fazendo!. 

- Cara de dor?. 

- Anda...  desembucha!. 

- Não dá para esconder nada do senhor não é?. 

- Não,  me conta logo meu filho!. 

- Minha mão...  a Umbridge me machucou a alguns dias,  ai deu uma pontada agora!. 

- Quando ia me contar?. 

- Na verdade...  eu não ia!. 

- Quando você  vai aprender que eu sou teu pai e você  tem que me contar tudo!. 

Jackson abaixou a cabeça oque irritou Nicolas. 

- Levanta essa cabeça e me encara,  seja homem!. 

Jackson olhou para o pai. 

- Jackson eu... 

Nicolas buscou as palavras certas mas não as achou,  respirou fundo e saiu puxando o braço do menino para fora da cozinha e logo para fora do aposento. 

No meio do caminho Jackson perguntou. 

- Pra onde vamos pai?. 

- Você  vai ver... ninguém mexe com os meus filhos e sai intacto não rapaz!. 

Jackson  não entendeu mas ficou com medo de levar um grito do pai. 

Ao chegarem em frente ao escritório da professora Umbridge,  Nicolas bateu com o punho bem forte na porta fazendo um estrondo. 

Ao ouvirem um doce e irritante " Entre" de Umbridge,  Nicolas por pouco não quebrou a porta por tamanha violência  que a abriu. 

Ao abrir viu Nathalie  sentada escrevendo com a pena que usava sangue como tinta. 

Nicolas olhou para Umbridge  e  disse trancando os dentes. 

- Olha aqui...  escute apenas uma vez,  se a senhora ousar tocar nos meus filhos com esse porra pena eu posso lhe fazer coisas horríveis!. 

Os olhos de Nicolas ja estavam vermelhos,  a mulher estava com medo mas para não perder a pose se levantou,  coisa que não fez muita diferença  pois Nicolas tinha 1, 91 de altura e a mulher 1, 55. 

A mulher olhou para Nicolas e disse. 

- Está me ameaçando Professor Snape?. 

Nicolas riu com desprezo e disse com ironia. 

- Oh não!. 

A mulher sorriu e disse.

- A bem...  pois Cornélio  Fudge ia ficar feliz em saber que está descartando a Sub secretaria Sénior do ministério  da magia!.

- Oque eu quis dizer é que não estou ameaçando sua vaca cor de Rosa,  estou apenas alertando!. 

- Ora que petulância...  o senhor tem 20 aninhos e se acha " O temido"!. 

- Para tua informação  vaca cor de rosa,  eu tenho 31... bem,  não vou ficar aqui gastando o meu Inglês com a senhora,  vem Nathalie...  vamos sair desse hospício  cor de Rosa que ela chama de sala!. 

Nathalie  se levantou rindo,  Nicolas deu uma piscadela para a menina. 

Dolores olhou para Nicolas e disse quase pulando de tanta raiva. 

- Não vai querer saber nem oque a filha do senhor fez?. 

Nicolas passou o braço esquerdo em volta do ombro de Jackson e o direito em volta do ombro de Nathalie  e  disse rindo. 

- Oh não, confio na minha menina...  seu que ela não fez nada demais para rasgaram a mão dela com essa pena!. 

- Mas... 

- Mais nada,  a senhora nem ouse toca-los novamente...  ou ja sabe oque lhe espera não é mesmo?. 

- Oque vai fazer seu mestiço imundo?,  vai rasgar meu pescoço com suas presas de vampiro?,  vai me trancar no caixão que o senhor dorme?. 

- Eu não durmo em caixão... devia estudar mais sobre nós já que é professora de DCAT...  é bom afirmar que tem um capítulo do livro que fala sobre os Vampiros,  isso quer dizer que sou do inferno,  cuidado comigo Satanás cor de Rosa,  eu modu nenê!. 

- Cornélio devia mandar prender em Azkaban o senhor e seus familiares mestiços imundos!. 

- Concordo com a senhora,  devia passar essa ideia para meu velho amigo Cornélio... diga a ele que Nicolas Snape mandou lembranças!. 

- Mestiço nojento!. 

- Oh...  não  esqueça de dizer também  que Rebeca está  linda,  a cara da mãe!. 

- Quem é Rebeca?. 

- Cornélio  saberá do que estou falando!. 

Nicolas riu da cara de tacho que a mulher fez e saiu do escritório  cor de Rosa da mulher. 

Nathalie olhou para o pai e disse.

- Pai,  o senhor deve querer saber o motivo da minha ida a detenção  Sá Umbridge  né?. 

- Nunca foi proibido  beijar na boca no corredor!. 

- Com o sabe que foi por isso isso que fui para detenção?. 

- Eu invadi a mente dela...  eu não te defenderia se estivesse fora da razão,  mas a faria dar outro tipo de detença a você!. 

- Valeu por me proteger pai!. 

 - Eu sempre vou proteger vocês... sempre!.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...