História Filha das Ruas - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 83
Palavras 3.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei que na classificação já avisa, maiores de 18 tem cenas hot, porem,vou avisar.

Tem cenas hot nesse Cap, então se n gosta espere a próxima atualização ou pule essa parte, ok?

Boa leitura

Capítulo 45 - Ei santorini


Luna

A festa acabou duas horas depois após eu saber da viagem, na verdade ela acabou quinze minutos depois, mas ainda permaneceu eu, Antony, Meg e Justin, fazendo o que? Jogando Twister, é isso ai, desculpa se na sua casa as festas acabam e só sobra você é as garrafas de cerveja.

Justin me acordou no outro dia praticamente pulando nas minhas costas, o presente era meu, eu que ia sair do país pela primeira vez em vinte anos, e o tapado é que virá gazela saltitante.

- Justin pelo amor de Deus, chega.- Comecei a rir.- Pelo o que eu vi na passagem está escrito que o nosso vôo é daqui três horas, por que acordar agora?

- Ainda tem as malas as…- Justin parou de falar assim que alguém bateu na porta, Jeremy passou pela mesma segurando Alasca nos braços, que latia freneticamente, dei um sorriso enorme e praticamente me arremessei para cima do filhote, a pegando no meu colo.

- Oi Alasca, bom dia.- A apertei, colocando em seguida em cima da cama.- Bom dia tio Jeremy.- Sorri de lado.

- Bom dia Luna e Justin, a viagem é hoje?

- Daqui a pouco.- Justin respondeu.

- Se para você três horas é daqui a pouco, então beleza.- Falei rindo, ouvindo o mesmo de Jeremy.

- Não acha que está muito ancioso não filho?

- Nem to.- Deu de ombros, indo até o closet. Eu mencionei que Justin estava apenas de cueca boxe? Não? ah ta.

- Preciso resolver algumas coisas na empresa, espero que tenham uma boa viagem, e por favor meniba Luna.- O olhei.- Cuida do meu filho.

- Não tinha que ser ao contrário?- Justin surgiu do além, já completamente vestido, pelo menos ao meu ver uma bermuda apenas já é roupa até demais para Justin Bieber, não acha?

- Cuido Jeremy, cuido sim.- Respondi já rindo pela indignação de Justin.- Inteiro ele vai inteiro ele volta.- Pesquei na direção de Justin, que revirou os olhos, voltando para dentro do closet.

Jeremy logo saiu do quarto, ele parecia tão feliz. Peguei Alasca no colo, e corri para dentro do closet, vendo uma cena ali dentro que eu poderia chamar até de fofa, Justin estava sentado no chão, com uma mala preta de couro aberta ao seu lado, enquanto retirava algumas roupas dos cabides e colocava (incrivelmente organizado) dentro da mala.

Soltei Alasca no chão, e subi nas costas de Justin, e mesmo estando de costas pude o ver sorrindo.

- Te amo.- Sussurrei, Justin me puxou direto para o seu colo e me beijou, um beijo lento e carinhoso, que pela falta de ar infelizmente acabou.

- Também te amo.- Respondeu sorrindo, me fazendo puxa-lo novamente para mais um beijo.

[…]

Depois de horas dentro daquele avião, agarrada o tempo inteiro na mão de Justin, nós finalmente chegamos em santorini, e adivinha quem estava encantada apenas com o aeroporto da Ilha? Eu mesma.

Aquele lugar era lindo, a organização me dava mil e uma ideias para a criação da decoração da Alpha, e quando eu pisei do lado de fora dele, as ideias só aumentaram, que lugar encantador.

- Gostou?- Justin disse.

- Se eu gostei? Justin isso é lindo.

- Passei dias procurando uma Ilha perfeita, e essa me encantou tanto, sabia que ia gostar.- Sorriu.

Entramos em um dos táxis que ficavam na frente do aeroporto mesmo e fomos direto para onde íamos ficar, isso foi a única coisa que estranhei, que hotel da a chave do quarto antes do hóspede aparecer no estabelecimento? Minhas paranóias pararam assim que desci do táxi e dei de cara com um pequeno chalé Branco, ao lado dele tinham mais três.

Não disse absolutamente nada, apenas observei Justin abrindo a porta do mesmo e entre na minha frente com as malas, era um lugar pequeno porém aconchegante, aquele típico lugarzinho que só pela decoração sutil praticamente grita "Vem passar sua vida toda aqui"

Reparei que não tinha divisórias, mas tudo estava em seu devido lugar, Cozinha, quarto uma pequena sala, uma sacadinha e o banheiro, que além da entrada do chalé era o único lugar que tinha porta ali, o clima rústico dali me deixava completamente entusiasmada.

- E então.- Me aproximei de Justin, que ainda observava o local .- O que vamos fazer primeiro?- Justin sorriu maroto, me puxando para fora do chalé.

Santorini, penetrei em você.

Caroline

Revirei os olhos pela milésima vez, com uma vontade enorme de meter a mão na cara daquela garota.

- Melanie não é como se você se importasse com Isso.- Me fiz de amiga, eu precisava convence-la dessa venda, ou meus planos iriam por água abaixo.- Vai ser melhor assim, acredite em mim.

- Caroline ela não merece isso.- Se levantou, bufei.- Já fiz maldades demais com ela, chega.

- Se você não o fizer eu faço, e pior, a enfio em um lugar separado da amiguinha cadela dela, você que decide.- Se não ia por bem ia pela ameaça.

- Não Caroline.- Puxei o revólver de dentro da minha bolsa, vendo os olhos de Melanie se arregalarem.

- Repete.- Me aproximei.- Mas repete soletrando.

- Co..como conseguiu isso?- Se afastou de mim, porém eu me aproximei com velocidade, a deixando sem saída.

- Nossa conversa aqui é outra.- Sorri fria.- Agora me diz Melanie…- Encostei o cano da arma em seu pescoço e destravei.- Qual a sua resposta mesmo? Eu não ouvi.

- Eu vou vende-la, eu vou…- Me respondeu com lágrimas nos olhos, Sussurrei um "Boa garota", ia afastar o cano da arma, porém o celular tocou me fazendo segurar o revólver com mais firmeza na direção de Melanie.

Meu sorriso bateu na minha orelha assim que atendi e ouvi a voz de Justin.

- Justin, o que deseja?- Atendi sorridente, vinham mil e um motivos na minha cabeça para ele ter ligado.

- Estou viajando com Luna, e como minha secretária preciso de você de olho nos assuntos da empresa no meu lugar essa semana.- Meu sorriso se desmanchou como algodão doce na chuva, aquilo foi como pedir para mim matar alguém e ainda aparecer chorando no enterro, dizendo que aquilo foi covardia e que o culpado iria pagar.

- Eu…- Suspirei.- Claro.- Falo seria dessa vez.

- Tudo bem, me passe tudo por mensagem, Boa noite.- E a ligação foi finalizada, joguei aquele celular inútil no sofá, e sem pensar em mais nada apertei o gatilho do revólver, sem ao menos olhar para a minha mira, por sorte (ou não) Melanie tinha sido esperta o suficiente para se afastar de mim enquanto eu falava com Justin.

- FILHA DA PUTA.- Gritei, já sentindo as lágrimas descendo pelo meu rosto.- Filha da puta, desgraçada.- Me sentei no sofá, meu coração batia descontrolado, e eu sabia o que era aquilo.

Ciúmes.

Eu que deveria estar lá, eu… Justin é meu ele me ama, a mim, só a mim, será que ele não entende? Será que ELA não entende?

- Ele me ama.- Falei após um tempo de silêncio.- Você roubou ele de mim.- Olhei para o lado e avistei Luna, em pé sorrindo na minha direção, não pensei duas vezes em avançar no pescoço da Vadia.- LADRA!.- Gritei.- ELE ME AMA,  SUA DESGRAÇADA ELE ME AMA!!!

- CAROLINE!!!.- fechei meus olhos com força após esse grito, assim que os abri, não vi mais Luna, e sim Melanie jogada no chão agarrada ao seu pescoço.

- Eu vi…Ela fugiu, ela fugiu…Eu vi.- Eu repetia para mim mesma, enquanto escorregava de encontro ao piso frio da sala.- Ela fugiu…

Justin

Entrei no chalé após passar alguns minutos pegando lenha para acender a fogueira. Fiz isso rapidamente e logo ja estava no pequeno sofá da sala, observando o fogo se espalhar.

- A moça da recepção disse que aqui está tendo racionamento de água, e que daqui.- Ela olhou a tela do celular.- 10 minutos a água será fechada, cada um tem cinco minutos para tomar banho.- Luna piscou, fechando a porta do Chalé.

- Ou a gente pode tomar juntos.- Me aproximei dela.- Menos tempo, menos água.- Beijei sua nuca, sentindo seu corpo se arrepiar com apenas esse gesto, esse efeito me deixou feliz.

- Justin…- Luna sussurrou, me fazendo morder seu lábio.

- Hm?- Parei as carícias, a olhando.

- Eu…Não sei se devo.- Se jogou no sofá, suspirei.

- Vamos fazer assim, eu entro lá, e se você ver que é uma boa ideia entra, se não, depois de cinco minutos eu saiu e você toma seu banho.- Luna pareceu pensar, mas depois de um tempinho assentiu, não esperei muito e fui direto para o banheiro, tirei minha roupa a jogando no cesto que tinha ali logo entrando no chuveiro.

Se eu pudesse apostar com alguém que Luna aparecia dentro desse banheiro eu ganharia um bom dinheiro, porém não posso.

As vezes eu me perco tanto no seu corpo, que bem percebo o quanto preciso dela, aquilo acaba se tornando algo monótono, mas hoje, agora, eu sinto o quanto àquela mulher mexe comigo.

Ouvi a porta do banheiro se abrir lentamente, e por incrível que pareça meu coração gritou, não de alegria, e sim de surpresa, por ve-la ali, fechando a porta, completamente nua. Consegui projetar um sorriso em meu rosto que nem em mil anos irei conseguir fazer novamente.

Luna virou-se de frente para mim, me dando a visão perfeita do Paraíso na terra.

Ela era tão branquinha, que tinha várias e várias pintinhas por todo o corpo, principalmente na nuca e entre os seios.

Ah…Seus seios.

Uma mistura de Rosa com Branco que os faziam diferentes, fazia tanto tempo que eu não via um par natural que eu até esqueci o quão lindos eles conseguem ser.

O corpo de Luna era realmente mais do que eu imaginava em sonhos em pensamentos, e aquilo era incrível.

Ela se aproximou vagarosamente, com o rosto corado e as mãos nos braços, talvez tentando se aquecer.

- Vem aqui.- A chamei baixinho, assim que Luna se pois em minha frente eu liguei chuveiro, fazendo a água quente se chorar de imediato sobre cabelo loiro mel, que ganhou um incrível tom escuro. Luna levantou seu olhar até o meu, o que me fez sorrir e instintivamente ela sorriu de volta, um sorriso sincero.- Te ajudo a se lavar.

Peguei uma quantidade boa de sabonete na mãos e comecei a esfregar Luna, devagar, passando por cada curva de seu corpo com lentidão, querendo explorar tudo aquilo, parei na metade de sua cintura, ouvindo um suspiro sair de Luna, isso me fez sorrir abertamente, ela queria e precisava de mais.

Assim que terminei, reparei que Luna tinha as mãos com sabonete.

- Se não quiser não precisa.- Falei sério, Luna apenas negou e começou a passar a mão sobre meu corpo, aquilo me arrepiou por completo, mas isso não a fez parar, logo sinto sua pequena mão descendo lentamente com a ponta dos unhas até meu membro, o agarrando em seguida, Luna o massageou devagar, me fazendo literalmente delirar.

A água do chuveiro parou, olhei sorrindo para Luna, que sorriu de volta, minha pequena.

- Podemos continuar?- Fiquei espantando com sua pergunta e ao mesmo tempo feliz, ela queria continuar…Finalmente ela queria continuar.

- Podemos, mas não aqui.- Puxei Luna pela mão e sai do banheiro, a cama ficava colada no cômodo, então rapidamente já estávamos em cima dela, nos beijando como nunca, minhas mãos passeavam pelo corpo de Luna, assim como as suas arranhavam minha cintura, nuca e costas, aquilo era enlouquecedor.

Paramos o beijo por falta de ar, e eu pude ouvi e um "Justin" baixinho saindo dos lábios de Luna, que permanecia de olhos fechados, me abaixei até a altura de sua orelha e Sussurrei: Hoje você é completamente minha Ezequiel.

Luna

Passava muita coisa em minha  cabeça, se eu entrasse o que irá acontecer? O óbvio Luna, mas… E se eu não entrar.O que vai acontecer?

" Por que pensar no depois se você que faz o seu agora Luna?" Meu subconsciente explodiu, praticamente implorando.

Assim como o meu corpo que clamava pelo o de Justin, ele conseguiu isso apenas com um beijo no pescoço, UM BEIJO!!! Acho que isso prova que de mim ele consegue tudo.

Balancei minha cabeça e levantei do sofá,  estava decidida com o que eu iria fazer, e não tinha uma alma viva que vai fazer eu mudar de ideia…Apenas a minha. Comecei a caminhar em direção ao banheiro, que estava apenas com a porta encostada, fui tirando minhas roupas (que não eram muitas) no meio do caminho mesmo, assim que entrei no banheiro meus olhos percorreram o corpo de Justin automaticamente, sem ao menos dar um aviso prévio.

Ele era incrivelmente, sexy? Quem consegue ser sexy ligando o chuveiro? Seu membro era o que mais me chamava atenção, em segundo plano estavam suas tatuagens, o terno as escondiam tão bem, que quem não o conhece de verdade nunca saberia sobre elas.

- Vem aqui.- O ouvi chamar baixinho, eu fui, com a maior vergonha do mundo por ele estar me vendo daquele jeito, mas fui, fiquei na frente de Justin, exatamente em baixo do chuveiro que molhou meu cabelo de imediato, me fazendo os sentir pesados em minhas costas, olhei para o rosto de Justin que tinha um sorriso lindo no mesmo.

O vi pegando o sabonete líquido e despejando nas mãos, em seguida senti suas mãos percorrendo meu pescoço devagar, logo descendo para meus seios, senti as mãos de Justin acariciando os mesmos, que corresponderam aos seus toques, ficando completamente durinhos.

Ele não desceu as mãos para mais nenhum lugar, me deixando completamente na vontade, tentei disfarçar minha cara de descontentamento colocando sabonete em minhas mãos também, ele sabe brincar comigo, quero mostrar que consigo fazer o mesmo, só que com um pouco mais de rebeldia.

- Se não quiser não precisa.- O ouvi falar, mas ignorei, colocando minhas mãos direto em seu abdômen trincado, querendo contornar cada detalhezinho daquele espaço com os dedos, porém, fui um pouco mais ousada, desci de leve com as unhas até seu membro, o agarrando com a mão.

"Vem cá Luna, e a sua vergonha na cara? Cadê?" Sorri para essa pergunta interna, querendo responder que eu também não sabia onde ela estava, e ao mesmo tempo pedir para que ela fiquei longe, por que eu estou adorando isso.

Comecei a massagear lentamente àquela região, já o sentindo se e enrijecer ali mesmo, entre minha mão. Justin fechou os olhos e arfou,  me fazendo sorrir.

A água do chuveiro parou de repente de cair em minhas costas, queria xingar o dono dos chalés, a mina da recepção, e até o cara que comanda a represa dessa Ilha. Não chegamos nem na metade, queria continuar, eu precisava continuar, foi ai que minhas próximas palavras surpreenderam até eu mesma.

- Podemos continuar?- O olhei, Justin pareceu perdido por alguns segundos mas logo sorriu.

- Podemos, mas não aqui.- ELE agarrou minha mão e me puxou para fora do banheiro, a cama não ficava tão longe daquele cômodo, então logo estávamos em cima da mesma, nos beijando como nunca.

Paramos o beijo por falta de ar, Sussurrei um "Justin" praticamente implorando por mais, praticamente não, eu estava implorando por mais, escutei a respiração de Justin próximo a minha orelha e logo depois ele sussurrou: Hoje você é completamente minha Ezequiel.

Senti os pelos dos meus dedos se arrepiarem, não pensei duas vezes e grudei Justin novamente em minha boca, o beijando com necessidade, senti suas mãos passeando livremente pelo meu corpo, até chegarem em minha intimidade, sem dar qualquer aviso Justin introduziu um dedo em mim, me fazendo descolar nossas bocas e gemer, abri meus olhos, me vendo encarada por um par de olhos mel.

Justin colocou mais um dedo, logo após mais um, me fazendo delirar com tamanha ousadia de sua parte, por que eu não fiz isso antes? Tenho que parar de ouvir meu subconsciente.

"Não tem não" ele respondeu, é eu sei.

- Não aguento mais.- Justin falou e retirou seus dedos de mim rapidamente, me contorci em resposta, O vi levantar da cama com certa pressa, logo ele volta com certo "saquinho" posto sobre seu pênis, camisinha talvez Luna?

Seria ruim eu me envergonhar da minha própria inocência?

Meu coração voltou a bater com ferocidade assim que Justin se aproximou completamente de mim, sua boca foi diretamente para a minha, me beijando com uma paixão indescritível.

- Justin.- Gemi.- Por favor.- Justin sorriu.

 Justin

Pentrei com certo receio de machuca-la, mas após algumas estocadas Luna já gemia deliciosamente, aqueke som me fazia a querer mais e mais.

- Mais rápido.- Praticamente gritou entre um gemido, seu pedido é uma ordem, é claro. Comecei a estocar mais rápido, sentindo Luna acompanhar meu ritmo com a cintura.

Após algum tempo gozei, Luna ainda não havia chegado ao seu ápice, sai de dentro dela quase que delirando, e fui de boca diretamente para sua vacina, comecei a chupa-la ferozmente. Então entre um gemido e outro Luna gozou, soltando um grito e arqueado as costas ao mesmo tempo, continuei chupando seu líquido até deixa-la completamente limpa.

- O que foi isso?- Perguntou após um tempo.

- Sexo.- Falei e ri.

- Idiota.- Recebi um belo de um tapa no abdômen.

- Sabe, tem uma coisa que eu não fiz.- A olhei.

Luna

- O que?

- Isso.- Justin chupou meu pescoço com força, tentei afastar sua boca de mim com um empurrão mas foi falho.

- JUSTIN VAI FICAR ROXO.-Gritei, Justin me soltou rindo. voltando ao seu estado espírito normal (ou quase normal).

- Essa é a ideia.- O olhei feio.

- Qual a necessidade disso?

- Para todos saberem que você tem dono.- Falou sério, como se aquilo fosse a coisa mais importante do universo.

- Você não é o meu dono.- Corrigi.- É meu namorado, e acho que isso.- Levantei minha mão, mostrando a aliança.- Já é suficiente.

- É apenas uma pequena marca de amor Ezequiel.- Dei risada.

- Tudo bem, só mais uma coisinha.- Me jóquei em cima de Justin, indo diretamente para o seu pescoço, porém, não fiz apenas uma marca.

EU FIZ TRÊS.

- Garota rebelde.- Falou me afastando dele.- Porém eu sou mais.

Justin subiu em cima de mim, começando a me beijar sem pressa, começando tudo de novo.

Caroline

- Daqui uma semana ela está de volta, espero que siga com o que combinamos, eu te paguei para isso.

- E com certeza vai querer os lucros que essa garota irá me trazer, certo?- Dei risada.

- É parte da nossa irmandade, me ajuda com as duas, que eu te ajudo a tranformas esses botecos que você chama de boate em uma coisa de lucro, não precisará viver apenas do contrabando.- O ouvi suspirar do outro lado da linha.

- Espero não me arrepender Caroline.

- Não irá.- Garanti.- Vai valer a pena.- Finalizei a ligação.

- O que vai fazer com Justin?- A voz da rata da Melanie cortou meus tímpanos, suspirei.

- Irei faze-lo sofrer.- A olhei.

- Pensei que o amasse.- Revirou os olhos, retirando a bolsa de gelo do pescoço, o olhando no espelho.

Estava linda a marca roxa das minhas mãos naquela região.

- Amo, mas ele primeiro precisa se arrepender de ter me trocado por tanto tempo, logo após isso me faço de amiga.- Dei de ombros.- Simples.

- Na folha é… Já na pratica.

- O que quer dizer com Isso?- Melanie levantou.

- Já pensou que Justin pode acabar desconfiando de algo? Entende onde vai parar se isso acontecer?

- Já.- Sorri.- Ninguém nunca vai descobrir ou desconfiar, está tudo tão bem planejado que nem parece que fui eu que pensei em tudo.

- Realmente não foi você.- Melanie era simplesmente insolente.- Foi o…

- Cala boca.- Me aproximei.- Não tente se convencer que sabe de algo, por que não sabe.- Melanie levantou os braços em sinal de rendimento, voltando a passar gelo no pescoço.

- Mas afinal, o que pensa em fazer com a garota?

- Você verá.- Sorri contente.- Mas saiba, que a pequena Luna irá sumir do mapa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado de verdadezinha.

Escrevi ele com muito carinho, querendo que vcs opinem, então ne.

Tem a narrativa dos dois pq de um jeito ou de outro é a primeira vez dos dois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...