História Forbidden Love - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Henry Mills, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Once Upon A Time, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 254
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, FemmeSlash, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, eu escrevi um cap grandinho, mas acabei perdendo. Por isso disse que só iria att amanhã, porém uma luz iluminou minha mente e consegui escrever esse cap. A musica é da Ana Carolina ( Eu comi a Madonna). Eu escrevi ouvindo-a e nossa...recomendo pra quem quiser ouvir enquanto estiver lendo.

Boa leitura haha💜 *perdoem os errinhos*

Capítulo 36 - Quem dita as regras, sou eu


- Porque você faz isso comigo, Regina? - disse soluçando. Regina ouvia tudo encostada no outro lado da parede. Mary e David já haviam deixado o andar debaixo para as duas conversarem. - Eu te odeio tanto por me fazer te amar. Porque eu não consigo apenas ficar com alguém? - disse pra si. - Hoje eu saí com minha amiga e eu quase transei com ela pra tentar te esquecer, mas ela não deixou. Agora me sinto suja, era melhor eu ter feito com ela do que ter usado minha amiga pra esquecer você! Eu te amo tanto e odeio na mesma intensidade! - disse socando o chão. - Porque me mandou embora, hein? - chorou alto. Não se importava se alguém a ouvia. - Sentindo seu corpo doer e estremecer aos ouvir aquelas palavras, Regina tomou coragem.


- Porque eu sou extremamente uma idiota. - disse ao sentar-se ao lado de Emma. A loira não abriu os olhos. Não queria acreditar que Regina estava ali e tinha ouvido tudo. Emma se balançava negando com a cabeça.


- Não, você não está aqui. Como estaria? - riu de si mesma. - Estou tão apaixonada que posso ouvir sua voz. - disse negando com a cabeça.


- Emma, não é imaginação. - Regina disse chorando. Emma parecia estar ficando fora de si. - Emma, por favor, me escuta. - suplicou.


- Hm, hm. - negou com a cabeça, não queria olhar para Regina. - Como você veio parar aqui e porque está aqui sua puta ? - perguntou com raiva. Regina respirou fundo sentindo o nó em sua garganta ao ouvir as palavras saindo com acidez da boca de Emma.


- Eu descobri a verdade e quando soube que não tinha sido você, eu fiquei tão péssima comigo mesma que eu não pude mais aguentar não falar com você. Consegui o endereço daqui e vim. Emma, quero que saiba que estou tão arrependida por não ter acreditado em você. Eu te amo tanto…- pôs a mão na perna da loira, mas Emma a tirou de lá com brutalidade, criando coragem dessa vez, para olhar nos olhos de Regina. Todo o seu corpo tremia, Emma não esperava ver Regina, não queria ver a morena, muito menos no estado que estava. Sentia ódio, raiva, nojo, paixão, amor. Era uma nuvem de sentimentos que pairava sobre as duas. A todo momento, as palavras de Emma ecoavam na mente de Regina. “Eu quase transei com minha amiga pra esquecer você.” Isso havia machucado tanto Regina, não por Emma ter sentido desejo por outra pessoa, mas por ela mesma, ter deixado tudo isso acontecer. Agora estavam ambas com o coração ferido, doentio, desejando que tudo aquilo acabasse logo, que todo esse sofrimento fosse embora.



- Você me ama, Regina? - Encarou a mulher. - Quem ama escuta, quem ama, confia. Você confiou em mim, Regina Mills? - os olhos de Emma estavam vermelhos pela raiva que sentia. Sua veia estava sobressaltada, seus punhos cerrados. - Como você tem coragem de vir aqui, depois de tudo o que fez? - levantou segurando a gola da blusa de Regina e empurrando-a contra a parede com força, fazendo-a gemer de dor e prazer. A tensão sexual que pairava sobre elas era tanta, que os apertos de Emma estavam sendo excitantes.


- Emma, por favor, me escute. Veja o quanto eu estou arrependida. - disse olhando a loira com os olhos banhados de lágrimas e raiva. Ninguém nunca havia lhe tratado assim, mas Emma tinha direito de estar com raiva. - Eu reconheci meu erro e eu sei que levará tempo pra me perdoar, mas apenas me escute, converse comigo. - suplicou.


- Eu te odeio tanto! Às vezes eu desejo nunca ter me esbarrado com você naquela boate! - Esbravejou. - Você é uma pessoa tão…


- Egoísta, arrogante, prepotente, idiota, burra! - Regina disse sentindo as unhas de Emma cravarem sua pele. - Me machuca, vai! Bate em mim, Emma! Desconta todo esse ódio que está sentindo por mim! - Emma fechou os olhos com força e estalou um tapa na cara de Regina. A morena sorriu diabolicamente e cuspiu o sangue que escorria pela sua boca. - É só isso que sabe fazer? - Emma cerrou mais seus punhos. - Vamos lá, miss Swan! - disse com a voz rouca fazendo todo o corpo de Emma estremecer de tesão. Regina sentiu um tapa mais forte no rosto e gemeu roucamente.  Com raiva, empurrou Emma contra a parede e a loira cambaleou quase caindo.

- Você não me provoca, Regina Mills! - disse segurando o rosto de Regina. Ambas estavam em uma luta sobre quem resistiria mais a tensão que sentiam.


- Eu ainda não fiz nada com você. - disse ao morder o lábio. Emma sentiu suas pernas fraquejarem.


- Eu te odeio tanto por isso. Você me deixa tão…- Regina riu e Emma a encurralou entre a mesa, empurrando seu corpo contra o dela. - Você é tão desgraçada.


- E você é tão puta! - Regina debateu com raiva, trocando de posição.


- Você é o erro mais gostoso que cometi. - Emma disse ao sentir Regina pondo a perna entre as suas. - Mas você não me terá tão fácil! - Emma disse ao empurrar Regina pra trás, fazendo-a cair no sofá. Emma estalou outro tapa no rosto de Regina, fazendo a morena gemer de prazer.


- Acha que vai me machucar ao me bater? - disse com excitação. - Emma, se você soubesse o quão sexy fica com raiva…- Emma a olhou com fúria e avançou sobre Regina. - Eu vim em busca de te pedir desculpas. - Regina estava se atracando no chão com Emma. - Mas você não me deixa falar. - Trocou de posição ficando por cima da loira.


- Eu te odeio! - gritou. - Regina desabotoou sua blusa fazendo Emma salivar ao ver a morena se despindo. Fechou os olhos com força. Tenta lutar contra o desejo de possuir Regina, mas quem ela queria enganar, já que não só seu corpo, mas como sua alma pedia por aquilo, pedia por mais?


- Oh, eu também te odeio muito, miss Swan! - Regina rasgou o vestido de Emma na parte do decote, deixando os seios fartos e os mamilos enrijecidos a mostra. Emma gemeu mexendo seu quadril, enquanto sua intimidade pedia por mais. - Você me odeio, é? - estalou um tapa no rosto da loira que gemeu. - E o jeito que eu te toco - apertou os seios de Emma. A loira mordeu os lábios. - você odeio também?


- Eu…- Emma arqueou o corpo quando sentiu Regina brincar com seus mamilos.


- E isso…-  disse ao ouvido da loira, quando seus dedos rasgaram a calcinha de Emma. - você também odeia?


- Não…- Emma gemeu.


- Sabe Emma, você pode deixar para brigarmos amanhã, seja apenas minha essa noite. - disse Regina ao sentir o cheiro do sexo de Emma. A loira ameaçou a fechar as pernas ao sentir a respiração quente de Regina.


- Acaba logo com isso, sua cachorra! - Emma disse ao segurar os cabelos de Regina com raiva.


Regina sorriu e passou a lingua por toda a extensão do sexo de Emma. A loira gemeu sem pudor, esquecendo-se dos empregados que dormiam naquele andar. Regina fez movimentos circulares no centro de Emma, enquanto seus dedos moviam-se no clitóris da loira.


- Ninguém nunca te fará sentir isso. - Regina disse ao chupar o clitóris da loira com volúpia, intercalando entre puxar os lábios dando um prazer a Emma.


- Ninguém nunca fará como você, Regina. - Emma disse empurrando seu quadril contra o rosto de Regina querendo mais.


- Ninguém nunca fará você enlouquecer como eu faço. - disse ao puxar Emma para o seu colo.


Nessa altura, já estavam nuas e Emma passou uma perna de cada lado do corpo de Regina, fazendo com que seus seios ficassem no rosto de Regina. Regina chupava os seios de Emma e brincava com seus dedos na entradinha de Emma. A loira estava com o corpo arqueado e seu corpo suava. Emma tombou o cabeça no vão do pescoço de Regina, ao sentir Regina espalhando seu líquido com dois dedos sobre toda a sua intimidade, e estocando logo em seguida, três dedos em si. Emma mordeu o ombro de Regina, fazendo a morena gemer, enquanto lhe estocava com maestria. Emma começou a rebolar sobre os dedos de Regina, gemendo roucamente no ouvido da morena.


- Você ainda vai me odiar quando eu fazer você gozar? - Emma sentiu um frio em seu abdômen ao ouvir aquilo. Regina a levava ao céu, ao mesmo tempo que lhe apresentava o fogo ardente do inferno.


- Não sei. Você é capaz de me fazer gozar? - Emma se afastou para olhá-la nos olhos e Regina sentiu seu corpo seu tomado pela raiva. Estocou com mais intensidade, fazendo movimentos rápidos.


- Não fecha os olhos. Quero que veja e pague com sua língua. - disse mordendo os mamilos de Emma.  


Emma sorriu e rebolou mais intensamente sobre os dedos de Regina. A morena sentiu as paredes de Emma apertarem seus dedos e ao ver Emma de olhos fechados e em transe, deitou a loira com cuidado, sem parar de estocá-la e retirando os dedos devagar, torturando Emma, Regina a penetrou com a língua, olhando nas íris verdes.


- Puta merda. - Emma disse sem conseguir controlar seu corpo que tremia. Regina a chupou com luxúria. Quando o corpo de Emma entrou em convulsão e Regina sentiu o líquido quente de Emma escorrer pela sua boca, a morena sugou com volúpia todo o mel de Emma, enquanto a loira tentava recuperar o fôlego, ainda sentindo a língua de Regina em sim


- Ainda me odeia? - perguntou ao tomar os lábios de Emma com luxúria fazendo-a provar de seu próprio gosto.   Sua língua brincava com a de Emma, beijavam-se com desejo, luxúria. O beijo era quente, e ambas exploravam o corpo uma da outra. Emma deitou Regina, e mordeu o pescoço da morena. - O que está fazendo?



      - Não seja sonsa. - Emma riu rebolando no colo de Regina, fazendo seus sexos roçarem um no outro. - Eu vou te mostrar que não pode fazer o que quer comigo e achar que sairá ganhando sempre. - Lambeu em volta dos lábios de Regina. - Você está na minha terra, Regina Mills, e aqui, quem dita as regras, sou eu. 


Notas Finais


Sexo de reconciliação?
Emma perdoará Regina?

deixem o comentário aqui na caixinha haushua


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...