História Forbidden Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor Proibido, Justin Bieber, Padrasto, Romance
Visualizações 6.037
Palavras 1.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Joe e... Banho gelado!?


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love - Capítulo 3 - Joe e... Banho gelado!?

Vi Chris se despedir também, e logo todos já estavam do lado de fora. Entramos no carro de Ryan, e por um milagre todos couberam. Logo estávamos a caminho da Le Ruxes, uma das melhores baladas de Nova York!

---.---

Havia acabado de chegar a tal Le Ruxes, eu ainda não tinha vindo aqui, mas segundo os meninos essa é uma das baladas mais da hora que tem. Toda noite tem um DJ diferente comandando, e sempre são os melhores.

  - Parada mocinhas. - o segurança mandou. - Preciso dos documentos.

  - Jura? - perguntei entediada.

  - Sim.

Tirei o RG da bolsa e entreguei a ele, Jennie fez o mesmo, menos Ju que ainda não tinha 18, e não poderia entrar.

  - E você mocinha? - perguntou olhando para ela.

  - Eu? Calma. - sorriu meiga.

Ela começou a mexer na bolsa e logo parou.

  - Ai, esqueci meu RG. - pois a mão na testa. - Não tem como você me deixar entrar?

  - Me desculpe.

Ela se aproximou dele e passou a mãos em seu peitoral.

  - Qual é cara. - falou manhosa. - Um cara tão lindo quanto você não pode ser chato. - sua voz estava extremamente sexy. - Por favor. - mordeu o lábio e fez uma expressão safada e meiga ao mesmo tempo, não sei explicar, mas é uma coisa dela.

  - Ok... - O cara sorriu malicioso. - Entra.

  - Valeu. - Jullie piscou e correu até nós. - Babaca.

Rimos e seguimos para dentro do local. Realmente o lugar era incrível, e eu quase morri vendo qual o DJ daquela noite. DAVID GUETTA!!! Tipo, ele é um dos melhores DJs que existe. As musicas eram incríveis, todos dançavam feito loucos, pulavam e se agarravam, o bar estava lotado de caras, tipo assim, no nível máximo de beleza.

  - Cara... AMEI ESSE LUGAR! - gritei para as meninas e elas concordaram.

Fomos até o bar para beber algo.

  - Uma Vodka. - pedi.

Jullie pediu o mesmo e Jennie pediu uma batida de morango sem álcool, ela não bebe. O barman trouxe as bebidas e eu virei a minha de uma vez, fazendo minha garganta queimar, Jullie fez o mesmo.

  - Vamos dançar? - Ju gritou no meu ouvido.

  - Claro! Vamos Jennie? - ela negou.

Jennifer é o tipo de pessoa que não curte balada, nem bebida, nem nada, a típica santa, totalmente o contraio de mim. Deixamos ela lá, bebendo a batida dela, e fomos dançar. Tocava Turn Me On e todos estavam pulando, fomos no embalo deles, e logo já estávamos pulando parecendo macacas. Devo dizer que a sensação era libertadora. Às vezes nossos corpos eram levados pelos outros, como em um mar, só que no caso, de pessoas loucas, bêbadas e que queriam esquecer os problemas.

 

(...)

 

Eu e Jullie já estávamos dançando a um bom tempo, e já havíamos bebido pra porra. Jennifer sumirá do meu campo de visão, com certeza está com Ryan por ai. Jullie já não se aguentava em pé de tanto que bebeu, será que ela lembra que daqui a 6 horas temos aula? A julgar pelo seu estado, acho que não.

  - Mais uma. - pediu ao barman.

  - Não. - gritei. - Não precisa não.

  - Qual é Anne Marie, só mais uma. Eu nem bebi ainda! - falou enrolado, fazendo o cara ao nosso lado rir.

  - Claro você não bebeu não. - falei sarcástica. - Vamos dançar, vai que você melhora. - falei. - Ou passa mal de vez. - murmurei para mim mesma.

A levei até a pista, e ela começou a dançar feito louca, pulava, rebolava, se agarrava nos meninos. Comecei a dançar junto a ela, mas um pouquinho mais recatada. Senti mãos em minha cintura, mas não liguei, continuei a dançar. Meus movimentos estavam ousados e de acordo com a música, o cara começou a beijar meu pescoço, e agora eu precisava virar. Virei-me de frente para a pessoa, um cara lindo, cabelos pretos curtos, seus olhos, acho que era castanho, pois com a má iluminação não consegui distinguir, seus lábios eram pequenos, mas dava uma vontade imensa de beijar, seu sorriso era encantador, pelo menos para mim. Sorri e pode vê-lo sorri também.

  - Joe, prazer. – falou no meu ouvido, fazendo-me arrepiar.

  - Anne. – falei no mesmo tom que ele. – Prazer.

Suas mãos agarraram minha cintura, junto mais nossos corpos, sorri maliciosa com tal ato, ele aproximou nossos rostos e ficou a centímetros de mim, senti sua respiração em meu rosto, e logo ele grudou nossos lábios. Pediu passagem e eu cedi. Seu beijo era bom... Muito bom confesso. Cessamos o beijo com selinhos, e ele sorriu abertamente.

  - Seu beijo é ótimo. – sussurrou no meu ouvido, me fazendo rir.

  - O seu também. – Rimos.

Voltamos a dançar, e nos agarrar de vez em sempre, e a cada vez que alguém passava com um copo perto de mim eu bebia. Já estava em um estado deplorável, não se aguentando mais em pé, mas ainda queria dançar.

  - Acho melhor te levar para casa. – Joe falou.

  - Não gatinho, eu quero dançar! – gritei, rindo feito louca, e rebolando.

  - Anne, você bebeu demais, vem eu te levo. – Disse me puxando.

  - Joe, vamos dançar mais um pouco!! Eu nem aproveitei ainda, eu quero voar!!! – gritei e abri os braços.

Ele aceitou e voltou a dançar comigo. Aos pouco fui perdendo os sentidos, e não me lembro de mais de nada. 

Justin Bieber Pov.

  - Boa noite amor. – Tracy disse me dando um selinho e deitando sobre meu peito.

  - Boa noite princesa. - desejei.

Aos poucos meus olhos foram pesando e eu adormeci.

(...)

  - Dona Tracy. – alguém batia na porta do quarto.

Tracy nem se mexeu. Levantei com cuidado, e coloquei uma calça de moletom, ficando sem camisa, e abri a porta, encontrando Leonor de pijama.

  - Seu Justin, a menina Anne esta lá embaixo sem conseguir subir. Eu não aguento com ela sozinha. – avisou preocupada.

Fechei a porta atrás de mim e a segui até a sala, onde Anne se encontrava jogada no sofá desacordada.

  - Pode deixar que eu levo ela para o quarto, pode volta para o seu. – sorri amigável e assim ela fez.

Peguei-a com cuidado. Ela parecia dormir serenamente, com um anjinho, mas o cheiro forte de bebida denunciava outra coisa. De anjinho aquela ali não tem é nada. Ela não era leve, mas também não era muito pesada, subi com ela sem muito esforço. Adentrei seu quarto e a coloquei na cama. Ela resmungava algumas coisas sem nexo, e de repente me agarrou, fazendo-me deitar com ela. Com certeza ela não estava boa. Melhor dar um banho gelado nela. Não Justin! Você mal conhece a pirralha, e já vai querer dar banho!? Mas, se ela ficar assim amanhã vai acordar pior, e morrendo de dor de cabeça e fedendo. Mas ver ela sem roupa é falta de respeito, vai que a Tracy ache que eu estou querendo abusar da filha dela!

  - Quer saber!? Que se foda! – falei para mim mesmo.

Peguei a morena em meus braços e a levei até a suíte.

  - Anne colabora ok!? – falei e ela meio que assentiu dormindo. Sei lá.

Com cuidado tirei seus sapatos, e me levantei para poder tirar seu vestido. O mesmo era agarrado pra porra, deixando suas curvas ainda mais evidentes, e foi meio complicado tira-lo, e ela ainda não ajudava nada, mas consegui.

  - Ual! – exclamei ao ver seu corpo.

Que isso, essa garota é muito gostosa, senhor! Caralho Justin! Para de desejar sua quase filha meu! Balancei a cabeça para me livrar dos meus pensamentos nada puros com a minha enteada e a puxei pela cintura, deixando-a em pé. Liguei o registro e a coloquei debaixo da água gelada, a fazendo despertar!

  - Ta gelada. – resmungou se agarrando em mim, e me molhando todo.

  - Quem mandou tomar um porre!!? – falei sério.

Deixei-a mais um pouco ali embaixo, e quando vi que ela já estava um pouco melhor a tirei de lá, a enrolando em uma toalha. Ela estava tremendo devido ao frio, me dava até dó vê-la daquele jeito… Fui até seu closet, e meu Deus, quanta roupa! Para que uma mulher precisa de tanta roupa assim? Tudo bem que eu também sou vaidoso, mas isso é muita roupa! Peguei um pijama qualquer e fui até ela. Coloquei-o por cima da lingerie molhada mesmo e a coloquei na cama, a cobrindo com um cobertor gigante, para que ela se esquentasse rápido. Fiquei a observando por um tempo, e vê-la dormir me trouxe um pouco de paz, não sei, um sensação esquisita, mas me deixou em paz. Apaguei a luz de seu quarto e voltei ao meu, onde Tracy dormia. Devo dizer que ela e Anne não tem nada em comum, ela deve ter puxado o pai. Troquei de calça, pois tinha molhado a que estava e me deitei ao seu lado. Pegando no sono rapidamente. 


Notas Finais


Comentem OK!!? Obrigada pela paciência com essa autora maluca aquii....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...