História Forbidden Paths - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Crime!au, Jikook, Namjin, Sope, Surubinhas, Taegi, Tudoflexnessacaraia, Vhope
Visualizações 17
Palavras 3.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AAAAAAAAHHH

espero que gostem desse capítulo, meu deus, espero muito mesmo que gostem!!

sorry pelos errinhos!

Boa leitura!

Capítulo 6 - Mútuo.


Seoul, Coreia do Sul.
3PM, 13/03.
P.o.v. Park Jimin.

"- Tem certeza disso, Jimin?" - Disse meu amigo do outro lado da linha.

- Claro, não passei quase duas semana procurando por esses nomes para nada, E'Dawn. - Disse impaciente.

Fazem três meses que eu sonho com coisas estranhas, preciso conhecer esses idiotas, vai que os sonhos param, preciso saber se eles também estão sonhando as mesmas coisas e bom... estes homens podem ser úteis para mim, são todos muitos errados e eu gosto disso.

"- Está bem, está bem, vou mandar os nossos 7 melhores informantes acharem esses homens e depois você decide como vai encontrá-los..." - Ele disse e fez uma pausa. - "Tchau, se cuide e fique com a Jennie hoje, vou cuidar de tudo por aqui." 

- Tchau. - Dito isso, desliguei meu celular.

- Com quem estava conversando, Minnie? - Posso escutar os passos altos da minha irmã descendo as escadas. 

Olho para ela e sorrio, logo me levantando e pegando as chaves do meu Alpine vision e o controle do portão.

- E'dawm. Vamos para onde mesmo, hoje? - Pergunto me dirigindo até a porta de entrada. 

- Você me prometeu que iríamos ao Changdeokgung Palace* hoje! - Ela disse animada dando pulinhos. 

- Você não se cansa de ir lá não? É a nossa quinta vez indo lá, só esse ano! - Respondo tentando mudar a mente daquela criança com corpo de adolescente.

- Hm... - Ela parece pensar em uma resposta e isso me faz ficar feliz, não queria ir pra lá. - Não mesmo!

Bufo vencido e nós vamos indo em direção do carro.

Será uma longa tarde.   

Gwangju, Coreia do Sul.
12AM, 15/03.
P.o.v Jung Hoseok.

Acabo de sair da universidade com a barriga doendo de tanta fome, mas... não sei, sinto que tem alguém me observando, observo o local que eu estou à procura de algum olhar sobre mim, mas não encontro nada, devo estar ficando doido, nervosismo demais por causa do curso, só pode.

- Jung Hoseok. - Escuto uma voz trás de mim e dou um pulo, olho para o lugar de onde a voz saiu e me deparo com um homem alto de casaco preto e uma máscara preta cobrindo seu rosto, só conseguia ver seus olhos já que ele estava encapuzado. 

- Q-quem é você? - Pergunto assustando. 

- Receio que não precisa saber meu nome, estou aqui a mandato de meu chefe. Ele me enviou até aqui para entregá-lo isto. - Ele me entregou um envelope vermelho e depois me olhou. - Ele deixou bem claro que vai ficar bem chateado se o senhor não aceitar. - Depois de dizer isso o cara saiu da minha frente e sumiu na multidão de pessoas que se formava em frente minha universidade.

De onde esse cara saiu?

- O que temos aqui? - Digo olhando o envelope tão bonito que estava selado com um lindo brasão com as iniciais "PJ", nossa, quem me mandou isso? 

Minha vida anda bem estranha ultimamente, primeiro, meu pai me liga falando que arranjou uma namorada que também é coreana no Brasil, depois, venho tendo sonhos estranhos com pessoas estranhas que eu nunca vi na minha vida, e agora, um cara me manda um envelope que eu nem sei o que diabos tem aqui dentro. 

Chega de curiosidade, abro o envelope delicadamente e vejo o que tem dentro...

OQUÊ?

Dentro do envelope havia uma passagem para Seoul, com direito a primeira classe, reservada para o sábado, ou seja, daqui três dias e cerca de 500 mil wons, também havia um papel com uma reserva para um hotel 5 estrelas na melhor localização de Seoul, e um pequeno bilhete: 

Querido Hoseok, 

Você pode não saber quem eu sou, assim como eu não sabia quem você era...

Receio que não faça a miníma ideia de o porquê de um desconhecido lhe enviar tanto dinheiro, bom... Preciso conhecê-lo e preciso de seus artifícios medicinais, sei bastante sobre sua vida e sei que ficará sem aulas durante cinco dias na próxima semana o que lhe dá 7 dias de recesso, que tal aproveitar para viajar e me conhecer? 

Atenciosamente, 

Park Jimin.

Cara... eu nem sei quem é esse cara, mas... esse nome... 

Jiminie? Será que esse homem é um dos garotinhos do meu sonho? Bom o nome dele me lembra o do menininho de sorrisinho adorável. Quer saber! Nada me prende aqui... e é apenas uma forma de conhecer pessoas novas... esse moço não vai poder fazer nada de mau comigo.

Creio eu.

Ilsan, Coreia do Sul.
9PM, 15/03.
P.o.v Kim Namjoon.

Estou na casa do Yoongi me arrumando para sairmos e participar de uma corrida que iria ter daqui 3 horas. 

- Cara, você acha possível? Por que eu... - Yoongi estava me perguntando a mesma coisa a uma semana e eu sempre respondia da mesma forma.

- É apenas uma coisa projetada nos nossos cérebros, Yoongi. Quantas vezes vou te dizer isso? Esses caras não devem existir, por nós dois convivermos bastante tempo juntos acabamos sonhando as mesmas coisas, deve ter alguma explicação científica para isso, depois eu pesquiso, ok? - Digo o interrompendo e tentando o tranquilizar, ele estava ficando meio paranoico com isso tudo.

Bom... há uns três meses, nós dois estamos sonhando a mesma coisa quase toda noite e isso está deixando o Yoongi meio perturbado, eu sempre tento pensar que deve ter alguma coisa com a adrenalina que vivemos e por isso nossas mentes estão fazendo com que fiquemos confundidos, projetando sonhos extremamente diferentes de tudo o que vivemos. 

Yoongi não pensa assim, ele costuma dizer que isso tem haver com coisas de outro mundo... como diz ele, bruxas.

Eu acho isso tudo muita baboseira, até porquê nós nunca sonhamos as mesmas coisas, só sonhamos com as mesma pessoas e isso pode ser porquê nosso cérebro cria pessoas que para nós seriam pessoas "perfeitas" nos nossos pontos de vista. Só isso. 

A campainha toca e eu e ele nus entreolhamos, quem víria na cara do Yoongi nessa hora da noite? 

Ele pega sua arma e coloca atrás de suas costa indo até a porta abrir a mesma.

Quando Yoongi abre, uma mulher de cabelos negros vestida de uma forma extremamente elegante aparece e Yoongi a analisa minuciosamente, logo abrindo um sorriso ladino, apenas observo a cena, deve ser uma de suas ficantes, já que esse aí é cheio. 

- Min Yoongi, Kim Namjoon. - A mulher diz o olhando e logo me olhando, como ela sabia nossos verdadeiros nomes? Que moça estranha.

- Como sabe... - A questiono mas ela me olha como se pedisse para que eu me calasse. 

- Meu chefe me enviou aqui, não façam perguntas, apenas peguem estes envelopes, ele mandou deixar bem claro que vai caçá-los se não fizerem o que ele pede. - A mulher disse estendendo dois envelopes vermelhos. 

Vou até eles e pegou o de sua mão esquerda enquanto Yoongi pega o da direita, ele ainda está a analisando, mas agora de uma forma diferente, como um leão prestes a atacar uma gazela.

Antes de qualquer movimento feito por nós ele se virou e foi embora entrando em um carro esporte vermelho e saindo em disparada. Nós nus entreolhamos e ele fechou a porta, seja lá quem for essa mulher, ela é muito estranha. 

Olhei para o envelope que tinha um selo de um brasão "PJ", bom... já sei que o cara é rico. 

Abri e sorri com o que tinha dentro, dinhero, uma passagem, uma reserva de hotel e um bilhete, logo o li:

Queridos Namjoon e Yoongi,

É um ilustre prazer conhecer os "monstros das pistas", quando descobri quem eram vocês dois fiquei animado em descobrir seus "hobbies", descobri que são bem úteis para mim, gostaria muito de conhecê-los pessoalmente e até mesmo tê-los trabalhando para mim, sou um grande apreciador destas corridas clandestinas, sem contar que posso dá-los grandes ofertas que melhoraria a vida de vocês.

Atenciosamente,

Park Jimin. 

Esse nome não me é estranho...

- Jiminie. - Yoongi responde me tirando dos devaneios. - Esse cara tem o mesmo nome do menino dos nossos sonhos! - Ele diz animado e logo depois muda pra uma expressão de horror. - Que porra é essa, Namjoon?  

- E eu vou saber? Estou mais confuso que você! - Respondo coçando a cabeça. - Esse cara deu dinheiro pra gente e quer que a gente viaje para Seoul no sábado, o que ele quer com a gente? 

- Você jura que está perguntando isso logo pra mim? - Ele me olha como se eu tivesse acabado de dizer a coisa mais boba do mundo.

- Sei lá,só quero ver o que vai acontecer... - Digo e paro para pensar, será que seria errado dizer que eu quero fazer essa viajem? - Nós deveríamos...

- É... eu acho que nós deveríamos. - Yoongi me confirm sem precisar que eu termine minha frase.

Nós realmente estamos precisando de uma aventura às vezes.

Gwacheon, Coreia do Sul.
6PM, 15/03.
P.o.v. Kim SeokJin.

- ... Você está me entendendo? Não quero comprar produtos estragados, então mande os empregados deste estabelecimento olharem melhor o prazo de validade senão da próxima vez eu vou processar essa espelunca! - A velhinha falava praticamente cuspindo na minha cara, eu estava a um passo de acertar o pescoço dela e matá-la, mas tinha que me controlar.

- Certamente, senhora, farei de tudo para que isso não ocorro novamente, caso contrário, serei o primeiro a pedir demissão dos que fizeram isto. - Respondi com o máximo de educação que me tinha.

- Bom mesmo, rapaz. - A velhinha disse e saiu da minha vista. 

Suspirei aliviado e me escorei na parede que tinha ao meu lado, respirei fundo e fechei meus olhos, precisava urgentemente de um remédio para dor de cabeça antes que minha paciência vá para o inferno.

- Este emprego não combina com você, o que faz aqui? - Uma voz meio fina, meio grossa me tira de meu relaxamento. 

Abro os olhos e analiso cara na minha frente com cuidado, ele não parecia querer ajuda, estava muito bem vestido para isto.

- Posso ajudá-lo? - Pergunto com uma sobrancelha erguida.

- Claro que sim, Jin. - Ele diz meu apelido que só apenas os que precisam de meus trabalhos sabem esse nome. - Parece surpreso, sei bem mais que isso... - Ele chega perto de mim e sussurra no meu ouvido: - Seu assassino sexy.

Ele se afasta de mim e arregalo meus olhos, sempre fui muito cuidadoso para que ninguém soubesse onde eu trabalhava, como esse cara ia saber isso tudo? E quem ele pensa que é para me chamar de sexy assim na cara dura?

- Q-quem é você? - EU pergunto realmente assustado. 

- Eu trabalho para o cara que precisa dos seus serviços, mas não aqui nesta cidadezinha de merda. - Ele diz normalmente. - Pode me chamar de E'Dawn, você iria me conhecer de qualquer forma. 

- E'dawn... do que caralhos você está falando? - Pergunto e logo depois olho para os lados, checando se não havia ninguém nos corredores ou por perto, por sorte estava limpo. 

- Bom... preciso de você em Seoul no sábado, tome. - Ele me entrega um envelope vermelho junto com uma tulipa, como ele... - Sua preferida, o meu chefe me mandou entregá-la para você e disse que adoraria que quando você estivesse em Seoul visitasse a casa dele, ele é cheio de flores assim. 

- Como eu vou para... - Não consigo entender nada.

- Abra o envelope tolinho. - Ele diz apontando para o envelope vermelho que tinha um selo do brasão "PJ". 

Abro o envelope e encontro dinheiro, uma passagem para Seoul no sábado às 09hrs da manhã, uma reserva de hotel e um bilhete, não tardo em ler o que tem escrito:

Querido SeokJin, 

És belo demais para o que fazes, mas será muito útil para minha pesso. Deve estar querendo saber quem sou... bom sou o homem de seus sonhos em vários sentidos e a pessoa que vai tirar dessa cidadezinha que chama de lar, não vamos desperdiçar o seu talento, meu doce. Quero você aqui em Seoul me servindo, garanto-lhe que o meu cachê será maior que o de todos os cachorros sarnentos que te contratam aí. 

Atenciosamente, 

Park Jimin. 

- Como você me achou? - Ergo meu olhar e vejo que o homem havia sumido. 

Seja lá quem for este cara, não quero... Jiminie? Espera... um dos garotinhos dos meus sonhos, como ele pode ser real? Não, isto deve ser só alguma coincidência, aqueles garotinhos não exitem, aquilo nunca aconteceu. 

Esse homem está me oferecendo trabalho, claro que não vou recusar, mas... não consigo deixar minha cidade... não pense assim SeokJin.

Você precisa de uma vida de luxo.

Daegu, Coreia do Sul.
2PM, 15/03.
P.o.v. Jeon Jungkook.

- Você precisa curtir sua vida o máximo, meu querido, não ligue para o que o bastardo do seu pai diz! - Minha tia disse enquanto afagava meus cabelos.

Papai havia brigado comigo de novo, só porquê eu havia chegado tarde hoje, nem havia feito besteiras dessa vez.

- Mas,Tia, ele quase me bateu de novo, eu nem gritei com ele dessa vez! - Eu disse com raiva. 

- Eu sei, bebê, você está certo, ele não pode reclamar, ele que não te deu a atenção que você merecia. - Ele me confortou e eu me aconcheguei em seu peito. - Mas... me diga, como foi sua noite dessa vez? 

Me animei com sua pergunta e logo me ajeitei na cama para olhá-la melhor.

- Bom... Nós, eu e o Tae, claro, fomos em uma boate que tem no centro da cidade, dançamos bastante e depois fomos dar uma volta na praça que tinha lá perto, Tae me levou na floresta e nós... - Dei um sorriso malicioso e ela fez o mesmo. - Desta vez eu fui o passivo. - Disse fazendo um biquinho, nunca gostei de ser o passivo. 

- Ah, meu amor, infelizmente seu corpo de deus grego é melhor sendo fodido, do que fodendo. - Ela disse sendo sincera e eu caí na gargalhada.

- Claro que não, Titia! Meu corpo é bom para fazer os dois, ok? - Eu disse ao recuperar o fôlego. 

Ouvimos batidas na porta e logo gritei que seja lá quem for poderia entrar.

Uma empregada da nossa casa entrou segurando um envelope vermelho em mãos.

- Senhor Jeon, um homem que não se identificou deixou isto para você. - Ela disse me entregando envelope e se curvando logo saindo do quarto. 

- De quem será? - Eu disse analisando o brasão que tinha um "PJ" muito bem desenhado. 

- Não seja bobo, sabe quantos mandam cartaz hoje em dia? Zero, porra nenhuma! Abra logo isso e veja quem é seu príncipe encantado. - Ela disse me apressando.

- Está bem, se acalme. - eu abri o envelope com cuidado e despejei as coisas na cama. 

Dinheiro. 

Uma passagem. 

Uma reserva. 

Um bilhete.

- Leia logo isto! - Minha tia disse, pegando o bilhete e colocando na minha mão. - Em voz alta! - Me advertiu.

- Querido Jeon Jungkook, gostaria de elogiá-lo ao descobrir de suas habilidades com as facas, mas receio que não é a única coisa que deveria elogiar em você... - Eu encarei minha tia e a mesma me olhava intrigada, poucos sabia que eu era bom com facas... continuei lendo - Sei que não sabe quem sou e espero que isso mude, por isso, estou lhe convidando para vir em Seoul, junto com seu namoradinho, para eu lhe fazer uma proposta irrecusável, fiquei encantado com sua tia e espero que possa trazê-la com você...

- Mas é claro que eu vou, está ficando louco se acha que vou deixar minha criança sozinha no mundo afora. - Ela disse me interrompendo.

- Tia, sabe que não pode ficar sem acompanhamento médico e não pode... 

- Cale a boca e leia o resto. - Ela me interrompeu novamente, mas que mulher impaciente.

- Não se preocupe, se aceitar minha proposta mandarei meus empregados irem buscá-la e ela terá acompanhamento médico 24 horas. Espero que venha, coelhinho. Atenciosamente, Park Jimin. 

 - Uh! Esse nome me deu um tesão! - Minha tia disse me fazendo ficar constrangido. 

- Titia! Como ele sabe o apelido que o garotinho do meu sonho me chama? - Perguntei mais para mim mesmo. 

Espera...

Park Jimin... Jiminie... Coelhinho? 

- Não pode ser... - Falei arregalando os olhos. 

- Jeon, está bem? - Minha tia disse se preocupando e eu a olhei assustado.

- É ele! Tia! Eu achei ele! Quer dizer... um deles! eu achei o menino dos meus sonhos! - Eu disse animado e saltitando!

-Calma, criança. - Minha tia disse rindo. 

Ela não entende.

Eu acabei de encontrar a saída...

Daegu, Coreia do Sul.
2PM, 15/03.
P.o.v. Kim Taehyung.

Aqui estou eu, com uma ressaca do caralhos, mas não consigo dormir... é como se algo me prendesse acordado e isso está me irritando profundamente! 

Me levanto e pego meu notebook, vamos pesquisar algo...

Ligo meu aparelho e o mesmo fica totalmente preto e logo depois um vídeo aparece e um homem de cabelos loiros e lábios inchados está na frente. 

Aperto Play, vamos ver o que temos aqui...

"-Olá, Kim Taehyung, como vai? Bom... espero que bem, sei que sua noite com Jungkook ontem foi bem animada..." - Ela dá um sorriso e passa as mão pelos cabelos os puxando para trás, o filha da puta era realmente sexy. - "Então... deve estar se peguntando como te achei, e eu lhe respondo, não foi fácil! meus homens quase não conseguiram hackear suas informações, mas graças ao Jungkook, te achamos, logo de cara percebi do que você se trata, mas não se preocupe, V, vou guardar seu segredinho." - Ele pisca um olho para mim e eu arregalo os olhos, como ele sabia do meu nome de... - "Se quer saber como sei isso tudo, venha para Seoul. Vou adorar responder suas questões." - Ele se aproxima da tela, provavelmente da câmera e quando estava prestes a desligar pareceu se lembra de algo. - "Ah! Meu nome... Park Jimin, ou como você me chamou, Jiminie..." - Dito isso o vídeo fica totalmente preto e uma mensagem aparece no visor. 

"Caixa de correio." 

Arregalo os olhos e largo o computado sobre minha cama correndo em dispara para a frente da minha casa, por sorte meus pais não estavam em casa.

Ao abrir a porta corro para a caixa de correio e percebo um carro preto saindo assim que eu o noto. 

Abro a caixa e encontro um envelope vermelho dentro. Pego o mesmo e volto para dentro de casa o analisando. 

Abro e me deparo com umas coisas e logo vejo um bilhete, logo o leio. 

Adoraria saber quais são suas habilidades frente os computadores. 

PJ. 

Pego o passaporte e logo Jungkook me liga, será que ele também recebeu isso. 

"- Tae? Você recebeu um envelope?"

- Sim! e você? - O respondo

"- Sim, eu vou! e você?" - Ele diz decidido. 

- Acha mesmo que eu vou perder isso? 

Ele ri do outro lado e desliga, Jungkook odeia dizer adeus. 

Parece que eu vou encontrar o garoto dos meu sonhos...

Isso é estranho.

Você não faz ideia, meu querido. 

 

 


 

 


Notas Finais


Caraca, eu perdi o jeito pra escrever isso.
*Changdeokgung Palace: Um local famoso na coreia do sul, um castelo cheio de coisas da cultura coreana.

Espero que tenham gostado desse capítulo, os próximos serão narrados por só um, não se preocupem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...