História Forbiden Love - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jack Griffo, Kira Kosarin, The Thundermans
Personagens Billy Thunderman, Max Thunderman, Nora Thunderman, Personagens Originais, Phoebe Thunderman
Tags Kira Kosarin, Max, Phoebe, Romance
Visualizações 104
Palavras 869
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Incesto, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEEI MEUS AMORES! FIQUEI EM UMA CRISE DE CRIATIVIDADE BRAVA, MAS TÔ DE VOLTA! ESPERO QUE GOSTEM DO CAPÍTULO NOVO ❤

Capítulo 6 - My addicton


Fanfic / Fanfiction Forbiden Love - Capítulo 6 - My addicton

Phoebe


 Estava prestes a começar a descer as escadas, quando ouvi Max dizer que iria para o colégio interno. O ar me faltou por alguns segundos, e fiquei meu tonta. Minha pressão caiu... Só de pensar no fato de estar longe do Max por um tempo que nem sei ao certo. Porém o que acabou comigo foi ouvir meu pai dizendo que era o melhor. Como assim era melhor eu ficar sem o Max???


 O sangue ferveu em minhas veias, e meus pés desceram as escadas, sem que ao menos tivesse me dado conta.


— Como assim Max? - Ele levanta surpreso, junto ao meu pai. Qual é, até parece que eu sou um fantasma.


— Phoebe, o que faz acordada? Pensei que já tivesse dormindo. - Meu pai diz, olho pro Max e ele tem os olhos fixados no chão.


— Não estava conseguindo dormir, então decidi pegar um copo de leite. Mas não é esse o assunto. Porque quer mandar o Max pro colégio interno?


— Phoebe, é uma decisão minha... — Interrompo Max.


— Você está brincando com a minha cara né? Nunca na sua vida inteira você pensaria assim.


— Phoebe, vai ser melhor para...


— melhor pra quem? Pai, eu sei que o Max tem essa pinta de vilão mas eu sei que ele pode mudar...— Max me interrompe.


— Phoebe, eu não posso mudar! Isso faz parte de mim. — Podia ver a tristeza nos olhos do Max, e isso é uma coisa nova para mim.  


— Sim, talvez não possa mudar, mas talvez possa melhorar. — Ele me olha confuso. — Pai, eu sei que ele pode mudar, ele só precisa de mais uma chance. Nos dê três meses, e se ele não melhorar... Aí sim, você o manda pro colégio interno.


 Meu pai cruzou os braços, e me olhou sério, antes de dizer suas palavras.


— Tudo bem, mas antes vou falar com a sua mãe, e então se ela concordar validaremos esse acordo.


 Não evitei sorrir. Estava tão feliz, era a chance que o Max precisava. Eu sei que ele pode mud... Quero dizer melhorar. É só uma questão de tempo.


— Agora todos para a cama, dormir, que já está tarde. — Ele disse e concordei, subi correndo para meu quarto, não dando tempo nem para olhar para ver a reação do Max.


 (...) 


Não conseguia dormir. E já era 4 horas da manhã. Já se passaram três horas desde que conversamos sobre o acordo. Queria ver o Max... 

 

 De repente tenho uma ideia maluca. Me levanto colocando um casaco, já que estava frio, tranco a porta do meu quarto, e saio pela janela. A janela do Max e no último andar. Com muito cuidado vou descendo pelas as ramificações que cresceu na parede.


 — até que foi fácil. - Digo pra mim mesmo. Vou até a janela de Max, e bato. Consigo ver ele dormindo, ficava mais lindo ainda. Continuei a bater contra o vidro, e minhas mãos pareciam estar congeladas. Estava muito frio. — Me perdoa Max. 


 Digo antes de usar minha telecinesia para derrubá-lo da cama. Comecei a dar risada como ele pareceu assutado, e pela milésima vez bato no vidro, e ele finalmente olha em minha direção. Faço sinal para que ele abra a janela.


— O que faz aqui? Está maluca? - Reviro os olhos enquanto subo em sua janela para entrar.


— Não. É que não estava conseguindo dormir, e pensei em passar aqui... Pra te ver. 


 Ele sorri, e me ajuda a entrar. 


— Por Deus Phoebe, suas mãos estão um gelo, e seus lábios estão roxo. - Ele diz me analisando. 


— Claro, lá fora está muito frio.


 Ele me abraça, e eu fico sem entender o porquê. 


 — Melhor você entrar debaixo das cobertas, antes que pegue um resfriado.


  —Claro. — Digo pulando em sua cama. — Perdeu a cama, e a coberta. 


 —Nem vem Phoebe. — Ele tenta se cobrir mas eu não deixo. — Vai me deixar morrer de frio mesmo? 


Ele faz biquinho e eu não resisto. Cedi parte da coberta pra ele. Ele se embrulhou, ficando praticamente grudado em mim, eu podia sentir o calor de seu corpo. 


Max


 Ter a Phoebe tão perto de mim assim era uma tentação. Eu a amo tanto. Ela é tão boa pra mim, ela acredita em mim, até mesmo quando eu não acredito em mim. Eu não a mereço, mas mesmo assim eu a tenho. 


— Phoebe. – ela olha pra mim imediatamente. Sua pele branca, as bochechas coradas do frio, seus cabelos negros levemente bagunçados, e seus olhos. Ah, os seus olhos, era a minha perdição. Olhar para eles era o mesmo que olhar para um céu estrelado. 


 Estava analisando, cada detalhe de seu rosto. Sua beleza era digna de ser contemplada. Meus olhos desceram para seus lábios, que ainda estavam um pouco roxo por conta do frio. 


 Ela ia abrir a boca para dizer alguma coisa, porém não deixei. Selei nossos lábios, e naquele momento palavras não eram necessárias. Eu amava sentir o sabor de sua boca, era como droga quem tem efeito imediato, causando um bilhão de sensações em mim. O amor dela era a minha droga, na qual eu não me importava em ser viciado. 


Notas Finais


Perdoa se tiver algum erro de ortografia ❣


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...