História Furacão Catriz - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Camila Cabello, Fifth Harmony, Originais
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 12
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooola gente! Primeira fic 😊, aberta a elogios e críticas construtivas. Baseada em história real vivida por mim mesma kkkkk

Capítulo 1 - Capítulo 1


Concordei com a cabeça fingindo escutar atentamente todas palavras que Austin dizia. Já as sabia, mas não iria interrompe-lo. O conheço a um ano, começou a trabalhar no supermercado do meu pai e desde então diz estar apaixonado por mim.   Divaguei mais um pouco repassando tudo que tinha pra fazer amanhã, aula integral, reviro os olhos desgostosa e os pouso nele. Austin me encarava atentamente com um sorriso bobo nos lábios.

- E então .. o que me diz?

Encarei seus olhos procurando alguma pista do que acabara de dizer. Merda Cah. Totalmente perdida, baixei a cabeça, ele continuou:

- Olha, sei que você tem suas reservas quanto à relacionamentos, mas isso não é um namoro. Estamos firmando um acordo entende? Se durante esses dois meses você não se apaixonar por mim, não quiser nada comigo eu paro de insistir. Mas preciso saber se isso vai dar certo, se vale a pena cultivar o que sinto por você. 

Minha mente começou a pifar desde que relacionamento foi citado. Austin sabe que sou contra namoros, nunca namorei durante meus dezessete anos, sempre preferi ficar. Que merda as pessoas tem na cabeça pra escolher o namoro? Sabia que não deveria ter aceitado ir ao cinema com ele, se não fosse a insistência do meu pai.. E aqui estou eu. Não quero namorar, não quero compromisso com ele, nunca tinha cogitado beija-lo, quanto mais.. Suspiro exausta, é da minha cama que preciso agora isso sim, minha cama sim, minha cama..

- Sim! - Pera. O que? Me amaldiçou mentalmente ao perceber o que tinha feito. Merda Cah. Só faço merda. Encarei seu sorriso e ouvi todas as suas interjeições de alegria, mas não estava nesse mundo. E agora? O que falo? Não quero isso, não quero. Sua voz me puxa pra realidade.

- Te vejo amanhã então. - Beija minha bochecha e se afasta, seu sorriso brilha mais do que todos os postes da rua. Vejo ele se distanciando passo a passo e petrificada, não faço nada. Porra

Deitada à cama, repasso mentalmente essa noite me castigando por não ter feito nada, não ter impedido quando tive tempo, desfeito minhas palavras, explicado ou sei lá. Mas o que iria dizer? Que merda Cah. Meu celular vibra e uma mensagem de Austin aparece:

Boa noite princesa ;)

Reviro os olhos frustrada, chega mais uma:

Oi, preciso conversar com você. Passa aqui depois da escola?

Somos duas. Penso enquanto leio a mensagem da minha amiga. Normani vai morrer de rir quando souber.


Suspiro exausta após oito aulas de imensa tortura. Não que eu não goste de estudar, sou considerada a nerd da turma, é de mim que todos pescam, mas hoje minha mente não está bem. Sei que pode parecer exagero mas fujo de compromissos desde que me conheço por gente, nunca gostei de alguém e digo a mim mesma que não vale a pena começar um relacionamento sem sentimentos. E agora estou nessa coisa, nesse acordo estranho de dois meses em que estarei presa a alguém. Ainda que ele insista não ser um namoro, essas palavras gritam na minha mente. Fobia a relacionamento, que saco.

Quando toca o sinal demonstrando o fim da última aula, saio apressada em direção à casa de Mani. Atravesso a praça olhando o céu, em dias normais assistiria o pôr do sol, mas hoje o tempo está nublado, tão cinza que temo minha ida pra casa. Mani enrola muito pra me contar o que está acontecendo. Passamos quase duas semanas sem nos ver então imagino que ela tenha muito a contar, mas quando começa sua história me surpreendo por ser mais antiga e complexa do que pensei. Quando termina continua me encarando temendo minha reação. Não consigo fazer nada mais que rir, quero bater nela por não ter me contado antes, mas entendo seu medo.

- Então você namora uma menina?

Alço a sobrancelha a questionando, ela me avalia ainda temerosa.

- Não sei, acho que não temos nada, você viu o que ela disse. - Mani faz um biquinho fofo ao mencionar a mensagem que me mostrou à pouco.

Namoramos Normani, passado. Foi bom estar contigo, mas não sinto mais nada por você.

Nunca imaginei minha amiga gostando de garotas e aqui está ela toda apaixonada e confusa pedindo minha ajuda.

- Sabe que não tenho experiência alguma com relacionamentos, como vou conseguir fazê-la se apaixonar por você de novo? Se nem ao menos você consegue fazer isso..

Às vezes não noto a rudez em minhas palavras, mas percebo o efeito delas, não sinto como se tivesse sido grossa mas vejo o brilho nos olhos de Mani diminuírem. Merda Cah.

- Olha - continuo - eu vou tentar ajudar e se ainda assim ela não quiser nada com você, foda-se você é mais que isso. Cadê a piranha que existe em você?

Os olhos dela brilham novamente enquanto me dá um leve empurrão.

- Não sigo seus passos Medusa. 

O apelido me faz sorrir então me recordo da noite de ontem, cabisbaixa, conto o que houve à Mani e sinto vontade de mata-la no modo como reage. Ela não para de me zoar. 

- Então agora vocês namoram? Que fofa.

- Não é um namoro, é um acordo. - Quem sabe se eu não repetir isso várias vezes eu não me convença.

- Vão andar de mãos dadas? - Um sorriso de satisfação brinca nos seus lábios, ela gosta de me pirraçar - Vai conhecer a sogrinha?

Bufo pensando no que responder quando meu celular toca. Ele de novo, terceira ligação ignorada. Decido atender incerta sobre o que dizer, combinamos de sair pra passear e Mani continua com as provocações. Aproveito a deixa pra me despedir e ela suspira me soltando de um abraço.

- Nunca imaginei você namorando. - Nem eu, concluo em pensamento- Não gosta mesmo dele ? - Faço que não com a cabeça. - Não sei se fico aliviada, feliz ou preocupada. - suspira de novo. - Boa sorte com a sogrinha.


O passeio com Austin foi bom, ele é inteligente e tenta fazer de tudo pra me impressionar, o que me incomoda. Às vezes sinto curiosidade em conhecer o Austin verdadeiro, não o engessado que tenta ser o cara perfeito pra mim. Durante a caminhada, senti o olhar de muitas garotas sobre ele, não que ele seja um Apolo da vida mas sua cor pálida contrasta com seus cabelos negros, o sorriso dele é lindo e o deixa irresistível. Ele é o tipo de pessoa que eu classificaria como pegável, se ele não tivesse sentimentos por mim eu ficaria com ele. Meu pai sorri satisfeito quando me despeço de Austin com um beijo na bochecha, tentei a noite toda desfazer o acordo mas as palavras não saíram da minha boca. São apenas dois meses, tento me conformar. Desbloqueio o celular deitada à cama, e rolo pela lista de conversas até achar Mani. Junto com o contato de sua ex, as palavras: boa sorte ;)

Embora ache que não vai dar certo, tenho uma missão e me alegro com isso. Um motivo para não falar com Austin enquanto a lista de mensagens dele aumenta, me concentro em escolher as palavras para falar com a Lauren. Seria mais fácil se fosse um trabalho de cupido, mas despertar sentimentos em alguém? Droga não sei o que falo. A garota fica online e meu nervosismo aumenta. Merda é só um Oi, mas e depois o que vou falar ? Foda-se, chamo ela:

Oiooi, boa noite ;)

Um segundo após ela visualizações  começa a digitar. Eita, que os jogos comecem.



Notas Finais


Estou postando essa história no wattpad também.. Enfim.. até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...