História Game Of Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tom Hiddleston
Personagens Tom Hiddleston
Tags Elizabeth Debicki, Empresaria, Intimidade, Italia, James Mcavoy, Michael Fassbender, Mulher, Paixão, Sexo, Tom Hiddleston
Visualizações 19
Palavras 4.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - A viagem


Chegamos ao quarto do hotel onde Josh estava hospedado, foi fácil entrar após explicar o ocorrido e sofrer um suborno de 100 euros do dono daquele pulgueiro. O quarto era bem simples mas estava organizado e limpo. Tinha apenas duas malas e uma mochila ali, na cabeceira da cama dele estava a foto da irmã com os sobrinhos e ele, uma linda foto de família que mostrava um lado doce nele que eu não conseguia ver. Bobby estava separando a roupa dele para irmos ao hospital quando achei uma espécie de diário, pensei que fosse um livro a princípio mas era como um diário de viagens com muitos nomes, telefones , endereços e passagens aéreas antigas, o que comprova uma grande parte da documentação que Jason me mostrou. Eu coloquei no mesmo lugar embora a vontade de verdade ser levar para casa e ler até a última folha. Saímos e fomos direto ao hospital levar a roupa para ele. Chegando lá ele estava sentando tomando um suco de laranja com torradas, “Inglesinho legal, olha você !” , bobby chegou nele e o abraçou “Escocês gato que bom que está bem, pensei que algo pior tinha acontecido com você" , empurrando o carrinho com seu lanche para o lado e sentando se com os pés pra baixo Josh fala “Eu sou um pouco difícil de ferir como já te falei… Giovanna, como você está?”, Eu forço um sorriso e falo “Estou bem, só viemos trazer suas coisas e devolver sua chave, você precisa descansar…” , ele pega a chave da minha mão e me olha seriamente, “Eu estou bem, amanhã já estou apto de volta ao trabalho, você que não está bem e não adianta mentir pra mim, eu detecto uma mentira a km” , “Pois é, acredite, eu também” , um silêncio emana na sala por quase um minuto e Bobby fala, “Okay, torta de climão , alguém quer um pedaço? Vamos, grandão você precisa descansar, nos vemos amanhã na Hamilton!” , Eu saio do quarto sem me despedir, ficou complicado encarar ele depois de tudo que li sobre ele, chegando no estacionamento Bobby pergunta “O que foi isso?” ,  “isso o que? Só falamos verdades….” Respondi enquanto entrava no carro. “você sabe algo que não sei? Leu algo naquele diário?”, Eu baixei a cabeça e mexi em qualquer coisa no celular “Claro que não, eu só estou cansada Bob, muito muito cansada… me deixe em cada e fica com meu carro, pego com você depois, vou com o Jaguar de amanhã e por favor chegue cedo na Hamilton, tem umas reuniões que eu me recuso a ir, vá com Patrícia e resolvam tudo….” Bobby apenas consentindo me leva até minha casa. Chego e vou direto para a cama, sem tomar banho, sem trocar de roupa bem nada, simplesmente deito e apago, eu estava rezando para esse dia acabar.

       Não ouvi o celular despertar e acordei com sol batendo no meu rosto, um sol bem ameno e a calmante. Olhei no relógio e eram 9:39 da manhã , fazia um bom tempo que eu não acordava depois das 6, mesmo nos meus dias de folga acordava cedo para correr. Fiquei mais um bom tempo deitada na cama, mexendo no celular e resolvendo algumas coisas. Meu corpo estava um tanto quanto dolorido devido ao estresse de ontem. Olhei para as fotos da minha mesinha de canto, eu e meu pai, eu e minha mãe, minha família , meus primos, eu não tinha que reclamar, tive todo amor e suporte de todos da minha família, não havia intriga, brigas e isso me fez pensar na história de Josh, do que li naquele relatório que Jason me mostrou, uma infância e adolescência completamente diferente da minha, uma realidade que eu nunca pensei que existisse, já que meu mundo era tão perfeito. “será que ele tem alguém para buscá-lo? Vou mandar um táxi até lá para levar ele até o hotel.” Falei comigo mesma. Levantei e fui calmamente preparar meu café e aproveitar aquele dia de descanso, eu avisei a Loui e a George que eu não iria na Hamilton por hoje. Eu precisava conversar com Josh sobre o que descobri sobre ele, ou não? Deixava quieto e veria até onde ele iria? Eu não sabia o que fazer… aproveitei o resto da manhã para organizar o resto das coisas da minha viagem para Itália, iria passar o final de semana com meus pais, estou tentando fazer com que eles voltem, estava difícil mas eu irei conseguir. “quer saber, vou eu mesma buscar o Josh no hospital, preciso dar brecha a ele para ver até onde ele vai….” , Tomei um banho e coloquei uma calça jeans rasgada na parte do joelho e coxa , uma camiseta branca e chinelo, não passei maquiagem nem nada, só coloquei o óculos escuro e sai, no caminho liguei para o hospital para saber se ele já teria alta a qualquer momento, pedi para avisar que iram buscá-lo, que ele descesse em 20 minutos. Cheguei em cinco minutos no hospital e estacionei na parte da entrada, estava escorada no capô quando o vi saindo, ele estava com um jeans claro e uma camisa branca e jaqueta preta, sapato preto e óculos escuros também, meu coração quase parou por um momento, “Esse desgraçado é lindo demais” pensei comigo, ele pareceu perdido e procurando um táxi ou algo do tipo, quando assobio e levanto a mão, ele me encontra e vem caminhando em minha direção com um sorriso surpreso no rosto, “Mas que honra a minha hein” diz ele apertando minha mão! “quase não reconheço você, está tão…” , eu desencostando do carro falo “Normal?” , Ele sorri e diz “não , está tão menina!”, Eu automaticamente dei uma gargalhada e falei “Foi a coisa mais gentil e estranha que ouvi! Agora vamos, entre no carro…” , destravando a porta e entrando percebo que ele estava super a vontade comigo, fomos conversando no caminho sobre o que aconteceu e sobre como ele conheceu Bobby e como chegou a Londres, a história que Bobby contará bateu direitinho, então indaguei, “Seus pais ficaram de boa com sua vinda para cá ?”, O semblante dele mudou de relaxado para tenso, mais incomodado do que tenso, ele demorou uns segundos para me responder e então falou “Eu não tenho uma boa relação com meus pais, é uma puta história longa e complicada…” , eu respirei e respondi , “Compreendo… muita coragem sua sair do país assim sozinho, vi que você fala várias línguas, fez cursos?” , Ele vira o rosto para mim e fala “é uma segunda etapa da entrevista?” , Eu novamente dou risada e falo “Não , só curiosidade mesmo…” , “Eu morei em vários países e lugares , sou quase um nômade.” , já virando a esquina para deixá-lo no hotel ele fala “Quer tomar uma cerveja?” , Eu com cara de surpresa olho pra ele e respondo, “Não! Meu Deus você está com pontos , provavelmente tomando remédios…” , ele sorri e responde “Qual problema? A cerveja é justamente para relaxar! Mas tudo bem!”, Eu percebo o quanto ele ficou incomodado com minha resposta e falei , “Eu vou ver meus pais esse final de semana, tenho muito que resolver ainda mas se o convite estiver de pé na próxima semana, eu topo.” , Ele sorriu e falou, “Não sei se ainda vou querer…” eu sorri e ele devolveu o sorriso, saindo do carro continuou “ nos vemos amanhã no trabalho?”, eu prontamente o repondo, “Se não estiver se sentindo bem não precisa ir…” , ele dando as costas para mim, antes de entrar no hotel dá um grito dizendo “até amanhã chefe.” e entra no hotel, eu dou um sinal com a buzina e saio com o carro, esse cara é extremamente estranho , é como um burcado negro que você sabe que é problema mas te puxa pra dentro. Tanta coisa aconteceu nesses dois dias, eu não conheço esse cara, bom, não de verdade, só que o vejo é o que li sobre ele no relatório de Jason mas é incrível a conexão bizarra que sinto com ele, o jeito que ele me olha, aquele olhar intimidador e profundo, o jeito que eu reajo a ele me incomoda muito mas é involuntário e não consigo controlar. No caminho para casa liguei a Kenneth Branagh e conversei por alto sobre o que aconteceu, pedi desculpas por não ter marcado nosso encontro de negócios, ele disse que não haverá problemas em nós encontramos na próxima semana, até porque sexta iria para Itália ver meus pais e resolver umas coisas da empresa com meu pai. Ao chegar em casa terminei de arrumar as malas, amanhã seria um longo dia de trabalho e ainda iria viajar à noite, então assim que cheguei pedi uma comida chinesa, terminei de arrumar minha mala, comi e fui direto para cama.

      Mais uma manhã se iniciava, mais uma parte da rotina diária a ser tomada, saí com minhas malas e com ajuda de um vizinho as coloquei no carro, eu até poderia ir de táxi para a Hamilton mas dirigir me relaxava sempre. Liguei o rádio e sai para mais um dia de trabalho. Josh estava lá no seu posto como a dois dias atrás, uma imagem daquele dia horrível veio a minha mente, respirei fundo e disse “Hoje vai ser um dia normal, que deus nos proteja…” , sai do carro e ele estava em pé mais uma vez com a mão estendida na minha direção, dei a mão para ele e falei “Bom Dia Josh, está melhor?” , ele prontamente sorrindo me responde “Estou ótimo, você parece ótima e se me permite dizer, está linda” , eu poderia ter dado um corte nele, como faço com outros funcionários que não separam as coisas mas não me pergunte o porque mas eu ruborizei e disse “ah obrigada, vou pegar minha valise, pelo amor deus não faça nada”, nós dois rimos e então peguei minhas coisas, virei me para ele e disse, “Deixe o carro na saída mais próxima por favor.”, ele entrando no carro e fechando a porta diz, “Sim senhorita, precisando de mim é só chamar…” , eu saio e mais uma vez sinto de costa o olhar dele, só ouvi ele sair com meu carro quando adentrei a Hamilton. As recepcionistas prontamente deram meu bom dia, acho que o puxão de orelha funcionou. Louise estava na minha sala quando cheguei, ela estava colocando água fresca na jarra e dando jeito nos copos, “Bom dia Loui, como foi ontem aqui?” , “Foi bem movimentado, tivemos bastante cliente e novos associados, tem uns relatórios de segunda e ontem na sua mesa, o resto da documentação que precisa levar para itália estão na sua primeira gaveta e teremos manutenção nos vidros do décimo e terceiro andar, então não se assuste em ver homens aranhas pelos vidros.”, isso me fez dar uma boa risada e então começamos nosso dia de trabalho. O dia passou extremamente rápido, meu horário de ir para o aeroporto estava chegando “Loui, Bobby já chegou da RADA”, perguntei a ela que respondeu, “Não, ele de lá vai para o CrashDumps para uma reunião extraordinária com o pessoal da paramount.”, ele iria me levar ao aeroporto, “Amiga você pode me levar ao aeroporto?” , loui me olhou espantada e disse, “Putz Gio, hoje não, saio daqui  direto para casa dos meus pais, minha mãe operou, esqueceu?”, “Puta merda, esqueci completamente, como ela está?”, “ela está bem mas hoje é meu plantão de cuidar dela, Sofie tem aula hoje então sobrou pra mim….E agora quem vai te levar? por que não pega um táxi?”, “Porque eu havia combinado com o Bobby para me levar, minhas malas estão no meu carro! aquele anão… Chame o Josh aqui por favor.”, Louise me olhou com uma cara de espanto e então falei “Eu tenho opção?”, ela sorriu e prontamente ligou para o chefe dos Valets e pediu para que ele subisse. Eu estava olhando pela vidraça do meu andar quando ele entrou na sala, ele não se anunciou e parou ao meu lado e me olhou, olhei para ele e voltei para a vista, “É lindo demais essa vista, eu havia esquecido até você falar dela…” falei, ele continuou olhando para mim, “Posso te pedir um grande favor?” , ele sorriu e disse “O que você quiser!”, eu sorri e olhei pra ele , “Você pode me levar ao aeroporto?” , ele então falou, “claro que posso mas e seu carro?” , “fique com ele até eu voltar domingo, ai eu ligo pra você me buscar lá, Bobby era o encarregado para isso mas tivemos uma reun…” ele me interrompeu dizendo “Não precisa justificar, eu levo e busco você, sem problema algum… Onde deixarei seu carro? Lá onde estou hospedado não tem condições”, eu concordei com a cabeça, “Deixe aqui, fique com a chave, tens livre acesso a garagem então, acho que aqui será mais seguro.” , ficamos em silêncio se olhando e ele falou “Vamos então?” , “Sim, pode ir na frente tirando o carro do estacionamento, vou pegar uns papéis e já desço.” , ele prontamente saiu, eu peguei minhas coisas, hesitei se levava o relatório para meu pai ler, será que seria a coisa certa?, bom, de qualquer maneira eu peguei e coloquei junto com outros documentos importantes, saí e abracei minha amiga que me desejou boa viagem e então ao chegar na portaria, ele já estava no carro me esperando, as meninas da recepção eram todo sorrisos para ele, entrei no carro e falei, “Já está conquistando o coração das meninas…”, ele deu um riso sem graça e abaixou a cabeça, saindo com o carro disse, “Jamais, elas são bem simpáticas…” , “ e desatentas ao trabalho….” falei enquanto mexia na bolsa separando o passaporte e a passagem, “Que lugar da itália você vai?” , josh me pergunta, “Vou para Veneza, meu pai mora lá”, “E você é nascida lá?”, “Nasci em Verona, um lugarzinho bem charmoso e simples, amo Verona, espero passar minhas férias lá…” , “Eu nunca fui a Itália, quem sabe um dia ….” disse Josh, eu sorri para ele e então peguei meu estojo de maquiagem para passar somente um pó e um batom e ele falou “Não precisa disso…”, “Como é?”, perguntei a ele, “quer dizer, você é naturalmente linda, não precisa de maquiagem... “ , eu sorri e falei “Eu… hum… só uso as vezes… e …” , “desculpa se lhe deixei embaraçada, não é da minha conta.” disse Josh, “Não, não, tudo bem!” respondi, liguei o rádio na BBC one e estava tocando Talk do Coldplay, “Eu adoro Coldplay, sinceramente é uma das melhores bandas do mundo”, disse Josh, eu larguei um sorriso de orelha a orelha e disse “Jura? também acho, eu já fui a vários shows deles e Josh é a coisa mais absurda do mundo!”, eu sorriu e disse “Eu imagino, seria um puta sonho pra mim ir um dia…”, começamos então cantar juntos, parecíamos dois amigos viajando, eu involuntariamente comecei a reparar nele, olhei para as pernas dele e vi que ele tinha coxas extremamente grossas e musculosas, ele olha pra mim e eu morrendo de vergonha desvio o olhar, ele deu um sorriso e quebrou o silêncio, “Chegamos Madam…” , eu sorri, ele estaciona o carro e então saímos, ele pegou minhas malas e falou “Vou levar você até o portão de embarque, suas malas estão pesadas.” , eu falo “não precisa, tem carrinho e …” ele sai andando na frente e me deixa falando sozinha, minha vontade foi tacar a bolsa na cabeça dele mas o segui. Fomos até o portão de embarque, eu fui a última a passageira a chegar, enquanto eu fazia o check in ele despachou minhas malas, estava indo para o portão e me virei para ele, “Obrigada pela ajuda…”, estendi minha mão para apertar a dele que sorriu ao apertar a minha e disse, “Por nada, tenha uma boa viagem…” , eu o agradeci e sai.

   O voo durou duas horas e meia, fui dormindo a maior parte do tempo, cheguei no aeroporto de veneza e parei em um café para esperar um motorista do meu pai me buscar mas para minha surpresa meu velho veio a meu encontro, eu levanto e o abraço com muita força, “Minha Nanna, que saudades!”, “Meu querido pai, que surpresa maravilhosa! pensei que Nuno vinha me buscar!”, “ Eu não podia deixar ele levar minha princesa até em casa, meu deus Nanna como você está linda e magra né, não está se alimentando direito figlia mia…”, eu gargalhei e disse colocando a mão na barriga dele “O senhor está se alimentando até demais né padre”  , nos abraçamos novamente e então ele pega uma de minhas malas e saimos. Conversamos o caminho todo sobre a famiglia, várias novidades e ele disse “Tenho uma surpresa para você quando chegar em casa…”, “ Diz pra mim que a janta vai ser Carpaccio?” , ele sorriu e disse, “Essa era uma das surpresas e olha eu mesmo que fiz…” , fiquei o resto do caminho curiosa com a sorpresa che mio padre ha preparato per me. Chegamos em casa e estava tudo um silêncio, “Chania não está mais trabalhando com o senhor?”, perguntei enquanto colocamos as malas no canto da sala de estar, “Sim, ela está na cozinha”, eu então caminhando na frente, abro a porta da cozinha e s surpresa estava a me esperar, minha mãe, meus dois tios e tias favoritos no mundo, minha prima Amanda e Meu primo pequeno Gustav, eu quase tive um treco e como estava em casa gritei e pulei de felicidade, corri para os braços de minha mamma, abracei e chorei com cada um, que surpresa maravilhosa depois de uma semana complicada e cheia de surpresas também. Nos sentamos para comer e beber vinho, é inevitável que histórias de infância venham a tona com essas reuniões, meu pai contava orgulhoso como eu estava cuidando do nosso patrimônio, como a Hamilton está crescendo cada vez mais e mais. Foi um jantar maravilhoso, Chania estava trazendo a sobremesa quando meu pai e minha mãe levantaram e disseram, “Temos uma surpresa especial para você Nanna.”, meu coração parou, “Nós voltamos e vamos nos casar novamente…” , “ O QUEEEEEEE?” gritei e comecei a chorar, já estamos morando juntos novamente a um mês e queríamos que fosse uma surpresa pra você!” disse meu pai, não tive nem forças para levantar da cadeira, só coloquei a mão no rosto e desabei, meus pais voltaram, meu deus que alegria sem tamanho eu estava sentindo… Eles vieram me abraçar e choramos juntos de alegria, a emoção tomou conta da sala de jantar e realmente todos estavam felizes aquela noite. Comemos um delicioso tiramisu feito pela chania, depois fomos para a mesa do jardim tomar vinho, fumar conversar um pouco mais. Meus tios e primos foram embora algumas horas depois, minha mãe foi dormir e fiquei lá sentada no jardim com meu pai, estava uma noite fresca, acho que 25 graus , céu estrelado, vento morno, típico da itália na primavera. “Sinto que você quer me falar algo Nanna” disse meu pai acendendo um charuto e me servindo uma taça de vinho, eu coloco as duas pernas na cadeira a frente e acendo um cigarro, “Sim, preciso pegar o relatório de cortes na bolsa e te mostrar porque…” ele rapidamente me corta e diz, “Não é sobre a empresa que estou falando, tem algo pessoal incomodando você”, eu olho com espanto e ele continua, “Eu sou seu pai, te conheço a 25 anos…” , sorrimos e então conto toda a história de Josh Mc Landell para ele, inclusive sobre o relatório feito por Jason, meu pai fica em silêncio por uns longos segundos e diz, “ é pior que pensei… Esse rapaz, o que você sente sobre ele?”, “Pai eu realmente não sei, ele me intimida mas me passa conforto e força, segurança, ele é muito esquisito”, meu pai sorri e fala, “ ele bonito?”, eu olho para ele, “isso faz diferença? o cara é uma bomba relógio que não sabemos qual o estopim…” . “eu vou repetir a pergunta, olha nos meus olhos e responde, ele é bonito?”, “sim, ele é lindo, alto, corpo atlético, os olhos dele parecem dois oceanos azuis, profundos, ele me assusta…”, respondi e baixei a cabeça, “Ele te encanta, ele é misterioso e não está sob seu controle, por isso acha ele esquisito, você sempre amou mistério, desafios e acho que vai amar esse homem…”, eu automaticamente cuspi o vinho que tava na minha boca, “O que? o que o senhor tá falando? Pai por favor...ele é um louco, vem de uma família louca, o pai é um assassino, ele … não, por favor!”, ficamos em silêncio, “Fora que ele é meu funcionário, não faz meu tipo de cara… Ai esquece esse assunto….” falei bebendo mais um pouco de vinho, papai sorri e fala “ Vou a londres semana que vem para fazer uma reunião com os acionistas, quero conhecer esse rapaz. Preciso saber quem ele é e você sabe que conheço um canalha de longe…” . Passamos mais algumas horas no jardim conversamos até que fomos deitar. Meu quarto estava com as lavandas frescas como amo, tudo do jeito que estava desde a última vez que estive lá a meses atrás. Tomei um banho relaxante  e deitei, demorei para dormir, peguei no sono com o barulho de uma coruja na árvore próximo a minha janela.

       Acordei com meu pai me chamando para o café da manhã, ahh o cheiro de Bruschetta estava invadindo a casa, fui até a cozinha descalça e com minha roupa de dormir ainda, minha mamma estava fazendo machiatto para mim, meu pai estava lendo jornal e aquela me imagem me levou de volta a Verona anos atrás, quando ainda era criança. Nosso café da manhã foi regado a muitas risadas e conversa sobre a empresa, minha mãe não se ligava muito na Hamilton, ela acompanhava mas não se metia muito, não era a praia dela, ela gostava mesmo é de pintar, a maioria dos quadros da empresa e da minha casa, eram obras dela. Depois do café fui ao escritório do meu pai para  acertar as pendências e ali o lado padre e figlia saíram de cena, quase duas horas de somente negócios e uma pequena discussão sobre os cortes, meu pai era muito rígido e ele não aceitou o afastamento de heldor muito bem , não se importou que eu pagasse o tratamento do filho dele mas repudiou minha atitude de afastar ele e continuar pagando, depois de explicar minha decisão mil vezes ele aceitou. Assinou os papéis que precisava, viu com calma o relatório de Josh e afirmou que iria a Londres resolver umas coisas lá pessoalmente, compramos juntos sua passagem para terça-feira.*quebra de tempo para noite de sábado*. O dia foi de passeio por Veneza, visitamos mais uns tios e primos, almoçamos no La Calandre, onde passei uma boa parte do tempo falando com Loui e Bob. Chegamos em casa eram quase oito da noite, minha passagem de volta para Londres era às cinco da tarde de domingo, ainda teremos mais um almoço em família, antes de dormir conversamos um pouco mais na sala de jantar ao som de Bocelli e acompanhados de um Chardonnay 25 anos. Olhei para o relógio e já era quase meia noite, dei boa noite aos meus pais e fui para o quarto, tomei um banho e fui deitar. Peguei meu celular e chamei Josh no whatsapp, ele prontamente me respondeu, pedi para que ele estivesse no aeroporto de Londres às 19:00 pm, avisei que possivelmente me atrasaria um pouco e ele respondeu que não haveria problema, me esperaria o tempo que fosse, falamos um pouco de como foi o meu dia e então me despedi, ao virar pro canto abri um sorriso involuntário enquanto lembrava dele cantando coldplay comigo no carro., peguei no sono e asseguro que a última imagem que veio a mente foi o sorriso daquele homem.

   

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...