História Gemini: Luz e Trevas - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Abel de Gêmeos, Afrodite de Peixes, Ágora de Lótus, Aiacos de Garuda, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Albafica de Peixes, Atena (Sasha)
Tags Athena, Hades, Saint Seiya, Saint Seiya The Lost Canvas
Visualizações 19
Palavras 2.737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ADIVINHA QUEM VOLTOU COM TUDO? EU! U3U
Ando sumida? Ando sumida... Escrever duas Fanfics ao mesmo tempo não é fácil. çç

Capítulo 32 - Nascimento dos Gêmeos e Desejo dos Pequenos


Fanfic / Fanfiction Gemini: Luz e Trevas - Capítulo 32 - Nascimento dos Gêmeos e Desejo dos Pequenos

Shion adentrou ali sorrindo e trazendo consigo uma bandeja com um conjunto de chá de porcelana branca com detalhes em dourado, um prato com biscoitos, um pequeno pode com açúcar, meio limão, pequenos pedaços de canela e um potinho de mel.

- Olá meninas. – Disse ele sorridente enquanto fechava a porta atrás de si, caminhou até onde estávamos sentando-se perto de Akanen corando violentamente ao perceber que ela estava sem sua blusa. – Akanen... Hum...

- Vou tomar banho. – Avisou ela voltando a caminhar para o banheiro e adentrou ali. – Juízo vocês dois.

Iria protestar, mas ela fechou a porta antes que pudesse falar qualquer coisa e o que se seguiu foi um silencio chato enquanto Shion e eu ficávamos ali quietos, ele limpou a garganta e sorriu levemente para mim após alguns segundos.

- Eu trouxe chá para nós e biscoitos. – Disse o Ariano finalmente, mostrando a bandeja que trazia, deixando a bandeja na cama com cuidado servindo-me chá em uma das quatro xícaras do conjunto. – Juro que treinei bastante para que ficassem bons. – Brincou ele quando me via pegar um dos biscoitos.

- Hum... Estão ótimos! – Falei com a mão na frente da boca por estar com a boca cheia e peguei mais um ou dois biscoitos comendo-os com calma, tomei um gole do chá. Fechei um dos olhos ao sentir chutes em minha barriga e respirei fundo.

- Akaza... Está tudo bem? – Shion tocou em meu ombro visivelmente preocupado deixando sua xícara na bandeja.

- Ah não... – Sussurrei ao sentir algo escorrer por minhas pernas, levei uma das mãos a barriga massageando ali e encarava o maior. – Shion... Acho que estão nascendo...

Foi aí que pela primeira vez vi Shion desesperado, ele deixou a bandeja na mesinha de cabeceira e quando deitei na cama abrindo as pernas o vi corar ao erguer meu vestido. Akanen saiu do banheiro ao ouvir a agitação e Shiori entrou ali bocejando, mas quando notou o que estava acontecendo correu até a cozinha pegando água morna, toalha limpas e água fervente para esterilizar uma faca para cortar o cordão umbilical. Ao voltar com tudo, deu total assistência a Shion que tentava puxar meus filhos a medida que tentava empurrá-los segurando a mão de minha gêmea que fazia o possível para me manter e se manter calma. O parto estava sendo difícil principalmente pelo primeiro bebê não conseguir sair por mais que empurrasse, ele parecia preso... E realmente estava.

- É o cordão! Ele está sem ar! – Alertou Shion quando viu a cabeça do meu pequeno e seus lábios ficando roxos quando o pequeno saiu um pouco.

- Não... Não... Não pode ser... – Segurei as lágrimas apertando os lençóis da cama e deixei um grito escapar. – ATHENAA!

Silêncio. Por um instante vi não só a própria Deusa mas também Albafica ao lado dela e ambos estavam de pé atrás de Shion, Senti o cosmo de Athena me envolver por completo por alguns segundos, meu corpo relaxou e ouvi o primeiro choro.

- É uma menina! – Anunciou Shion sorrindo segurando minha filha que possuía olhos azul-claro e cabelos azul-escuro, quando entregou a pequena para minha gêmea, virou-se para puxar o outro bebê e ouvi o segundo choro. – É menino... – Riu Shion olhando meu filho, este idêntico a Albafica, até mesmo sua pele delicada.

- Obrigada Athena... – Sussurrei e a vi sorrir gentilmente para mim, desaparecendo pouco a pouco em seguida.

- Nossos filhos... – Ouvi meu amado sussurrar olhando nossos gêmeos. – Mikazuke Kiriha e Kratos Hayato... – S espirito tocava rosto dos dois com delicadeza e me olhava novamente. – Eu amo vocês, não esqueça disso Akaza.

- Eu te amo Albafica... – Voltei a sussurrar para ele e o vi sorrir assentindo enquanto desaparecia lentamente fechando os olhos pouco a pouco. – Mikazuke Kiriha e Kratos Hayato. – Olhei para Shion em seguida para Akanen que assentia beijando o rosto de Mikazuke.

 - Vou estragar muito vocês... – Dizia Akanen em tom calmo e acabamos rindo de minha irmã que encostava a ponta de seu nariz no nariz da minha pequena.

Meu corpo estava mais relaxado embora formigasse um pouco e sentia como se parte de mim tivesse sido arrancada mas era por uma boa causa. Sorri segurando meus pequenos – agora limpos e enrolados – beijando o rosto dos dois, virei um pouco o rosto para o lado e vi minha irmã enxugar as lágrimas emocionada junto com Shiori e Shion que fazia carinhos em ambos.

- Incrível a semelhança entre Kratos e Albafica... – Comentou Shion enquanto brincava com as pequenas mãos de Kratos que parecia querer segurar os dedos do Ariano enquanto Mikazuke colocava uma de suas pequenas mãos na boca. – E Mikazuke é sua versão menor.

- E com os olhos do pai. – Lembrou Shiori e Mikazuke a encarou dando um leve sorriso para a albina que sorria de volta para ela.

- Espero que não seja lerda igual a Akaza. – Zombou Akanen enquanto lhe mostrava a língua.

Enquanto conversávamos e ríamos brincando com meus pequenos, ouvimos alguém bater na porta de meu quarto, nos calamos assim que Shion abriu a porta olhando o outro.

- Grande Mestre Shion! Akaza está bem? Ouvi seu grito. – Perguntou Teneo para Shion e sua voz estava trêmula e ofegante.

- Estou sim, Teneo... Pode entrar. – Sorri para Shion que assentiu dando espaço para que o menor adentrasse ali.

Assim que Teneo adentrou no local ele pareceu surpreso ao me ver e confuso, mas o vi sorrir quando ouviu as risadas dos meus pequenos que estavam deitados na cama. Quando o rapaz se aproximou da cama, vi seus machucados e alguns deles pareciam ser mais graves que os outros, ‘estes com certeza foram feitos por Akanen...’, pensei a medida que se aproximava, ele manteve o sorriso passando as pontas dos dedos no rosto de ambos e Mikazuke segurou o indicador dele com cuidado.

- Que lindos... – Comentou Teneo beijando o rosto de ambos enquanto Mikazuke apertava devagar o indicador do mesmo. – Incrível como se parecem com Albafica!

- Pois é... Acho que Aka engoliu ele. – Brincou minha gêmea que ria após o comentário.

- Akanen! – Neguei olhando minha irmã mas acabei rindo junto com ela.

 

O tempo passou e quando meus filhos completaram três meses de idade decidi que o melhor seria sair do Santuário e retornar quando os gêmeos tivessem idade suficiente para começar o treinamento. Insisti que Akanen permanecesse no Santuário mas sua teimosia me venceu, junto com ela e Shiori iria viajar para a Alemanha mas não podia ir embora sem me despedir de Shion e de Teneo, quando falamos com ambos o Ariano chorou em silencio e o Taurino abaixou a cabeça. Abracei ambos chorando junto com eles dando um beijo no canto dos lábios de Shion e outro beijo na testa de Teneo prometendo que manteríamos contato de alguma forma e logo após a despedida nós fomos para a Alemanha deixando para trás o nosso lar.

Na Alemanha, fomos até a antiga mansão dos Angels onde a reformamos e reconstruímos alguns cômodos e durante tudo isso, Akanen encontrou alguns papéis dentro de um cofre na parede que pareciam ser importantes, tais papéis eram de adoção e um testamento, ao levar o testamento para o cartório descobrimos que não só ele mas como o papel de adoção eram realmente verdadeiros, eu havia herdado toda a mansão e fortuna do casal. Ficamos todas felizes com a notícia, sabia que os Angels me amavam e mesmo que tivesse ido embora eles nunca deixaram de se preocupar comigo, agora com a mansão reformada demos um novo nome para nossa família: Krausz e permanecemos ali onde cuidamos de meus filhos e erámos felizes como uma pequena e boa família.

 

Os anos se passavam devagar para nós três e meus gêmeos cresciam saudáveis e espertos, eram carinhosos e gentis principalmente Mikazuke que era a mais agitada dos dois, Kratos por sua vez era mais calmo e um pouco mais fechado lembrando a personalidade do pai sendo apenas aberto comigo e sua irmã revelando ser uma criança alegre e simpática. Sempre contava histórias do que havia passado no Santuário e suas histórias preferidas eram as que Albafica estava presente e muitas vezes – e a pedido de Mikazuke – contava como havia conhecido ele e como me sentia perto do Pisciano, eles adoravam saber.

- Quando crescer quero ser como o papai! – Disse meu pequeno Kratos com agora 4 anos de idade flexionando os pequenos braços.

- E eu serei forte como a mamãe!  - Agora era Mikazuke que sorria colocando as mãos na cintura estufando um pouco o peito.

Ambos fecharam os punhos dando um leve soco na bochecha um do outro e caiam um para cada lado da cama fechando os olhos fingindo estarem machucados. Olhei os dois surpresa e ri junto com eles fazendo cócegas nos gêmeos, alternando entre um e outro.

- Vocês querem mesmo ser tornarem Cavaleiro e Amazona de Athena? É perigoso. – Olhei fixamente para um em seguida para o outro e vi o brilho nos olhos de ambos enquanto assentiam. – Bom, se é isso que querem, vamos começar o treinamento de vocês quando completarem 6 anos tudo bem? – Disse sorrindo para ambos que mais uma vez assentiram enquanto cobriam-se com o lençol, dividiam a mesma cama e por incrível que pareça eram raras as vezes que brigavam. Beijei o rosto dos dois passando a mão no cabelo de cada um me afastando pouco a pouco. – Boa noite queridos, amo vocês.

- Amamos você mamãe... – Sussurraram ao mesmo tempo e fecharam os olhos adormecendo em seguida.

Assim que saí do quarto fui direto para o escritório da mansão rapidamente onde Shiori e Akanen estavam conversando sobre as finanças da família, adentrei ali fechando a porta quase silenciosamente e fitei as duas sorrindo porém com os olhos cheios de lágrimas, um misto de alegria e tristeza tomou conta de mim, vi Akanen e Shiori me olharem confusas parando com o que estavam fazendo.

- Aka... O que houve? – Akanen levantou-se da poltrona indo até onde estava pousando as mãos em meus ombros. – Está tudo bem com os gêmeos?

- Eles querem servir a Athena... – Sussurrei e Akanen me olhou surpresa porém um pequeno sorriso surgiu em seus lábios. – O que faremos Aka?

- Treinaremos eles... Se realmente forem capazes, vão nos deixar muito orgulhosas. – Sua voz era calma embora um pouco preocupada, Akanen virou-se até onde Shiori estava segurando uma prancheta. – Com quantos anos vão começar os treinos?

- Com seis anos... – Llhe respondi e minha gêmea assentiu voltando a se sentar fechando os olhos por um instante. – Aka e se Kratos quiser ser Cavaleiro de Peixes como Albafica? Ele terá que treinar no jardim de rosas venenosas.

- Treinaremos... Não entendo porque de sua preocupação. Serão fortes como nós e como Albafica foi. – Akanen mantinha-se incrivelmente calma embora sentisse uma pequena preocupação vinda dela, sabia que ela amava seus sobrinhos e o quanto isso era arriscado mas mantinha-se calma para tentar me acalmar.

- Akanen! – Protestei dando um tapa na mesa fazendo-a me olhar diretamente nos olhos. – São meus filhos, seus sobrinhos! Você sabe o quanto é perigoso!

- Sei os riscos tanto quanto você sabe... É o desejo deles, vai mesmo impedir que cresçam e não protejam Athena? Quer que o papai saiba deles e os leve a força para o Submundo ou prefere ter eles no Santuário perto de nós? – Seus olhos me encararam, mas ela tinha razão. Quando abaixei a cabeça, ela voltou sua atenção aos papéis que estavam sob a mesa. – Quando completarem seis anos perguntaremos se é isso que querem, se for... Treinaremos eles. Senão, esqueceremos esta história e ponto final.

Deixei um suspiro escapar olhando fixamente a estante de livros ao lado da janela do escritório, por mais que eu quisesse impedir meus filhos, Akanen tinha razão... Papai poderia tenta-los e pior, fazer eles me odiarem por nunca ter treinado os dois. Cruzei os braços abaixo dos seios e assenti concordando com minha gêmea, mesmo sem me olhar, ela sorriu de canto, lhe dei as costas e fui para o quarto ainda em silencio. Apesar de termos construído uma mansão mediana, Akanen e eu ainda dividíamos o quarto desde que ela veio ao Santuário sem nos importar, era divertido e sempre falávamos sobre tudo antes de dormir, quando deitei na cama, olhei fixamente para a janela desejando ver Albafica em meus sonhos e adormeci.

Os dias se passavam conforme meus filhos continuavam a falar sobre trinarem com Akanen e eu para serem Cavaleiro e Amazona, admito que a princípio tentei fazer com que mudassem de ideia, mas cada dia que passava percebi que era o real desejo deles e apoiei ambos, mas os alertei que não seria um treinamento fácil. Dois dias antes de completarem seis anos ambos correram até meu quarto pulando na cama acordando não só Akanen mas a mim também. Sentei na cama assustada enquanto os dois pulavam na cama segurando as mãos um do outro.

- Sonhamos com o papai! Sonhamos com o papai! – Gritaram em coro alegremente e sorrindo, se jogaram em mim. – Sonhamos com o papai!

- Por Athena vão dormir! – Protestou Akanen enquanto cobria o rosto com o lençol se encolhendo na cama.

- Titia, nós dois sonhamos com o papai! – Mikazuke pulou em Akanen que bufou retirando o lençol da cabeça e a olhava irritada mas mesmo assim Mikazuke pareceu não ter medo. – Ele é bonito como a mamãe disse!

- E eu com isso?! – Akanen arqueou uma das sobrancelhas visivelmente sonolenta e usou um dos braços para se defender do travesseiro que Kratos jogava nela. – Ei!

- Vocês sonharam mesmo com o Albafica? – Quis saber enquanto acariciava o cabelo de ambos esfregando os olhos em seguida. – Me contem como foi.

- Sim! Estávamos em um lugar bonito, cheio de flores e borboletas. – Começou Mikazuke sorrindo e estendeu os braços. – Era tudo muito bonito, tinha uma montanha atrás e vários animais, eu brinquei com os coelhos e vi o Kratos brincando com os cervos.

- Eles eram mansinhos, até montei em um deles! – Disse Kratos alegremente enquanto pulava na cama e caia sentado em meu colo. – Aí vimos um peixe grande e dourado, brilhava como o sol!

- Isso! Era bonito e continuou a brilhar até se despedaçar... Acho que quebrou. – Mikazuke abaixou a cabeça por um instante brincando com os dedos mas logo voltou a sorrir. – Mas aí veio um homem muito bonito usando uma roupa dourada e uma rosa vermelha na boca!

- Olhos e cabelos azuis como eu! – Kratos mostrava o próprio cabelo sorrindo bobo e abraçava o travesseiro que havia jogado em Akanen que a essa altura, estava sentada na cama nos olhando fixamente. – Ele tinha cheiro de rosas e não deixou que tocássemos nele, disse que era perigoso.

- Mas aí o Kratos subiu em um tronco e pulou nele! – Mikazuke ria e sua empolgação era visível, pulou em mim imitando o irmão e quando a segurei ela assentiu. – Foi assim que o papai segurou ele! Ele se desculpou por não ser um pai presente para nós...

- .... E disse que nos amava e que sentia sua falta mamãe. – Kratos completou a frase da irmão me fazendo sorrir e segurar as lágrimas, o vi pegar um travesseiro de Akanen e pular nela. – Titia... Quem é o Caranguejo?

- O quê? – Akanen bufou olhando Kratos que ria quando a viu esfregar os olhos para afastar seu sono. – Do que está falando?

- Um moço... – Respondeu Mikazuke olhando minha gêmea que agora arqueava uma sobrancelha. – Ele perguntou por você titia.

- De quem estão falando, queridos? – Acariciei o rosto dos dois alternando o olhar entre Kratos e Mikazuke. – Que moço é esse?

- Não sei... – Respondeu Kratos colocando a mão no próprio queixo, me fazendo rir com sua expressão pensativa. – Ele perguntou pela gêmea má, imaginei que fosse a titia já que vocês são gêmeas... E ele disse...

- “Ah... Ela não muda nunca. Digam a ela que nunca mude, é desse jeito que eu gosto. E digam que o Caranguejo idiota dela a ama muito!” – Mikazuke ficava séria fazendo biquinho e assim que soltou um baixo “heh” completando a imitação, vi minha irmã segurar as lágrimas apertando os lençóis da cama. – Titia...

- Aka... – Sussurrei olhando minha irmã que afagava o cabelo dos gêmeos deixando lágrimas escorrerem por seu rosto.

- Aquele Caranguejo idiota...  – Ela sorriu respirando fundo e enxugando as lágrimas com as costas das mãos. – Meu Caranguejo idiota...


Notas Finais


Vão ficar sem imagem dos gêmeos porque não deu tempo de editar ;x


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...