História Give Me Air - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 56
Palavras 4.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpem a demora, boa leitura

Capítulo 36 - Chapter XXXVI - Intense


Fanfic / Fanfiction Give Me Air - Capítulo 36 - Chapter XXXVI - Intense

Zoey's Point of View

Casa do Estevão, México - Quarta 01:26 A.M

Eram quase uma e meia quando meu corpo já havia desistido da ideia de ir dormir. Levantei-me da cama e sai daquele enorme quarto para andar pela casa e fazer algo que me cansasse o suficiente até que o sono viesse até mim.

     Os seguranças daquela casa estavam por todos os lados, próximo das portas, nos corredores, no quintal, jardim... Em todos os lugares. Me sentia vigiada onde quer que eu estivesse, por isso não me importei em vagar pela casa, afinal todos estavam me vendo e saberiam que eu não estava fazendo nada demais. Nada mesmo. 

Dirigi-me até o jardim principal da casa, onde uma luz fraca refletia o lugar de uma maneira muito calma e serena, passando o ar de tranquilidade no ambiente.

Caminhei em passos lentos e fracos quando ao levantar meu rosto tive a visão do Justin sentado em um banco bem ali no jardim, sozinho, apenas olhando o ambiente - O que faz acordado até essa hora, Senhor Bieber?

- Digo o mesmo, Senhorita Negrete

- Não me chama assim - ele riu e bateu a palma de sua mão em seu colo me dizendo para sentar - Acho que nesse banco cabe nos dois

- Eu sei, mas prefiro você no meu colo - abri um pequeno sorriso e assenti o gesto, me sentando em seu colo, onde o mesmo me acomodou nos braços e em um abraço apertado me perguntou - Não conseguiu dormir?

- Nem um pouco, é estranho

- Bem, é sua casa

- Eu não tenho uma casa, um lugar para chamar de lar.

- Não diga bobagens, sabe que não é bem assim

- É assim que eu me sinto. Um lar é o lugar onde nos sentimos seguros e protegidos. Onde quer que eu esteja nunca senti nada disso

- Agora, do meu lado neste momento você se sente...

- Amada, mas é diferente por que esse sentimento vem junto com a proteção, então não conta

- Amada é? – Bieber perguntou-me com um sorriso bobo no rosto – Você sabe melhor do que ninguém que eu não vou deixar que nada te aconteça. – completou me dando um pequeno beijo nos lábios enquanto acariciava com cuidado meu rosto que estava colocado no seu, sentindo apenas sua respiração calma e tranquila misturada com o hálito fresco de sua boca que teimava em ficar presa a minha.

Sua boca quente entrou em contato com a minha no momento em que o mesmo arriscou invadir meus lábios com força sem tirar suas mãos do meu corpo, me apertando levemente enquanto me trazia para mais perto

     Era fácil prever suas atitudes e pensamentos. Ele sempre se mantinha estável nessa área, o que me fazia ter mais confiança na pessoa que ele era ao meu lado

O que eu quero dizer?

Bem, eu sabia que logo suas mãos já não estariam no meu rosto ou na minha cintura. E como imaginei logo seus dedos já estavam dançando em minha coxa desnuda.

Céus como eu amava isso, como amava esse efeito que ele tinha sobre mim e sobre meus sentimentos e emoções que viviam mudando ao seu lado. Meu corpo por incrível que pareça já não me obedecia mais. Agia conforme a musica do corpo dele, conforme suas ações e quando me via já estava totalmente entregue a ele, como agora. Já não estava mais em seu colo de forma serena e calma, sem qualquer intensão, pelo contrario, minhas pernas já estavam separadas em seu corpo, uma de cada lado, deixando nossas partes em contato continuo

     Meu corpo ia e vinha batendo contra seu pau que aos poucos ia tomando posse de cada espaço vago em suas calças

- Acho melhor entrarmos

- Por quê?

- Por que não quero te foder na frente de um monte de macho, você sabe que eu sou o único que posso te ver nua – ele disse rindo das próprias palavras enquanto acomodava meu traseiro em suas mãos

- O que esta fazendo? – quando notei já estava sendo carregada em seus braços – Justin, me solta, esta doido? Todos estão olhando

     Sem dizer uma única palavra, Bieber continuou a me carregar nos braços enquanto sorria a me ver corar

Luna’s Point of View

Casa, México - Quarta 01:58 A.M

     Meu coração arde só de saber que papai realmente prefere a ela ao invés de mim. Asco. Isso é o que eu sinto quando me lembro desse sentimento que papai guarda por ela. Uma pessoa que não respeita a própria casa ou as pessoas que ali estão, não sabe nossos valores ou ideais e simplesmente se sente no direito de se reconhecer como uma Negrete

Sinto que vou explodir!

- Vê! Não disse que ela não era tudo isso que pensavam – comentei com Diego sem tirar os olhos da janela que apontavam diretamente para o jardim onde a minha “irmã” estava junto com o rapaz de mais cedo

- Isso não quer dizer nada Luna. Ela não faz ideia do que acontece nessa casa ou em sua família. Sua irmã teve uma vida longe daqui, não estou surpreso por saber que ela tem outra pessoa em sua vida

- Papai logo verá que ela não pertence a essa família

- Luna, Alejandra é sua irmã, dê uma chance – bufei e me sentei no pequeno sofá do meu quarto

- Você nunca vai deixar de acreditar nela, não vai deixar de sentir algo por ela pra perceber o que esta bem na sua frente

- Não vamos ter essa conversa de novo

- Eu sempre estive ao seu lado

- Luna...

- Diego! Você sabe que estou certa. Se ela não tivesse viva você melhor do que ninguém sabe que estaríamos juntos. E-Eu acreditei por anos que ficaríamos juntos como foi o desejo dos nossos pais, eu cresci com essa esperança no peito e agora... Isso não é justo

- Veja isso como uma chance de encontrar um amor de verdade e não ter que se submeter à vontade de seus pais, ame de verdade, sinta o amor por alguém sem se sentir obrigada

- Eu te amo

- Você ama a ideia de me ter, é diferente.

- Gostou dela não foi?

- Pelo amor de Deus Luna

- Me diz Diego, você gostou da minha irmã não foi! Por isso quer continuar com esse casamento. Fala-me! Achou ela gostosa foi? Atraente? Me fala que merda essa sonsa tem.

- Se acalme, quando estiver melhor resolvemos esse assunto junto com seu pai – ele disse se afastando de mim e simplesmente saindo do quarto me deixando cada vez mais brava, com cada vez mais ódio de tudo e de todos que estavam se afastando de mim só pra se aproximarem dela.

- Mamãe estava certa, ela vai me tirar tudo. Preciso me livrar dela antes que seja tarde

Justin's Point of View

Casa do Estevão, México - Quarta 02:03 A.M

A noite nem havia começado e já me sentia sem ar. Meu corpo estava fervendo enquanto minha pele se sentia até frágil ao toque dela que chegava a queimar de saudade daquele seu pequeno corpo que estava preso contra o meu entre uma das enormes paredes aquele grande quarto. 

Deus essa mulher me enlouquece

Depositei uma de minhas mãos em sua perna a levantando e deixando aberta para que meu corpo se encaixasse melhor no seu, me trazendo aquele seu cheiro doce, me enlouquecendo cada vez mais

Zoey's Point of View

Casa do Estevão, México - Quarta 02:10 A.M

Era por isso que não conseguia manter minha mente no lugar. Ele me deixava louca por seu toque, por seus beijos e era isso que eu implorava a ele. Seu corpo colado ao meu me apertando para deixar marcas, percorrendo toda a extensão do meu ser a procura de mais.

Meus lábios já nem vida mais possuíam, apenas abriam para chamar por ele, dos meus lábios só saiam seu nome de forma rouca e desesperada 

- Me fala o que você quer

- Parece que gosta que eu mande

- Você nunca manda Rodriguez - foi naquele exato momento em que eu usei todas as forças que eu tinha naquele momento e nos viramos, me colocando encima de seu corpo - O que pensa que vai fazer? - coloquei minha mão em seus lábios o calando na hora enquanto lançava um olhar safado em sua direção, um pouco assustado com a minha atitude mas ainda com tesão, ele me retribuiu o olhar beijando levemente minha mão que aos poucos foi livrando seus lábios para que os meus pudessem fazer aquele belo encaixe

E ali pousaram.

     Meus lábios reconheciam os seus de uma forma alucinante, e o melhor era aquele gosto de sua pele que me fazia arrepiar, tão doce. Tão meu

Já não estava mais naquele dois pedaços carnudos de pele, desci para seu corpo que já estava quase que nu. Sua pele quente me fez suar e quase me molhar quando senti o volume de sua cueca batendo na minha barriga. Ele estava sedento por sexo

- Já esta duro? Continua tão fraco - debochei logo sentindo sua perda se dobrar em direção ao meu das minhas pernas me atingindo levemente

- Parece que não sou só eu, esta molhada também - o mesmo riu ao pegar meus cabelos com as duas mãos me puxando para cima, deixando o caminho livre para os meus seios. Sim ele havia sentado na cama só para abocanhar meus seios que se acenderam com o toque 

Gemi de forma automática

Como ele era bom nisso

Sua língua contornou o bico me deixando em êxtase e quase falecer ao sentir seus dentes sobre o mesmo - Filho de uma puta

E assim somente sentindo sua atitude apenas me deixei levar por seus toques enquanto ele agia. Quando vi o mesmo já estava dentro do meu corpo me fazendo gemer alto com uma invasão forte e profunda - Geme pra mim - e foi assim que meus lábios se fecharam, me custava admitir que aquele cara me fazia revirar os olhos - Não faz assim, precisa ser comportada - e assim tentou voltar àquelas investidas que me faziam ir até o céu, mas logo travei meu corpo contra o seu nos mantendo parados - Vai ser assim? - um sorriso travesso apareceu em seu rosto fazendo-o prender suas mãos em minhas coxas as apertando tentando a todo custo mover meu corpo com sua força. - É assim,era isso que você queria não é? - disse enquanto gemia contra meu pescoço 

     Doía admitir isso mas sim, era exatamente isso que eu amava. Ele no controle. A algumas noites ocorreu algo que nunca havia sentido na vida, era tão bom a sensação que invadia o meu corpo sempre que ele me atingia naquele lugar tão desconhecido. E céus como eu amava me derramar em seu membro, todo meu corpo ia a loucura quando o tinha tomando o controle da situação

Pensei que teria aquele meu belo final quando ao perceber meu prazer o mesmo parou, me tirando de cima do seu corpo, colocando-me deitada ao seu lado

- Abre as pernas

- O que vai fa...

- Abre! - nem preciso dizer que abri sem dizer uma unica palavra

Vi seus movimentos em direção ao meu corpo porém ele não se mantinha na mesma altura que eu, pelo contrario estava descendo até chegar a minha buceta - ele não faria isso, faria? - pensei comigo mesma ao ver seu rosto adentrando minhas pernas - merda ele faria - Não, e-eu... - tentei dizer algo enquanto fechava minhas pernas contra seu rosto

- Relaxa, você vai gostar - aos poucos ele abriu voltou a abrir minhas pernas e analisou minha intimidade com calma - Eu vou te chupar gostosinho, não vou machucar, confia em mim - com dificuldade assenti e tentei relaxar ao sentir seu rosto contra meu corpo

Isso relaxa Zoey, isso deve ser bom, por isso calma

Sim estava tentando me acalmar mentalmente, conversando comigo para tirar a atenção do que estava por vir, falava e contava mentalmente de forma rápida tentando a todo custo perder aquele desconforto do meu ser. 

E tudo se perdeu quando sua respiração chegou bateu contra minha intimidade

     Pensei rapidamente em me afastar ou em dizer algo, só que foi tarde demais, quando notei já havia perdido novamente a noção de tudo a minha volta. Sua língua havia me tocado de forma leve, me arrepiando de todas as formas possíveis. Eu havia literalmente travado no meio daquela cama

Calma respira

E novamente me perdi ao sentir sua língua adentrando meu ser passando pela extensão, indo e vindo de forma leve e calma.

Porra era bom, era muito bom

- Isso... - gemi me soltando, aliviando meu corpo, quase me movendo junto com seu movimento quando o mesmo do nada abocanhou aquela área certeira me chupando de forma lenta e profunda. 

     Eu queria gemer, queria gritar, queria fazer algo que não fosse choramingar. Minha mente se mantinha tão fora do momento que já não tinha nem noção do que ele estava fazendo lá embaixo, só sabia que era algo maravilhoso e que meu corpo se desfazia a cada chupada que fazia com seus lábios quentes. 

Céus aquilo era coisa de outro mundo 

Rapidamente comecei a sentir meu corpo convulsionar com razão da sua língua que me dava investidas curtas porém intensas, me fazendo desmanchar em sua boca sem tempo de segurar ou pensar em tal coisa. Gemi de forma instantânea, feito uma virgem que não sabia se sentia dor ou prazer com a primeira experiencia

- Pelo visto dessa vez fui eu quem te deixou molhada, quem diria, vocês mulheres são tão fracas - Justin disse fazendo uma voz um tanto afeminada se referindo a vez que insinuei que o deixava duro rapidamente

- Já te disse que é um idiota?

- Acho que é o que mais diz pra mim, não tenho certeza ainda - firmei um sorriso em meu rosto e o puxei para meus lábios, selando um beijo intenso que o trouxe para cima de mim em questão de segundos

Justin's Point of View

Casa do Estevão, Quarta 02:20 A.M

Aquele seu cheiro fica impregnado no meu corpo sempre que a toco, aquele simples toque a deixava marcada na minha pele como uma tatuagem recém produzia que fazia arder a carne de tão profunda que ia, era assim que me sentia quando a tinha tão próxima de mim, com seu cheiro doce exalando no ar misturado com sua voz que fazia ecos na minha  mente, me deixando louco por mais

     Tentar manter o controle do meu corpo tem se tornado ao impossível, sempre que a olho que sinto seu cheiro ou apenas tenho a breve lembrança de seu ser sinto que todo meu corpo a sente grudada em mim. Eu estava ficando louco, sentia a loucura se exaurindo de mim.

Como estava duro, tudo reflexo de seu corpo

Não conseguia manter muita calma ao ver seu rosto suado me encarando com desejo, seu cabelo bagunçado dançando por seu rosto e pelo travesseiro, e aquele seu sorriso sacana que expressou em seus lábios aquelas duas palavras que me traziam total delírio: - Me fode

Jurei a mim mesmo que tentaria manter as preliminares mas quando ouvi aquilo já taquei aquele belo foda-se e com força a prendi contra a cama arrancando vários gemidos enquanto abocanhava partes do seu pequeno corpo

     Seu gemido começou a ecoar de forma constante, era tão gostosinho ouvir aquela sua voz calma me pedindo mais e mais, queria tanto me conter, mas realmente esta impossível, não consegui nem ao menos controlar o tempo exato para adentrar em seu corpo, quando notei já estava mergulhado sentindo ela molhar cada vez mais meu pau, sem folego para gemer

Zoey's Point of View

Casa do Estevão, México - Quarta 02:37 A.M

     Ele havia penetrado com força em sem prévio aviso, me fez arder, mesmo já molhada ainda me sentia seca com tamanha invasão, havia sido do nada, quando menos esperava ele já estava latejando dentro de mim, molhado e duro ele havia ido no fundo, aquilo era doloroso, porém bom, muito bom.

Minhas unhas estavam fincadas em sua pele, esperando aquela ardência passar, mas não passou só se alastrou, meu corpo pedia, implorava, necessitava de mais, por isso não consegui esperar, movi meu corpo contra o seu indicando que já poderia continuar, e o mesmo fez sem dó nem piedade, ele se mantinha tão sedento quanto eu, investia sempre com força, quase movendo a cama, me deixando totalmente imobilizava naquela imensidão de tecidos apenas sentindo aquele vai e vem constante que me adentrava a pele de forma intensa   

Gemia, como gemia. Aquilo se tornava algo de outro mundo quando era com ele

     Aqui já não era só sexo, era muito mais além disso, era algo carnal que movia e intensificava cada vez mais os sentimentos que estavam fincados no meu ser. Tudo era uma ligação que se multiplicava sempre que nos encontrávamos naquela situação, ligados.

Os beijos não era só o encontro de dois lábios, era o toque, era o desejo, o sentimento e as emoções que ficavam aliviadas de uma unica vez, os toques não eram sexuais, eram prazerosos ao ponto de aliviar qualquer dor guardada no peito, e o sexo não era apenas a ligação de dois corpos em busca do prazer, era a ligação que demonstrava o amor que tinha naquele momento em cada um de nós. Era intenso, profundo e único.

Seu vai e vem constante me levava ao prazer já conhecido por mim e intensificado por ele, me levava ao conforto, ao alivio de todo sentimento ruim guardado no peito. Toda aquela situação havia sido esquecida e o prazer que antes só me levava a loucura hoje havia me levado a sensação de finalmente ter encontrado alguém que pude chamar de lar.

- Esta bem? - perguntou enquanto se acomodava na cama, escolhi não dizer nada e apenas sorrir ao deitar em seu peito - Vem te faço carinho até dormir - assenti e relaxei só ouvindo o que ele falava - Amanha vão falar sobre a festa do Jensen, eu o quanto quer acabar com tudo isso, e acredita eu também quero, só por favor me deixa ficar do seu lado

- Mesmo que eu não deixei, sei que vai ficar

Beatrice´s Point of View

Casa do Estevão, México - Quinta 07:06 A.M

Era sete da manha, e por Deus nunca me vi acordada tão cedo só para tomar o café da manha. Logo pela manha bateram na porta do quarto avisando que teríamos que descer para tomar o café que andássemos logo pois só seria servido até as dez, isso por que quando vieram era seis e meia da manha, me fazendo questionar que tipo de merda comem por aqui - Estou morrendo de sono

- Se fosse só você estava ótimo - Chris murmurou enquanto apoiava sua cabeça 

-Cadê a Zoey e o Justin? - Brody questionou enquanto se aproximava da mesa

- Onde você acha? - Kylie disse com um tom de malicia na voz

- DANE-SE, JÁ AVISO QUE NÃO QUERO QUE ISSO ACONTEÇA DE NOVO - e em seguida ouvimos um tipo de porta se fechando com força acompanhado da voz do Justin que gritava em furia

- Já vi que logo seremos convidados a nos retirar - comentei 

- Que merda o Bieber fez agora? - Brody esbravejou, não pela gritaria nem nada, ele já havia ficado histérico quando notou a ausência do Bieber na mesa, deve ter percebido que ontem foi só na farofada entre o Jus e a Zoey

- E eu que só queria um café da manhã em paz 

- Paz é uma coisa que não temos nessa família Chaz - Justin disse ainda furioso enquanto se aproximava da mesa e antes mesmo que alguém pergunta-se ele já saiu esbravejando - Acredita que mandaram aquele Diego pra acordar a Zoey as seis da manha?

- Mandaram para todos - argumentei sem entender direito todo o drama

- Ela estava nua! - agora entendi - Mandar um homem praticamente invadir o quarto de uma mulher, isso...

- É normal por aqui - Luna a tal irmã da Zoey disse ao  entrar na sala de estar e se sentar a mesa - Ela que se acostume a parar de trepar durante a noite ou que no final tenha forças para vestir uma peça de roupa 

- Normal ou não, eu não quero que isso aconteça de novo

- Acostume-se isto acontecerá mucho nesta casa, gosto de tomar café cedo na companhia dos meus convidados e família - Estevão se manifestou acompanhado da Zoey que parecia constrangida com tudo o que estava acontecendo - Sentem-se, como disse ontem, temos un longo dia hoje

Justin's Point of View

Casa do Estevão, México - Quinta 07:30 A.M

Eu já sabia perfeitamente sobre o que seria esse longo dia. Estevão estava sedento por vingança, queria a todo custo resolver as coisas com meu irmão, e isso colocaria até mesmo a própria filha na linha de fogo e como já disse, não deixaria isso acontecer

- Não comentei ontem, por que achei que não era uma boa hora

- Pelo visto vamos falar sobre negócios a mesa, de novo - Luna disse pegando suas coisas e se retirando da mesa onde sentou em seu lugar Diego

- Como disse, a festa do Campbell sera en uma semana

- E estaremos bem longe dela neste dia - ressaltei 

- Poco me importa onde estarão, só quero que tenham em mente que Alejandra e Brody estarão lá, se quiserem ajudar serão ben vindos caso contrario ficaram aqui até a próxima semana para que eu tenha certeza de que não farão nada que possa nos prejudicar 

 - Já disse que ela não vai - quase gritei enquanto jogava os talheres na mesa recebendo a mão da Zoey em minha coxa em uma forma de me acalmar, mas seria dificil nessa altura do campeonato, afinal, parecia que aquele velho tinha algum problema auditivo por que parecia não me escutar de forma alguma

- Você não tem muita opinião por aqui jovem, não sei a inda ficou claro isso

- Cala boca Bieber

- Eu? Qual é, não é você quem vive falando que protege ela? Hein Brody? Como pode apoiar uma coisa dessa? Sabe melhor do que ninguém o quanto ele é perigoso e se...

- E se nada, tudo vai dar certo

- E que garantia você tem?

- Nunca deixaria nada acontecer com a minha filha

- Não é o que parece - ironizei já ficando nervoso com tudo o que estava acontecendo, por que naquela porra de mesa eu parecia ser o unico com noção o suficiente para bater de frente com uma loucura daquela - Já deixo claro que ela não vai a lugar nenhum, afinal ela ajudaria no que lá? Não sabe nem se defender, é um risco, por isso NÃO

- Eu concordo - Zoey se pronunciou trazendo um pouco de alivio ao meu peito - Não posso ajudar em nada, sei que Jensen deseja me pegar mas eu estar lá não muda nada, só me torno mais facil de ser pega novamente

- Temos em mente te usar como distração - Brody acrescentou calmo - Jensen não espera que você apareça por lá, e todos sabem o quão fraco ele se tornou perante aos outros quando descobriram que você conseguiu fugir, ele vai surtar rapidamente, e fragilidade só aumentara quando ele perceber que nos juntamos ao Estevão, tudo vai parecer frágil naquela festa pelo simples fato de que Jensen odeia seu pai ao ponto de colocar tudo a perder para se vingar, momento perfeito para levarmos até uma área longe da festa para darmos um fim nele, pegarmos minha irmã e acabarmos de vez com tudo isso

- Não acredito muito nessa sua hipótese

- Vai dar certo Alejandra, le juro que nunca deixaria nada te acontecer, vamos levar todos que pudermos, estará segura 

     Estevão falou com tanta convicção que vi o olhar dela vacilar, ela estava considerando tal ideia louca baseada em uma hipotese, e aquele: Vou pensar. Me fez tremer por dentro com a possível ideia dela aceitar tal coisa

- Se eu for, só irei com o Justin lá, o Senhor sabe né?

- Imaginei isso

- Se nada, você não vai, se quiserem ir para a linha de fogo, fiquem a vontade, mas não deixarei minha mulher e filho entrarem nessa briga, não sei se lembram, mas ela já passou por muita coisa

- Filho? - Estevão riu - Não confio em você Bieber, não vou deixa-lo com minha filha

- Pode ter certeza que aqui a reciproca é verdadeira, e sua filha vai continuar comigo onde quer que esteja, recomendo que aceite logo este fato

Zoey's Point of View

Casa do Estevão, México - Quinta 07:42 A.M

O tabuleiro já estava montado, e os jogadores já estavam selecionados, agora tudo o que resta é ver a partida rolar sem chance de se livrar das consequências do fim deste jogo.

     Eu havia me tornado uma jogadora desde o dia em que nasci, meu destino já estava selado aquela partida, podia adiar quantas vezes achasse necessário, poderia passar a vez, ou até fingir um desmaio para deixar o jogo se complicasse cada vez mais ou que outros jogassem por mim, mas era fato que minhas peças precisariam se mover

Confiava no Justin mas não ficaria feliz em saber que havia jogado nesta vida no meu lugar, não suportaria vê-lo tomar parte do meu destino. Por isso sim, estava considerando terminar de uma vez com isso, sem uma segunda rodada, sem chance de desistencia, apenas jogar até que um de nós diga aquele conhecido xeque-mate


Notas Finais


Eu sei que estou muito mais muito tempo longe, sei que temos novas leitoras, por isso sejam bem-vindas, espero que estejam gostando e prometo passar aqui ainda esse mês para mais um capitulo final.

Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...