História Give Me Love * Min Yoongi * (Suga) - Capítulo 68


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), BEAST (B2ST), Block B, EXO, IKON, IMFACT, K.A.R.D
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Bangtan Sonyeondan, Bts, Min Yoongi
Visualizações 196
Palavras 2.274
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 68 - However


Fanfic / Fanfiction Give Me Love * Min Yoongi * (Suga) - Capítulo 68 - However

(...)

-Você não quer ser totalmente minha, querida Esposa?_Suga parecia estar mudando de humor.

Apenas fiquei quieta tentando raciocinar.

-Tudo bem, se você não quer, eu arrumo quem queira, garanto que aquela aeromoça deve saber rebolar bem gostoso_ele disse e aquilo me pegou de surpresa.

Fazendo meu coração quase desfalecer em meu peito, ele havia sido totalmente duro ao dizer aquelas palavras e não havia um vestígio se quer de remorso na sua face por ter me dito aquilo.

Apenas abaixei minha cabeça, deixando lágrimas descontroladas descerem, imaginando ele a foder aquela maldita mulher que com certeza já deve ter dado para ele.

Sua mão levantou meu rosto, mas eu permaneci de vistas baixas, chorando sem entender muito bem como me controlar.

-Anna, não fica assim_ele disse.

-Como não? Você com toda a certeza já deve ter fodido aquela mulher para ter tanta certeza_disse em meio à lágrimas.

-Não amor, não pensa isso, eu só falei da boca para fora_ele enxugava minha lágrimas.

-Eu sei que deve, Suga, eu vi o modo como ela te olha e eu sei que você me traia com todas as mulheres que apareciam na sua frente, inclusive suas funcionárias_eu disse me deprimindo cada vez mais.

-Não pensa nisso amor, só você me causa isso_ele disse me pressionando sobre um certo volume ao meio de suas pernas -Só você e mais nenhuma_ele me beijou novamente.

Minhas lágrimas ainda desciam, porém ele me beijava com intensidade, não me dando tempo para pensar e derramar tantas lágrimas, aquele era um beijo suave e me transmitia algo bom.

-Eu amo você, guarda isso, mesmo que eu não repita muitas vezes, eu amo muito você e te quero muito_ele disse ainda com o nariz e a testa colados no meu.

Funguei pelo nariz, me sentindo muito fraca em seu braços novamente.

Abracei seu pescoço com urgência, deixando minhas lágrimas escorrerem enquanto minha cabeça repousava em seu ombro.

-Vai amor, não chora, você pode ter certeza que eu só quero você, você é a minha gostosa_ele sussurrou, me deixando envergonhada -Daddy te ama_ele disse e eu sorri envergonhada.

Senti seus lábios em meu pescoço e então soltei um leve suspiro.

-Daddy quer muito te ouvir gemer para mim, mas antes quero que dance para mim, do mesmo modo que dançou para todos aqueles homens ontem... Do mesmo jeitinho, minha gostosa, quero te ver rebolar para mim, sorrir daquele jeito safado que você bem sabe, tirar peça por peça do seu corpo maravilhoso que me deixa cheio de tesão_ele dizia provocante com sua voz rouca e sexy ao pé do meu ouvido.

-Oppa_gruni manhosa sentindo ele apertar minha cintura.

-É assim mesmo que o Daddy quer ouvir você gemer, mas rebolando deliciosamente em mim, enquanto eu vou fundo em você, fazendo questão de marcar meu território, te deixando sem andar por pelo menos uma semana, para verem o quão bem comida você é pelo seu oppa_ele fazia questão de arrastar a voz, me deixando cada vez mais molhada com suas palavras sujas.

-Suga..._eu disse manhosa.

-O que minha gata? Eu sei que você ama o meu vocabulário sujo, o modo como te tenho em minhas mãos só com pequenas palavras ditas do modo certo_ele beijou meu pescoço, logo deixando um belo chupão.

-E quem te garante que eu estou entregue à ti?_quis provocá-lo.

-Eu tenho certeza, posso sentir seu cheiro daqui, você está toda molhadinha só para mim, minha gostosa_ele disse com convicção.

-Porque acha que estou molhada?_ainda tentei lhe provocar.

-Pelo modo que seu corpo está reagindo às minhas palavras sujas e o cheiro de sexo vindo de você, se quer que eu te prove, posso apenas te tocar por cima da calcinha e te mostrar o quão molhada está_ele disse descendo uma de suas mãos para o meio do meu vestido.

-Não, não me deixa mais envergonhada_eu disse tímida segurando seu pulso.

-Envergonhada por que? Por sentir tesão pelo seu oppa? Você sabe que estou do mesmo modo, sei que pode sentir meu desejo por cima da calça, afinal está sentada acima do meu garoto_ele deixou um beijo totalmente sexy abaixo da minha orelha ao terminar sua frase.

-Mas é errado no avião...

-A única coisa que é errada, é não satisfazer o desejo do seu oppa em plena lua de mel, quando eu estou mais do que sedento da minha gostosa_ele disse me fazendo corar.

Dei um leve beijo em seu pescoço, ouvindo ele soltar um riso maldoso.

-Só isso que tem a oferecer ao seu oppa?_ele perguntou maldoso.

-Suga... Eu estou com vergonha...

-Então me deixa tirar cada pedacinho dessa vergonha do seu corpo, assim como ontem antes de você me rejeitar_ele apenas disse calmamente.

Ele deitou levemente sua poltrona, nos deixando deitados e começou a dar vários chupões pelo meu pescoço e o colo do meu ceio.

-Daddy te quer tanto rebolando em mim do modo mais gostoso possível_ele sussurrou provocativo.

Eu estava começando a me deixar levar por suas carícias, porém fomos interrompidos da pior forma.

A merda daquela aeromoça surgiu do inferno bem na nossa frente.

-Sr. Min, temo avisar que a poltrona deve se manter na posição original, e que não pode haver duas pessoas na mesma cadeira, para o equilíbrio do avião_ela disse com sua voz irritante.

-Você não disse nada disso quando estava no lugar dela_Suga disse parecendo bravo.

Porém aquilo me pegou como um golpe certeiro, me desnorteando com sua confissão de ter realmente fodido essa vadia. Mas o que mais me deixou sem chão, foi não saber quando isso aconteceu, pode ter sido semana passada na sua ida à Inglaterra.

-Bom... Eu apenas estou avisando por segurança, estamos quase chegando à Jeju, não queria que corressem riscos ao pousarmos_ela disse e se retirou sem jeito.

Saí do colo dele rapidamente, indo para o lugar onde anteriormente eu estava e devia ter permanecido, se soubesse que Suga iria me arrancar o coração com tão sinceras palavras.

-Anna..._ouvi sua voz, mas apenas ignorei, tentando não chorar novamente.

...

Suga desistiu de falar comigo, deixando a viagem silenciosa e tensa, enquanto eu olhava novamente a noite pela janela, me sentindo a pior pessoa desse mundo por não ter acreditado em suas palavras tão duras e sinceras, quando ele me disse que ela saberia rebolar nele, eu deveria ter lhe deixado naquele momento, me pouparia a merda de ceninha que aconteceu.

Após algum tempo pousamos em solo coreano, já estava de madrugada.

...

Descemos sem trocar uma palavra se quer, havia um motorista para nos buscar e levar ao Hotel.

Suga foi de um lado e eu do outro, olhando pela janela, enquanto até o motorista poderia sentir a tensão entre nós.

Assim que chegamos, desci já entrando no prédio e vendo Suga com a ajuda de carregadores de bagagem tirarem nossas malas do carro e trazerem para dentro do Hotel.

Ele se dirigiu até a balconista, pedindo a chave e então fomos para o elevador.

Logo nos hospedamos no nosso quarto e eu fui até minhas malas procurar uma roupa e algo para remover toda essa maquiagem.

-Anna... É sério que você vai ficar assim por algo que aconteceu há tantos anos?_ouvi a voz do Suga se direcionar a mim após bastante tempo.

-A questão não é essa_eu disse magoada.

-Então qual é? Estava tudo tão bem, você teve seu ataque de ciúme e parou de falar comigo do nada, vai me dizer que ficou com a consciência pesada? Pois eu não fiquei_ele disse irritado.

-Você não entende, eu odeio o fato de pensar em você com outras mulheres, e ainda mais de ter a confirmação da porra de uma Foda que não foi comigo_eu disse totalmente arrasada.

-Ah Anna, se é pra começar com frescura melhor nem falar nada, você tem plena consciência de que eu fodi várias antes de você e quando estava com você, se é para ficar com essa merda, por que casou comigo?_suas palavras eram frias e ríspidas.

-É exatamente isso que eu estou me perguntando_respondi magoada e me levantei indo ao banheiro.

Após muito chorar enquanto tirava minha maquiagem, lavei meu rosto e tirei a merda daquele vestido quente e pesado, vestindo meu pijama, escovando meus dentes e cabelo e então voltei para o quarto.

Suga não estava aqui, então eu apenas me deitei virada para a janela.

Após algum tempo pude sentir seu corpo deitando ao meu lado, porém sem dizer uma palavra ele foi dormir.

...

Acordei sem ar e totalmente enjoada, corri para o banheiro e vomitei tudo o que havia em meu estômago e então pude lembrar de tudo que havia bebido na merda da festa de casamento.

Eu se quer comi algo, apenas bebi tudo de mais forte que me ofereciam.

Me entristeci ao lembrar da briga que tive com o Suga e apenas chorei ajoelhada naquele chão, vomitando cada vez mais.

...

Eu realmente não tinha conseguido dormir se quer por uma hora. A minha cabeça rodava e o enjoo que eu sentia chegava a se comparar ao de quando eu estava grávida.

Passei a noite toda indo ao banheiro e vomitando tudo que havia para sair do meu corpo.

Suga dormia calmamente, afinal ele estava mais do que esgotado e provavelmente muito bravo comigo por não termos feito nada.

...

Já havia amanhecido, e eu me encontrava debruçada contra o vaso sanitário, com os joelhos totalmente doloridos e sem forças para me levantar.

Porém eu tinha consciência de que deveria me levantar, tomar um remédio e um banho, afinal estava em lua de Mel e deveria recompensar o meu marido por ontem, e ele me encontrar assim não vai ser nada agradável para nenhum de nós.

Levantei minha cabeça e respirei profundamente sentindo minha cabeça latejando, tirei forças de um local desconhecido dentro de mim e me levantei.

Após lentamente tomar um banho e alguns comprimidos quando consegui engolir a água sem que ela retornasse e escovei meus dentes, voltei ao lado da cama onde eu deveria ter passado a noite, onde meu marido se encontrava dormindo pesadamente e tentei dormir.

Eu sabia que os minutos se passavam, talvez horas, porém eu não sentia sono algum e aquilo só estava piorando a minha dor de cabeça e estranhamente fazendo uma dor desagradável surgir em mim junto à um certo calor característico.

Merda. Foi a única palavra que veio à minha cabeça tão rápido quanto eu corri para o banheiro agarrada na minha necessarie.

Eu não podia acreditar que a minha menstruação havia descido justamente hoje e trazido uma cólica como prêmio de consolação.

Mas que desgraça, o quê eu fiz para merecer essas primeiras horas de casamento nessa situação.

Eu reclamava em pensamento enquanto guardava a minha necessarie na mala, após tomar mais um comprimido, porém desta vez para minha cólica que parecia aumentar a cada minuto.

Me sentei em um canto da cama com as minhas costas encostadas na parede e apenas respirei profundamente triste e frustrada.

Vi Suga se mexer e então abrir seus olhos já que ele estava deitado virado para a direção em que eu estava.

-Anna, você por acaso fechou os olhos se quer por meia hora?_ele perguntou com a voz arrastada e rouca, enquanto seus olhos lentamente me observavam.

-Não, e agora estou com uma cólica dos infernos para ajudar_ respondi com a voz beirando ao choro.

Ele se sentou ao meu lado passando a mão em seu rosto rapidamente enquanto bocejava e jogava o cabelo bagunçado para trás.

-Você está menstruada, com cólica e de ressaca?_ele perguntou de um modo sério.

-Eu não diria que estou de ressaca, tudo o quê havia de álcool no meu corpo saiu quando eu vomitei_eu disse me sentindo mal por estar estragando tudo.

-Você por acaso não passou a noite em claro porque estava vomitando, certo?_seu humor realmente não estava dos melhores essa manhã.

Apenas assenti não ousando olhar em seus olhos e ouvi ele respirar profundamente.

Ele simplesmente se levantou e foi para o banheiro levando uma toalha que se encontrava pendurada na poltrona porque ele havia se secado com ela ontem após o banho quando chegamos ontem e eu ouvi a porta ser trancada.

Aquilo só me deixava mais triste e distante dele, tudo estava saindo errado, porque eu não notei que minha menstruação estava tão perto? Deveria ter entendido o motivo de tanto choro na noite de ontem.

Suspirei tentando não chorar mais do que já chorei e apenas me deitei encolhida, enquanto sentia aquela dor infernal me contorcer por dentro.

...

Ao abrir meus olhos, percebi que havia conseguido cochilar, pois estava lenta e meu corpo adormecido.

Me sentei lentamente e estiquei meu braço até alcançar o meu celular que se encontrava no móvel mais próximo da cama.

O relógio já marcava 13H, então isso significava que eu havia dormido bastante até, porém já passava do horário de almoço, será que Suga havia almoçado?

Por pensar nele, percebi sua falta no nosso quarto e decidi me levantar para procurá-lo.

Mas a cada passo que eu dava, a dor voltava e meu coração apertava mais ao não encontrar ele.

Onde terá ele ido? Ele me parecia um pouco estressado para sair por aí sozinho.

Suspirei profundamente e me sentei novamente na cama quando voltei para o quarto.

Fiquei um certo tempo apenas tentando entender onde ele poderia ter ido, sem ao menos deixar um bilhete na nossa lua de mel.

Olhei para um canto do quarto e percebi que havia um pequeno carrinho com uma refeição tampada acima dele. Porém havia um pequeno papel dobrado ao lado e foi isso que me chamou atenção e me deu esperança de alguma resposta para as inúmeras perguntas que surgiam na minha cabeça.

Fui até ele e abri o papel com a esperança de ser algo com a caligrafia do Suga, porém...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...