História Grávida De Justin Bieber - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber
Tags Alfredo Flores, Barbara Palvin, Chaz Somers, Grávida, Gravidez, Járbara, Justin Bieber, Maejor, Pattie, Romance, Ryan Butler, Universidade
Visualizações 486
Palavras 1.919
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOIOOIIII pessoas maravilhosas!
PRIMEIRAMENTE gostaria de me desculpar pela ausência, mas ultimamente as coisas aqui estão muito corridas. Logo, logo eu já entro em férias e vou dar capítulo novo pra vocês toda semana!
Só queria esclarecer, que minha ideia pra essa fanfic, sobre todos os capítulos e o decorrer dela, já tenho tudo planejado. MAS andei fazendo algumas mudanças durante esses dias na estória, e coloquei um personagem (homem ou mulher, haha vai ficar no mistério) que vai apimentar as coisas. Só peço que não fiquem bravos comigo, ok?

Obs: Vocês viram da suposta volta do Justin e Selena????? To em shook, não shippo mas o importante é ele estar feliz.

BOA LEITURA!

Capítulo 11 - Complicados


Point of View Justin Bieber

— Querido, já estamos chegando? - Perguntou Pattie enquanto eu dirigia para o apartamento de Candy.

— Sim mãe. - Respondi.

— E agora? Será que dá pra você contar aonde está nos levando? - Perguntou meu pai curioso.

— Hm... Vocês vão descobrir agora. - Disse eu quando já estávamos em frente ao prédio de Candy.

— Um apartamento? - Perguntou minha mãe confusa. — Querido... Você sabe que não precisa comprar um apartamento pra gente não é? Até porque temos a nossa casa e...

— Não mãe, não é nada disso! - Fui rápido em dizer, deixando Pattie ainda mais confusa. — Eu quero que vocês conheçam... Bem... Uma pessoa. - Jeremy olhou pra mim espantado por alguns segundos, logo em seguida dando um sorriso malicioso.

— Oh! Quer dizer que você se apaixonou de novo? Querido isso é ótimo! Estou louca pra conhecer a azarada... Ops sortuda. - Disse Pattie com um sorriso sapeca nos lábios me fazendo revirar os olhos.

Mandei uma mensagem para Candy avisando que eu já estava aqui e ela mandou subir. 

Passamos pela portaria logo em seguida indo para o elevador. Coloquei o andar de Candy e esperei o elevador subir.

Minhas mãos suavam. Sei que meus pais são compreensíveis, mas não sei se entenderiam essa história complicada.

— Tudo bem Justin? Parece tenso... - Disse Jeremy preocupado.

— Impressão sua. - Dei um sorriso falso para aliviar o clima.

O elevador parou no andar selecionado e saímos. Toquei a campainha do apartamento de Candy e logo ela abriu a porta.

 Eu podia perceber seu medo estampado nos olhos.

 Ela deu um sorriso amarelo e me mandou entrar.

— Mãe, pai, essa é Candy uma... Amiga. - Disse eu, e meus pais deram um sorriso malicioso do tipo "sei só amiga, caímos nessa com certeza".

— Prazer Candy! Me chamo Pattie. Fico impressionada por não ligar com esse mundo maluco de famoso do Justin. - Disse ela rindo e logo dando um abraço apertado em Candy.

— O prazer é todo meu senhorita Pattie, se sinta em casa. - Disse Candy com um sorriso.

— Oh querida, me chame apenas de Pattie. - Disse minha mãe sorrindo.

— Tudo bem, Pattie.

— Prazer Candy, sou Jeremy. Pai desse idiota galã de milhões de garotas. - Disse meu pai cumprimentando Candy que deu risada.

— O prazer é todo meu.

— Candice? Com quem está falando? - Perguntou uma mulher entrando na sala. Ela era muito parecida com Candy, vestia roupas que obviamente custaram uma fortuna, jóias extremamente brilhantes e era alta. De certo modo ela me intimidou. Andei pesquisando sobre os Margaret e Robie — pais de Candy — e os dois são extremamente arrogantes. Creio que o problema não seria os meus pais, e sim, os de Candy.

— Mãe... Quero que conheça Justin e os pais dele. - Disse Candy e sua mãe logo pousou os olhos em mim, arregalando os olhos em seguida. 

— Uau, Justin Bieber em seu apartamento! Que mágica você fez em Candizinha? - Disse Margaret e Candy revirou os olhos.

— Nenhuma mãe, deixe de besteiras.

Margaret logo veio nos cumprimentar, e me dizendo também que era uma enorme honra estar nos conhecendo. O pai de Candy veio junto a nós também, cumprimentando meus pais e à mim. Mas pousou um olhar avaliador em mim, desviando-os em seguida.

— Bem... Na verdade eu e Justin reunimos vocês, porque queremos contar uma coisa muito importante. - Começou Candy.

— Oh! Já sei tudo... Vocês dois estão namorando! - Disse Margaret. — Querida isso é maravilhoso estou tão org...

— Não mãe não é isso! - Disse Candy brava. — Bom.. Eu queria contar que...

Candy está grávida e o bebê é meu. - Disse eu tomando coragem, e assim todos arregalaram os olhos. E Candy suspirou aliviada por eu tomar a coragem de falar.

— O-oquê? - Perguntou Margaret completamente chocada.

Minha mãe e meu pai ainda estavam tentando raciocinar e eu já podia ver o olhar duro de Robie sobre mim.

— Foi tudo muito rápido! - Disse Candy. — Eu apenas fui pra uma boate com o intuito de me divertir, mas acabei ficando bêbada demais. E Justin chegou, e ficou bêbado também. E nisso aconteceu, e não usamos proteção. Fomos imaturos nesse caso, mas agora estamos lidando com o nosso erro. Só espero que não odeiem este bebê, ele não tem culpa de nada disso. Nós não nos conhecemos direito, sabemos disso mas, nesse tempo vamos nos conhecer melhor. Não quero nada de Justin. Só quero que ele assuma a criança e faça seu papel de pai.

Minha mãe tinha os olhos marejados e meu pai se encontrava espantado.

— E-eu vou ter um neto? - Disse Pattie sorrindo e começou a chorar.

 Certo, eu não esperava por essa reação.

Logo meu pai começou a sorrir junto com ela e os dois se abraçaram.

Olhei para os pais de Candy e... Merda! Margaret teria partido para cima de Candy se não fosse Robie que à segurou.

— SUA VADIA! EU NÃO ACREDITO QUE CRIEI UMA GAROTA PARA DAR PRO PRIMEIRO HOMEM QUE APARECE! CANDICE VOCÊ SEMPRE FOI A VERGONHA DA FAMÍLIA, SUA IMUNDA! - Gritou Margaret fuzilando Candy com os olhos.

 Candy chorava compulsivamente.

— Eu não vou admitir que fale de Candy desse jeito. Sua filha é tudo, menos uma vadia. Admito que ela foi uma das melhores pessoas que já conheci, e se você pensa isso dela, se considere a pior mãe do mundo. - Disse eu irritado.

— Eu só quero dizer uma coisa: Eu não irei aturar essa criança, Candice não me procure, ao menos que queira abortar esse feto. - Disse Margaret e Candy arregalou os olhos espantada. — Vamos Robie, espero que Candice tome consciência de como a vida dela vai se tornar de agora em diante.

 Ela saiu e logo Robie a seguiu, mas sem antes de dar um olhar de negação para Candy. A porta foi fechada com força e agora tudo que podíamos ouvir era o choro de Candy.

Corri e a abracei. Ela retribuiu o abraço e eu beijei seus cabelos.

— Sinto muito. - Disse eu. - Não queria que tivesse sido desse jeito.

— Tudo bem. Eu já esperava por essa reação. - Disse ela e deu um sorriso triste.

Meus pais se aproximaram de nós e Pattie abraçou Candy.

— Querida, admito que estou com uma puta raiva. - Disse Pattie. - Mas, diabos, eu vou ter um neto! E eu não a culpo por nada disso, só espero que cuide muito bem do meu neto e dê juízo para Justin. - Candy sorriu.

— Muito obrigada Pattie, não sabe quanto seu apoio vale para mim.

Pattie sorriu.

Jeremy se aproximou e deu um sorriso de lado.

— Olha foi tudo muito rápido, ainda estou tentando raciocinar direito... Mas, eu estou muito feliz com a notícia que serei avô.

— Mas então... O que pretendem fazer? Vão se casar, namorar? - Perguntou minha mãe empolgada.

— Não mãe nada de namoro ou... Casamento. Eu e Candy só vamos ser amigos. - Disse eu rapidamente e Candy assentiu envergonhada.

— Ah que pena... - Disse Pattie um pouco mais triste agora.

— Sinto muito por seus pais serem assim. - Disse Jeremy e Candy deu um sorriso triste.

— Eles sempre foram assim, me surpreenderia se agissem de outra maneira.

— Sentimos muito. - Disse Pattie. E Candy sorriu agradecida.

O celular de meu pai começou a tocar e ele falou por alguns minutos, logo desligando.

— Justin, Scooter disse que precisa falar com você. Me ligou porque você não atende o celular. - Disse Jeremy e eu bufei.

— Tudo bem. - Disse eu. — Eu vou ter que ir Candy. Nos falamos amanhã, ok?

— Ok. - Disse ela e nos despedimos com um abraço. Logo ela se despediu de meus pais também. E saímos do apartamento.

Point of View Candy Baker

Assim que Justin e seus pais saíram, me permiti desabar novamente.

As palavras de minha mãe e o olhar duro de meu pai, foram as piores coisas que eu já presenciei em minha vida. Eu já estava acostumada com meus pais e o jeito deles de ser, mas eles negarem um bebê, o meu filho ou filha, era demais.

Não sei por quantas horas fiquei chorando, só vi que já era a noite, quando minha campainha tocou. Enxuguei as lágrimas  — uma tentativa falha — e abri a porta dando de cara com Peter que estava com uma sacola de mercado na mão.

— Meu amor... - Disse Peter com um olhar de pena e me abraçou fortemente.

— Peter? O que faz aqui? - Disse eu retribuindo o abraço.

— Vim te animar, oras. - Revirou os olhos. — E também porque o Bieber me ligou dizendo que você estava triste, Chloe não pôde vir pois está tendo que cuidar da mãe dela que está doente. 

— Obrigada Peter, não precisava vir sério. Já estou me sentindo melhor.

— Pode me enganar o quanto quiser, não sou burro Candice. Bieber me disse tudo o que aconteceu, não acredito que aquela vaca da sua mãe mandou você abortar o bebê! - Ele estava furioso.

— Calma, já passou. E claro que eu não vou abortar meu filho, nunca faria uma coisa dessas. 

— Claro que não faria. - Ele sorriu e logo foi até minha cozinha com a sacola de mercado. 

Segui ele, e o mesmo estava tirando barras de chocolate da sacola.

— Nada melhor que um chocolate pra te tirar da tristeza, não é mesmo? E ainda alimentar esse bebezinho. - Disse ele e me fez dar um sorriso.

Eu e ele pegamos o chocolate e voltamos pra sala deitando no sofá e assistindo filmes aleatórios.

Peter me arrancou várias risadas durante a noite, e eu pude relaxar com sua presença.

(...)

Vesti um vestido florido, não muito curto pra ir para a faculdade. O vestido era solto e não deixava as pessoas perceberem que havia um pequeno volume em minha barriga. Coloquei sapatilhas confortáveis e saí em disparada com meu carro para a faculdade.

Quando cheguei na faculdade, já pude avistar meu grupinho — Peter, Chloe e Chaz —. Eles estavam conversando animadamente, assim que Chloe me viu, veio correndo até mim. Só que foi impedida, pois a mesma esbarrou em Tori e as duas caíram no chão me fazendo segurar a risada. Chaz e Peter já morriam de tanto rir, e eu corri para ajudar Chloe, porque Tori eu nem gostava mesmo.

— Meu Deus! Você está bem? - Perguntei para a Chloe. E ela assentiu emburrada pegando na minha mão e levantando.

— Muito obrigada pela ajuda. - Disse Tori com desprezo levantando sozinha.

— De nada. - Sorri cínica e saí com Chloe indo até os garotos.

— Como você está? - Perguntou Chloe quando chegamos até os garotos.

— Já estou melhor. Só espero que ela se arrependa das coisas que ela disse.

— Conhecendo a vaca da sua mãe, creio que vai demorar pra ela se arrepender de algo. - Disse Peter.

— Nunca pensei que seus pais te dariam as costas desse jeito. - Disse Chaz.

— Então você precisa conhecer meus pais. Você nem imagina o quanto eles são frios.

(...)

Eu tinha acabado de sair da faculdade e já estava indo para o trabalho. 

Eu estava ansiosa, se deveria convidar Justin para ser meu modelo no concurso da faculdade no final do ano. Estava com medo de ele não aceitar, e eu passar vergonha.

Cheguei no restaurante e cumprimentei meus colegas de trabalho, pondo meus acessórios de garçonete. 

A tarde se passou, o restaurante estava bem lotado hoje. 

Mike, um dos gerentes do restaurante me mandou atender uma cliente que estava na mesa 9, assenti e fui correndo atender a pessoa. 

Parei, completamente chocada ao ver quem estava na mesa 9.



Notas Finais


Eai gostaram? Um final de capítulo com mistério pra vocês KKJKKJKK
Desculpem mesmo pela demora!
(Amo comentários rsrs)
Até o próximo capítulo amores!

Desculpem qualquer erro. (Capítulo não revisado)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...