História Guardian Angel — Jeon Jungkook - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Anjo, Anjo Da Guarda, Bangtan Boys, Bts, Drama, Hyuna, Imagine, Intrigas, Jungkook, Romantico, Yoongi
Visualizações 151
Palavras 1.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ufa! Cheguei.

Me desculpa mesmo pela demora aaaa :'/ vou atualizar o mais rápido possível da próxima vez.

Boa leitura!

Capítulo 8 - VIII


Fanfic / Fanfiction Guardian Angel — Jeon Jungkook - Capítulo 8 - VIII

8.

JUNGKOOK ON

— Eu sou seu anjo da guarda, Louise. — Logo que eu disse isso, a mesma ficou intacta. Não se moveu e nem ao menos gritou pela minha presença. Ela ficou parada me encarando por longos segundos que para mim, pareciam horas.

Meu olhar recaiu-se em seus lábios finos, finalmente Louise estava me vendo, apesar da própria não ter nenhuma expressão facial.

Eu não teria muito tempo, com toda certeza SeokJin estava certo sobre a minha caçada. Não há dúvidas que os superiores já estejam atrás de mim, me procurando em cada canto até me encontrar.

Não, eu não posso perder tempo. Me aproximei dela deixando nossos corpos próximos, Louise agora respirava com dificuldade.

Podia ver o quanto ela sentia medo. Medo de mim, do seu próprio anjo da guarda.

Minhas mãos fortes foram em direção ao seu ombro, fazendo com que ela não tivesse jeito de se mexer. Era a primeira vez que eu tocava na pele de uma humana.

Tudo em minha volta parecia girar, Louise certamente estaria pensando que eu sou drogado, assassino ou um louco que fugiu do hospício.

Olhei fixamente para a boca de Louise. Como seria beija-la? Eu não entendia o desejo que estava crescendo dentro de mim, mas algo me dizia que eu estaria fazendo o certo.

Sem mais delongas, meu lábios entraram em contato com o dela. Louise espalmou suas pequenas mãos em meu peitoral e não cedeu de primeira ao nosso beijo.

Eu realmente precisava ter o meu último momento com ela.

Nosso beijo era desnorteado, intenso e demorado. Passei meu polegar de forma leve em sua bochecha, para que o nosso momento fosse lembrado para sempre.

Respirei fundo assim que encontrava-me completamente ofegante. Minhas mãos ainda se encontravam em seu rosto.

— Eu não sei quem é você, mas saia daqui. — Falou sem me olhar. — Agora! — Exclamou vendo que eu continuava no mesmo lugar.

— Se eles perguntarem de mim, por favor não fale que eu apereci aqui. — Pedi. Com toda certeza os superiores me procurariam aqui. Por sorte, eles não podem fazer nada contra Louise, nem ao menos toca-la.

— Eles? — Perguntou confusa.

— Você irá saber na hora. — Conclui minha frase e virei de costas, provavelmente Louise não permitiria a minha estadia aqui. Claro Jeon Jungkook, eu sou um desconhecido.

— Espera! — Ouvi a fala da minha menina antes que eu pudesse ir. — Me fala pelo menos o seu nome. — Seu olhar era um misto de emoções, Louise era incrivelmente perfeita.

— Jungguk. — Sorri fraco, pegando um colar que eu sempre usava do meu bolso.

A pedrinha pequena e delicada era quase inotavel. O colar era de cor prata e brilhava intensamente, contando também um pequeno detalhe no cordão.

Tomei a atitude de dar aquele bem precioso para ela. Aquilo significava muito para mim, já que recebi isso do meu appa ,assim que me tornei um anjo oficial. Mas agora, eu não tinha mais possibilidade de usa-lo. 

Aquilo ficava pendurado o tempo inteiro no meu pescoço, não tirava por nada. Contudo, desde que arranquei minhas asas, não tive mais forças para continuar minha trajetória como anjo.

Acabei me tornando um pecador, assim como meu pai.

Desci da janela do seu quarto — que não era tão alta assim — e segui meu rumo sem direção alguma. Decidi tomar esss atitude por Louise, não quero que ela sofra por meus pecados.

Hyuna me deu o que eu queria, mas não adiantou nada. Irei ser caçado até a minha morte, meu futuro já está planejado.

Três anos depois.

Eu não tinha vida, não tinha paz e nem sossego. Todo os meus anos de fuga foram torturosos, mas para a felicidade de todos os superiores, conseguiram me achar.

O meu antigo esconderijo era em um bar, que não ficava muito longe da casa de Louise. Vivia preso e só de pensar em colocar meus pés para fora, o meu corpo já se extremia.

Porém, tudo foi em vão. Me procuraram muito além do que um humano é capaz de conseguir.

Agora encontro-me aqui, trancafiado enquanto decidem o que irão fazer comigo. Uns tem nojo de mim, outros sentem pena.

Quando você está preso, percebe o quanto a fome incomoda. Vários e vários dias não me deram uma alimentação correta. Se aquilo não fosse nem metade do pior, não faço ideia do que me espera.

Eu ficava em um lugar isolado, não podia conversar com ninguém e aquilo era a pior opção. O dia parecia que não se passava, eu não sabia quando era a hora de dormir ou de acordar, não sabia se iria ficar por toda a eternidade naquele local asqueroso.

A porta do meu "cativeiro" se abriu, a luz forte invadiu meus olhos, fazendo-me colocar a palma da mão sob meus olhos.

Minha roupa estava inteiramente suja e pude ver isso mais claramente quando aquela luz veio.

Um senhor entrou no cômodo tossindo muito, o outro homem que era um "segurança dos pecadores", jogou ele sem dó e sem piedade no chão. Fechou a porta deixando apenas uma brecha pela pequena janela.

Depois de um tempo, o homem que estava presente comigo virou sua cabeça e arregalou seus olhos.

Eu estava com meus joelhos dobrados e com minhas mãos no apoiadas em minhas pernas. Ele me encarava sem dizer absolutamente nada, mas sua feição demonstrava espanto.

— Jeon Jungkook? — Chamou meu nome de forma rouca.

— Sim. — Respondi seco, depois desses anos sozinho, não sei como conversar com uma pessoa. Espera... como ele sabia meu nome? — Quem é você?

— Eu? — Apontou o dedo indicador para si mesmo. — Você não me reconhece?

— Diga-me, eu não faço ideia.

— Você mudou tanto meu anjo. — Balançou sua cabeça. Tenho que admitir, aquele senhor era diferente, porém seu semblante lembrava-me alguém. — Eu sou o  maior motivo de você der rejeitado.

— Você está me dizendo que... — Era impossível completar aquela frase, minha garganta secou e eu queria acreditar que aquilo não era real.

— Sim, eu sou o seu pai.

LOUISE ON

Três anos se passaram e a minha vida mudou completamente, quando completei meus dezoito anos. Por mais que eu fosse maior de idade, appa e omma tinham na cabeça que eu era um prisioneira deles e que de alguma forma, eu teria sim que me casar com Min Yoongi.

Tudo mudou, meu quarto, meu jeito e meu corpo. Posso dizer que agora eu estou em um tamanho de peso ideal e que está me agradando. 

Eu vivia em casa e para distrair a minha cabeça, minha única diversão era assistir doramas ou ouvir músicas.

Me afastei Yoongi novamente, ele estava bem diferente desde o dia que ele tentou me beijar. Eu disse que não queria, que não era o momento certo e ele simplesmente agiu com ignorância. Bem, sempre deixei claro que somos apenas amigos.

Estava na sala, comendo algumas bobeiras. Appa passou a ficar mais tempo na empresa — que está se erguendo aos poucos — e omma passa o dia fora, seja fazendo compras ou indo em salões de belezas.

Escutei a campainha tocar e abri rapidamente, dando de cara com Yoongi.

Suga me olhava com um sorriso em seu rosto e sem minha permissão entrou dentro de minha casa.

— O que você está fazendo aqui? — Questionei tentando não ser grossa.

— Isso são modos de tratar o seu antigo amigo, Louise? — Riu abafado. — Só vim passar um tempinho com você, não posso?

— Não, não pode.

—Acho melhor você parar de graça, seus pais já estam chegando para conversamos. — Sentou-se no sofá e colocou seus pés no centro da mesa. Quando foi que ele começou a agir assim?

— Não temos nada para conversar, eu já disse que Yoongi. — Cruzei meus braços.

— Lógico que temos meu amor, ou você se esqueceu do nosso casamento? — Sorriu irônico.

— Eu não vou me casar com você!

— É o que veremos, boneca. — Levantou-se e caminhou até chegar em minha frente. — Ou você quer que a empresa do seu papai acabe?

— Não ligo para isso, você disse que não iria me forçar a nada.

— Hum... — Yoongi ficou pensativo e olhou para os lados. — Não seja boba, Louise. Ou além da empresa você quer perder tudo o que tem? Incluindo sua casa.

— Por que você está fazendo isso? Se você se casar comigo, não ganhará nada em troca.

— Sabe, não é de hoje que eu sinto vontade de ter seu corpinho em minha cama. — Falou olhando para seu relógio. — Oh, seus pais estam chegando, finalmente vamos marcar o dia da nossa união. — Andou até a porta esperando que meus pais chegassem.

Nojo, eu sentia nojo. Como alguém era capaz de fazer tal coisa? A minha única solução é fugir dessa maldita casa.


Notas Finais


O pai do Kook apareceu e será que Louise vai fugir de casa? \o/

Sigam meu perfil: @_sory

Bye. 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...