História Gucci. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bangtan Boys, Bangtan Sonyeondan, Bts, Kim Taehyung, Sexo, Taehyung
Visualizações 154
Palavras 7.033
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fanfic especial de aniversário pro amor da minha vida Alexa!
Os parabéns estão no final, de qualquer modo a fic tem hot! Muito hot!
Beijos, espero que gostem!

Capítulo 1 - Capítulo Único.





 

Trancava o portão do prédio me dando conta de que eram mais de três horas da manhã, havia carregado não só Ashley como tinha aguentado Taehyung cantando com o motorista do táxi. Céus, como eu conseguia ser amiga de um cara tão extra eu não sabia dizer, mas eu, geralmente, me dava bem com eles e Taehyung, bom, ele era um ótimo amigo de qualquer maneira.

O bom de se trabalhar para uma única marca, em específico, era agradável pelo fato de que você não precisava ficar fazendo bicos para diversas marcas em diversos locais, o máximo que você tem de fazer é ir desfilar pela marca nos países indicados. Esse era o bom de ser modelo fixa. E eu, Taehyung e Ashley éramos os poucos fixos da Gucci, sim, a grande marca de roupas e acessórios que custam mais do que sua casa.

Assim que a porta do elevador se abriu, não obtive reação alguma ao ver Taehyung e Ash ambos com os lábios selados em um beijo um tanto quanto estranho. Ashley não estava sóbria, nem um pouco na verdade, e Taehyung não pareceu dos melhores quando resolvemos sair da balada.

Taehyung estar beijando Ash não era nada novo, os dois já haviam ficado algumas vezes, logo quando Tae chegou na coleção de inverno sendo apresentado como o novo modelo asiático das coleções. Mas agora era tudo um pouco diferente tendo em vista que Ash estava completamente apaixonada por outro modelo, também coreano, que havia chegado há menos de um ano: Yook Sungjae. Ela, visivelmente, tinha uma coisa com coreanos.

Apenas passei por ambos tentando, ao máximo, não os atrapalhar e abri a porta de minha casa fazendo um barulho indesejável, tanto para ambos quanto para os vizinhos que já deviam estar no vigésimo sono. Ambos me fitaram e apenas me encolhi pedindo desculpas em um sussurro, o que fez Taehyung sorrir de lado e Ashley soltar uma risadinha desconcertada.

Entrei em meu apartamento que não era nem tão grande e nem tão pequeno e suspirei caminhando em direção a cozinha. Eu era a mais sóbria dos três e Ash a menos, ela provavelmente se arrependeria de ter beijado Taehyung por causa de Sungjae, por mais que eles não tivessem nada nem enrolado e muito menos sério, Sungjae era completamente focado no trabalho e dizia não ter tempo para “essas coisas”.

Segurando um copo de água voltei para a sala encontrando Ashley sem casaco, mas não era culpa de Taehyung, pelo contrário, ele tentava não rir dizendo a ela que estava frio demais para que ela ficasse sem o casaco. Ela apenas riu dizendo que estava bem e então puxou a blusa para cima ficando de sutiã e calça jeans.

- Ok, ok. – Falei andando em sua direção e então entreguei o copo esverdeado para que Tae o segurasse. – Vamos, bonita.

Ela esboçou um sorriso me abraçando e então riu. Lá estava ela, pagando mico bêbada, na frente de Kim Taehyung por quem ela já foi apaixonada há um tempo atrás, mas, segundo ela, nem mesmo ela conseguia dizer se era paixão ou só um desejo desenfreado por ele, mas isso não importava mais.

- Vamos tomar um banho, certo?

- Unnie! – Ela ria me abraçando. – Sungjae, cadê ele?

- Provavelmente dormindo. – Respondi sem animação alguma.

Ela então soltou mais uma risadinha, apenas a levei até o banheiro e a sentei na privada fechada enquanto a despia escutando-a resmungar alguma coisa, talvez fosse uma canção, mas eu não sabia dizer, pois sua voz estava tão embolada que eu nem mesmo conseguia entender as palavras que eram ditas.

- Vem, baby. – A chamei fazendo com que ela ficasse de pé já despida.

Liguei o chuveiro colocando-a dentro do box e ela apenas me mandou um beijo agradecendo. Sorri de lado dizendo que deixaria a porta entreaberta e que era para ela me chamar caso precisasse de alguma coisa, pois eu estaria na sala, logo ao lado. Ela berrou um “obrigada” em italiano tão alto que tive que repreendê-la por estar gritando as três e meia da manhã.

Fechei a porta encarando Taehyung, ele estava no sofá, de meias, e mexendo em algo no celular. Ele ergueu o olhar até mim e esboçou um sorriso, seu sorriso quadrado de costume, e apenas retribui suspirando enquanto me encostava no portal da cozinha.

- Quer algo?

Ele deu de ombros encostando as costas no sofá e apoiando as mãos na nuca.

- Bom, fica a vontade, Tae. Você sabe onde fica tudo, eu vou fazer um sanduiche.

- A moda inglesa? – Ele perguntou se interessando e ficando de pé.

Ri o encarando. – Sabia que você não recusaria.

- Mas eu nem aceitei ainda.

- Quer sanduiche, Taehyung?

- Sim. – Ele sorriu animado.

Apenas sorri caminhando com ele em direção a cozinha. Taehyung parou na porta da mesma enquanto eu pegava algumas coisas para fazer um sanduíche simples de carne desfiada com salada. Taehyung e eu éramos amigos desde que cheguei para trabalhar como modelo fixa de passarela da Gucci, ele já estava por lá, mas éramos o tipo de amigos apenas no local de trabalho, sequer conversávamos fora da agência, mas tudo mudou quando Ashley entrou, nos tornamos extremamente próximas e ela logo disse que estava interessada em Taehyung. Ela era como uma garotinha inocente de dezoito anos quando nos conhecemos, era realmente na dela, e agora era essa mulherona que eu mal conseguia dar conta. Mas, ainda assim, minha amiga.

Acabei por me aproximar de Taehyung, realmente, por causa dela, quando ela disse que ambos saíram, mas eles não tinham nada sério, nem pretendiam e não havia sentimento o suficiente para que ambos tivessem algo sério, eles sempre se trataram mais como amigos e quando não havia ninguém com quem se divertir, os dois se envolviam. Mas ela se afastou de Tae, por um tempo, quando começou a sair com um empresário – com ascendência asiática – e eu permaneci sendo, literalmente, melhor amiga daquele homem que mais parecia uma criança e possuía um sorriso quadrado adorável.

- Isso está realmente muito bom, noona.

Esbocei um sorriso ao ouvi-lo me chamar de ‘noona’, demorei um tempo para entender que na Coreia haviam sufixos ou certas palavras para se dirigirem a pessoas de idades e sexos distintos, era fofo, mas quando Taehyung o fazia ele logo se desculpava, o que era desnecessário visto que era de sua cultura.

- Des...

- Não ouse. – Falei encostando as costas no sofá.

Ele apenas soltou uma risada anasalada. – Você nem é minha noona de verdade, só é mais velha do que eu um mês e alguns dias.

- Ainda assim, mais velha. – Disse ficando de pé enquanto mastigava meu sanduíche.

- Onde vai?

Apontei para a porta do banheiro. – Ela tá quieta demais lá dentro.

- Faz sentido. – Ele riu balançando a mão.

Caminhei em direção ao banheiro e então encarei Ashley debaixo do chuveiro quem mais parecia um zumbi do que qualquer outra coisa, ela estava com a cabeça para baixo e os cabelos loiros molhados por seu corpo, esbocei um pequeno sorriso e caminhei até ela segurando a toalha, desliguei o chuveiro e logo a enrolei na toalha fazendo com que ela, literalmente, voltasse a realidade. Ela me encarou já com a toalha na cabeça e apenas sorri amigavelmente, fazendo com que ela logo retribuísse o sorriso.

Eu não era acostumada a cuidar de bêbados, e muito menos amigas bêbadas e ela raramente bebia até aquele ponto, mas ela era minha amiga e há certas coisas que fazemos por amigos que serão recompensadas, no futuro. Caminhei com ela enrolada na toalha para o quarto de hóspedes que era em frente ao meu, a sentei na cama e ela tornou a falar de Sungjae enquanto cantava em um ritmo inexistente:

- Yook Sungjae... Por que não eu? Yook Sungjae... Por que tão gostoso? Yook Sungjae... Por que tão alto? Yook Sungjae...

Esbocei um pequeno sorriso enquanto me segurava para não rir daquela situação, e eu queria, muito, mas não o fazia em respeito à nossa amizade. A vestia enquanto ela mantinha cantarolando seus versos para Sungjae, e, por fim retirei a toalha de seus cabelos os penteando do jeito que conseguia já que, naquele momento, Ashley batia as mãos na cama todas as vezes em que falava o nome de Sungjae.

- Yook Sungjae... – Ela insistia em falar dele, mesmo já exausta.

- Você não beija melhor que Kim Taehyung. – Tae apareceu na porta com seu sorriso quadrado e convencido.

- Oi Taehyung! – Ela disse manhosa o fitando. – Oi Tae! Me desculpa!

Ele franziu a testa a encarando. – Pelo o quê?

- Pelo beijo! – Ela gritou fechando os olhos.

Ele soltou uma risadinha sem graça. – Tá tudo bem, nem teve língua.

Ela riu se jogando para trás na cama de modo que eu não conseguisse mais pentear seu cabelo. – Ah, Tae! – Ela suspirou enquanto eu colocava seus pés pra cima. – Eu devia ter ficado com você.

Taehyung apenas sorriu a encarando.

- Eu não estaria passando por tudo isso.

- Você está bem, Ash. – Ele disse com um sotaque arrastado, o que me fez sorrir.

- Tudo bem. – Ela riu fechando os olhos. – Assim é melhor porque quando eu beijar Sungjae eu vou esnobá-lo e até lá eu vou ser uma mulher de...

- Boa noite, Ash! – Taehyung desejou percebendo que ela havia caído no sono.
Soltei uma risada anasalada enquanto caminhava em direção a porta, pronta para fechá-la e apagar a luz, mas Ashley soltou uma risada e gritou se ajeitando na cama:

- Boa noite, TaeTae! Boa noite, unnie.

Lhe mandei um beijo no ar e sorri apagando a luz. – Boa noite, bonita.

- Boa noite e bons sonhos. – Taehyung desejou.

Puxei a porta atrás de mim e caminhei ao lado de Taehyung de volta para a sala enquanto o mesmo se espreguiçava. Tae sentou-se no sofá voltando a mexer em seu celular e fui até meu quarto pegando a roupa de cama para ele dormir na sala, no meu sofá confortável. Assim que deixei o cobertor, travesseiro, lençol, e até mesmo uma roupa antiga do meu ex-namorado, para o caso dele não estar a fim de dormir com aquela roupa, Taehyung retirou os olhos da tela do celular olhando para a pilha de roupa de cama e, em seguida para mim.

- Boa noite. – Desejei com meu melhor sorriso.

- O quê? – O escutei questionar enquanto virava de costas em direção ao meu quarto.

Sabia que Taehyung reclamaria de dormir no sofá, geralmente ele dormia no quarto de hóspedes na cama macia que agora estava sendo usada por Ashley.

- No sofá? – Ele parou a minha frente fazendo com que eu olhasse para cima.

- Tem o chão, se preferir. – Falei sarcástica.

Ele me encarou como se eu tivesse falando a coisa mais absurda do mundo.

- Boa noite, Tae.

- Não senhora, nada de boa noite. – Ele disse com sua voz grave. – Eu não posso dormir no sofá, faz mal para as costas, o que atrapalha o andar e, automaticamente, me atrapalha. Eu sou um modelo da Gucci!

Ri o encarando. – Desde quando você ficou tão nojentinho?

- Nojentinho? – Tae me encarou ofendido.

Fiquei na ponta dos pés beijando sua bochecha. – Boa noite, Kim Taehyung.

Passei por ele enquanto o ouvia resmungar se aquilo era sério, segurava o riso enquanto caminhava em direção ao meu quarto e assim que tentei fechar a porta ele a segurou.

- Sim, Tae? – O fitei bocejando.

- Me deixa dormir na cama com você? – Ele fez um bico adorável.

Ri achando seu pedido engraçado. – Não.

- Por que não? – Ele me questionou confuso. – Não vou fazer nada!

- Porque minha cama é minha! E eu não tô a fim de dividir ela com você. – Disse acendendo a luz de meu quarto enquanto escutava as reclamações de Taehyung.

- Mas eu fico em um cantinho, eu quase não ocupo espaço.

- Não. – Resmunguei abrindo a porta de meu guarda-roupa.

- Por favor, noona. Eu não posso dormir no sofá.

O fitei segurando meu pijama. – Sim, você pode. O sofá e ótimo, Tae, é muito macio, não se preocupa.

- Eu não acredito que você vai fazer isso com seu melhor amigo! – Ele protestou.

Retirei a blusa o encarando com um sorriso nos lábios. – Boa noite Taehyung.

Ele encarou meus seios. Soltei uma risada anasalada enquanto vestia minha blusa de pijama, éramos acostumados a nos vermos seminus ou até mesmo nus, por isso, muitas das vezes, trocávamos de roupa sem cerimônias.

- Você vai pro inferno. – Taehyung disse fazendo sua melhor cara de bravo, mas, na verdade ele ficava ainda mais fofo. – Boa noite, Rose.

- Boa noite, Tae. – Desejei sorrindo.

Terminei de trocar meu pijama e então apaguei a luz me deitando em minha cama de casal macia, cama esta que eu amava demais para dividir por alguém após aquela noite extremamente cansativa. Taehyung até tinha desistido fácil, e apesar de ter pena de fazê-lo dormir no sofá, definitivamente eu não dividiria minha cama com ele.

Enquanto mentalizava meus compromissos deitada na cama antes de dormir e fazendo a tradicional retrospectiva do dia, senti algo do meu lado. A princípio não me importei pensando de não ser nada além do cobertor roçando em minha perna, mas assim que senti algo quente perto de meu ombro, arregalei os olhos percebendo que havia alguém a meu lado. Soltei um grito que logo abafei com minha própria mão e senti o braço de Taehyung me envolver. Antes mesmo dele sussurrar que era ele, apenas o reconheci por seu perfume, que possuía um aroma de lavanda, a diferença era que o perfume custava quase todo nosso salário, mas ainda assim era impossível Taehyung não estar o usando.

Sem pensar duas vezes fechei minha mão lhe dando um soco em seu braço, Taehyung resmungou um “ai” manhoso e o empurrei com força o suficiente para que ele caísse no chão e, junto, levasse meu cobertor.

- O que você tá fazendo aqui, Tae?

- Tentando dormir. – Ele resmungou ficando de pé.

Acendi o abajur ao meu lado. – Você tem o sofá!

- Você disse que era macio, e não é! – Ele protestou se enrolando na minha coberta.

Ergui o tronco e meu braço na tentativa de pegar minha coberta de volta. – Me dá isso aqui.

- Não. – Ele balançou a cabeça negativamente dando um passo para trás.

- Tae, me devolve! – Pedi sentando na cama e me esforçando para pegar.

Ele tornou a andar para trás. – Não! Só se eu puder dormir com você.

- Eu quero dormir sozinha na minha cama, Taehyung! – Protestei ficando de pé. – Tive um dia e uma noite cheios, por favor, me deixa dormir!

- Eu vou. – Ele concordou. – Mas só depois que me deixar dormir do seu lado.

- Taehyung...

- Eu quase não ocupo espaço. – Ele se desviou passando direto por mim e se jogando onde eu estava deitada. – Olha só.

- Meu deus, por que eu sou sua amiga? – Perguntei o encarando.

- Porque ninguém resiste a esse rostinho. – Ele apontou para si mesmo sorridente.

- Idiota. – Resmunguei lhe tampando minha pantufa.

Ele riu. – Pelo tom da sua voz as coisas estão indo bem.

Soltei uma risada anasalada voltando para a cama. – Cala essa boca antes que eu mude de ideia.

- Você é a melhor! – Ele riu fazendo sinal positivo com os dedos.

Revirei os olhos escondendo o sorriso e puxei o cobertor de modo que me cobrisse, agora ao seu lado. Não havia mal nenhum em dormir com meu amigo certo? Já havia feito isso outras vezes com outros amigos então qual era ao problema de dormir – realmente só dormir – ao lado de Taehyung? Nenhum, certo? É, errado.

Senti os braços de Taehyung envolverem minha cintura, mais uma vez, enquanto ele se aproximava. Como resposta, o empurrei, novamente, no chão, enquanto ele resmungava algo em coreano. Algo que, obviamente, eu não tinha entendido.

- Por quê?! – Ele questionou acendendo a luz do abajur novamente.

- Por que você tava me agarrando?

- Você sabe que eu não consigo dormir sem abraçar alguma coisa, ou alguém. –

Ele se defendeu me encarando.

- Pega o travesseiro! – Tornei a sentar na cama.

- E aí eu coloco minha cabeça onde?

- Onde você quiser! Só não me abraça, Taehyung.

- Ok. – Ele ergueu as mãos se sentando ao meu lado. – Posso deitar?

- Boa noite, Kim Taehyung. – Resmunguei tornando a deitar.

Mais uma vez ele apagou a luz e eu permaneci de costas para ele enquanto encarava a escuridão a minha frente. Taehyung era um ótimo amigo, mas, honestamente como homem ele não prestava muito. A quantidade de garotas e garotos que ele me contava estar apaixonados por ele ou algo do tipo era frustrante. Não realmente frustrante porque ele é Kim Taehyung, ele é um homem com um pacote mais que completo: muito, mas muito bonito, charmoso, simpático e rico. Eu era sua amiga e não cega.

Taehyung era realmente muito bonito e se eu disser que, antes de nos tornarmos amigos próximos, nunca tinha pensado nele como algo a mais estaria mentindo. Era Kim Taehyung um dos modelos mais bem pagos da Gucci e cobiçado por mulheres e homens em diversos eventos e na vida. E eu o tinha empurrado no chão. Tudo isso porque eu estava nervosa com o fato de tê-lo dormindo ao meu lado. Ele era meu amigo e nada mais. E sabia que ele não me via de outro jeito, tinha certeza.

- Tae?

Ele apenas resmungou um “hm?” sonolento. Virei em sua direção sem conseguir enxergar um palmo a minha frente.

- Te machuquei?

- Não. – Sua voz soou grave como sempre.

- Desculpa te chutar. – Pedi fazendo uma breve pausa. – Duas vezes.

- Tudo bem. Me deixa dormir que não posso ter olheiras, tenho sessão de fotos segunda.

- Idiota. – Resmunguei tornando a ficar de costas para ele.

- Também gosto muito de você. – Ele soltou uma risada anasalada.

- Boa noite. – Desejei.

- Boa noite. – Ele resmungou.

Permaneci olhando o nada enquanto me forçava a dormir. Fechei os olhos com forca enquanto escuta a respiração de Taehyung atrás de mim e abraçado com o travesseiro. Sentia meus olhos cada vez mais pesados e o sono tomar conta de mim, quando:

- Rose?

Foi a minha vez de resmungar um 'hm?' sonolenta.

- Por que a gente nunca teve nada?

Abri os olhos de imediato, como se tivesse acordado de um pesadelo permaneci na mesma posição enquanto tentava me situar se era Taehyung perguntando ou se eu tinha sonhado rapidamente com aquela pergunta.

- Sério, por que nunca nós pegamos? – Ele repetiu a pergunta fazendo com que eu tivesse certeza que era real.

Permaneci imóvel. Bom, a resposta era simples: ele sempre esteve ocupado demais com outras garotas.

- Já dormiu? – Ele me empurrou com a ponta dos dedos.

- Tava quase. – Resmunguei sentindo-o se virar na cama.

- Todos os meus amigos eu já beijei pelo menos duas vezes. – Ele soltou rindo, em seguida. – Por que não com você?

Virei de barriga para cima na cama e então virei meu rosto para fitá-lo, meus olhos já estavam acostumados o suficiente com a escuridão para que eu pudesse ver seu rosto.

- Você beijou todos os seus amigos?

- Sim. – Ele respondeu tranquilo. – Nem sempre um beijo significa algo mais profundo.

- Por que sou sua amiga? – Questionei rindo.

Taehyung me acompanhou na risada.

- Provavelmente nada nunca rolou entre nós porque eu nunca te dei bola. – Enfim, o respondi.

Taehyung riu. – Você acha mesmo que eu nunca percebi o jeito que você me olhava antes de sermos, mesmo, amigos?

Senti meu rosto esquentar. – Você é doido?

Taehyung gargalhou um pouco mais alto. – Na época eu era um idiota.

- Não mudou muito. – Falei em um tom de voz sério.

- Engraçadinha.

- Do jeito que você usa as pessoas que aproximam de você, realmente não mudou muito.

- Ouch. – Ele se doeu. – Essa foi forte.

- É, como se eu não falasse isso sempre. – Resmunguei.

- Eu disse que não ia mais fazer isso, você tem me visto com alguém ultimamente?

- Não. E não me importa também.

- Por que você tá tão ranzinza? – Ele me cutucou na bochecha.

Bati em sua mão. – Não interessa.

- Claro que interessa, o que eu fiz?

O encarei, novamente. – Você quer realmente saber?

- Sim. – Ele respondeu e pude perceber que ele me fitava atento.

- Você beijou a Ashley!

- Não! – Ele logo protestou virando seu corpo por inteiro na minha direção. – Eu não beijei ela! Ela me beijou.

- Ah, que desculpa de filme!

- Mas foi! – Ele explicava a minha frente na cama. – Ela me beijou! Eu ainda tentei afastar ela, mas ela é forte, você sabe disso!

- Você não vai machucar ela, vai?

- Que eu lembre ela quem se afastou. – Ele resmungou.

- Mas vocês não sentiam nada um pelo outro, sentiam?

- Não.

- Então qual é o problema?

- O problema é você vindo me dar sermão as quase quatro horas da manhã.

- Por que você perguntou se não queria ouvir?

- Porque eu não sabia que você tava com raiva disso! – Ele então tornou a ficar de barriga pra cima e cruzou os braços.

- Eu não tô com raiva disso, Taehyung. Eu não quero ver Ashley pior do que ela já está. – Bufei o encarando.

- Eu não pretendo ficar com ela, nem brincar com o que ela sente. – Ele então disse sério acendo a luz do abajur ao seu lado. – Não sou mais esse Taehyung.

- Bom pra você. – O encarei deitada.

- É, bom pra mim. – Ele tornou a deitar ao meu lado com a luz ainda acesa.

Permanecemos um tempo em silêncio, eu encarava o teto enquanto Taehyung sequer se mexia, provavelmente, fazendo o mesmo. Taehyung e eu nunca havíamos brigado, nem mesmo quando ele era Taehyung idiota que usava homens e mulheres para se satisfazer e não sabia dizer porque o clima estava tão ruim naquele momento, mesmo com ele dizendo que não pretendia nada com Ash, quem era minha maior preocupação, principalmente por já não estar tão bem por causa de Sungjae.

- Você pode apagar a...

- Por que nunca nos beijamos?

- Taehyung, por que a pergunta a essa hora da manhã? – Sentei-me na cama o fitando completamente séria. – Parece até que tá querendo me beijar.

- Mas, eu...

O interrompi de imediato. – Porque somos amigos e, normalmente, amigos não se beijam. Quantos anos você tem?

- Eu sei que você gostava de mim. – Ele disse me encarando também sentado a cama.

Não o respondi, apenas permaneci sentada na cama o fitando enquanto trazia comigo todas as lembranças do que foi, para mim, gostar de Kim Taehyung. Não eram lembranças agradáveis tendo em vista que eu gostei dele no pio momento em que ele esteve, momento que até ele se arrepende. Nunca cheguei nem mesmo a contar para ele o que sentia, e fazia cerca de seis meses que eu conseguia controlar meus sentimentos o suficiente para que não estragasse nossa amizade.

- Eu sempre soube.

- Sempre? – Franzi a testa.

- Não sou um idiota.

Novamente, em silêncio.

- Você realmente acha que eu parei de foder com todo mundo porque você me aconselhou como amiga?

Ele soltou uma risadinha de modo que sorrisse de lado, em seguida.

- Sim, não foi nulo o seu conselho. – Ele deu de ombros coçando a testa. – Mas não foi só isso. – Ele suspirou. – Eu percebi que você se afastou, eu percebi, e depois você apareceu com aquele cara. E eu fiquei tão fodido, mas tinha que fingir que tudo bem, porque somos só amigos né? E, com certeza, era melhor te ver feliz com outro do que comigo, eu, esse idiota que não se importa com os sentimentos de ninguém.

- Tae... – Tentei falar, na ele me interrompeu.

- Ainda estou com álcool no sangue e preciso falar, Rose. Sinto muito.

Balancei a cabeça positivamente enquanto ele me fitava como se estivesse perguntando se devia, ou não, continuar.

- Eu mudei. O fato de saber que você sentia algo por mim fez com que eu quisesse mudar porque eu, também, estava começando a sentir algo por você. Mas eu não podia ser aquele Taehyung. Não para você.

Porra, por que ele estava me falando aquilo tudo àquela hora? Podia perceber em seu rosto que ele estava desesperado para me contar, mas eu me perguntava porque ele não o havia feito antes. Antes que eu começasse a namorar e machucasse um cara incrível, antes de tudo acontecer e nossa amizade quase acabar.

- Eu não aguentava mais segurar tudo isso. E ver que você ainda pensa que eu sou esse Taehyung é… O pior. Porque eu não quero tentar nada com você enquanto você pensa que sou um…

Sem nem pensar duas vezes, impulsionei meu corpo para frente selando nossos lábios. Ao contrário dos meus, os lábios de Taehyung estavam gélidos, mas ambos pareceram combinar perfeitamente. Taehyung segurou em meus ombros me afastando de si e o fitei sentindo meu coração enlouquecer dentro de meu peito.

- Rose, não precisa me beijar por pena.

- Pena?! – Retruquei de imediato. – Pena?!

Taehyung franziu a testa ao me ver gritar. Ergui a mão soltando um tapa em seu braço, mais uma vez. Ele resmungou esfregando o local e continuei a questioná-lo não acreditando no que ele tinha acabado de falar:

- Pena?! Você tá brincando comigo? Você acha que eu tô querendo te beijar por pena? Ah, vai se foder Kim Taehyung. Você já se apaixonou alguma vez na vida? Eu acho que sim, porque você não é idiota! Então eu acho que você sabe que seis meses não são suficientes pra esquecer alguém que se vê todos os dias e tem que…

Taehyung me calou selando nossos lábios mais uma vez. Eu queria falar mil e uma coisas para ele, e odiava que me interrompessem, mas, naquele momento, aquela foi a melhor interrupção que podia ter acontecido. Ele logo iniciou o beijo e não fiz menção de recusar, logo senti sua língua gélida encostar na minha e apenas segurei em seus ombros os apertando devido a pequena onda de raiva que eu ainda sentia por ele achar que tentei beijá-lo por pena.

Senti sua mão ir em direção a minha nuca e ele logo desceu a outra para minha cintura. Kim Taehyung beijava excelentemente, certamente um dos melhores beijos que eu já havia experimentado nos meus vinte e dois anos. Sabia que, apesar de já estar ciente das informações que ele havia acabado de me jogar, eu, realmente, teria noção delas na manhã seguinte quando conversássemos melhor sobre nossos sentimentos. Sentimentos esses que pareciam ser recíprocos e verdadeiros. Honestamente, nem eu sabia explicar o quão eufórica me sentia naquele momento.

Minha euforia deu espaço a meu coração no instante em que senti Taehyung me puxar para perto de si, estávamos um pouco distantes na cama, mas aquilo não parecia ser mais uma vontade de ambos. Novamente, sem pensar duas vezes, inclinei meu corpo ficando de joelhos na cama e logo me aproximando cada vez mais dele. Taehyung também ergueu o tronco de modo que não parássemos o beijo enquanto eu colocava uma perna de cada lado de seu corpo. Nem mesmo em um milhão de anos eu me imaginaria transando com Kim Taehyung depois de uma declaração sua. Mas não tinha nada a reclamar, nada mesmo.

- Ei, você realmente quer? – Taehyung perguntou ofegante após quebrar o beijo.

- Você tá me zoando? – Perguntei sentando, enfim, em seu colo. – Que tipo de pergunta é essa?

Ele riu segurando em meu quadril. – Não tá mais aqui quem perguntou. – E tornou a selar nossos lábios.

Senti suas mãos por debaixo de minha blusa enquanto sentia o gosto leve do Martini que ele havia tomado antes de virmos para casa. Nos beijávamos mais intensos do que a primeira vez e apenas me apressei para tirar a camisa de Taehyung e ver aquele corpo maravilhoso novamente, mas como meu, aquele corpo nu apenas para mim é mais ninguém. Quebramos o beijo enquanto eu puxava a blusa do meu ex-namorado, que ele havia vestido, e ele sorriu balançando os cabelos acidentados que quase cobriam seus olhos. Puta que pariu, que homem era aquele?
 

Taehyung levou suas mãos até a barra da minha blusa de pijama e apenas sorri mordendo meu lábio enquanto ele a levantava lentamente deixando meus seios à mostra. Abaixei as mãos quando ele jogou a blusa para trás e umedeceu os lábios encarando meus seios, logo em seguida tornou a me fitar nos olhos com um sorriso safado dançando em seus lábios.

- Você sabe que já te vi nua várias e várias vezes, mas nenhuma se iguala a essa. – Ele suspirou descendo as mãos por meu corpo e segurando em minha cintura enquanto a apertava se leva.

- Acredite, eu sei como se sente.

Sorrimos juntos e aproximei meu rosto do seu tornando a beija-lo percebendo que seus lábios já não estavam mais tão gélidos quanto antes. Taehyung desceu as mãos para meu quadril me puxando para mais perto de si e sorri em meio ao beijo ao sentir seu membro. Não hesitei em rebolar em cima de si, o que fez Taehyung quebrar o beijo e suspirar pesado.

- Puta que pariu.

E então deitou o rosto para trás subindo as mãos para meus seios enquanto eu rebolava vezes seguidas em cima de si. O sentia segurar meus seios com as mãos cheias, apertá-los e então brincar com meus mamilos sem ignorar os piercings nos mesmos. Retirei minhas mãos de seus ombros no instante em que desci os beijos para seu maxilar o beijando, mordendo e dando alguns chupões de leve, afinal, eu sabia tanto quanto ele que não poderíamos ter marcas pelo corpo devido as sessões de fotos.

Taehyung tornou a suspirar alto quando chupei seu pescoço me certificando de que não deixaria nenhuma marca, sua pele estava completamente quente o que me fez sorrir quando meus lábios entraram em contato com suas clavículas. Taehyung segurou em minha bunda, me incentivando a rebolar um pouco mais em cima de si, como amiga, eu sabia que ele adorava quando o provocavam, ele mesmo costumava dizer isso. E sorri ao lembrar daquilo naquele exato momento.

Tae apoiou as mãos na cama no instante em que percebeu que eu descia os beijos por seu peito, e eu aproveitava cada milímetro para sentir sua pele quente e macia em meus lábios, fiz o mesmo em sua barriga demorando um pouco mais naquela região de modo que o deixasse ansioso o suficiente para que ele segurasse em meu cabelo já pronto para ser chupado. Sorri erguendo o rosto e ele me fitou apertando os dedos em meu cabelo.

- O lado ruim de transar com sua melhor amiga é que ela sabe todos os seus pontos fracos.

Soltei uma risadinha enquanto segurava no cós da calça de moletom e a puxava para baixo sem me preocupar com a boxer, pois sabia que Taehyung não gostava de dormir usando. Encarei seu pau ereto e grande a minha frente e apenas umedeci os lábios lentamente voltando a beijar sua barriga na região bem próxima a seu pau.

- Eu sei o que você tá fazendo. – Ele disse com a voz grave e então riu rouco. – E está me deixando louco.

- Mas já? – Ergui o rosto o fitando enquanto sentava em cima de meus próprios pés.

- Sim, já. – Ele assentiu sorrindo e então retirou as mãos de meu cabelo. – Porra!

Sorri ao escutar seu palavrão no instante em que segurei seu pau com uma das mãos, comecei os movimentos lentos para cima e para baixo encarando sua glande começando a se molhar e então passei o polegar fazendo com que ele estremecesse. Eu queria muito chupá-lo, realmente muito, mas estava mais gostoso sentir os espasmos de Taehyung todas as vezes em que subia e descia minha mão fechada em torno de seu pau o provocando.

Resolvi abaixar o rosto na direção do mesmo enquanto o segurava com a mão. Taehyung voltou a segurar em meu cabelo e apenas o joguei para o lado de modo que me facilitasse. Encarei Taehyung quem sorriu ao receber meu olhar e passei a língua lentamente na cabeça de seu pênis como se estivesse provando um picolé. Taehyung gemeu. E seu gemido rouco e com aquela voz grave fez com que eu quisesse mais. Repeti o ato duas, três e quatro vezes seguidas até que o senti empurrar minha cabeça para baixo como se estivesse me incentivando a chupa-lo, e não havia nada mais que eu quisesse, naquele momento.

Retirei minha mão de seu pau colocando-o por inteiro em minha boca lentamente enquanto escutava Taehyung gemer e soltar algumas palavras em coreano, mas não fazia diferença. Sentia seu pau bater no céu de minha boca e apenas aproveitava a sensação ao máximo. Taehyung já não estava aguentando as provocações e o podia sentir sua mão em meus cabelos me incentivando a ir mais rápido, o que logo o fiz por estar sedenta por isso também. Taehyung soltava alguns gemidos baixos e roucos, mas completamente obscenos e que estavam sendo capazes de retirar toda a minha sanidade naquele momento.

Voltei a segurar em seu pau, que cabia com certa dificuldade em minha boca, e permaneci o chupando no restante enquanto me molhava só de ouvir seus gemidos. Passei a dar uma atenção maior a sua glande a chupando enquanto estalava meus lábios na mesma, e sorria toda vez que ele estremecia em meus lábios. Taehyung puxou meu rosto para trás segurando em meu cabelo e permaneci movimentando minhas mãos em seu pau, mas ele logo as retirou me empurrando na cama forte o suficiente para que a cama de molas fizesse um pequeno rangido. Ele apenas sorriu e selou nossos lábios iniciando um beijo caloroso e cheio de desejo, o retribui no mesmo instante enquanto o sentia apertar meu seio direito com sua mão esquerda.

Assim como fiz, Tae desceu os beijos de meus lábios, para meu maxilar, pescoço e clavículas e tudo o que eu conseguia fazer era segurar os gemidos todas as vezes em que ele chupava meu pescoço. Segurar o gemido foi em vão quando Taehyung sugou meu mamilo o mordendo logo em seguida, e ao perceber que aquilo fazia com que eu soltasse gemidos baixos, ele repetiu algumas vezes antes de descer por minha barriga com beijos lentos enquanto segurava no cós da minha calça de pijama e eu podia sentir que ele também segurava minha calcinha. Tae logo puxou ambas as peças para baixo me despindo por completo e eu poderia o observar me encarando com aquela cara para o resto da minha vida, mas senti o tesão aumentar no instante em que abri minhas pernas lentamente enquanto ele as acompanhava com o olhar.

- Você vai, mesmo, me deixar louco. – Ele sibilou antes de começar a beijar minhas pernas distribuindo beijos úmidos por todas elas enquanto subia na direção de minha vagina.

Ao contrário do que pensei, não demorou para sentir a língua, agora quente, de Taehyung em meu clitóris, o que me fez gemer. Taehyung segurava em minhas coxas e empurrou minhas pernas para o lado de modo que as abrisse mais para que ele pudesse continuar me chupando. Gemi ao senti-lo chupar meu clitóris diversas vezes enquanto mantinha uma mão apertando meu seio, porra, como ele era bom.

Senti Taehyung descer sua mão direita novamente e, mais uma vez, não segurei o gemido ao senti-lo introduzir um dedo dentro de mim. Logo em seguida senti o segundo e ao terceiro desci minhas mãos para seus cabelos os apertando de modo que o fizesse rir rouco e, obviamente, convencido.

Mexia meu quadril junto de seus lábios sentindo todo meu corpo esquentar com o modo como ele me chupava. Era oficial, nenhum cara ou garota nunca tinha me chupando tão bem quanto ele o fazia. E eu gozaria mais rápido que o normal se não o interrompesse. Puxei seu rosto para cima fazendo com que ele franzidas a testa confuso, fiz o mesmo com sua mão enquanto sentia meu coração acelerado e a respiração falha. Taehyung entendeu e apenas se posicionou entre minhas pernas ajoelhado a minha frente.

- O que foi? – E então segurou seu pênis passando a mão grande em toda sua extensão.

- Eu quero você. – Pedi manhosa.

- Pede de novo. – Ele ordenou com a voz completamente rouca e mais grave que o normal.

Antes que eu pudesse pedi-lo, Taehyung esfregou a glande de seu pênis em meu clitóris me fazendo estremecer.

- Eu quero você, Taehyung. Caralho, eu quero você! – Praticamente o implorei enquanto segurava em seus ombros firmemente.

- Seu pedido é uma ordem. – Taehyung sorriu deitando seu corpo sobre o meu e então selou nossos lábios novamente.

Mas o beijo não durou muito, o quebrei para soltar um gemido prazeroso enquanto o sentia penetrar lentamente. Ele era grande, mais até do que eu pensava – não que eu ficasse pensando no pau de Taehyung – então ele mexia o quadril lentamente para que eu me acostumasse com seu tamanho, mas logo que mexi meu quadril junto ao seu ele entendeu que estava tudo bem.

Soltei um gemido manhoso ao senti-lo segurar firme em minha cintura enquanto mexia seu quadril com um pouco mais de rapidez. Mordi meu lábio fechando os olhos enquanto apertava minhas mãos em seus ombros e logo senti os lábios de Taehyung em meu pescoço enquanto ele beijava e o mordia, mais uma vez, me deixando arrepiada.

Segurei em sua nuca enquanto sentia seu cabelo macio entre meus dedos e apenas aproveitava todo o prazer que ele estava me dando enquanto o sentia, finalmente, por inteiro dentro de mim. Mordia meu lábio em uma tentativa frustrada de segurar o gemido, mas não dava nem um pouco certo.

Taehyung tornou a descer os beijos para meus seios e estremeci no instante em que o senti morder meu mamilo, sem força, e chupá-lo logo em seguida. Sorri tornando a abrir os olhos e o fitando entre meus seios, Taehyung ergueu o olhar para mim sorriu passando a língua por meu mamilo completamente rígido. Soltei um gemido de satisfação com aquela cena e, como resposta, ergui ambas as pernas de modo que ele fosse mais fundo.

Tae se desconcentrou em meus seios e soltou um gemido muito sexy em minha pele, me fazendo sorrir. Ele tornou a subir o rosto para perto do meu e mordeu meu lábio enquanto descia suas mãos para minhas coxas erguendo ainda mais minhas pernas. Apertei minhas mãos em seus ombros e logo as desci para suas costas de modo que nos abraçássemos e eu o arranhasse com certa força. Taehyung jogou a cabeça para trás soltando um gemido grave seguido de um palavrão e apenas sorri com aquela cena.

Taehyung arqueou suas costas mantendo a postura ereta e então fechei meus olhos ao sentir as estocadas mais fundas e rápidas, Taehyung gemia baixo e tentava abafar o mesmo mordendo seu lábio, mas sem muito sucesso. Eu estava completamente molhada e cheia de tesão por tudo aquilo.

Abri os olhos ao sentir Taehyung segurar em minha cintura, novamente, e me puxar junto de si enquanto jogava seu corpo para trás sentando na cama, logo que compreendi o que ele queria, passei uma perna de cada lado de seu corpo me ajeitando em seu colo de modo que o sentisse, novamente, inteiro dentro de mim. Tae tornou a passar os braços em volta de minha cintura e apenas passei os braços em volta de seu pescoço tornando a beijá-lo. Iniciei os movimentos com meu quadril rebolando lentamente em cima de Taehyung e arrepiei quando ele soltou um gemido entre o beijo o quebrando logo em seguida. Ele logo juntou nossas testas fazendo com que nos olhássemos enquanto eu soltava gemidos breves e começava a quicar em cima de si.

Tornei a deitar meu rosto para trás enquanto sentia que estava próxima do meu ápice, eu gozaria e não demoraria muito. Senti os lábios de Taehyung percorrerem meu pescoço mais uma vez e apenas selei nossos lábios ao sentir a eletricidade percorrer meu corpo. Soltei um gemido alto e manhoso enquanto estremecia em cima dele sem parar meus movimentos para cima e para baixo, Taehyung segurou firme em minha bunda e estremeci ainda mais ao sentir seus lábios úmidos em meu maxilar.

Nem mesmo cinco segundos depois, senti Tae apertar minha bunda enquanto soltava um gemido rouco e afundava o rosto em meu pescoço gemendo enquanto mexia o quadril embaixo de mim. Segurei em sua nuca mais uma vez e Tae mordeu meu pescoço o chupando em seguida enquanto me guiava em cima de si o suficiente para que ele terminasse de gozar.

No instante em que ele afrouxou as mãos grandes em minha bunda, parei de mexer o quadril em cima de si, aos poucos. Ofegantes, demoramos um tempo para nos olharmos, mas assim que fizemos encostei minha testa na sua novamente onde Tae apenas selou nossos lábios os mantendo juntos por um momento.

- Eu quero você. – Taehyung sussurrou separando nossos lábios.

Afastei nossos rostos o fitando.

- Eu quero você, de verdade, Rose. Quero você na minha vida mais do que só uma amiga.

Sorri de lado o fitando. Senti, novamente, meu coração acelerado.

- Eu gosto de você, e é real. Se você não quiser…

Selei nossos lábios novamente, mas logo os afastei rindo. Taehyung me acompanhou na risada e então beijou meu ombro suspirando:

- Se todas as vezes que me interromper for com um beijo, eu não vou reclamar.

Ri o encarando. – Eu gosto de você, Tae. Seis meses não foram o suficiente pra simplesmente te esquecer. Até porque você sempre aparecia na minha frente com esse sorriso quadrado.

Ele sorriu abertamente me fitando.

Ri saindo de seu colo e me deitando na sua frente. – Maldito sorriso quadrado.
Tae se jogou ao meu lado e então o encarei antes de nos beijarmos novamente. Fiz questão de fita-lo nos olhos enquanto dizia:

- Eu também quero você, Kim Taehyung.


Notas Finais


Alexa, eu te amo tanto neném, e te chamo de neném sendo que você é minha unnie! Porra, 22 anos, vinte e dois anos de puro amor, carinho, treta e amém mulherona da porra! Eu te amo mais que tudo nessa vida e obrigada, obrigada mesmo por ser essa pessoa maravilhosa e estar sempre do meu lado, mesmo que ai de longe. Te amo demais, você é o Tae do meu Gi, te amo demais! Parabéns, que você tenha um dia maravilhoso, te amo!!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...