História Hanakiki - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Nicki Minaj
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Nicki Minaj, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Nicki, Suga, Vhope
Visualizações 2
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo : 1


 

HANAKIKI - Capítulo 1 : Amor cego, literalmente.

 

E novamente ela estava lá, como todos os dias, segurando seus livros de química, física, matemática, os óculos finos dourados bem colocados em seus delicado rosto e seus grandes cabelos negros e reluzentes lisos que passavam de seus ombros ao vento frio e gelado da manhã, seu moletom cinza esquentando seus bracinhos que um deles era coberto pela pequena tatuagem em japonês.

 

Sua calça de couro preta bem justa em seu corpo, enquanto esperava em pé o ônibus para a levar a faculdade, e encarava as pessoas com grandes sacolas de lojas passando pela rua, era época de festas, natal e fim de ano, era comum ver a rua sempre decorada com muitos piscas-piscas, e neve por todo o lado.

 

A pequena mulher ajeitou sua mochila rosa em suas costas e logo olhou para o lado tendo seu coração errando uma batida e logo desviando o olhar para a ponta de suas botas de couro para o frio, segurando com mais força seus livros em seu peito, estava suando mesmo estando tão frio que seus dentes batiam um no outro, suas mãos tremiam e seu coração teimava em palpitar.

 

Olhou pelo canto do olho vendo o pálido se aproximar como sempre, com a sua maleta preta em mãos, o jaleco em um dos braços, e o típico ar sério e sonolento que nem dava vontade de puxar conversa, nem ao menos falar um "Bom dia", ele parecia que iria gritar a qualquer hora, estava tão mais sério que os últimos dias.

 

Ficou ao lado da estudante como todos os dias, e encarou o outro lado da rua vendo as pessoas sorridentes e felizes, franziu o cenho na mesma hora enquanto bocejava e passou o jaleco das mãos para os ombros, sentindo a brisa gostosa da neve tocando em sua pele pálido que nem tanto, seus cabelos pretos como a noite, sua camisa social azul bebê, sua calça folgada marrom, e seu inseparável relógio prateado.

 

O médico de um dos maiores hospitais de Daegu, solteiro - ou melhor dizendo largado, ou traído, vocês decidem - 24 anos nas costas e a grande carga horária também, o pálido nas últimas semanas mandava pelo menos um "Bom dia", a morena quase sempre tinha um ataque mais claro - internamente - mais sempre deixava um sorriso bobo escapar.

 

Mais o médico ficou quase um ano sem aparecer naquela parada, a morena todo dia aparecia com algumas flores mais sempre as jogava no lixo ao ver que o seu querido não tinha aparecido - Querido, que mal sabe o nome - Mais foi um ano difícil, estava preocupada, com saudades, estranho não? mais o jovem logo voltou, com uma cara séria e de quem não queria nada, apenas dormir e trabalhar e viver a base de café preto.

 

Os pensamentos dos dois foram espalhados pelo ar ao ouvir o barulho do ônibus como um aviso e logo foram retirados de seus devaneios pelo barulho da porta se abrindo, os dois entraram no ônibus e logo viram que estava quase lotado, se sentaram juntos como sempre, mais claro, como sempre, sem trocar uma palavra.

 

Mais esse dia foi diferente, já que o pálido estava com uma parada diferente no que da morena, que logo se assustou ao ver ele se levantar, a mesma por impulso imitou o ato e o seguiu para a porta para sair do ônibus, não sabia oque estava pensando, apenas estava sendo guiada pela curiosidade.

 

— O Seu ponto é aqui? - A voz do pálido ecoou pela primeira vez no ouvido na morena que arregalou os olhos, sorrindo que nem boba enquanto carregava seus livros, e encarou o garoto que pelo incrível que pareça estava sorrindo.

 

— S-Sim, m-meu ponto é a-aqui - Respondeu trêmula e gaguejando e logo o seguiu saindo do ônibus vendo que estava na frente de um dos maiores hospitais internacionais de Daegu, franziu o cenho sem entender ao ver o pálido começar a andar em direção a uma mulher que estava na porta do hospital com os braços abertos e um sorriso bonito.

 

Encarou os dois que logo se abraçaram e trocaram selos rápidos antes de entrar no hospital, a morena sentiu seu coraçãozinho mole despedaçar, e nem percebeu quando deixou todos seus livros caírem no chão e logo fechar as pernas por completo sem reação, apenas enquanto seus olhinhos enchiam de água, e seu coração era quebrado em cacos por um simples médico que nem sabia de sua existência.

 

(...)

 

A morena chegou em seu quarto abrindo a porta sem se importar em a fecha-la, e jogando os livros já sujos e todos bagunçados na cama com a mochila, retirando as botas as jogando no quarto sem se importar, correndo para o banheiro aonde apenas chorava e chorava, enquanto sentia uma dor horrível nos olhos, como se tivesse queimando, mais deve ser normal, não estava se importando com isso.

 

Apoiou as mãos na pia, sentindo seu estômago revirar e logo sentir sua garganta fechar e sentir algo seco querendo sair, tossiu seco e nem percebeu quando deixou uma pétala rosa de sua boca e cair no meio da pia, a morena retirou o óculos e botou na pia, limpando seus olhos com as grandes mangas da blusa do irmão mais velho,o mesmo logo apareceu no quarto procurando a irmã preocupado.

 

— Onika? Você já chegou? - A voz do irmão ecoou pelo quarto chegando ao banheiro, aonde a morena logo parou de chorar e voltou ao quarto não mostrando muito o rosto

 

— O-Oi Jin, não teve aula hoje - Mentiu ríspida fingindo estar coçando os olhos vermelhos pelo choro - E eu decidi voltar para casa, tem algum problema? 

 

— Nenhum Onika - Jin sorriu e se aproximou para dar um abraço, mais a irmã se afastou - Oque houve? Eu fiz algo errado? Por que está tampando seus olhos? Onika me deixe ver - Jin pediu retirando o braço da irmã de seu rosto e logo gritou desesperado e também logo susto - ONIKA! MAIS QUE PORRA É ESSA?! Oque houve com o seu olho?! - Gritou e logo correu para pegar um espelho e botou na frente do rosto da irmã

 

Onika se olhou no espelho logo se assustando ao ver um de seus olhos sendo coberto por raízes de flores e pétalas rosas, perfurando seus olhos com delicadas rosas e espinhos, tomando a visão de seu olho esquerdo tampada.

 

— Onika, seu olho...você está com Hanakiki?

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...