História Hearts and Minds - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~euvoceealua

Postado
Categorias Reign
Personagens Catherine de Medici, Claude of France, Francis II of France, Greer of Kinross, Kenna, Lola, Mary, Queen of Scots, Personagens Originais, Sebastian "Bash", Stéphane Narcisse
Tags Catherine De Médici, Escocia, França, Francis De Valois, Frary, Kennash, King, Lorcisse, Mary Stuart, Queen, Reign
Visualizações 33
Palavras 2.983
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei para mais um capítulo, espero que gostem!
Nos vemos nas notas finais.. :*

Capítulo 2 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction Hearts and Minds - Capítulo 2 - Capítulo II

Depois da notícia a Rainha da Escócia arregalou os olhos e levou a mão até a sua boca cobrindo a mesma, ficou alguns segundos em silêncio tentando assimilar a notícia que tinha acabado de receber, ainda procurava entender o motivo pelo qual Elizabeth tinha feito tal perversidade.

- Ela pretende invadir o meu país por causa de um boato? Eu não acredito que ela tenha coragem de fazer uma coisa dessas sem ao menos ter uma prova, sei que ela me detesta mais isso? Não posso deixar ela fazer isso com minha nação. – Disse a escocesa aos berros.

Catherine tentou acalmar a nora o que foi em vão, Mary saiu de seu aposento como uma flexa, aceitava muitas coisas que aconteciam porém quando se tratava da Escócia ela virava uma Rainha bem diferente do que costumava ser, mandou os guardas buscarem o tal diplomata que estava na corte a pouco mais de 5 horas.

Os guardas chegaram escoltando Blackburn até o escritório dos Reis já que a sala do trono estava em festa, a governante se encontrava em pé ao lado da grande mesa de carvalho com os olhos fixos no homem que estava a sua frente a vontade de Mary era tirar a cabeça daquele diplomata estava com a raiva transparente em seu rosto.

- Me diga agora o que veio fazer aqui Gideon Blackburn. – Bradou a Monarca cheia de raiva em suas palavras.

- Então Vossa Majestade já descobriu os planos de Elizabeth para a Escócia não é? – Disse debochando da cara de Mary com um sorriso desafiador nos lábios.

- Eu sou uma Rainha muito boa e gentil Senhor Blackburn, porém não fico nada gentil quando estão ameaçando o meu país e a minha coroa, ela não tem nenhum motivo real para atacar a Escócia não fiz nenhum mal a minha prima, até retiramos as tropas francesas do meu país, não aceito isso de Elizabeth. Você tem dois dias Senhor Diplomata para resolver as coisas. – A Rainha disse as palavras saíram firmemente e acrescentou um tom de ameaça ao final.

- E o que a senhora pretender fazer se eu não concordar com o que me propõe? – Disse o diplomata abusando da paciência da mulher a sua frente.

A Rainha chegou perto do inglês, olhou dentro de seus olhos e disse entre os dentes porém de modo firme:

- Se você não desfizer essa besteira de Elizabeth, eu vou atrás de sua esposa e sua pequena filha... Ágata se eu não me engano e você pode ter certeza que nunca mais verá nenhuma delas eu odeio ter que agir como uma tirana sem coração, porém sou obrigada a estar nesse papel agora. Você tem dois dias Gideon Blackburn.

- Como quiser Vossa Majestade.

O inglês haviam ficado assustado com a ameaça da Rainha não imaginava que ela poderia ser tão cruel quanto Elizabeth, ele amava sua filha e sua esposa mais do que tudo e devia protege – las, assim que saiu do escritório foi até o cômodo que estava em começou a arrumar suas roupas em um baú para retornar à Inglaterra na tentativa de fazer a Rainha Virgem mudar de opinião sobre o ataque desnecessário aos escoceses.

Mary se caminhou para as comemorações e tentava distrair sua cabeça do que tinha ocorrido, se sentia mal por ter ameaçado a família de um homem que não tinha nada haver com as atitudes que Elizabeth tomava contudo não podia deixar seu país ser atacado de tal maneira, não havia mais tropas na Escócia a cerca de um mês e uma guerra custava mais do que se podia imaginar e não desejava que isso voltasse a acontecer ainda mais por caprichos de sua prima. Mary saiu de seus pensamentos quando viu Charles e Madeleine começarem a dançar, passou os olhos por todos no grande salão e não avistou seu amado, foi para perto de Greer e ficou conversando com a amiga enquanto apreciava uma taça de xerez, Kenna chegou perto das meninas e ambas engataram em uma conversa fazendo a esposa de Francis esquecer da ameaça que tinha feito a Gideon.

- Pretendo contar para Bash que carrego um filho dele hoje. – Kenna disse super animada e os olhos da mesma brilhavam.

- Já estava na hora minha amiga, tenho certeza que ele vai ficar muito feliz e satisfeito com essa notícia.

- Assim espero Mary, preparei um clima bem romântico para finalmente poder contar a ele, espero que tudo saia com eu venho planejando. – A dama da Rainha pareceu um pouco apreensiva, porém sorriu ao sentir um abraço duplo.

O banquete já tinha acabado e Lady Kenna esperava seu marido, estava sentada na cama, o lugar estava cheio de velas perfumadas e algumas pétalas espalhadas pelo chão dava um ar totalmente romântico ao aposento de cores neutras e cortinas escuras. Demorou um pouco para que Sebastian chegasse ao local que dormiam ele e Francis haviam acabado de chegar da tal caçada, Charles chegou mais cedo pois o banquete era em comemoração ao seu noivado. Ficou bem surpreso ao ver aquilo tudo no quarto, tirou o colete o jogando em uma cadeira foi em direção a figura feminina que estava sentada em sua cama, deu – lhe um beijo forte nos lábios e logo a soltou.

- Tudo isso é para mim? O que você aprontou enquanto eu estiver fora Lady Kenna? -Disse sorrindo, porém havia uma certa desconfiança em seus olhos.

- Tem razão Lorde Bash, todavia eu não aprontei sozinha tive ajuda nisso e eu preciso te contar antes que você descubra por si só.

- O que foi dessa vez Kenna? E não minta pra mim, eu sou o vice Rei e posso descobrir qualquer coisa que você tenha feito pelas minhas costas. – Disse se afastando da mulher.

- Olha o que eu vou te contar aqui é uma coisa muito importante e tem haver com nosso casamento. – A mesma abaixou a cabeça fingindo tristeza. – Você sabe que eu te amo demais e minha felicidade vem de você, ou pelo menos vinha até uns meses atrás...

- Me fale logo o que aconteceu Kenna, já estou ficando nervoso! Você ama outro? É isso que está acontecendo? – O bastardo já estava levemente transtornado pelo rumo da conversa com a esposa.

- Sim Bash eu amo outro, porém eu ainda nem o conheço. – Kenna pegou a mão de seu marido e colocou em cima de seu ventre. – Porém em pouco tempo nos dois iremos conhece – lo.

Sebastian ficou paralisado digerindo a notícia, uma felicidade tão grande tomou conta de todo seu corpo, puxou a mulher colocando seus braços em volta da mesma e apertando forte era como se estivesse segurando seu mundo, beijou todo o rosto da moça descendo até a barriga e depositando ainda mais beijos naquele local. Kenna está extasiada não imaginava aquela reação do marido e não conteve as lágrimas, Bash se levantou secou as gotas que caiam sobre o rosto da esposa e tomou seus lábios em um beijo calmo e cheio de ternura, finalizou o beijo mordendo o lábio da esposa e sorriu olhando a mulher.

- Desculpe ter desconfiado de você, quando na verdade você ia me dar o maior presente que é já recebi. Eu te amo e sou grato por tudo que estamos vivendo Kenna. – O casal se abraçou forte e foram se deitar.

Havia sido uma manhã conturbada, o Conde de Moray já devia estar na corte francesa e nada de sua carruagem ser vista, Mary já temia o pior quando as cornetas tocaram e o mesmo foi anunciado, seu coração começou a finalmente bater mais devagar e sua respiração estava tranquilizando.

- Majestade, é uma honra está em sua luminosa presença. - Disse o Conde reverenciando a sua Rainha.

- Ora James, levante – se você também é meu irmão! – A mesma foi em direção ao homem e o deu um abraço apertado.

Após se soltarem James se dirigiu ao Rei fazendo uma pequena reverência que foi devolvida, os três se encaminharam para o escritório dos Reis, ambos já sabiam que a Escócia seria o principal assunto abordado, todavia Francis e James não sabiam da ameaça que Mary fez a Gideon e essa era a hora da Monarca contar aos homens.

- Então, acho que nosso problema inglês será resolvido em breve. Não quero que me encham de perguntas após isso que contarei a vocês. – Todos os olhos do cômodo se voltam para a pequena mulher a sua frente. – Para iniciar eu ameacei a vida de três pessoas, a do diplomata Gideon e de sua família. Ordenei que ele voltasse a Inglaterra e resolvesse o problema com Elizabeth, caso contrário eu sumiria com sua esposa e com sua filha.

- Mas Mary, como você conseguiu agir tão friamente assim? Sei que é um assunto delicado mas você ameaçou uma família inteira. - Disse Francis perplexo com a atitude.

- Você teria feito a mesma coisa pela França! E eu não vou e nem posso deixar minha primar tomar a minha nação. – Disse entre os dentes. – James peço que fique na corte por mais alguns dias até resolvermos nosso impasse com a Inglaterra. Se não temos mais assuntos para discutir vou me retirar.

Assim que a escocesa saiu do local os homens se entre olharam e suspiraram derrotados, sabiam como a Mary reagia ao provocarem seu país ainda mais com ameaças de guerra, depois de longos segundos James foi o primeiro a deixar a sala, Francis caminhou até uma cadeira e sentou colocou a mão na cabeça e ficou pensando nas palavras que acabara de ouvir.

Mary voltou para seu quarto, pediu para que uma serva ajudasse a afrouxar seu espartilho e após isso deitou – se na gigantesca cama, esses dias haviam exigido muito dela e a mesma se encontrava exausta demais, não demorou muito até que pegasse profundamente no sono.

Greer estava passeando distraída pelos jardim do grande castelo quando por um descuido esbarrou em um homem alto, moreno, com a barba por fazer, levantou e ao olhar para o homem percebeu que o mesmo possuía olhos incrivelmente claros, ficou um pouco constrangida ao terminar o contato visual.

- Me desculpe! Estava um pouco distraída! – Disse a mulher levemente ruborizada.

- Quem deve se desculpar sou eu Milady... Espera? Greer é você? – Ele disse observando bem a moça a sua frente.

- Sim, sou eu. Me desculpe você quem é?

- Eu sou James o irmão de Mary!

A mesma abriu um enorme sorriso, conhecia o Conde de Moray desde criança ambos se abraçaram o que deixou a Lady um pouco sem graça, continuaram passeando enquanto conversavam sobre suas vidas, pareciam amigos de longa data mesmo não tendo tanto contado enquanto a moça residia na Escócia. Ambos estavam sentados em baixo de uma árvore conversando e nem perceberam que o tempo havia fechado bruscamente, grandes nuvens escuras e carregadas preenchiam o céu antes azul. Logo sentiram pingos frios e grossos em seu corpo, os dois levantaram e correram até um coreto para fugirem da chuva.

- Acho que estamos presos por um tempo.

- Estou toda molhada e está um pouco desconfortável. – Greer fez uma pequena careta.

- Fiquei calma, parece ser apenas uma chuva passageira, daqui a pouco voltamos para o castelo.

Greer não estava muito satisfeita de ter que ficar ali, contudo não tinha como ir para o castelo, a chuva caia forte e demoraria para alcançar o local onde residia, sentou – se ao lado de James e continuaram a dialogar.

Mary acordou assustada com um trovão, tinha certo medo de tal fenômeno da natureza, olhou em volta e percebeu ainda estava sozinha no quarto chamou uma serva e pediu para um banho fosse preparado, levantou da cama e foi até um biombo para retirar suas vestes, após está despida colocou um robe e se dirigiu a banheira que já estava quase pronta, esperou alguns minutos e entrou. Ficou de olhos fechados pensando na vida e em seu casamento, colocou as mãos em sua barriga e ficou alisando, queria muito dar filhos a Francis e herdeiros as nações, desde que perdeu o primeiro filho andava desanimada e temia não ser capaz disso. Lembrou – se de uma conversa com uma nobre que havia mencionado um médico especialista em problemas femininos, porém ele ficava em Beauvais e ela teria que arrumar uma ótima desculpa para fazer tal viagem, não queria que ninguém soubesse o motivo  chamaria Greer para ir de companhia com ela, foi interrompida de seus pensamentos por uma serva.

- Majestade o Rei está te esperando na sala do trono, disse que tem noticias importantes.

- Obrigada, já estou saindo.

A criada fez uma reverência e saiu, Mary terminou seu banho foi para seu quarto e com ajuda colocou um simples vestido preto, ajeitou os cabelos e saiu, enquanto andava pelo amplo corredor ficava se perguntando do que se tratava a notícia do marido. Quando chegou caminhou até seu trono e se sentou, percebeu que Catherine, Charles e Bash estavam presentes também associou que era um assunto de família.

- Então o que era tão importante? – Perguntou séria olhando para Francis.

- Tivemos resposta da Inglaterra, um de nossos espiões informou que Elizabeth ainda está relutante sobre tirar as tropas da fronteira escocesa. – Catherine tomou a frente e disse rapidamente.

- Eu só queria entender o porquê de tal ameaça, desde que tiramos as tropas francesas da Escócia eu nem tenho tocado no nome de minha prima. Ela não tem nenhum motivo, a não ser a raiva que tem por mim.

- Pelo menos Gideon está tentando ferozmente convencer Elizabeth a reconsiderar e isso já está sendo um ótimo avanço pra a Escócia. – Francis disse olhando pra a esposa.

- O Senhor Blackburn ainda tem um dia para resolver isso tudo, sei que ele não tem culpa das coisas que sua Rainha ordena, porém cabe a ele impedir tal ação. Temos mais algum assunto a ser tratado? – Perguntou a Rainha já se levantando de seu trono.

- Bom, creio que não a mais nada importante. Já que acabamos podemos nos dirigir até a sala de jantar para comermos. – Catherine completou.

- Vão indo na frente, tenho uma coisa para fazer antes. – Mary fez menção em sair e Francis a olhou com desconfiança ela sorriu e se afastou.

Correu até o quarto de Greer para que não desse tempo de ninguém ir atrás dela entrou e viu a amiga ensopada, ficou um pouco confusa sobre o que havia acontecido.

- Ah! Nem me pergunte, fiquei até agora presa em um coreto com seu irmão.

- E por que vocês estavam presos em Lady Greer? – Mary disse provocando a amiga.

- Por causa dessa maldita chuva, porém antes que me pergunte não houve nada entre nós dois. Só um flerte inofensivo. – Disse se defendendo.

- Antes que pergunte o que eu estou fazendo aqui eu preciso de sua companhia amanhã. Para uma pequena viagem até Beauvais.

- O que faremos lá Mary ? E porque Francis não vai com você? – Perguntou curiosa.

- Ninguém pode saber que vamos para lá Greer, inventarei uma desculpa para sairmos sem deixar ninguém desconfiado. – Disse a Rainha em um tom baixo.

- Tá bom, mas o que vamos fazer lá?

- Eu vou ver um médico especialista em problemas femininos, uma vez estava conversando com uma nobre que me indicou e disse que ele é muito bom no que faz.

- Pelo menos Francis sabe que estamos indo até esse especialista?

- Ele nem pode desconfiar! Vou falar que vamos até lá para visitar uma prima minha que acabou de dar a luz. Você me acompanha? – A mesma perguntou fazendo beicinho.

A loira concordou com a amiga e ficaram conversando por um tempo e depois Mary saiu para voltar aos seus aposentos, entrou no quarto e Francis já estava dormindo, tirou aquele vestido e colocou uma camisola caminhou e se deitou na cama, deu um beijo terno na testa do marido e se ajeitou para dormir.

Na manhã seguinte acordou primeiro que o homem ao seu lado, evitou fazer qualquer tipo de barulho foi até o lado de fora e pediu para um servo preparar a carruagem. Voltou para o quarto e se arrumou com a ajuda de algumas criadas, tudo sem fazer barulho para não acordar Francis, escreveu um bilhete escrito deixou em cima de uma mesinha para que o marido lesse ao acordar.

Francis,

Fui até Beauvais visitar uma prima que acabou de dar a luz lembra-se da filha de Claude De Guise? Peço que não se preocupe, Greer veio me fazer companhia, estou levando alguns guardas para nossa proteção, volto antes do jantar.

                                                     Com amor sua Rainha.

Passou no quarto de sua dama para apressa – lá, depois de uns minutos ambas se encaminharam para a carruagem que já as aguardava. O caminho estava tranquilo e as duas conversavam sobre a dificuldade de Mary em engravidar, quando o colche parou bruscamente, as meninas se entre olharam e permaneceram em silêncio. Escutavam grande gritaria do lado de fora, temiam não conseguir chegar até o destino.

- É a carruagem real, abram espaço! – Ordenou o cocheiro.

- Ninguém da realeza passa por aqui Senhor, então saiam todos da carruagem, queremos ver quem está aí dentro. – Disse um aldeão com um machado na mão.

As amigas se entre olharam, ambas estavam espantas com a situação não imaginavam que teriam esse tipo de problema durante a viagem, Mary pensava em sair e falar com os manifestantes porém Greer segurava forte a sua mão, sabia que não poderia deixar a Rainha da Escócia ser vista pelos aldeões furiosos, sabe-se lá o que fariam ao ver a mulher mais importante da França, poderiam não ter uma reação tão agradável.

Com a demora, os rebeldes começaram a balançar a carruagem de um lado para o outro enquanto exigiam que as pessoas lá dentro saíssem, Mary e Greer já estavam sem  nenhuma opção. 


Notas Finais


Bom espero que estejam gostando de ler, tanto quanto estou gostando de escrever... Logo teremos um novo capítulo.. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...